História Norminah: Mãe, eu sou lésbica! - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Fifth Harmony, Norminah
Visualizações 365
Palavras 1.386
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, LGBT, Romance e Novela, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Amores desculpem a demora pra postar aqui! Tava esperando o capítulo 7 chegar em 100 visualizações pra ver se compensava continuar.
Preciso saber de vocês, estão gostando? Quer que continue a fic?

Capítulo 8 - Prato principal


Fanfic / Fanfiction Norminah: Mãe, eu sou lésbica! - Capítulo 8 - Prato principal

#Normani

Os beijos de Dinah me deixam alucinada, o gosto de seus lábios tinha algo que me deixava muito excitada e querendo foder ela a qualquer custo. 

Mas eu a conheci na minha balada, ela bebeu de tudo, ficou com várias garotas e queria transar comigo na primeira noite que nos conhecemos. 

Eu não podia dar esse gostinho a ela, e se ela fosse aquele tipo de mulher que só quer o prazer e depois finge que nunca nem viu? 

Afinal, ela já falou pra mim que a vontade havia passado. 

Não, eu não posso fazer isso. Apesar de eu querer muito, não quero ser sua mulher só por uma noite. Mas é óbvio que eu irei provocá-la um pouco, afinal eu sou uma Kordei e é isso que eu faço. 

Em meio aos beijos, Dinah já havia colocado as mãos bobas em mim, suas mãos tão macias passavam pela minha cintura, bunda e costas. 

- Você quer? - Dinah sussurrou em meu ouvido acariciando minha intimidade por cima da calça. 

- E-e-eu.... - Gaguejei em meio aos gemidos, essa mulher é um vulcão em erupção. 

- Diga, você quer? - Dinah me olhou nos olhos e mordeu meu lábio inferior com força 

- Eu não sei... - Respondi ofegante 

- Não sabe? - Ela colocou suas mãos em meus seios, acariciando-os. De repente Dinah começou a desabotoar a minha blusa sem pedir permissão, ela era rápida, e como num vulto ela deslizou suas mãos em minhas costas e abriu meu sutiã. 

Como Dinah conseguia fazer tudo tão rápido? Eu estava perdida em seus beijos necessitados que nem percebi que estava com meus seios expostos até que Dinah parou de beijar a minha boca e desceu seus beijos devagar até os meus seios. 

- Diiinaaah - Gemi baixinho.

Eu estava completamente lubrificada ao sentir a boca quente de Dinah no meu mamilo 

Eu precisava ser forte, não podia me entregar ali para ela. Tão rápido, tão de repente... 

- Espera... - Segurei sua cabeça retirando a de perto dos meus seios

- Ah o que foi? - Dinah perguntou irritada

- Eu não queria que fosse tão rápido. 

- Você atiça e não quer que aconteça? - Dinah se levantou de cima de mim

- Eu não disse que não quero que aconteça. Eu disse que não quero que seja rápido. - Comecei a abotoar a blusa

- Então tá. Vaza da minha casa! - Dinah apontou para porta irritada

- Está me expulsando só porque eu não quis continuar a sua brincadeirinha? - Perguntei indignada

- Estou te expulsando porque não quero você aqui. 

- Parabéns Dinah, você conseguiu! Não sabia que isso era possível, mas meu tesão acabou antes mesmo de você me tocar.  - Bati palma

- Que bom que acabou... Agora você pode ir embora. - Dinah apontou para a saída 

- Eu vou, não mereço ser humilhada dessa forma... 

- Então vai logo, tá esperando o que? - Dinah gritou 

- Ainda bem que não transei com você! Tu deve ficar com as mulheres apenas para levá-las pra cama e depois não quer nem saber notícias delas. 

- Acertou miserável! - Dinah bateu palma

- Em pensar que eu apenas quis te ajudar...

- Eu não pedi sua ajuda. Vaza daqui! - Dinah gritou 

- Tô indo. - Peguei a sacola e voltei para o carro.

#Dinah

- Desculpa Normani, me desculpa. - Chorei ao trancar a porta

Eu sei que não devo humilha-la, mas é para o bem dela. Não quero minha mãe fazendo mal a minha morena de corpo escultural! 

- Eu te quero tanto, você nem imagina o tamanho da minha vontade de ficar com você. - Coloquei a mão sobre minha intimidade encharcada

TelefoneTocando

- Alô - Sequei minhas lágrimas 

- Oi gata, te pego aí as 19H

- Oi Arin, estarei te esperando. - Respondi meio rouca 

- Está tudo bem? 

- Está sim. 

