1. Spirit Fanfics >
  2. Noites Sombrias >
  3. Primeiro dia de aula.

História Noites Sombrias - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá pessoal!
Segue o primeiro capitulo dessa História!
Espero que vc gostem!!!
garanto a vcs que a história vai ser legal e vai surpreender vcs!
Sintam-se a vontade para comentar, dar opinião!!!
Vamos lá?!

Capítulo 1 - Primeiro dia de aula.


Alexander era um Jovem não tão comum. Ele pertencia a uma família rica, era o capitão do time do colégio o qual estudava e era altamente popular e atraente. Muitas pessoas o taxavam como metido, esnobe, amostrado, mas ele nunca ligou para o que as pessoas pensavam, até porque, só ele sabia o quanto lhe custou conquistar tudo isso e quem realmente importava sabia exatamente quem ele era. O ultimo ano de Alexander foi muito duro e seu passado trazia consigo segredos dolorosos e sombrios. Entretanto agora tudo estava para mudar. Seu tempo de colegial tinha finalmente acabado e Alex agora estava de mudança para Seattle, aonde irá começa a cursar medicina em uma das mais renomadas faculdades do mundo.

– Alex! Cadê você garoto? – Ecoou uma voz masculina do térreo da enorme casa.

– Já estou descendo pai! – Gritou menino.

– Vamos perder o voo desse jeito!

“Nossa! Quanto drama! O voo é daqui a duas horas ainda” pensou o menino pegando uma mala enorme e descendo as escadas, despreocupado, porem um tanto ansioso.

– Já era hora! – Falou uma mulher alta e elegante.

– Mãe ainda falta duas horas para o voo. O aeroporto fica á vinte minutos daqui.

– Não podemos arriscar querido! Você deve chegar lá com tempo suficiente para se acomodar e conhecer tudo antes do inicio das aulas.

– As aulas só começam em uma semana mãe. – Falou o menino achando a preocupação e o entusiasmo da mãe um pouco exagerado.

Alex pôs a mala no BMW do pai e saíram rumo ao aeroporto. Quase uma hora depois de terem chegado ao aeroporto ouviu-se o anuncio ecoar pelos alto-falantes “Atenção passageiros do voo 185, com destino a Seattle – Tacoma favor embarcar no portão 03”

– É o meu voo! – Falou Alex um pouco nervoso – Mãe, pai eu amo vocês! Vou sentir saudades. – Ele abraçou os dois.

– Nós te amamos filho! – Falou a mãe de Alex com os olhos marejados.

– Tome cuidado filho! Não vá se meter em confusão. – Falou o pai dando um ultimo abraço no menino. – O ultimo ano foi difícil, mas eu sei que você o superou.

– Sim pai! – Alex falou com um leve sorriso – Águas passadas!

Alex despediu-se dos pais e finalmente embarcou no avião e dirigiu-se a primeira classe, onde estava localizado o seu acento. Chegando ao local ele colocou a bolsa no espaço reservado e tomou acento olhando pela janela do avião aguardando o mesmo tomar voo pensando em como a sua vida estava para mudar.

“Atenção senhores passageiro, pedimos que tomem seus acentos e a apertem os cintos, pois dentro de poucos minutos estaremos levantando voo. Agradeço a atenção!”

Alex apertou o seu cinto e ficou aguardando o avião levantar voo quando na poltrona ao seu lado chegou um garoto branco, magro, de olhos verdes, não era tão alto, mas não era baixo, deveria ter 1,68 de altura e uns 20 anos. O menino olhou para Alex e sorriu cordialmente colocando sua bolsa no guarda volumes e sentou-se.

– Olá! – Falou o menino. Alex olhou para o lado e viu que o menino falava com ele e respondeu.

– Olá!

– Prazer meu nome de Derek. – Falou o menino estendendo a mão para Alex.

– Há! Prazer Derek! – Respondeu Alex apertando a mão do garoto. – O meu é Alexander.

– Está indo a Seattle a passeio? – Continuou o menino tentando puxar conversa com Alex.

– Não! Estou indo para estudar. – Falou Alex um pouco constrangido com tantas perguntas – Fui aceito na Universidade de Washington.

– Nossa que coincidência! Eu também. – Falou Derek sorrindo. – Desculpa se estou falando de mais é que voar me deixa nervoso. Mas fico feliz que você vai estudar na mesma universidade que eu, Vou cursar medicina. E você?

 – Não brinca! Eu também – Falou Alex surpreso. – Que mundo pequeno!

– Sério? Que ótimo! Já conheço alguém da minha turma então.

O avião ligou as turbinas e começou a se movimentar para levantar voo.

– Droga! – Derek estava encostado segurando com toda a força nos braços da poltrona quase me pânico.

– O que houve? – Perguntou Alex – Você está bem?

– Não! Odeio avião, principalmente na hora da decolagem. Me deixam em pânico.

– Tente se acalmar. – Falou Alex olhando para o menino que estava pálido e já soando frio. – Ei, ei! Olha para mim.

O menino olhou para Alex ainda em pânico. Alex tirou uma das mãos dele do braço da poltrona e a segurou forte.

– Não tenha medo. Aperte a minha mão e fique olhando para mim! Olhe para mim.

