História Nos encontramos novamente, seria o destino?-(BTS) - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Imagines
Visualizações 60
Palavras 3.183
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


🔞(🔪🚫AVISO ESSE CAPÍTULO CONTÉM COISAS BEM PESADAS SE VOCÊ FOR SENSÍVEL FAVOR PULAR PARA O PRÓXIMO CAPÍTULO OU ENTAO NÃO LEIA🚫) 🔞
Boa leitura e desculpa qualquer erro~

Capítulo 20 - O mascarado... me salvou?


-Beleza! Vamos levantando, hoje é feriado e vamos no parque aquático.

-Ihhh... eu vou usar minha sunguinha de dinossaurinho de novo.

-Nem pense nisso Kookie ou eu faço você mastigar aquela porcaria!

-Ui bixa nervosa... eu hein.

-Falando nisso eu lavei sua sunguinha e ela ta guardada... mas você não vai usar aquele treco.

-Aff... chata

-É hoje tá um sol gostoso da pra aproveitar bastante...- Tae abria a janela.- Olha o céu tá azulzinho.

-Ta bom, vou em casa me arrumar e daqui a pouco tô aqui de novo, até Moon.

-Ate depois Jimin.

-Eu vou fazer o mesmo, até depois.

-Bye, bye.

-E eu vou procurar minha sunguinha de dinossaurinho nas suas coisas.- eu peguei o chinelo e sai correndo atrás do panaca do Kookie que saiu voando de casa.

-SÓ VOLTA AQUI PRA MORRER!- Ele continou correndo.- Besta.

[...]

-Mãe?- a porta estava um pouco aberta fui até lá.- Mãe?- ela e o Jin estavam dormindo abraçadinhos, iti malia'.

-O-oi?

-Jin... fala pra minha mãe que eu e os meninos estamos indo no parque, tá bom?

-Ok! Talvez a gente aparece lá.

-Ta bom, fui!

[...]

-Jungkook! Larga essa bóia! É de criança!

-Soltaaaaaaa

-Ai aí... Tae e Kookie da pra parar por favor?-Mesmo eu chamando a atenção deles eles nao pararam então coloquei minha bolsa no chão e puxo a orelha dos dois.

-Aish! Pra que isso?

-Larga essa bóia.

-Ta bom, tá bom!

-E você Tae para de brigar com ele! Vocês não são crianças mais não!

-Aish! Doeu.

-Eu sei.

[...]

Fiquei sentada na cadeira de praia observando os três brincar, Jimin jogava água na cara deles e saia nadando que nem cachorrinho, Tae "afogava" o Kookie e Kookie tinha pego a bóia de pato de novo.

-Ah! Você está aqui.

-Mãe!

-Quase que eu não vim, mas Jin me convenceu.

-Cade ele?

-Deve tá comprando água de côco.

-Ah...

-Eu vim pra passar o tempo com você... Sinto que estou ficando longe de você aos poucos...

-Não está não, por que acha isso?

-Você não conversa mais comigo, você não conta mais seus segredos, eu estou preocupada com você filha.

-Eu estou bem mãe.

-Eu te conheço, tem alguma coisa que você quer contar.

-Sabe eu-

-Pronto aqui está sua água de côco.- Jin chega bem na hora certa.

-Você?- minha mãe queria que eu terminasse de falar mas eu não ia continuar.

-Bom... vou la na água com os meninos, depois a gente conversa.

-Desculpa atrapalhar vocês...

-Não, de boa...

[...]

-Eu estou exausto...

-Eu também...

-Vamos lá, cada um pra sua casa, vamos vamos!

-Ah... Moonzinhaaaaa deixa eu dormir aqui... deixaaa

-Eu também...

-E eu...

-Nananinanao! Vão agora vai! Ssaaai, saaai.- empurrei os três pra fora de casa.

-Sua chata!

-Na próxima eu vou usar minha sunguinha!

