1. Spirit Fanfics >
  2. Nós (girl x girl) >
  3. Capítulo 19

História Nós (girl x girl) - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Hello pessoas, tudo bom? Estão seguindo a quarentena direitinho?
Enfim, cá estou eu novamente para trazer mais um capítulo pra vocês. Espero que gostem, desejo uma ótima leitura!

Capítulo 19 - Capítulo 19


Naquela noite, Eliza finalmente conseguiu dormir tranquila, e sabia que aquele fato não se devia de maneira alguma aos calmantes que lhe foram ofertados depois do jantar, mas sim pela visita de Isadora. Sentir seu perfume e poder olhar de perto cada mínimo detalhe do seu rosto lhe acalmava muito mais do que qualquer sedativo.

Quando a enfermeira entrou trazendo seu café pensou seriamente em mandá-la embora, mas havia prometido que comeria.

— Só quero comer quando a Isa chegar. — disse se ajeitando na cama.

— Certo senhorita, mas vou deixar aqui pro caso de mudar de ideia, certo?

— Tá bem, obrigada. — falou sincera, era a primeira vez desde que chegara ali que alguém realmente levava suas vontades em consideração.

Já ouvia a barriga roncar quando finalmente viu a namorada passar pela porta. E franziu a testa curiosa ao ver que a mesma trazia com consigo uma sacola, já que aquilo não era permitido.

— Oi, desculpa o atraso, me enrolei na recepção. — disse sorrindo sem jeito enquanto se aproximava.

— Nem imagino o porquê. — riu.

— Ah! Me da um desconto, eu precisava trazer umas coisinhas pra arrumar você, eles não queriam deixar, mas você me conhece, eu pedi com jeitinho. — sorriu travessa, mas logo ficou séria ao ver a comida intocada sobre a mesinha. — Eliza, achei que tínhamos combinado que você ia comer.

— Calma tigresa. — levantou as mãos em sinal de trégua. — Só estava esperando você chegar, eu juro.

— Bom, eu já cheguei, então não tem mais nada pra esperar.

Eliza riu antes de começar a comer, por sorte não havia nada que precisava ser consumido ainda quente, então sem cerimônia alguma tratou de comer tudo que havia ali, era estranho porque ali tinham todas as coisas que gostava de comer, sim era bem estranho mas isso não a impediu de saborear a refeição até que só restassem os farelos.

— Pronto.. agora me diz o que trouxe aí, tô curiosa.

— Só o básico, e nem vão deixar ficar com você, eu prometi que levaria de volta quando fosse embora. — fez uma careta de desgosto.

Isadora virou a sacola deixando os objetos caírem sobre a cama, Eliza olhou atenta para eles, ignorou a escova, o esmalte e os demais produtos para a pele e cabelo, seus olhos pousaram cintilantes na caneta delineadora que havia ali, e logo seus dedos seguraram o objeto, como sentia falta do habitual traço gatinho que habitava seus olhos há tanto tempo que já que havia se tornado sua marca registrada.

— Aí eu te amo, eu te amo demais!

— Só não tinha esmalte preto, mas eu trouxe o azul mais escuro que tinha na loja.

— Tá ótimo Isa, sério mesmo, tá ótimo demais.

A mais nova abriu um largo sorriso e sentiu o coração aquecer ao ver que a outra estava genuinamente feliz.

— Então tá, vamos começar. — pegou a cadeira e arrastou até perto da pia. — Vem senta aqui. Hora de você conhecer meus dotes de cabeleireira.

A pia era pequena para a grande quantidade de cabelo que Eliza possuía mas Isadora soube contornar muito bem a situação, e depois de lavado e hidratado tirou o excesso de água e enrolou os fios em uma toalha para secar mais rápido já que ali não havia nenhuma tomada para que pudesse utilizar um secador.

Depois de cuidar dos cabelos a mais nova passou a cuidar da pele da namorada. Eliza quis rir mas logo foi repreendida.

— Não ri, vai estragar a máscara.

— Desculpa.. pode arrumar minhas unhas? Eu roí todas.

— Deixa comigo, pra sua sorte também sou manicure nas horas vagas meu amor.

Isadora arrumou as unhas da namorada com muita dedicação, gostaria de fazer mais, contudo não pode usar um alicate ou qualquer outra coisa que a ajudasse no processo, pois objetos perfurocortantes também eram proibidos. Fez o melhor que podia, e logo as unhas roídas e sem graça ganharam um lindo tom de azul escuro.

