História Nos Braços de um Anjo - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Michael Jackson
Personagens Michael Jackson
Tags Anjos Da Guarda, Cantor Famoso, Ficção, Sofrimento De Uma Vida
Visualizações 88
Palavras 1.979
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Estupro
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiii, minhas lindas leitoras!!!!! Tudo bom? Então, estamos no 8° capítulo que irá ser dividido em duas partes. Apesar de eu mudar o título, faz parte do mesmo capítulo (Adaptação do livro) E irá vir muitas surpresas por aí, Ok? Agora preparem o coração e respirem...Já fizeram isso? Ok!! agora vamos para o capítulo!!!

Capítulo 8 - 2 Weeks Later...


Fanfic / Fanfiction Nos Braços de um Anjo - Capítulo 8 - 2 Weeks Later...

 Amanda Pov's

Em duas semanas minha vida havia mudado muito. Sinto que sou uma nova garota, em uma nova vida feliz. Morar em uma mansão, me dava sensação de extrema paz e realeza. Michael havia pedido para Mary me levar a um outro e majestoso quarto para eu ficar, era do lado do dele. Pois seria estranho se dormíssemos na mesma cama. O quarto é dele e eu sou uma intrusa! (risos). De qualquer maneira, o meu novo quarto é tão magnífico quanto o dele. Branco e com decoração clássica...

Em poucos dias desde que eu cheguei, ele foi muito bom comigo.  Ele até me levou para comprar roupas novas e sapatos. Me animei demais nesse dia. Só tinha uma coisa...Ele tinha de se disfarçar muito bem para não ser reconhecido. Javon e Bill são muito cômicos e fizeram de tudo para cumprirem as ordens do "Sr. Jackson".  Esses dois me matavam de rir por dentro...

Enquanto isso, Michael e eu fomos na loja de roupas e eu não sabia nem por onde começar...

-...Pegue o que você quiser...- Ele me disse baixo e me olhava sorrindo...

- O que eu quiser? Ai!! Obrigada...!! - Uma moça, do caixa me olhava meio desconfiada de algo...Ele me olhou tentando disfarçar e eu me recompus parando de me exaltar.

-...Desculpe...- Eu disse baixo em forma sussurro. Ele ficou meio sem graça e me levou até um lugar isolado da loja.

- Ah...- Ele suspirou aliviado -...Amanda, tente se conter um pouco...- Ele dizia não querendo ser chato.

-...Ai, me desculpe...É que eu...- Eu me senti culpada pondo as mãos na boca. Estava com um pouco de medo, estávamos só eu e ele ali.

- Tudo bem, eu sei que está feliz demais...Não se desculpe...- Ele disse amável e me acariciou levemente. Eu corei com isso, e fiquei em silêncio.

- Ãh, acho melhor eu ver aquelas roupas!! - Eu disse animada e saí correndo. Ele sorriu e me deixou ir. Enquanto isso, pude ouvir ele falando pelo rádio transmissor com Bill e Javon. Eles eram engraçados demais e adoravam tomar sorvete assim como eu. Michael estava tão liberal e feliz nesse dia, que deixou os dois irem tomar sorvete, para não dar muito na cara.

Seria estranho dois homens de preto em frente á loja não é? Mas, o estranho é que depois, Michael disse para eles voltarem e ficarem em frente a loja. Pediu para que os dois ficassem á espreita. Eles sentaram-se em no banco em frente á loja e fingiram ler um jornal.

Eu não entendi muito. Ah, vai ver ele só quis que os dois vigiassem o movimento na frente da loja do Shopping. Estávamos em perigo? Eram dúvidas que estavam em minha cabeça naquele momento.

Após isso, Michael pagou as compras na loja e fomos para o carro...Ele respirou aliviado.

Chegamos em casa e logo Michael pediu para que eles levassem as sacolas para o meu quarto.

- Sim, senhor! - Eles pareciam treinados. Eu ri do jeito divertido deles, e eles subiram as escadas com aquele "um monte de roupas". Michael me olhou com sutileza e disse:

- O que achou? - Ele sorria olhando em meus olhos.

- Eu adorei! - Eu disse sobre o passeio -...Obrigada...- Fiquei agradecida demais e me aproximei dele. O abracei e em seguida lhe dei um beijo no rosto. Tive que ficar na ponta dos pés, pois sou pequena perto dele...(risos)

Ele ficou meio desconcertado com isso e tive a impressão que ficou corado.

- Ah, eu não devia...- Eu me senti culpada por tê-lo beijado...

-...Não, não! - Ele sorriu - Está tudo bem! - Ficou pensativo.