-Coloca aquela porcaria que eu te mato!

-Aigoooo!

[...]

                     -5:40 am- 

/////Moon?

/Yoongi! Quanto tempo! Voce está melhor?

/////Sim, estou, você vai pra escola hoje?

/Vou sim

/////Tá bom, tenho que te contar uma coisa

/Ah que legal, o que seria?

/////Na escola eu te conto

/Ta bom 

/////Blz até

[...]

Eu e os meninos estávamos indo para a escola, quando o trem parou, muita gente curiosa estava tentando ver o que tinha acontecido. Saímos do trem e logo mais à frente nos trilhos havia um corpo humano todo em pedaços, eu acho que era uma mulher... que nojo.

-Moon não vê isso.- Tae me abraçou.

-Não tem problema... eu quero ver.

-Vocês acham que pode ter sido o mascarado?- Kookie engoliu seco.

-Acho que sim.- Jimin arrumava seus óculos.

Tae e eu não tínhamos contado sobre a carta, por que era óbvio que eles colocariam a polícia nisso, então era melhor não contar. Meu celular começa a vibrar, era minha mãe.

-Moon?

-oi 

-Eu vi nas notícias o que está acontecendo aí, você está bem?

-Sim, só estou atrasada pra aula

-Nessa circunstância eles não vão se preocupar se você se atrasar 

-Ta bom 

-Quem está aí com você?

-Tae, Jimin e o Kookie 

-Ok... você está em boas mãos 

-Não fique muito tempo ai ta bom?

-Vamos andando até a escola, aqui vai demorar, cortaram o corpo em vários pedaços.

-Meu Deus...

-Vou desligar mãe, bom trabalho, beijo

-Beijo... cuidado...

-você também.

[...]

Quando entramos na sala todos abaixaram a cabeça, não entendi o por que, mas acho que sabiam o que tínhamos acabado de ver.

[...]

-O que aconteceu lá?- Izabel puxou uma cadeira e sentou do meu lado.

-Eu não sei muito bem... estávamos vindo eu o Kookie o Jimin e o Tae e o trem parou, quando parou vimos um corpo todo cortado jogado nos trilhos.

-Nossa... sinto muito por ter que passar por aquilo.

-pois é...

-Moon? Aqui está seu pão... não tinha de caramelo só tinha de chocolate então eu peguei esse mesmo.

-Obrigada.

-Oi Izabel 

-Oi... Tae.

-Quer um pão?- ele oferece pra ela e ela aceita.

-Obrigada.

[...]

-Bom... sentem-se!- A diretora estava na sala, ela dava um pouco de medo, mas acho que ela era uma boa pessoa.- Como vocês sabem, as férias estão chegando...

-Aeeee!- todos festejavam.

-Então... nessa semana escolhemos as três melhores salas que foram perfeitas nas provas e vocês foram uma delas...

-Uhul!

-Com isso e com a ajuda de todos vocês, vamos fazer uma viagem para chilsan-dong, aqui mesmo em Busan, lá tem várias montanhas onde vamos escalar e acampar para ver as estrelas... enfim aproveitar, estamos em setembro certo? Vamos em novembro, quando estiver faltando uma semana eu entregarei os papéis para seus pais assinarem...

-Diretora!

-Sim?

-Teremos mais um baile no final do ano?

-Sim... Bem... alguma dúvida?

-Não.

-Pode continuar sua aula professor.

-obrigado.

[...]

-Moon!?- quando chego em casa minha mãe sai correndo pra me abraçar.- Que susto filha! Pensei que seu pai tinha feito alguma coisa com você!

-O que aconteceu?

-Seu pai voltou a me ameaçar...

-Contar isso pro Jin! Ele pode te ajudar.

-Não... seu pai quer envolver a justiça nisso, ele disse que uma carta está pra chegar, tenho que arrumar um advogado o mais rápido possível, ele quer te tirar de mim e disse que faria de tudo pra ver você longe de mim... eu não sei o que fazer! Estou com medo de perder você filha!

