1. Spirit Fanfics >
  2. Noites Sombrias >
  3. Confusão de Sentimentos

História Noites Sombrias - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Aproveitem mais um capitulo!!

Capítulo 10 - Confusão de Sentimentos


Alex estava saindo do hospital com Mayck e seu pai. Era cedo, fazia pouco tempo que o dia tinha amanhecido.

– Agora que sei que você está bem, preciso passar em casa. Vou tomar um banho e trocar de roupa par ir para a universidade.

– Muito obrigado! – Disse Mayck com um meio sorriso. – Mais tarde passo na sua casa. Precisamos conversar!

– Espero você a mesma hora de ontem! – Disse Alex. Ele estava com a cabeça a mil com tantas coisas que nem pode ficar feliz com a notícia.

– Você está bem menino? – Perguntou o pai de Mayck a Alex.

– Estou sim senhor! Só estou cansado! – Cansado da minha vida altamente complicada, pensou Alex, mas não disse alto.

– Estou de carro! – Disse o homem – Eu deixo você em casa!

Alex aceitou a carona. Tomou banho, trocou a roupa e partiu para a universidade para mais um dia de aulas. Assim que encontrou Derek e Maysa ficou aliviado, era a única parte normal da sua vida complicada, era o único momento que ele podia ser só o Alex.

– Nossa Alex! Você está horrível! – Disse Maysa assim que viu o menino chegar. – O que diabo aconteceu com você?

– Minha noite não foi das melhores!

– Isso a gente percebe a quilômetros – Disse Derek olhando para Alex curioso. – Noites ruins tem sido cada vez mais frequentes na sua rotina. O que houve dessa vez?

– Não quero falar disso agora!

O professor chegou na aula e disse aos alunos que se preparassem, pois a aula seria prática e eles iriam para o necrotério.

– Que maravilha! – Disse Alex aos amigos – Hoje é um péssimo dia para ver pessoas mortas!

– Alex nunca se é um bom dia para ver pessoas mortas! – Disse Maysa ao menino – Anda, ponha seu jaleco e vamos.

Toda a classe seguiu o professor até o local onde estavam os corpos. A sala era fria, clara, com muitos materiais cortantes, com varias mesas de aço onde nelas havia corpos coberto com lençóis azuis claros.  Professor saiu por um momento e voltou acompanhado. Alex estava no fundo e não viu quem havia entrado com o professor até a pessoa ser apresentado como monitor.

– Esse é senhor Slowan Classe! Será o monitor de vocês em todas as nossas aulas de patologia. Ele é do segundo ano de medicina e me dará esse suporte.

Alex não acreditou quando ouviu o professor falar aquele sobrenome. “não é ele!” pensou Alex “existem vários Slowan no mundo” Ele encontrou uma brecha entre os colegas de turma e viu o menino de pé ao lado do professor.

– Puta que pariu! – Disse Alex alto o suficiente para Derek escutar.

– O que houve Alex?

– Não é nada! Apenas lembrei-me de uma coisa que não fiz.

– Deve ser importante porque parece que você viu uma alma penada.

O professor mandou a turma se dividir em grupos e ocuparem cada grupo uma mesa. No momento em que todos se dividiram Jackson pode ver Alex entre os vários alunos da turma. Ele se aproximou enquanto Alex respirava fundo e implorava aos céus para que ele não estivesse vindo falar com ele.

– Olá pessoal! – Cumprimentou Jackson todos do grupo de Alex e todos responderam menos Alex que estava olhando para o chão.

O Professor começou a explicar a aula

– Os tórax dos cadáveres que vocês veem estão abertos. A função de cada grupo é pegar a folha que será entregue e por um alfinete em cada objetivo pedido. Podem retirar os lençóis.

Cada grupo pegou a folha que foi entregue por Slowan. Um dos meninos do grupo de Alex o chamou para retirar uma dúvida.

– O que você quer com o monitor? – Perguntou Alex ao menino.

– Não consigo encontrar a Veia porta no fígado! – Disse o menino não entendendo o porquê de Alex estar bravo.

