1. Spirit Fanfics >
  2. Nos Bastidores - TK >
  3. Taehyung está vivo!

História Nos Bastidores - TK - Capítulo 10


Escrita por: e hoseokfist


Notas do Autor


Postei e sai correndo.

Boa leitura.

Capítulo 10 - Taehyung está vivo!


Fanfic / Fanfiction Nos Bastidores - TK - Capítulo 10 - Taehyung está vivo!




Jimin POV




– NÃOOO! – grito quando escuto um barulho forte, mesmo sendo distante foi um estrondo alto, algo se chocando contra água, automaticamente entro em desespero.

– Jimin o que aconteceu?! Me deixa falar com o Taehyung! – Hoseok gritava, mas a única coisa que se repetia em minha cabeça era o último barulho que ouvi antes que a ligação caísse.

– O-o que aconteceu? – Jungkook pergunta com a voz embargada.

Encaro o mais novo do recinto, Taehyung o amava, queria ver o Jeon bem, então vê-lo naquele estado me fez fazer uma promessa para mim mesmo: eu cuidaria de Jungkook.

Então com o olhar ainda mais triste que o seu, estabeleci um contato visual com Jungkook, que logo teve seus rosto molhado por lágrimas que desciam sem qualquer piedade do mais novo. Mas, eu entendia ele, afinal, assim como todos ao me redor, ele estava quebrado.




Taehyung POV




Carregue o desfibrilador a 100 volts, não podemos perder ele!

Sem forças para abrir meus olhos, sinto meu corpo doer, eu conseguia ouvir vozes distantes, mas... Eu não deveria estar morto? Então por que essa corrente elétrica que me percorre por inteiro me deixa cada vez mais longe do almejado?

150 volts! Rápido!

Outra corrente elétrica me percorre, agora entendi, meu corpo está lutando para se manter vivo, enquanto o meu eu espiritual já está morto.

200 volts! Vamos lá Kim Taehyung!

Mais uma corrente elétrica, e também a última, pois agora, além de minha garganta doer por estar tossindo tanto, as luzes e o quarto exageradamente branco incomodavam minha visão.

– Ele voltou! – um senhor de idade se aproxima de mim- Acalma-se! Você ficará bem.

Depois de um período de tempo, enfim, me recuperei, e também me acostumei com a idéia de que não havia morrido.

 Me acostumar com algo tão... triste me surgiu uma dúvida, quem havia me salvado?




Minutos depois...




– Senhor Kim? – uma moça aparece dentro do quarto – conseguimos ligar seu celular, deseja ligar para alguém?

– E-eu hm.. Eu...

– O senhor está bem? Está sentindo algo? Precisa de um médico?

– Eu estou bem, eu só...

– Quer alguma coisa? – ela nota minha confusão com as palavras e tenta me ajudar.

– Sim, uma informação.

– Pode perguntar.

– Quem me trouxe até aqui? – fui direto ao ponto.

– Essa é uma ótima pergunta, nós também não sabemos, algumas pessoas viram seu carro e foram checar se estava tudo bem, viram o senhor caindo, e alguns minutos depois um garoto jovem lhe tirou da água, lhe levou até a multidão para que recebesse ajuda, e foi embora pedindo sigilo perante sua identidade, foi isso que os bombeiros disseram.

– Um garoto?

– Foi o que nos foi dito. Mas, o senhor deseja fazer alguma ligação?

– Ligue para a minha mãe, depois para o número da minha última chamada, diga para ele vir para cá, e que é  para vim sozinho.

– Ok... mas alguma coisa?

– Eu hm... estou com frio e meu corpo está doendo.

– O frio deve ser pela baixa temperatura, a água estava congelando, e a queda te machucou – ela aponta para mim Como se indicasse alguma coisa em meu corpo – e sobre as dores, logo trago um remédio que ajudará, tente descansar enquanto isso.

Descansar, algo que eu queria fazer, mas me tiraram esse direito, e agora mais que nunca quero descobrir quem foi o responsável.




Jeong-gyu POV



Ver meu irmão dizer me daria o que eu havia pedido foi assustador, eu já amei e admirei meu hyung, mas hoje em dia... não sei o que eu sinto mais.

Ao vê-lo sair como louco no carro, automaticamente decidi seguir ele, mesmo me arriscando fazendo tal proeza.

Enquanto pilotava firmemente minha moto, liguei para minha mãe, pedindo para que ela o impedisse de qualquer coisa e que também notificasse os amigos de Taehyung.

Depois de um bom e longo tempo, ele estaciona o carro da mais desajeitada forma possível, com isso então eu paro a uma distância considerável e começo a caminhar entre as árvores agradecendo por estar escuro e por aquela ser uma área afastada.

Fico o observando de longe, Taehyung não estava nada bem, ele caminhava de forma cambaleante e desastrada, quando ele se senta próximo as barras de proteção logo entro em alerta, procurando o melhor modo de me aproximar sem ser visto. Caminhando entre as árvores e depois de descer um barranco alto, vejo o que mais temia acontecer, meu irmão havia caído na água.

Naquele momento pulei na água sem ligar para nada, nadei o mais rapido que pude até Taehyung, agradecendo aos céus por tê-lo encontrado rápido, pois nadar naquela água era algo torturante, a temperatura baixa tornava isso quase desesperador, quando o  levei até a borda prestei os primeiros socorros, fazendo o mesmo vez ou outra cuspir água mas não acordar definitivamente, ao ficar sem alternativas, decidi subir com ele até a ponte e com muita dificuldade o levei até a ponte novamente, ao chegar na mesma recebi olhares surpresos, aliviados e até desesperados da multidão que já havia ali se instalado.