-Mãe! Calma, não precisa se desesperar e nem chorar... ele não vai me tirar de você eu juro.

-Ai que desastre... se eu soubesse que isso aconteceria eu nem teria me casado com ele! Aquele cafajeste me fez dois chifres várias e várias vezes e eu não acreditava... eu deveria ter parado de gostar dele a muito tempo, até mesmo antes de você nascer ele me bateu três vezes e sempre disse que nunca mais iria encostar um dedo em mim, quando você nasceu ele parou um pouco com os surtos.

-E você nunca me contou isso...

-Desculpa... eu só estava tentando te proteger...

-Ta bom... vai tomar um banho e dormir você está acabada.

-Ta bom.

[...]

Enquanto minha mãe estava no banheiro eu peguei o número do meu pai e salvei nos contatos.

-Sei que isso vai ser útil.

[...]

/Jin!

/Diga

/Preciso me encontrar com você agora

/Sua mãe está bem?

/Sim... mas precisamos conversar pessoalmente, me encontra no karaokê daqui a meia hora 

/Tá bom

[...]

-Meu pai está ameaçando minha mãe de novo.- ele bebia o suco enquanto escolhia a música para cantar.

-Como assim de novo?

-Esses dias eu vi o celular da minha mãe e ela estava recebendo muitas mensagens dele falando que iria matá-la se não me devolve-se pra ela e umas barbaridades.

-E?

-E agora ele quer entrar na justiça pra ter minha guarda... eu estou com medo...

-Não fique, tudo vai ficar bem.

-Minha mãe não queria contar pra você...

-Você fez certo em me contar, eu posso ajudar, amanhã estarei conversando com ela e vou contratar um advogado imediatamente.

-Obrigada Jin... você não sabe o quanto estou feliz em ver você do lado da minha mãe e ajudando a gente.

-Eu só faço a minha parte como um namorado.

-Obrigada de verdade...

-Não fique com medo ta? Eu estou aqui agora.

[...]

/////Moon! 

/Oi Yoongi desculpa não aparecer mais cedo na escola... eu tive uns problemas 

/////Tudo bem eu soube o que tinha acontecido e eu também não fui pra escola.

/Ah sim...

/////Eu só queria dizer que eu não vou mais embora, não tenho mais motivos e o único motivo que eu tinha... morreu a uma semana atrás.

/Kkkkkk que errado eu rir disso desculpa.

/////De boa 

/Fico feliz em saber que você não vai mais embora

/////Eu sei.

/Convencido.

/////Vou lá tenho coisa pra fazer, fui!

/Flw

[...]

                      -10:50 am-

-Aish... eu não gosto de aula de matemática!- Tae reclamava, enquanto eu observava a paisagem.

-Eu também não...

-Ei, Moon! Yoongi está de volta.

-Yoongi!- sai correndo e abracei ele, ele estava de muletas e reclamou de dor mas eu nem liguei, desculpa.- Desculpa Yoongizinho!

-Ai... não foi nada.

-Você está tão bonito e saudável... mas vem cá por que você chegou só agora?

-Eu meio que me atrase...

-Ah! Entendo.

[...]

Estávamos indo embora, Tae e Jimin corriam pela rua enquanto Kookie tinha ficado na escola ajudando alguns professores, os dois corriam cada vez mais rápido me deixando para trás. Na primeira esquina um homem sai dali e quando olho mais de perto era meu pai.

-Pai? O que está fazendo aqui?- ele não respondia apenas saiu correndo e eu comecei a correr também, foi por impulso eu fiquei com medo e assustada.

-Não corre do seu pai!- ele aos poucos me alcançava, comecei a cansar e entrei num beco sem saída.- Parece que a ratinha entrou na gaiola.- Com um sorriso sarcástico ele veio e colocou um pano fazendo eu inalar aquele cheiro e eu tentei lutar mas aos poucos fui perdendo a força e acabei desmaiando.

