História Northern Lights - (Malec) (Shortfic) - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Magnus Bane
Tags Amor, Aurora Boreal, Death, Malec
Visualizações 101
Palavras 816
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo
Avisos: Drogas, Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Penúltimo capítulo 😭😭😭

Música: • Hurricane - Fleurie.

"Não me deixe... Por favor, só não me deixe..."

Capítulo 4 - Addicted to the losing fight


Fanfic / Fanfiction Northern Lights - (Malec) (Shortfic) - Capítulo 4 - Addicted to the losing fight



(Coloquem a música)



Enquanto seus pais dirigiam o carro em direção a sua casa, Magnus pensava em Alec. Se afeiçoou ao menino nessas últimas semanas sem ter a intenção.


Alec era esperto e cheio de vida para um garoto doente. Ele sorria, brincava, cuidava dos outros. Magnus não sabia qual a doença de Alec, mas depois que o Doutor Wayland disse que ele nasceu prematuro e tinha os pulmões fracos, Magnus pensava que poderia ser por isso que ele estava internado no hospital.


De repente, ele sentiu seu peito doer, como se estivesse tendo uma parada cardíaca. Ele fechou os olhos e respirou fundo. A dor não era exatamente nele. Era como se… se uma parte dele estivesse morrendo. Num impulso, a imagem de Alec veio a sua mente e a dor aumentou.


- Hospital… - disse sem fôlego. Cat o olhou preocupada. - Temos que voltar ao hospital…


- Magnus, o que foi? - perguntou Catarina desesperada.


- Por favor, precisamos voltar pro hospital. - sussurrou sôfrego. No mesmo momento Ragnor virou na direção contrária, dirigindo apressado até o hospital.



Conforme Magnus se aproximava da entrada do hospital, mais seu peito ardia. Ele nem esperou seu pai estacionar o carro direito e já pulou do mesmo.


- Magnus espere!


Ele ouviu sua mãe gritar, mas apenas seguiu em frente. Ele abriu a porta do hospital e correu pelos corredores até o quarto de Alec.


- Alec. - chamou entrando no quarto, mas o garoto não estava mais lá. - Lydia. Lydia! - gritou correndo até a enfermeira. - Onde está o Alec? - perguntou ofegante.


- Magnus o que você está…


- Cadê o Alec? - gritou preocupado.


- Ele está lá em cima. Magnus! - gritou quando o homem saiu correndo.


Magnus correu, olhando de quarto em quarto vendo se Alec estava. Seu peito doeu mais, e ele levou isso como um sinal de que estava perto.


Quando ele chegou no segundo andar do hospital, uma movimentação chamou sua atenção. Ele correu lá e viu a irmã de Alec chorando, enquanto os pais estavam escorados em um vidro, observando alguma coisa.


- Magnus. - ele ouviu Isabelle o chamar quando viu que ele estava próximo.


Suas pernas perderam as forças e ele andou lentamente até os pais de Alec. Quando ele se aproximou do vidro grande, seu coração parou.


Alec estava com uma máscara de oxigênio. A camisa aberta e o doutor Wayland usava o Desfibrilador, tentando reanima-lo.


- Não… - sussurrou sôfrego, olhando para a máquina ligada ao coração de Alec, denunciando sua falta de batimentos.


- Vocês precisam sair daqui. -ele escutou alguém dizer, mas não conseguiu fazer nada a não ser chorar.


Ele sentiu os pais de Alec se afastarem e alguns enfermeiros virem em sua direção, tentando levá-lo dali.


- Não, não, eu não vou sair daqui!


Ele se debatia nos braços dos enfermeiros, gritando desesperado.


- ALEC! NÃO, NÃO, NÃO, EU NÃO VOU SAIR DO LADO DELE… ALEC!




- Vamos, Alec, reaja! - disse Jace. - Droga! - ele jogou o Desfibrilador no chão e passou a usar as mãos, fazendo massagem cardíaca no peito de Alec. - Vamos, garoto, por favor… - continuou, sentindo seus olhos embaçarem pelas lágrimas.


- ALEC!


Jace ouvia a voz de Magnus ao longe, gritando desesperado.


- Doutor, ele se foi, pare. - Jem, o enfermeiro, tocou em seu braço, tentando fazê-lo parar.


- Não. - rosnou entre dentes. - Ele não vai morrer, não agora. Vamos, Alec, reaja, por favor, reaja filho… - tornou a massagem cardíaca mais intensa.



- ALEC! … ALEC!


“Não está na hora ainda, Alec… Volte… Vamos... Não está na hora… Volte...”


Alec deu um salto na cama, tossindo sem parar, sentindo a pressão em seu peito parar.


- Alec? ! - ele olhou para Jace, que segurava seu rosto com as mãos, rindo com lágrimas nos olhos.


- Jace… - sua cabeça doía levemente.


- ALEC!


- Magnus? - se sentou na cama, ouvindo a voz dele gritar seu nome novamente.


A voz que ele ouviu antes…Não está na hora.”


Ele levantou a cabeça e tirou os fios ligados a seu corpo.


- Alec, não, você… - ele saltou da cama antes que Jace terminasse a frase.


Abriu a porta do quarto e viu, Magnus se debatendo nos braços dos enfermeiros.


Como se ouvisse sua voz, Magnus levantou a cabeça e encarou Alec. Ele arfou e empurrou os enfermeiros, correndo até Alec.


- Magnus… - sussurrou andando a passos largos até ele, ainda se sentindo fraco.


Alec sentiu seus pés saírem do chão quando Magnus o abraçou pela cintura e o levantou. Ele sorriu fraco e abraçou os ombros de Magnus, sentindo sua camisa molhar pelas lágrimas dele.


- Achei que tinha perdido você. - ele ouviu Magnus sussurrar contra seu pescoço.


- Eu nunca vou deixar você. - sussurrou de volta, se afastando minimamente de Magnus para olhá-lo nos olhos. - Mesmo quando eu morrer, eu nunca vou deixar você. - sussurrou, sentindo as lágrimas inundarem seus olhos.


- Você não vai morrer. Não vai...


- Não hoje. - sussurrou o abraçando de volta. - Eu prometo… não hoje.




Notas Finais


Ai, eu já tô sentindo vocês me espancando...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...