- O que você tem, Michael? - Me preocupei.

- Nada...- Ele tinha algo diferente em seu olhar. Seria tristeza? 

 

...Minutos Depois...

 

Ele havia subido para o quarto . Para se recompor daquele longo dia... Isso me deixa pensando que estou sendo mimada por ele. Será que eu estava dando trabalho demais para ele? 

Fui ao quarto dele e lentamente abri a porta. Ele me olhou tímido.

- Ammy...- Ele disse surpreso

- Michael...- Eu disse aflita -...Você está triste? - Me aproximei dele e fiquei em sua cama. -...Me conta o que você tem! Pode falar...- Eu disse sorrindo, o olhando.

- Não, Ammy - Ele esboçou um sorriso e me acariciou -...Eu só estou meio estressado, somente isso! - Ele sorria com minha preocupação.

- Só isso...? - Eu queria ter certeza.

- Sim...- Ele se abaixou em minha frente e me disse -...Promete uma coisa pra mim?

- Claro! o quê? 

- Que não vai mais me assustar como aconteceu hoje, na loja? - Então era isso! Ele estava com medo de que alguém o reconhecesse e ficou assim...

-...Tá bem! - Eu sorri e o abracei e posso jurar: O abraço dele é tão quentinho! Queria ficar assim com ele pra sempre...

 Depois daquele dia cansativo, tudo estava indo muito bem. Todos os dias eu acordo bem animada e gosto de arrumar minha cama. Eu decorei meu quarto do meu jeito e ele havia adorado. Mary me deixa comer o que eu quiser, e um dia eu levei um pote inteiro de sorvete de morango, para comer em minha cama...

Michael sempre chegava cedo. Eu sabia que quando fosse 20h da noite, ele viria para perguntar se eu tinha me comportado bem...Mas, ontem...

Estava chovendo e eu estava na escada esperando a porta abrir e eu finalmente abraçá-lo de novo. Queria mostrar para ele o desenho que eu havia feito...Dele. Fiquei muito tempo o esperando e á todo instante pensava aonde ele estaria. Ah, talvez ele estivesse coisas mais importantes do que ficar o dia inteiro com uma garota problemática com eu...

Olhei para o relógio que tinha na sala e já marcavam 22h e ele ainda não tinha chegado. Me levantei da escada e fui para o meu quarto. Vesti meu pijama e deitei olhando para sua foto no criado mudo. Toquei em seu pequeno quadro e o beijei através dos dedos...

Senti muita falta dele e a todo momento aquelas lembranças insistiam em permanecer em minha mente. 

Fechei os olhos e acabei pegando no sono...

 

               -- Pesadelo Onn --

Tudo ficou escuro novamente, e eu estava em um local sombrio e medonho. Parecia ser minha antiga casa. Eu estava em meu antigo quarto e ouvia-se minha respiração ofegante. Eu pude escutar os gritos de minha mãe e barulhos fortes na porta.

Eu sabia que era ele. Minhas mãos ficaram gélidas e trêmulas enquanto me afastava daquela porta. Me encolhi no canto do quarto chorando de desespero e pude ver a porta sendo aberta bruscamente.

Era o desgraçado do meu padrasto e assim que entrou, sorriu de forma doente.

- Olá, pequena Amanda! - Ele me olhava com malícia -...Sua mãe é uma imprestável e não serve para me fazer delirar!! - Ele me dava nojo.

- Não quero te escutar, seu imundo!! - Eu tentava tapar os ouvidos para não ouvir sua voz asquerosa. Senti minhas lágrimas caírem.

- Sabe? Eu sempre sonhei em ter seu corpo para mim, Amanda...- Ele se aproximava de mim e me puxava pelo braço, eu não tinha forças para reagir -...Você pode me dar prazer, mais que sua mãe...- Ele começou a tirar sua roupa.

- Não!! Eu não quero!! - Gritei como minha última força. Eu tentei fugir, só que a porta estava cerrada, como se não existisse saída...

- Não resista, Amanda! - Ele me agarrou e tentava me colocar na cama, enquanto eu me debatia muito...Até sentir meus pulsos incharem...

Enquanto eu lutava para ele não me machucar, ele tentava mais e mais. Era muito mais forte do que eu. Chorei com aquela dor aguda que eu estava sentindo por todo meu corpo e gritei mesmo sentindo que ficaria sem voz...

Senti que não tinha mais saída e que estava ficando sem ar.  Estava morrendo por dentro.

Fiquei á sua mercê. Ele rasgou toda a minha roupa em movimentos ágeis e tentava abrir minhas pernas, enquanto eu as fechava com força. Quando minhas últimas forças haviam acabado, ele conseguiu abrir minhas pernas e me penetrou. Eu estava sendo violentada, invadida...Meu corpo não tinha mais forças para nada...