– Sai daí. – Alex empurrou o menino, e espetou o alfinete no local correto. – Ai estar! – Mas já era tarde, Jackson havia chegado.

– O que houve? – Perguntou.

– Há! Eu não estava encontrando a veia porta, mas o Alexander a encontrou.

– Foi mesmo? – Jackson falou com um tom irônico, mas que só Alex percebeu. – Vamos conferir se está correto. – Ele olhou para Alex que o encarou com ódio. – Muito bem senhor Alexander! – Ele deu um sorriso para Alex.

– Obrigado! – Alex deu um sorriso de nojo e todos perceberam que o clima estava pesado. – Ridículo! – Disse Alex em voz baixa, mas algumas pessoas puderam ouvir.

Quando terminou a aula o professor elogiou o grupo de Alex, que havia acertado todos os objetivos. Alex tentou se apressar para sair logo da sala, mas foi chamado pelo professor.

– Senhor Ferraz quero parabeniza-lo pelo seu desempenho na aula de hoje! Você será um grande profissional se continuar assim.

– Muito obrigado professor, mas o mérito não é só meu.

– Sei que não, mas os objetivos mais difíceis o seu grupo só conseguiu acertar graças ao senhor. Então não seja modesto, não é errado receber elogios quando se trabalha duro para merecê-los.

Alex agradeceu ao professor que entrou para uma sala com o nome “APENAS PESSOAS AUTORIZADAS” e o menino teve que cruzar a sala de aula prática onde Jackson estava.

– Até quando você vai me evitar? – perguntou Jackson a Alex que continuou andando sem dar nenhuma resposta. Jackson se aproximou e o puxou pelo braço o fazendo ficar cara a cara com ele. – Pare de ser infantil!

– Me larga agora ou eu não respondo por mim! – Alex falou cerrando os punhos.

– O que? Vai me bater aqui dentro e correr o risco de ser expulso da universidade?

– Me larga! – Alex repetiu.

– Só se você me der dois minutos. – Alex respirou fundo e viu que não tinha outra saída.

– Nada mais que dois minutos! Anda fala de uma vez.

– Você não pode me tratar assim para o resto da vida sabia! Eu errei muito no passado, mas já fui punido o suficiente. Porra, você me tirou tudo e me deixou invisível e eu aceitei porque achei que merecia. Depois de tudo que aconteceu você sumiu e eu tentei falar com você, mas nunca consegui que me respondesse!

– Há e você acha que agora eu sou o vilão da historia. Eu tirei tudo do pobre Jackson! – Alex o olhou nos olhos. – Você me tirou muito mais, a minha dignidade, a minha fé nas pessoas e no amor! Isso é algo que eu jamais vou recuperar!

– Eu sei que eu errei! Não estou dizendo que não mereci tudo que você me fez, mas eu me arrependi! Aquele foi um ano difícil para todos nós, um ano de muitas perdas.

– É verdade? Que lindo! E você acha que agora eu vou te dar um abraço, que vamos chorar juntos e passar uma borracha no passado. – Disse Alex transtornado. – Não seja hipócrita! Não há um dia na minha vida miserável que eu não me recorde de tudo que aconteceu! E você me culpou!

– Alex você pode não acreditar, mas eu me arrependi e sei que o que aconteceu naquela noite não foi sua culpa!

– Você tem razão! Não acredito! E ainda que fosse verdade, se arrependeu um pouco tarde de mais, devia ter pensado nisso antes de fuder com a minha vida e me fazer passar por tudo aquilo.

– Eu gostava de você – Disse o menino engolindo seco. – E ainda gosto! Me arrependo por não ter ido adiante com você...

– Cala essa boca! – interrompeu Alex. – Você não vai me convencer de nada com esse seu discurso barato de merda! Eu não sou mais um adolescente ingênuo! E você só gosta de você mesmo!

– Eu não quero que você diga que me quer mais uma vez perto de você. Eu só quero a chance de te provar que eu mudei. Eu quero ter a chance de lutar por você. – Alex deu uma gargalhada.