[...]

-Acorda... acorda!- ele joga um copo com água no meu rosto.

-O que?- estava tudo girando, tudo se mexendo.- Pai? O que aconteceu? Onde estamos?

-Cala a boca! Sai da minha mente!

Meu pai estava sentado no chão com as mãos na cabeça gritando que nem louco, quando eu percebi que estava amarrada com as mãos para cima tentei mover as mãos mas foi falho.

-Pai! O que está acontecendo? Eu estou com medo... me solta por favor...

-Shiiiiu... filha fica calma... nada vai acontecer tudo bem? 

-Pai você está me assustando! Me desamarra por favor!

-Não posso... eles não deixam...

-Eles quem? Só tem eu e você aqui...

-Não... não...- ele abre uma bolsa e de lá tira uma seringa e pega um frasco e depois injeta nele mesmo... era definitivamente droga.

-Pai, o que é isso?

-Isso se chama heroína... quer experimentar? É maravilhosa a sensação! Você vai amar!

-Chega de brincadeira! Isso não tem graça nenhuma!

-Ah... desculpa... mas isso não é pra ter graça.- ele pega uma faca e encosta na minha barriga.- será que suas entranhas são fáceis de tirar?

- O que? Você está ficando louco?- ele puxa meu cabelo para trás com força.- Aí! Me solta! SOCORRO! ALGUEM ME AJUDA!

-Pode gritar a vontade... ninguém vai te ouvir... passei dia após dia procurando um lugar como esse... sujo e abandonado para trazer você aqui e te matar.

- O que?

-Isso mesmo, sua mãe vai sofrer por arruinar minha vida e por me abandonar.

-Você só pode estar brincando... me solta me tira daqui isso não tem graça!- ele passa a faca na minha barriga fazendo um corte não tão fundo porém começou a sangrar e muito. Comecei a gritar e chorar, então dei conta de que não era nenhuma brincadeira, o corte ardia e cada vez mais doia só de respirar.

-Eu... aceitei me separar dela... mas fiz uma escolha errada, eu não tinha emprego ela me sustentava e eu a traía... era uma vida fácil, então alguém começou a contar pra ela, ela descobriu e me deu um pé na bunda...

-M-mas o que eu... tenho haver com isso?- eu estava ofegante pois a dor era imensa.

-Tudo, você não era pra ter nascido, você foi um acidente e eu me odeio por isso.

-Você transa sem camisinha e vem botar a culpa em mim?- ele me dá um tapa na cara.- Você é um idiota mesmo... vivendo nas custas da minha mãe tendo vida fácil! E saindo com prostitutas baratas! Seu filho da puta! Desgraçado! Imprestável! Vagabundo!

-Você quer que eu te mate rápido ou devagar? A minha primeira cobaia estava no trilho dos trens perto da sua casa, legal não é? Será que suas tripas vão sair voando igual ao daquela mulher?

-Então foi você?

-Sim, foi eu... gostou?

-Eu te odeio tanto...

-Aaaaaaa! Calem a boca! Me deixem em paz!- ele de novo injeta a droga em seu braço.- argh! Maravilha!

-Seu doente...- ele se aproxima de novo e corta minha coxa, eu grito de dor de novo, mas sei que ninguém me ouviria... eu definitivamente iria morrer ali.

-Eu odeio sua mãe, e o namorado novo dela.

-Não... faça nada a eles...

-Ah... pelo visto você gosta muito dele não é?

-Ele foi um pai pra mim durante quatro meses tudo o que eu passei a vida toda procurando em você e eu não achava eu encontrei nele.

- E o que ele tem? Dinheiro?

-Amor e compreensão tudo o oposto de você.

-Que bom...

-Você é o mascarado? 

-Mascarado? 