Depois de deitar Taehyung no chão e deixar  que algumas garotas (aparentemente fãs) tentassem acordar ele, caminhei até um homem que tinha um celular em suas mãos e se mantinha afastado.

– Chamaram socorro? – pergunto ao que cobria ao máximo meu rosto, rezando para que ninguém me reconhecesse.

– Sim, acho que esse celular é dele – o homem me estende o aparelho que tinha o visor trincado.

– Deve ser mesmo, entregue para os bombeiros quando eles chegarem. – dou de ombros tentando soar indiferente.

– É você tem razão, talvez nem funcione mais devido ao estrago.

– Onde achou? – aponto para o celular.

– Estava caído ali. – aponta para onde Taehyung estava sentado antes de cair na água.

Um silêncio incômodo se instala, me causando um desconforto grande enquanto o homem ao meu lado parecia tranquilo.

– Bem... já vou indo. - digo quebrando qualquer silêncio.

– Você acaba de salvar a vida de um idol, mundialmente famoso, não quer receber os créditos disso? – o homem me pergunta com um sobrancelha arqueada.

– Não, os créditos não importam... Ele não importa. – engulo em seco ao terminar minha frase.

– Uou! Ainda bem que você está falando comigo, se estivesse falando com alguma delas - aponta para o grupo de meninas que choravam desesperadamente – Você seria jogado na água de novo.

Acabo soltando uma risada, mesmo sem sentir humor ou felicidade alguma para isso.

– Eu realmente preciso ir – digo ao que as sirenes soavam cada vez mais alto – Ah! Eu queria te pedir algo.

– A vontade. – ele dá de ombros, totalmente alheio ao assunto.

– Não conte nada sobre mim. – é o que digo antes de me virar e sair correndo.

Taehyung foi salvo, disso o mundo saberia, mas o que eu jamais deixaria chegar até ele, foi que quem havia o impedido de tal atrocidade, havia sido o principal culpado para levá-lo a tentar o suicídio.

Eu havia o salvado, o seu irmão, a pessoa que havia o levado aquilo, o principal culpado salvou sua vida Kim Taehyung.






Jimin POV




– Eu gostaria de ver o paciente Kim Taehyung por favor. – digo ao que ajeitava a máscara e o boné a mim, tentando (miseravelmente) evitar ao máximo ser reconhecido.

– Nome por favor.

– Park Jimin. – digo e vejo a recepcionista arregalar os olhos ao que digitava algo em seu computador.

– Quarto 110, segundo piso. – ela diz baixo.

– Obrigado.

Corro até o elevador logo apertando o botão para o andar acima, como Taehyung havia pedido, eu vim sozinho.

Receber a ligação do celular de Taehyung era algo que ninguém esperava, mais ao ouvir uma voz suave soar do outro lado da linha, notificando que Taehyung estava bem e vivo, não pude conter minha ansiedade em vir o mais rápido possível para Daegu.



Flashback on*



– O Taehyung o que?! – grito e logo sinto as lágrimas descerem por minhas bochechas – isso é alguma pegadinha ou algo-

– Senhor, o paciente Kim Taehyung está aqui, bem e vivo, descansando. – a voz me interrompe e fala calmamente.

– Mas ele... Ele tinha...

– Por um momento, por 10 minutos para ser mais exato, nós havíamos perdido o paciente Kim Taehyung, mas conseguimos trazer o mesmo de volta.

– 10 minutos ?! Isso é impossível-

– O paciente Kim Taehyung está vivo, no hospital XX, no momento ele está dormindo, mas quando acordar imagino que ele deseje ter sua companhia já que o mesmo pediu para ligarmos para você depois de constatarmos a mãe do mesmo.

– E-eu irei até Daegu. – digo sentindo minhas mãos trêmulas e um sorriso surgir em meu rosto.

– E mais uma coisa, ele pediu para que viesse sozinho.

– Sozinho? – franzo o cenho.

– Pedidos do paciente.

– Ok, até mas tarde.

– Até.

Finalizo a chamada, suspirando aliviado, eu não havia perdido meu melhor amigo.

– N-Não tem senso de sensibilidade? – SeokJin esbraveja – sorrindo dessa forma nem parece ter perdido o-

– Taehyung está vivo! – corto o Kim mais velho e todos arregalam os olhos.

– O Taehyung o que?! – todos gritam em uníssono.

– Ele está vivo! – encaro meus amigos e vejo sorrisos sinceros serem estampados no rosto de cada um deles – e eu irei para Daegu hoje!

– C-claro, eu vou avisar ao che-

– Não Namjoon, eu irei sozinho.

– Perai o que?!



Flashback off*




Depois de horas discutindo eles entenderam, e  então eu vim pra cá, e nesse exato momento estou encarando a porta do quarto do meu melhor amigo.

– Taehyung-ah? – bato duas vezes e abro- Taehyung!

– O-oi Jimin.





Notas Finais


Então, não ia postar dois hoje não, só que minha consciência não ia me deixar em paz! Então eu postei.

Não se passaram nem 6 horas que atualizei kk auge da ansiedade.

Vcs vão ficar alguns dias sem me ver agora.

Desculpa os erros galera e até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...