– Não me faça rir Jackson! – Disse Alex incrédulo com o que tinha acabado de ouvir. – Eu não quero você perto de mim.

– Você diz isso com a boca, mas eu vejo a dúvida nos seus olhos Alex. – Jackson o puxou para perto e ficou com o rosto a menos de um dedo de distância do rosto de Alex. – Diga olhando nos meus olhos que você não me quer!

Ele foi se aproximando mais, Alex podia sentir o calor de seu corpo junto ao dele. Alex ficou paralisado, sem ação até que sentiu os lábios de Jackson encostar os seus. Ele empurrou Jackson com força e o menino quase caiu no chão.

– Nunca mais faça isso outra vez ouviu! – Falou Alex revoltado. Jackson deu um sorriso sem graça.

– Você ainda sente alguma coisa por mim Alex. Não adianta esconder! Agora está claro. – Ele deu um paço para frente e Alex em contrapartida deu um para trás. – Era tudo que eu precisava saber para continuar acreditando que nós dois ainda temos uma chance.

– Seus dois minutos acabaram! – Disse Alex saindo da sala de cadáveres atordoado. (...)

**********

            – Aconteceu alguma coisa? Alex você está muito estranho. – Disse Maysa olhando o menino na hora do almoço.

            – Eu não estou bem! Vou para casa, preciso dormir.

            – Eu te acompanho! Não vou deixar você sair por ai nesse estado sozinho. – Disse Derek.

            – Não precisa! Peço um táxi e ele me pega aqui. Vocês ficam comigo até ele chegar.

            Quando Alex chegou em casa se jogou na cama, ele queria chorar, mas não tinha mais forças. Apagou e só acordou algumas horas depois com alguém batendo na porta.

            – Já estou indo! – Respondeu Alex – Quem é?

            – Sou eu Alexander! – Respondeu Mayck – Não se lembrou de que eu viria não é?

– Droga! – Disse Alex vendo seu estado. Abriu a porta – Não repare em mim. Entre! Eu vou tomar um banho e trocar a roupa e já volto.

– Você esqueceu de mim não foi?

– Eu não esqueci! Eu juro! – Disse Alex – Eu apaguei de verdade e acordei agora com você batendo na porta. Pensei que ainda era cedo. – Mayck sorriu com a preocupação de Alex em provar que não tinha se esquecido dele.

– Eu sei disso! Você passou a noite no hospital comigo lembra?

– Você está bem? – Perguntou Alex com semblante de preocupação lembrando de tudo que aconteceu na noite anterior.

– Melhor impossível! – Mayck sorriu deixando Alex ainda mais desejoso. – Agora anda! Para de me olhar e vai tomar banho. A menos que você queira que eu entre no chuveiro com você! – Concluiu Mayck fazendo Alex corar e ficar ainda mais encabulado.

– Não seja idiota! – Disse Alex. – Eu volto já!

Assim que ele retornou começou a contar a Mayck tudo que tinha acontecido na noite anterior. Seu reencontro com Jackson, o homem da praça, o seu desespero quando soube que ele estava no hospital. Só omitiu o que havia acontecido pela manhã, Não queria estragar o que tinha construído com Mayck e nem tão pouco falar que estava confuso com relação ao que sentia por Jackson.

– Eu não acredito! Filho da puta! – Disse Mayck transtornado.

– Eu sei! Nunca pensei que ele iria me encontrar na forma humana. Só o reconheci por causa dos olhos!

– Não falo do Alfa! – Disse Mayck. – Falo do filho... Do seu ex.

– Ele não é o meu ex! – Disse Alex. – E você quer esquecer ele. Temos algo muito pior para resolver. Em dois dias é a lua cheia, eu já posso sentir meu corpo querendo se transformar, quase virava um mostro no restaurante. E o Alfa provavelmente vai me procurar mais uma vez.

– Eu já tenho um plano para a lua cheia! – Disse Mayck pensativo (...)


Notas Finais


Espero que tenham curtido!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...