1. Spirit Fanfics >
  2. Noona, me dê atenção - Imagine Kim Jungwoo >
  3. Capítulo único

História Noona, me dê atenção - Imagine Kim Jungwoo - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Alguns recados:
↪ A fic a seguir tem conteúdo sexual/+18, ou seja, haverá SEXO, se você não gosta ou se sente desconfortável com esse tipo de coisa, por favor não leia e deixe quem goste ler.

↪ Se você é menor de idade e está lendo, você está aqui por que quer, não por obrigação.

↪ A fic é 100% heterossexual, se não gosta, não leia.

Boa leitura 💛

Capítulo 1 - Capítulo único


Fanfic / Fanfiction Noona, me dê atenção - Imagine Kim Jungwoo - Capítulo 1 - Capítulo único

— Oh, noona...! 

Jungwoo gemia manhosamente o nome de sua noona enquanto se tocava pensando nela, no corpo dela, nos seus toques, em seus gemidos pedindo por mais do Woo. O garoto estava insano com sua amada o ignorando, mas essa "evitância" toda tinha um motivo.

flashback on

Woo, como um bom submisso malcriado gostava de provocar sua dom. Como por exemplo: Sentando no colo de outras moças - lê-se algumas amigas - enquanto estavam em algum lugar público, pousando suas mãos em lugares inusitados das moças como os ombros, cabelo, costas e etc, esfregando seu próprio corpo nelas, chamando-as de "mommy" ou "noona" com um tom de voz aveludado e provocativo que com certeza deixava as garotas com vontade de ter o garoto de falsa inocência em suas camas; mas o que elas não sabiam, é que Jungwoo sempre queria estar na cama de sua noona e somente na cama dela. E ele faria de tudo para ter seu corpo colado ao dela novamente e sentir suas pequenas - mas ágeis - mãos tocando-o da forma que Kim mais gostava. Apenas em pensar nisso... Ah, seu corpo começava a esquentar, dando um rubor nas bochechas do garoto e... bom, fazendo com que seu "mini Jungwoo" ganhasse vida própria e pronto pra estar dentro de sua "dona", é como se a genitália de Jungwoo desejasse mais sua noona do que ele próprio.

Pronto para criar uma grande travessura, Jungwoo bola o seu plano que ele mesmo nomeou de: "Provocar a minha noona e depois ir para a cama com ela". Como ele pensou nesse tipo de título? Eu também não faço a mínima ideia. 

Woo foi junto com sua noona para uma festa, e foi naquele lugar que ele iria colocar seu plano em prática. Sentaram-se nas cadeiras onde tinham o bar e pediram bebidas, pelo menos só o Woo já que a garota estava dirigindo. Os dois estavam conversando normalmente - meio alto por conta do som alto que emitia ali -, até que o garoto de olhos grandes olhou para a pista de dança, onde todas ou a maioria das pessoas que estavam naquela festa, dançavam e gritavam animadas e agitadas. Até que o menino reparou em uma moça que olhava para ele com um sorriso malicioso e olhar um provocativo, foi naquele exato momento que acendeu uma lâmpada em sua cabeça e pensou: "Parece que achei a minha isca". Não tardou de sorrir ladino em resposta aos atos daquela mulher que usava roupas vulgares e bem, bem estranhas por assim dizer, estranhas no requisito que as roupas não se encaixavam uma na outra - não combinavam.

Jungwoo olhou para a sua namorada, pedindo permissão a ela para dançar com aquela mulher que achava que os dois eram apenas amigos se divertindo juntos, porém ela estava muito enganada.

— S/n, – a chamou pelo nome, já que a garota não gostava muito de ser chamada de mommy ou noona em público, mesmo as pessoas não ligando muito para eles dois e sim se importando em dançar e espernear com as músicas que tocavam no local. — posso? – se referiu a moça que estava dançando sensualmente - ou pelo menos tentando - para ganhar a atenção do menino Woo. Ela olhou de relance para a outra menina com receio de permitir a Jungwoo que dançasse com aquela menina, mas cedeu quando sentiu os lábios cheinhos do Kim roçarem em seu pescoço quando sentiu sua tensão, logo permitindo que dançasse com a garota de roupa vulgar. Jungwoo sorriu animado por S/n não ter notado que usaria aquela menina ao seu favor para provocar sua namorada - e seria ainda mais divertido porque S/n não disse "mas tudo ao limite". 

