1. Spirit Fanfics >
  2. Nos Passos do Amor 2.0 >
  3. Noite da Khris.

História Nos Passos do Amor 2.0 - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Olá amores, perdão pela demora.

Estive de mudança e estava tudo uma bagunça.

Espero que gostem do capítulo.

Boa leitura!

Capítulo 6 - Noite da Khris.


Fanfic / Fanfiction Nos Passos do Amor 2.0 - Capítulo 6 - Noite da Khris.

Mais tarde naquele dia, Khristine se olhava no espelho e estava surpresa com o que via. Ela estava composta por um vestido de pano fino com estampa de pele de cobra, não era muito justo, mas acentuava suas curvas. Seus cabelos estavam presos em um rabo de cavalo, sua maquiagem era leve e optou por poucos adornos. Estava deslumbrante. Assim como sua irmã que optou por um conjunto de cropped e calça pantacourt, e diferente de Khristine, ousou em sua maquiagem deixando os olhos mais escuros, mas também não usou muitos adornos.

A decoração no jardim da mansão de seu pai estava linda, era uma decoração iluminada e bem sofisticada. A mesa principal era composta por dezesseis lugares reservados aos mais próximos da família. Haviam mesas de vidro redondas com oito lugares, cada, espalhadas para os restantes dos convidados. O buffet havia feito um lindo trabalho no local, estava tudo muito lindo. Mesas de doces, frios, canapés, bar, diversos salgados e muitas outras coisas. Era de agradar aos olhos de quem visse.

Os convidados começaram a chegar, a maioria acionistas da empresa com suas famílias. Khristine não se importava, aliás, achava a presença deles essencial, pois ela e seus irmãos são os herdeiros de tudo que seu avô e seu pai deixarem, então já tinham que ter contato com eles. Ela estava cumprimentando os convidados quando viu seu noivo chegar acompanhado de sua melhor amiga e sua sogra. Ela se afastou e foi até os mesmos, recebendo um belo beijo assim que chegou perto de Blake.

— Feliz aniversário, amor!

— Obrigada — a jovem sorriu boba.

— Pode a soltando — Clarissie empurrou seu irmão — Feliz aniversário, amiga! Que Deus te abençoe muito e faça chover variedades de homens na sua vida, que você possa experimentar as melhores...

— Vai se foder, Clarissie! — Blake disse nervoso puxando sua irmã.

Khristine sorriu sem graça, diferente de seu noivo que se segurou para não agredir sua irmã ali na frente de todos. Clarissie não gostava da relação dos jovens, pois seu irmão não era honesto com sua amiga e ela não aceitava isso.

— Vocês dois, parem! — Diz Carmen abraçando a aniversariante — Feliz aniversário, princesa.

— Obrigada, tia Carmen!

Khristine voltou a cumprimentar os outros convidados que estavam chegando, mas agora com seu noivo na cola. Alguns parentes distantes da jovem apareceram, por parte de sua mãe e pai. Primos e tios. Ela matava a saudade de todos eles, conversando e pondo as coisas em dia. A coreógrafa estava animada com a presença de amigos e familiares ali, queria que a noite passasse devagar para aproveitar um pouco mais de todos.

— O que ele faz aqui? — Blake perguntou num tom furioso, próximo ao ouvido da morena.

— Quem?

Ela se virou e viu o Justin na companhia do Scooter com sua noiva, Nick e até mesmo o Miguel com seu filho, o pequeno Elliot, cujo, conheceu no shopping quando levou seu sobrinho para passear.

— Você o convidou? — indagou o advogado nervoso.

— Não enche, Blake — disse a morena se afastando para cumprimenta-los — Vocês por aqui?

— Seu pai nos convidou, tem algum problema? — perguntou Scooter.

— Nenhum, sejam bem vindos — disse sorrindo.

— Feliz aniversário, Khris! — Nick abraçou sua parceira de trabalho.

— Obrigada, Nick!