-O famoso assassino de Busan que mata pessoas más.

-Que eu saiba não.

-Para de mentir.

-Eu não estou mentindo.

-Vai se fuder...

-Olha o palavreado... vamos te dar uma dose de alegria!

-O que? Nem pense em encostar isso em mim! 

-Shiiiiu... quietinha... não vai doer nadinha.

-Seu... aaargh!- ele injetou em mim a mesma seringa que usou, realmente nojento.

-Você não sabe o quanto eu quero ver suas tripas saindo.

-Você... é louco... precisa se tratar...

-Eu assim que me divorciei da sua mãe, perdi meu emprego, as vadias que eu saia não quiseram mais sair, perdi meus amigos, perdi tudo e só me restou as drogas... sua mãe uma vez encontrou cocaína na minha gaveta da garagem... e quase foi na polícia, se eu não a tivesse convencido de que não era meu eu estaria preso...

-Então não foi só os chifres que você colocou nela? Tem muito mais da onde saiu essa notícia? 

-Você é atrevida igualzinha a ela... a já te contou que ficou grávida de você no dia em que eu a estuprei?

-O que? Como você ousa encostar um dedo na minha mãe!? Você é um filho da puta! Eu te odeio! EU TE ODEIO! NUNCA QUIS SER SUA FILHA! SEU MISERÁVEL!

-Ah! Tá bom chega eu já ouvi demais... porém foi muito boa sua reação... a cada minuto que passa você perde mais e mais sangue, quando grita então... aí sai muito mais, tenta manter a calma... vou te contar com detalhes o que aconteceu naquela noite.

-Eu não quero saber!- eu tentava me acalmar mas não dava, eu chorava cada vez mais.

-Quando eu cheguei da boate, como várias e várias putas, sua mãe provavelmente sabia e eu finjia que nada estava acontecendo, entrei no quarto e eu vi ela deitada toda embruladinha no cobertor... tirei a calça dela devagar pra não acordar ela, amarrei as mãos dela na cama e comecei a me masturbar olhando aquela vagina gostosa na minha frente... a dormindo tão indefesa...

-Seu nojento... eu te odeio com todas as minhas forças... eu espero que você morra queimado no inferno onde é seu lugar!

-Então... eu enfiei meu pau na xoxotinha dela e ela acordou assustada... ela lutou bastante mas foi bem inútil, depois que ela se cansou eu aproveitei e acabei gozando dentro dela... ela estava em período fértil e eu dei azar.

-Como minha mãe te perdoou? Eu te mataria se eu fosse ela!- o ódio estava ficando casa vez mais forte... a qualquer momento eu o chutaria ou o morderia.

-Eu pedi desculpas e disse que eu estava bêbado ela acreditou... então depois de quatro meses você estava la na barriga daquela maldita.

-Maldito é você! Você não pode falar nada da minha mãe! Você é o único que não presta!- por um momento senti minha cabeça girar, comecei a ficar tonta... era o efeito da droga.- Eu... realmente te odeio! E minha mãe vai te mandar pra prisão depois que me encontrarem...

-Você já vai estar em decomposição até lá e eu morto eu não quero ir pra prisão.

-Seu...- escuto passos por todos os lugares... ele estava sozinho?

-Quem esta ai?- ele começou a gritar.

Minha cabeça estava girando, com a perda de sangue e a droga no corpo eu não duraria muito tempo.

-Você sabe o que fez de errado?

-O que?- Uma voz começa a falar com o homem que uma vez eu considerei meu pai.

-Você fez tantas coisas horríveis e merece uma punição.

-Quem está aí?

-Ninguem.

-Como assim ninguém?

O mascarado estava ali bem na minha frente, quando ele virou para o homem jogou uma faca na sua perna fazendo ele cair.

-Aaaaaah! Seu infeliz!

-Eu infeliz? Moon? Está acordada?

-Como... você me conhece?