Derek olhou bem nos olhos azuis de Alex e conseguiu se sentir um pouco mais calmo. O avião levantou voo e logo estava estável no ar e Derek pode respirar normal, a mão de Alex estava doendo de tão forte que o menino a apertou.

– Obrigado! – Falou o menino a Alex. – Muito obrigado!

– Não tem de que! Por que tanto medo assim de avião?

– Quando eu era pequeno estava em um avião e no momento em que ele ia decolar a turbina pegou fogo e ele despencou. Não aconteceu nada com nenhum passageiro, mas desde esse dia que toda vez que entro em um avião e ele está prestes a decolar eu revivo o momento penso que o mesmo que tudo vai voltar a acontecer.

– Nossa eu sinto muito por você!

O avião aterrissou em Seattle duas horas depois. Os meninos se despediram, trocaram números e cada um tomou o seu caminho, ansiosos pelo primeiro dia de aula.

Alex chegou ao apartamento que seus pais haviam comprado para ele. Tinha três quartos, uma cozinha americana, uma sala, era muito aconchegante e espaçoso. Estava mobilhado e a vista da varanda era voltada para a SPACE NEEDLE. Um apartamento fantástico, luxuoso e caro. Alex tomou um banho, ligou para seus pais para dizer que havia chegado em segurança e cansado da viagem foi dormir.

No dia seguinte Alex decidiu ligar para o garoto que havia conhecido e convida-lo para dar uma volta e conhecer a cidade.

– Alexander! – Alguém gritou da esquina da rua enquanto Alex saia das dependências do seu prédio. Ele olhou para trás e viu que era Derek vindo em sua direção.

– Oi Derek! Como está?

– Muito bem obrigado! Que bom que você ligou!

– Quero caminhar um pouco para conhecer a cidade. Como você também chegou a pouco achei que gostaria de vir junto.

– Com toda certeza. Vai ser ótimo para conhecer a cidade e nos conhecer um pouco melhor.

A semana foi passando e Alex e Derek foram se conhecendo melhor e se tornando bons amigos, eles estavam morando próximos um do outro e isso facilitou a comunicação.

No primeiro dia de aula eles foram juntos a universidade e ficaram encantados com o quão grande e bonita era. A turma dos meninos tinham pessoas de todos os lugares e de todo o tipo. Alex e Derek fizeram amizade com uma menina chamada Maysa que se identificou com Alex logo no primeiro contato. A primeira aula do dia estava prestes a começar e todos aguardavam na sala de aula a chegada do professor que deixando os alunos ansiosos finalmente entrou falando sem nem ao menos olhar para os meninos até por suas coisas sobre a mesa.

– Sejam bem vindos Alunos do primeiro ano! Ser medico não é trabalho para covardes, frouxos e ignorantes. Vocês vão se deparar com varias situações difíceis e uma delas sou eu! Ou vocês estudam e me mostram que eu não estou perdendo meu tempo ou serei o maior de seus pesadelos, meu nome é Sr. Williams. A anatomia e patologia são fundamentais para um medico. Estudem. Nosso primeiro conteúdo será ossos.

Todos ficaram com medo do professor a aula terminou e o Derek falava com outro garoto que tinha acabado de conhecer. Maysa aproximou-se de Alex e falou.

– Muito louco esse professor não?

– Verdade! Ele me deu medo.

Pouco tempo depois uma menina loira, bem vestida, alta, de olhos castanhos muito bonitos se aproximou de Alex, passou na frente de Maysa e o olhou avidamente. Ela viu de perto as características do menino: branco, de olhos azuis, rosto e pele perfeita sem nenhuma imperfeição ou mancha, queixo angulado, cabelo preto, liso, curto e bem penteado, alto, forte. Alex era um garoto que possuía uma beleza extraordinária e que chamava a atenção de quem o via.

 – Nossa Garoto! De onde você é? Não é comum encontrar alguém dotado de tanta beleza. – Falou a menina.

– Obrigado! – Falou Alex sem graça.

– Desculpe! Não quis assusta-lo. – Disse a menina vendo que o garoto havia corado. – Mas seja bem vindo, espero que possamos ser bons amigos.

– Tudo bem! Não precisa se desculpar. Eu agradeço a gentileza.

As aulas terminaram Alex se despediu de Maysa e Derek e resolveu ficar na biblioteca estudando. A noite caiu sem que ele percebesse e quando caiu em si à biblioteca estava vazia e ele estava só. Arrumou suas coisas rapidamente e saiu a passos rápidos para apanhar um taxi. Na saída da biblioteca, na viela lateral ele ouviu um barulho de latas de lixo sendo derrubadas. Ele se assustou foi se aproximando vagarosamente, a rua estava mal iluminada.

– Alguém está ai? – Ele falou acanhado. Agora ele ouviu passos e um barulho como um rosnado. – Ola! – Falou novamente e entrou na rua tentando ver alguma coisa na escuridão.

Tudo estava em silêncio agora, mas Alex viu um par de olhos amarelo brilhante. Assim que ele os viu se assustou e uma sombra preta partiu em sua direção e antes que ele pudesse gritar uma mão tapou a sua boca e o puxou para dentro da escuridão.


Notas Finais


Espero que tenham curtido!!
vou manda vou postar o segundo capitulo agr e os demais vão ser adicionados periodicamente!!!
Deixem seus comentários!!
é importante ter um feedback de vcs!
Abraço pessoal!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...