Jungwoo saiu da cadeira em que estava sentado e caminhou em direção a garota que sorriu maliciosamente ao ver a silhueta do rapaz indo em sua direção.

E então... começou a farra. Jungwoo ficou atrás da garota e colocou suas mãos em sua cintura, apertando levemente, acompanhando o seus movimentos de quadril. Com uma mão, foi para os braços da menina, acariciando sua pele, sentindo-a arrepiar com esse simples toque fazendo Jungwoo dar um leve sorriso. Olhou de relance para a sua noona para ver se ela estava observando-os dançar. E estava. S/n estava com um olhar misterioso, parecia que ela não estava a demonstrar nada. E Jungwoo não queria isso.

Resolveu ser mais audacioso, então começou a apertar a garota com que estava dançando e colar seu corpo no dele. Virou-a de frente e novamente se colou a ela, porém com um detalhe. Suas mãos foram mais para baixo e começaram apertar levemente o bumbum da menina, se surpreendeu ao ver que o bumbum de sua noona é 100 vezes maior que o da garota, mas não demonstrou sua feição. Com o ato repentino de Woo, a garota arfou um tanto quanto alto, fazendo com que algumas pessoas escutassem e rissem. Olhou novamente para conferir que sua namorada estava assistindo o espetáculo e se arrepiou com sua expressão facial nada boa, Jungwoo realmente tinha medo de sua dominadora, mas de suas expressões mais ainda. Mas o garoto não se importou e continuou a fazer suas provocações com a garota.
Não demorou muito, sua noona já estava vindo em suas direções em passos apressados.

— Olá, garota. Sinto muito interferir na dancinha de vocês, mas a mãe dele ligou pedindo para voltar para casa. – mentiu.

— Pois diga para a mãe dele esperar! – a garota tinha uma voz muito fina e irritante. — Agora ele vai ter uma noite muito prazerosa comigo, vamos, benzinho! 

A menina tentou puxar Jungwoo, mas ele cola no chão fazendo com que a mesma ficasse confusa.

— Desculpe, porém minha mãe é bastante rigorosa, não vai dar essa noite, querida.  – o garoto diz com uma foz aveludada, sorrindo e acariciando o rosto da menina que mordeu os lábios insinuando uma provocação, fazendo com que S/n sentisse nojo.
 

• • •

— Você está louco?!

A mulher estava brava com seu dongsaeng. Levou ele para fora da festa, o empurrou e prensou ele na parede longe daquela gritaria e música alta.

Jungwoo por outro lado, estava sorrindo divertido pois finalmente iria ter sua noona apenas para ele - ou era o que ele achava.

A garota olhava confusa para aquele sorriso travesso, logo então percebeu o que ele queria.

— Seu cretino. – estava incrédula com aquilo. — Usar uma menina para me provocar? Que baixaria, Woo. – Jungwoo não se deixava abalar, bem pelo contrário, abria sempre um grande sorriso malicioso com aquelas palavras ditadas.

— E o que você vai fazer, noona? – perguntava inocente para a mais velha. — Irá me punir, mamãe?  – se aproximou do ouvido dela, dando uma lambida no lóbulo de sua orelha.

Woo queria ser punido, ah como queria. Queria ser o cachorrinho de S/n novamente, queria sua boca macia em cada parte de seu corpo mas principalmente em suas partes baixas.

— Você merece ser punido, Jungwoo, e como merece... – a mulher colocou sua mão no rosto de Jungwoo e acariciou seus lábios semi-abertos com o polegar, o ato que fez com que Kim chupasse o polegar de S/n e olhando-a atentamente com os olhos pidões. 

— Então puna o seu bebê desobediente, mamãe... – parou de chupar o dedo da moça, mordeu o seu lábio inferior e pegou uma das mãos de sua noona e colocou na sua própria calça, mostrando a ereção que continha ali.

S/n riu.