Ele me penetrava em movimentos bruscos e eu sentia muita dor. Entrava e saía de mim como se estivesse se divertindo...Eu estava imóvel, com lágrimas descendo em silêncio e medo pelo minha face. Ele apertou meu pescoço e me senti sem ar e...Tudo escureceu novamente...

         

                --- Pesadelo Off ---

- Ahhhhh!!! - Gritei ao acordar - Nãoo!!! Nãoo...Nãoo...- Senti uma dor aguda em todo meu corpo. Chorei muito, sentindo minha intimidade doer. 

Michael apareceu e entrou rapidamente em meu quarto, acendendo a lâmpada.

- Michael...- Chorei ao vê-lo...

- Ammy...- Ele me olhava preocupado e se aproximou da cama. Eu rapidamente fui até ele ainda em cima da mesma. O abracei tentando sentir seu corpo junto ao meu. Ele me tranquilizava com sua voz suave...

-...Fique tranquila...- O abraço dele era tão quentinho  -... Eu estou aqui......Não chore...- Ele me abraçava tentando me acalmar com suas mãos que me acariciavam, em minha pele.

-...Eu estou com medo...Michael...- Senti que não queria soltá-lo, e preferia ficar com ele assim por toda a eternidade -...Não me deixe mais sozinha, eu te imploro, por favor...- Minha voz saiu falha enquanto ele parecia estar me ouvindo com tristeza.

Ele me abraçava tão fortemente que eu senti seu coração bater mais lentamente que o meu. Encolhi minhas mãos em seu peito e pude senti-lo me ninar...

- Shiiii...- Ele sussurrou tentando cessar minha voz fraca - Já passou...Eu estou aqui com você...Não vou deixar ninguém te machucar...- Ele continuava me abraçando enquanto senti seus lábios beijarem, delicadamente, minha testa.

- Michael...Fica aqui comigo - Eu pedi chorando -...Até eu conseguir dormir...- Me olhou com singelo e assentiu com a cabeça. Ele se deitou em minha cama e eu fiquei totalmente...Protegida...

.Apoiei minha cabeça em seu colo. Ele me envolvia em seus braços, não de uma maneira vulgar ou...Muito menos queria se aproveitar de mim...Era puro... 

Tão puro que me depositava beijos suaves na cabeça...Em sinal de respeito á mim...

 Permaneci em seus braços apenas olhando para seus olhos, que me fitavam enquanto acariciava meus cabelos longos e minha face, como se...Me desejasse, não de maneira pervertida...Me queria de forma totalmente inocente . Agora, eu fechava e abria os olhos me sentindo protegida por um anjo.  Ele levou minha mão para si e beijava-a com singelo e fechava os olhos respirando fundo. Eu não sentia mais dor, nenhuma sequer, com ele ali comigo...

Minha respiração estava calma e...Seu coração batia no mesmo ritmo que o meu... 

Eu coloquei minha mão em seu peito e senti ele me beijar novamente...Lábios suaves e macios ...

E assim, o silêncio voltou a reinar... Não senti mais nada a não ser paz, durante a noite inteira...

...Dia seguinte...

Sentia muita dor, e me mexia diversas vezes na cama...De alguma maneira aquele pesadelo ficava marcado em meu corpo...Sentindo alguém me segurando com força...Não eram as mãos de Michael...

Acordei ofegante, e me sentei na cama...

- O que foi que houve...Você está bem? - Ele acordou e se levantou me acariciando com suas mãos macias...

Eu tentava respirar profundamente tentando me recompor de mais um susto...

-...Michael...Está doendo...- Senti muita dor e me encolhi pondo a mão no peito. Ele me olhava com os olhos marejados em me ver assim, eu não -...Por favor, faz parar...- Lágrimas insistiam em cair de minha face...Juntamente aos espasmos...

Ele me abraçou delicadamente, para fazer aquela dor passar. Era uma dor intensa, em meu coração e meu corpo. Ele não sabendo o que fazer, me abraçava forte...

-...Não deixe ele tentar me machucar...Faz parar, por favor...- Eu disse chorando e com medo. Ele ficou sem entender, porém pasmo, enquanto me abraçava fortemente.

 

 

 

 

 

 

Continua...


Notas Finais


Então, amores o que acharam? Obrigada por lerem <3 Comentem o que acharam. Citem as partes que vocês acharem felizes, engraçadas ou tristes <3<3 Beijos de sorvete e até o próximo capítulo...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...