- Sua voz, parece estar chorando. 

- Eu não estou... É que eu acho que estou ficando gripada. - dei risada

- Mas dá pra sair hoje? 

- Dá sim. Eu tomo um chá que rapidinho estarei boa novamente. 

- Então fechou! Te pego aí. Até mais gata

- Até 

#TelefoneOf

Fui até a geladeira e peguei várias cervejas, eu precisava estar muito bêbada pra conseguir transar com o Arin essa noite. 

#Normani 

Dei várias voltas com o carro, não conseguia parar de chorar. Dinah queria me usar, e o que eu podia fazer? 

Eu nunca fiquei tão preocupada com uma mulher igual estou com a Hansen. A mãe dela a obrigou transar com o Arin, será que o que Dinah falou é verdade? Ela quer mesmo fazer isso? 

Porque eu estou preocupada? eu devia querer que ela ficasse mal, igual eu fiquei com suas humilhações. Mas eu não queria... 

#CelularOn

-Arin? 

- Oi Mani

- Preciso muito falar com você 

- O que houve? Deu erro nos papéis? 

- Não. Não é nada disso. 

- Então o que? 

- É sobre a Dinah 

- O que tem a Dinah? Não vai me dizer que vocês estão juntas?

- Claro que não. Nada a ver! 

- Entao o que? 

- Faz um favor pra mim? 

- O que?

- Se a Dinah não estiver se sentindo a vontade pra transar com você hoje, não transe com ela. 

- Porque está falando isso? Nós só marcamos um jantar... 

- Mas talvez ela queira transar, ela colocou isso na cabeça dela. 

- Que bom saber disso. Vou até levar preservativo. - Arin comemorou 

- Não é bom. É ruim. Ela vai transar com você mesmo não querendo, você observa ela. Se vê que ela tá insegura, você não dá continuidade. 

- Porque isso? 

- Porque eu já transei insegura e você sabe o que eu sofri. Não quero que ela cometa o mesmo erro. 

- Pode deixar Normani. Irei observar e não irei fazer nada que ela não queira. 

- Obrigado Arin. Eu te devo uma. 

- Olha que eu vou cobrar hein? 

#CelularOf

Por um lado eu não queria que Dinah sofresse, por outro eu realmente não queria que ela transasse com Arin por ciúme.  

Fui até a minha casa e o restante do meu dia foi apenas pensar em Dinah. 

Eu chorei de raiva, tristeza e decepção. 

Mas eu queria que ela ficasse bem, eu não sei explicar, apenas que eu me preocupo com ela. 

19H00

- Oi gata, você está maravilhosa... - Arin fitou Dinah ao vê-la abrir a porta

- Eu te quero muito! - Dinah voou no pescoço de Arin beijando-o na boca e trazendo para dentro de casa

- Gataaa. - Arin disse ofegante

- Eu quero você. - Dinah começou a tirar a camisa de Arin 

- Mas já? Não íamos sair para jantar? 

- Você não quer jantar aqui mesmo? - Dinah mordiscou o lábio inferior sensualmente 

- Aqui? - Arin a fitou

- Sim. Eu serei o prato principal. - Dinah tirou o vestido e ficou apenas de lingerie 

- E que prato! - Arin exclamou puxando Dinah para um beijo necessitado. O beijo esquenta e ele a joga no sofá alisando todo o seu corpo. 

- Vamos mais devagar... - Dinah interrompeu o beijo 

- Pode deixar... - Arin começou a dar selinhos na boca de Dinah e descer pelo pescoço 

Dinah fechava os olhos agoniada, não queria estar ali, não queria sentir sua barba mal feita roçar em seu corpo nú. 

- E esse sutiã aqui? - Arin avista o sutiã de Normani no sofá 

- É meu... - Dinah olhou assustada

- Seu? Parece ser da Normani. - Arin pegou o sutiã. - E é dela. 

- Eu comprei igual. Não é somente ela que usa esse sutiã. - Dinah deu um sorriso falso 

- Você comprou? Na mão dela? 

- Não. Numa loja aí... 

- Porque está mentindo pra mim? - Arin fitou Dinah

- Eu não estou mentindo. 

- Eu conheço a Normani, namorei ela durante 2 anos. Esse sutiã é dela. Ela mesma que faz...olha aqui a etiqueta: N. Kordei.

- Eu não posso ter comprado na loja dela? - Dinah respondeu confusa 

- Ela não vende, ela faz somente pra ela usar. Pode começar a me falar a verdade Dinah. Você e a Normani transaram nesse sofá hoje? 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...