— Eu não fiz nada e você já está necessitado, Jungwoo? – o garoto concordou levemente e não parando de sorrir. — Você realmente é um cachorrinho, prontinho para obedecer os comandos de sua dona, não é? – apertou a ereção do garoto, já fazendo-o gemer baixo e revirar  levemente os olhos, S/n riu com isso. — Porém, mesmo você merecendo uma punição, não irei dar isso que você quer.

Tirou a mão de sua calça e caminhou para longe do Woo. Isso fez com que Jungwoo ficasse indignado, intrigado; ficou com raiva de sua namorada e correu atrás dela.

— Como é que é? E eu aqui, noona? – tocou o ombro da mulher que estava de costas. — Vai deixar seu neném assim precisando de atenção e do leitinho de sua mamãe...? – perguntou com uma voz manhosa, dando um gemidinho no final e dando beijinhos no pescoço de sua noona.

— Você me fez ficar com raiva, Woo, por isso não irá para minha cama e nem ao menos eu na sua. Repense suas atitudes e ações, quando você deixar de ser tão desobediente, talvez eu te dê o que você quer. Vamos para o carro.

Jungwoo não acreditou naquilo, tudo por causa de uma mera brincadeira só para transar de novo com sua noona.

flashback off

E agora estava se tocando, para cima e para baixo, estava louco de tesão imaginando sua mão sendo a mão de sua namorada o masturbando. O que dificultava era que a mão de Woo era meio grande.

Já fazia algumas semanas que S/n e Jungwoo não faziam sexo, isso o deixava completamente maluco, desequilibrado. Já não aguentava mais ver sua noona e não poder ter ela para si, em cima dele, rebolando em seu colo, cavalgando, dando aqueles gemidos que eram músicas para seus ouvidos. Jungwoo queria isso e muito! Às vezes ele se perguntava do porquê de ter feito aquela provocação, mas fazer o que? Woo queria sua noona mais do que tudo nessa vida.

Não aturando mais essa situação, parou de se tocar e logo mandou mensagem para sua noona.

Noona!- Enviado às 13:34.

Quando você irá me ver? - Enviado às 13:34.

Já repensou suas atitudes, sr Woo? - Enviado às 13:36.

Noona, ainda pensando nisso?

Já faz mais de uma semana! - Enviado às 13:36.

Você sabe como eu sou, Jungwoo. - Enviado às 13:36.

 Mas, poxa, eu sinto sua falta, noona... - Enviado às 13:36.

Eu também sinto sua falta, Jungwoo.

Mas você me chateou com aquela sua brincadeira. - Enviado às 13:36.

Me perdoe, noona, por favor! - Enviado às 13:36.

Eu estou sedento por você, eu estava me tocando agora à pouco. - Enviado às 13:36.

Por favor, noona, me deixe te tocar, me deixe te sentir novamente... - Enviado às 13:36.

Eu estou louco de tesão imaginando sua mão e sua boca tocando o meu pau. - Enviado às 13:37.

Merda, Jungwoo... Tudo bem, estou indo para sua casa. - Enviado às 13:37.

Estarei esperando ansiosamente! - Enviado às 13:37.

Jungwoo sorriu animado. "Finalmente terei a minha noona para mim de novo!" pensava ele. Não demorou muito, a campainha de sua casa é tocada. O garoto correu todo alegre para a sala e indo para a porta, estava nervoso, mas não sabia por qual motivo. Abriu a porta da residência e derreteu ao ver aquela linda mulher a sua frente com um sorriso meio perverso formado em seus lábios que Woo tanto amava.

— Noona! Que bom que ve-- – não conseguindo completar sua fala, S/n já atacou seus lábios, num beijo um tanto "desesperado".

Jungwoo não tardou de retribuir aquele beijo gostoso, sentia falta dos lábios de sua noona sobre os seus.

S/n fechou a porta com o pé e entrelaçou seus braços no pescoço de Woo.

Em passos cegos, foram andando - e tropeçando em alguns objetos - até uma poltrona que tinha na sala do mais novo, Jungwoo sentou-se na poltrona e S/n sentou em seu colo, não desaproveitou esse momento e se movimentou - ou rebolou - no colo de Jungwoo, faznedo-o gemer por conta do ato.