Scooter e sua noiva fizeram o mesmo que o coreógrafo, Justin notou o olhar ciumento do noivo da morena, então resolveu provocar um pouco. Ao abraçar Khristine, ele a tirou do chão lhe dando um abraço apertado e um beijo na altura do pescoço fazendo a jovem sorrir tímida.

— Feliz aniversário, morena! Você está de parabéns — disse a olhando de cima a baixo.

— Ah, obrigada. Você também está muito bonito — disse sem malícia, diferente do mesmo.

O rapaz sorriu e recebeu uma olhada feia de Scooter que sabia o que o cantor estava fazendo.

— Você também por aqui?! — A jovem deu um abraço de lado em Miguel que retribuiu causando estranheza na jovem. — Olá, bonitão! — Khristine apertou, de leve, as bochechas do pequeno Elliot que sorriu se jogando para cima da jovem que riu comemorando e o pegou no colo. — Perdeu, Miguel!

Mesmo ainda chateada com as palavras do homem, não queria criar drama naquela noite. Nunca foi de seu feitio tratar as pessoas mau, não seria naquele momento que passaria a ser.

— Esse é meu noivo, Blake Scott — apresentou o rapaz que apertou a mão apenas de Scooter, Nick e Miguel, ignorando o cantor. — Escolham uma mesa e fiquem à vontade — disse a jovem sorrindo e se virando.

— Ei, meu filho! — anunciou Miguel.

— Vou ficar com ele por enquanto — disse e saiu andando fazendo Nick e Scooter rirem.

Já o cantor, estava focado nas curvas da morena causando mais irritação ao noivo da jovem.

— Aquele babaca está me provocando, manda ele embora — disse o rapaz autoritário no ouvido da coreógrafa.

— Blake, por favor, não me irrita! Deixa-o olhar, que merda! Estou transando com ele? — A jovem disse baixo, mas demonstrando estar insatisfeita.

— Não sei — a jovem abriu a boca surpresa com a resposta.

— Ah, vai... — ela olhou para o pequeno em seus braços e decidiu não xingar.

A morena se afastou de seu noivo e foi até a sua irmã que estava com seu sobrinho no colo apresentando-o para os seus parentes distantes.

— Ei Lord, olha o amiguinho — disse Khristine se aproximando.

— Que coisinha mais linda, Khris! É filho de quem? — Katheryn perguntou encantada com a criança.

— É filho do Miguel.

— Do coreógrafo que implica com você? — Perguntou surpresa.

— É, dele mesmo — a morena riu — Meu pai os convidou para virem, até o Justin está aqui!

— Nossa, legal da parte deles aparecerem. Que vergonha, da vez que eu conheci o Bieber, falei muita merda — a loira riu junto com sua irmã — Qual é o seu nome, pequeno?

— Elliot Adams — disse o pequeno.

— Como você é inteligente, quantos anos tem? — perguntou Khristine e o pequeno levantou três dedos.

— Bebê, fala seu nome para o amiguinho — diz Katheryn.

— Lord Khalff — o "Lord" saiu enrolado por sua idade inferior.

— Ele vai fazer dois aninhos — diz Katheryn para Elliot.

— Ele pode brincar? — o pequeno perguntou.

— Claro! Tem um monte de crianças para brincarem — diz Katheryn.

Richard havia contratado profissionais para cuidar de crianças para que os pais pudessem curtir a festa. Havia um mini playground montado ali no jardim, mas um pouco distante das mesas, não muito, mas o suficiente para não atrapalhar. Khristine e Katheryn deixaram os pequenos lá e voltaram a interagir com as pessoas presentes ali. Miguel olhou de longe e viu que a morena não estava com seu filho, ele pediu licença, se levantou e foi até a aniversariante.

— Khris, onde está o Elliot? — perguntou próximo à morena.

— Ah, me desculpa por não avisar, ele está na área baby, junto com o meu sobrinho. Vem, vou te mostrar onde é para que possa vigia-lo sempre que quiser — diz Khristine o direcionado até o local onde havia umas dez crianças brincando com os animadores.