-Eu sei de tudo, me diga, quer me eu o mate ou apenas machuque ele para ele apodrecer na cadeia?

-E... eu quero machuca-lo.

-Pois bem.- Ele cortou as cordas e me deu uma faca.- Obrigada...- fui até ele cambaleando e sentei no chão.

-Sua pirralha! Fruto do mal! Você é o próprio demônio!

-Sim... eu sou... e agora você vai ser meu sacrifício por tudo o que você já fez...

-Demônio! Demônio! Shiiiiu... não vai doer nadinha...- enfiei a faca no olho dele e ele gritou, isso foi bem divertido...

-Demônio!

-Cala a boca.- levantei e comecei a chutar a costela dele e pisar na barriga dele com toda minha força, amarrei as mãos dele e cortei uma coxa dele um corte bem fundo e um outro na barriga.- É divertido nos outros não é? E em você é ruim? Está gostando? Está se divertindo? Seu infeliz!- enfiei a faca na coxa dele onde o mascarado na tinha machucado, então amarrei as pernas dele e peguei o álcool que estava na bolsa dele é joguei em cima de todos os ferimentos... eu estava ficando cansada e perdendo mais sangue.

-Acho melhor deixar ele aqui preso e chamar a polícia...- depois dessas palavras eu não ouvi mais nada, eu desmaiei, eu sentia muito frio, eu sabia que estava num carro mas não consiguia me mover, eu só estava com dor e cansada de tudo.

[...]

-O que!?- acordei na cama de um hospital.

-Ah... você acordou... sou a enfermeira Judy e-

-Quem me trouxe aqui?

-Um moço disse que encontrou você jogada na rua... e ele chamou a polícia por que perto da onde você estava tinha um assassino.

-Meu pai... ele está preso?

-Sim... passou no noticiário sobre você e a outra vítima que ele fez.

-Minha mãe... 

-Ela veio te visitar hoje... você tinha heroína por todo o sangue... foi difícil encontrar um sangue compatível com o seu então um de seus amigos doou.

-Quem? 

-Acho que o nome dele é... Park Jimin?

-Ah... sim... obrigada.

-De nada, se precisar de mim é só apertar esse botaozinho que está no controle.

-Ta bom...

-Moon!?- minha mãe entra no quarto e vem correndo me abraçar.- Filha! Eu não acredito que quase te perdi!

-Me perdoa por tudo mãe! Eu não sabia o que você tinha passado com aquele filho da puta...

-Você não tem culpa... 

-Ele me contou mãe... tudo o que te fez.

-Vamos esquecer isso e viver o agora, ele já foi preso... eu fiquei sabendo que você furou o olho dele... por que fez isso?

-Odio, foi cada coisa horrorosa que ele me disse... os meninos estão bem?

-Sim, Kookie e Tae acham que são culpados por te deixar pra trás.

-Mas eles não sao-

-M-Moon!?

-MOON!

Kookie e Tae saem correndo também pra me abraçar.

-Me desculpa por te deixar pra trás! 

-Me perdoa Moon!

-Calma vocês não tem culpa! Mãe poderia me deixar a sós com eles por um instante por favor?

-Tudo bem.

-O mascarado está lá...

-Como assim?

-Ele me salvou, ele me trouxe aqui e ele estava lá enquanto eu torturava meu... o imbecil.

-Você conseguiu descobrir algo? A voz dele?

-A voz estava abafada por causa da máscara... e eu estava dopada não tinha como saber...

-E se seu ex pai fez isso por que ele não o matou?

-Eu nao sei... talvez pra não deixar eu como culpada?

-Tem isso...

-Eu só quero dormir agora... 

-Tudo bem, nos ja vamos, fica bem tá?

-Vou ficar, obrigada.

Eu ainda vou descobrir quem é você, mascarado.


Notas Finais


Eu sei... foi bem pesado desculpa... obrigada por ler até aqui... até a próxima😆❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...