— Noona... Não me faça tomar o controle da situação e te foder agora mesmo... – fechou os olhos e arfou. — Você sabe que eu não gosto de ser o dominador...

— Oh, meu bebê, não se preocupe, você não mexerá um músculo, fique quietinho e deixe que a sua noona cuide de você. – apertou os ombros do menino e começou a fazer uma massagem enquanto rebolava em seu colo, fazendo o membro de Jungwoo dar sinais de vida aos poucos. — Você me parece tão cansadinho, como foi seu dia hoje?

Perguntou sussurrando no ouvido de Jungwoo, fazendo o mesmo se arrepiar com tal ação e com a voz meio grossa da mulher bem perto de sua orelha.

— Oh... Foi meio cansativo hoje, estava desde de manhã aprendendo as coreografias da música nova que estava sendo bem difícil, mas pelo menos fomos liberados mais cedo. – todas as palavras ditas saíam com um gemido ou arfar, mas Jungwoo não se deixava abalar por conta disso, dizia tudo com calma e precisão para não errar e soltar mais gemidos do que discurso.

— Por isso que está tão tenso. Agora sua mamãe irá encarregar-se de te relaxar, como meu Snoopy merece. – beijou o menino calmamente. 

Jungwoo sorriu durante o beijo ao ouvir seu apelido saindo da boca deliciosa de sua namorada. Sua língua invadiu a boca da garota, explorando todo os cantos daquela cavidade bocal, mesmo conhecendo-a tão bem. S/n saiu do colo de Jungwoo e ele formou um bico nos lábios, fazendo S/n rir fraco. 

— Noona, volta pro colinho do Snoopy... – formou um biquinho maior e ergueu os braços em direção da mulher.

— Calma, meu amorzinho, te darei algo melhor. – sorriu, tirou todas as suas roupas lentamente fazendo Jungwoo ficar insano e se agachou, com aquela cena de S/n se agachando em sua frente fez com que a intimidade de Jungwoo fisgasse e fechasse os olhos por esse motivo.

S/n tirou o calção de Jungwoo, expondo sua boxer branca estampando um grande volume dentro daquela cueca e uma machinha úmida ali, S/n umedeceu os lábios. Tirou sua cueca e a genitália de Woo simplesmente pulou para fora da boxer. S/n começou a dar pequenos beijinhos na glande inchada do garoto, fazendo Jungwoo apertar os olhos que já estavam fechados e gemer meio alto.

— S/a-noona... – chamou pela garota manhosamente. — Por favor... Mais...

— O que foi, hm? Quer que eu pare? – Jungwoo franziu o cenho com essa pergunta.

— Não se atreva a parar... – colocou a mão na cabeça da mulher e agarrando seus cabelos, impedindo de afastar a cabeça de seu pênis, fazendo S/n rir.

— Tudo bem, meu querido. – começou a massagear seus testículos e colocar a metade de seu pau na boca, levando Jungwoo a delírio apenas com tão pouco. Colocou todo o seu membro na boca e masturbou o que não cabia, fazendo Jungwoo revirar os olhos e arfar alto.

— Noona... Podemos pular essa parte? Estou com tanto tesão que quero que sua boceta engula meu pau de uma vez por todas...

S/n riu com aquelas palavras sujas saindo de Woo e foi atender seu pedido. Tirou a camisa do garoto e sentou em seu colo novamente, mas esfregando sua intimidade no membro de Jungwoo. Não demorou muito e já enterrou o membro de Jungwoo em seu interior, gerando gemidos de ambos, começou a quicar e rebolar em sua intimidade. Jungwoo gemia o nome de sua noona várias vezes e com ela não era diferente, os dois estavam loucos de tesão e saudade ao mesmo tempo, beijos afoitos eram distribuídos a todo momento, eles estavam adoidados um pelo outro.

— Aah... Desculpe, noona, sei que disse que eu não gosto de ser o dominador, mas agora eu quero te foder, te foder bem gostosinho como você merece... Deixe-me te comer, uh? – perguntou manhoso e arfando no ouvido da mulher.

— Dessa vez eu permito, Woo... Me foda como quer... – Jungwoo sorriu e assentiu.