Desembaraçar o cabelo foi de longe a pior parte, Isadora já sentia o braço pesar após tantos puxões afim de desfazer os nós.

— Aaiii devagar, vai arrancar meu couro assim!

— Desculpa, mas tá igual um ninho de rato, vai ter que me deixar fazer uma trança depois.

— Sem chance abelhinha, detesto tranças.

— Eu sei amor, mas vai ser melhor porque não vai embaraçar tanto, prometo que faço algo estiloso.

— Tá, tá bom.

E então depois que os fios secaram completamente a garota deu início à sua empreitada e logo as mechas trançadas se tornaram uma linda trança no estilo escama de peixe, os fios antes coloridos e agora desbotados contrastavam lindamente uns com os outros.

— Agora a cereja do bolo! — disse fazendo o traço nos olhos da namorada. — Tcharaaaan, abre os olhos, vai abre.

Eliza fez o que lhe fora pedido, fitando o pequeno espelho à sua frente, sentiu os olhos marejarem e logo engoliu o choro que teimava em vir, nunca teve tanta certeza do sentimento da outra quanto nos últimos dias.

— Isa...

— Eu sei, eu sei. Pode me agradecer com um beijinho.

— Com gostinho de pão de canela como bônus. — riu enquanto a puxava para seu colo.

Eliza tocou seu rosto e pôs uma mecha de cabelo atrás da orelha antes e trazê-la para ainda mais perto e beijá-la. Céus! Como sentira falta daquele contato, do gosto refrescante de bala de menta misturado ao adocicado do gloss.

Não tinham pressa, queriam aproveitar cada milésimo de segundo que tivessem.

Por falta de ar o beijo foi encerrado, mas nenhuma das duas ousava abrir os olhos.

— Eu te amo. — a mais nova disse.

— Eu sei. Também amo você. E nunca vou me cansar de dizer isso.

As duas voltaram a se beijar, Isadora já rebolava no colo da namorada em buscar de mais contato, enquanto as mãos aflitas de Eliza já adentravam sua blusa fazendo a pele por baixo do tecido se arrepiar.

Isadora já se encontrava deitada sob o corpo da namorada quando ouviram a porta ser aberta, as meninas olharam na direção da mesma vendo a pobre enfermeira com os olhos arregalados mediante a surpresa.

— Pois não? — Eliza indagou simplória fazendo a mais nova rir.

— É que.. que... já..

— Mas já? Tão cedo?

Eliza não se moveu um centímetro sequer para que a namorada saísse.

— S-sim senhorita.

— Tá tudo bem Liz, eu volto amanhã, tá? Prometo.

Isadora conseguiu escorregar para longe dos braços da mais velha e deu -lhe um selinho rápido antes de juntar as coisas e ir embora.

— Eu agradeceria muito se não contasse o que viu, tenho medo que proíbam as visitas.

— Não sou paga pra contar o que vejo nos quartos, querida. Só tenham mais cuidado da próxima vez, sim?

— Pode deixar, e obrigada.

A garota se despediu da enfermeira e seguiu até a recepção, pôs a sacola sobre o balcão para que todos os itens pudessem ser conferidos, já que em hipótese alguma algo poderia ficar lá. Isadora respirou fundo ao ver o sogro se aproximando, precisava de todo autocontrole do mundo para não mandá-lo à merda. Pois isso poderia por as visitas em risco.

— Então, ela comeu?

— Bom dia pro senhor também. E sim, ela comeu tudinho.

— Ótimo. — suspirou aliviado sorrindo em seguida. — Pedi pra que colocassem as coisas que ela gosta de comer, pra ser um incentivo a mais. E como ela está?

— Bem, eu acho. — olhou desconfiada. — Não é melhor perguntar direto pra ela?

— Eliza está zangada comigo, creio que você saiba. Minha presença ali só iria deixá-la ainda mais irritada, e eu definitivamente não quero isso.

— Certo. Mas pode ficar sossegado que a Liz tá bem sim, e sabe o que a deixaria feliz? Sair desse inferno, com licença senhor, tenho muito o que fazer.

Marcus viu a garota sair e suspirou mais uma vez, estava exausto, se sentindo completamente derrotado. Até que ponto valeria a pena seguir com aquilo?

            ... Continua ...


Notas Finais


Espero que tenham gostado e desculpem possíveis erros,


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...