Jogou a mulher no sofá grande que tinha na sala e ficando por cima de S/n e meteu fundo e com precisão dentro da garota, que gemia alto e Jungwoo também. Não se atrevia a parar nem para descansar, apenas queria sentir a moça que estava fodendo, todas essas semanas sem se tocarem, Jungwoo estava avoado e não se importava se estava machucando S/n, o que definitivamente não estava. Gemidos para lá, gemidos para cá, já estavam completamente exaustos mas não conseguiam parar de nenhuma forma. As paredes da garota apertaram o membro de Jungwoo, o fazendo reparar que a menina estava chegando em seu limite, o que fez com que Woo parasse. S/n gozaria de outra forma, e essa forma seria na boca de seu namorado.

— Noona, espero que não se importe, mas eu quero degustar de seu leite e será direto da fonte. – S/n entendeu o seu pedido e sorriu.

Saiu de dentro do menino e Jungwoo deitou-se de barriga para cima, logo S/n abriu as pernas novamente e sentou sobre o rosto de Jungwoo. Foi como se, S/n sentar sobre sua face trouxesse Woo de novo à ativa. Colocou seus lábios dentro da garota e a chupou com astúcia, levou seus dedos - indicador e médio - ao clitóris de S/n e começou a estimula-lá. S/n só sabia gemer o nome de Jungwoo e rebolar contra seu rosto. Jungwoo explorou cada canto da vagina de sua namorada com a sua língua, quente, macia e deliciosa. Já sentindo que a garota iria gozar, Kim a penetrou fundo com os dedos que estavam em seu clitóris e agora deixou essa missão para a sua língua, que começou a movimentar-se em círculos. Não demorou e logo S/n soltou seu jato na boca de Jungwoo, que engoliu todo o seu "leite" com o maior prazer do mundo.

— Quase que eu esqueci o quão saborosa você é, noona... Gostosa demais. – Jungwoo lambeu os lábios, não sobrando nada o que estava em cantos aleatórios, chupou seus dedos sentindo novamente o sabor de sua namorada, S/n riu, tremendo por conta do ápice que tinha chegado agora a pouco. 

E ainda restava o membro de Woo, que estava duro como pedra. S/n agachou e sem demora colocou todo o membro de Jungwoo na boca e Jungwoo soltou um gemido surpreso pelo ato repentino, mas não deixou de gostar. Chupava toda a sua extensão rapidamente, masturbava as bolas de Woo e arranhava sua coxas. E Jungwoo estava com as mãos em seus cabelos e as vezes estocava  sua boca, colocando-o todo em sua boca, fazendo S/n se engasgar com o membro longo de Woo. Jungwoo gemia, ah como gemia, gemia alto o nome de sua noona e até palavras desconexas e seus gemidos manhosos e pedindo por mais de S/n eram como lindas melodias para a mesma. As veias de seu membro engrossaram mais ainda e seu membro inchou, parecia que todo o sangue que tinha em seu corpo foram parar no membro do mais novo. Em alguns segundos, Jungwoo jorrou seu gozo quente na boca de S/n, indo por goela abaixo, Jungwoo se contorceu e tremeu, totalmente ofegante e suado.

Os dois deitaram no sofá abraçados em silêncio, porém o silêncio é cortado por causa da fala de S/n.

— Agora aprendeu, Jungwoo? – olhou para Jungwoo que estava tentando controlar a respiração. — Se começar a ser um garotinho obediente, ganhará mais transas como essa e não punições que machucam.

— Sim, noona! Aprendi meus erros, agora tentarei ser um menino obediente... – a mulher sorriu e o beijou com paixão.

Mas suas punições nunca machucaram Jungwoo, muito pelo contrário, Jungwoo gostava de apanhar, gostava de ser o cachorrinho de S/n sempre que tinha a oportunidade, sempre gostava de implorar para ela sentar em sua cara ou até em seu próprio pau, Jungwoo gostava tanto disso que poderia quebrar esse "juramento" e provocar S/n só para ter uma punição.


Notas Finais


E então? Gostaram?
Perdoe-me por essa escrita péssima e esse hot curto, irei tentar melhorar a cada fic que irei postar em meu perfil.

Obrigado por ler até aqui.

Até a próxima 💛


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...