— Elliot, se comporta direitinho, tá? — o homem alertou o seu filho que assentiu acenando com as mãos para o pai.

Miguel sorriu com a animação de seu filho e se afastou com Khristine. Ele aproveitou enquanto passavam por um lugar que haviam pouquíssimas pessoas e decidiu se desculpar pelo que havia falado.

— Khris... — chamou a atenção da morena que parou de andar para olhá-lo. — Gostaria de pedir perdão pelo que falei com você naquele dia e pelos dias que te tratei mal na companhia. Não sou uma pessoa ruim, só um pouco complicado. Você me lembra uma pessoa que odeio, acabei te associando a ela. Eu vim mais aqui, para me desculpar, o Nick me falou umas verdades e eu reconheço que errei — disse o rapaz sendo, totalmente, sincero.

— Eu fiquei muito chateada com o que falou, não vou mentir, me senti humilhada. Contudo, nada que um pedido de desculpas não resolva — a jovem sorriu.

— Jura? — o rapaz sorriu — Pensei que iria levar outro tapa.

— Essa não sou eu... — Khristine riu — Amigos?

— Amigos! — O rapaz afirmou — Agora sei o porquê falou que pode ter tudo o que quer, — Miguel olhou em volta e continuou: — sua mansão é linda.

— Obrigada! — a jovem agradeceu — Meu pai e meu avô me ofereceram uma academia de dança, mas eu sou recém formada e queria experiência, trabalhar e conseguir alcançar o sucesso por conta própria. Essa oportunidade que o Scooter me deu é muito valiosa para mim.

— Concordo com seu pensamento — disse o rapaz — Você é ótima, mas precisa dançar mais com a alma do que com o corpo. Suas execuções são perfeitas, mas são robóticas. Precisa suavizar seus passos e sentir a música.

— Obrigada pela dica — a jovem sorriu.

— Eu posso te ajudar com isso, gostaria? — perguntou receoso.

— Eu quero experiência, então toda ajuda é bem-vinda — a morena disse animada.

— Então podemos fazer uma hora a mais nos dias de trabalho?

— Com toda certeza! — Khristine o abraçou — Muito obrigada!

— De nada! — o rapaz sorriu.

P. O. V. Justin Bieber.

Quando o Scooter me falou do convite, eu fiz questão de vir, desde o dia da companhia, não havia voltado lá e não tinha mais visto a Khris. Ela também não havia me mandado nenhuma mensagem, esperei por seu contato, mas não o obtive. Talvez ela esteja querendo estabelecer limites por conta do que houve, a respeito por isso, mas queria revê-la.

Pela sua casa, sabia que ela não tinha condições de vida ruim, mas não imaginava que ela era filha e neta de magnatas, nem irmã de campeão de UFC. O dinheiro que ela ganha trabalhando para mim não é nada comparado ao que tem.

Avistei ela conversando com o Miguel, olhei em volta e vi que o namorado dela não estava por perto, pedi licença e me levantei da mesa. As pessoas me olhavam naquela festa curiosos por minha presença ali. Conseguia perceber alguns olhares de meninas que pareciam bem "animadas" em me ver. Sorrisos e olhares maliciosos conheço de longe. Cheguei perto da Khris, Miguel me olhou e pediu licença a Khris dizendo que iria dar uma olhada no filho dele.

— Como você está? — perguntei e ela sorriu.

— Estou bem e você?

— Ainda esperando uma mensagem sua — falei vendo-a rir.

— Não achei necessidade — deu os ombros.

— Magoei — rimos — Curtindo sua noite?

— Ela está apenas começando, mas estou curtindo sim — começamos a andar pelo gramado sem rumo. — Minhas primas estão de olho em você.

— Percebi, — sorri — mas fazer o que se sou irresistível?!

— Oh, é sim — ela disse com uma certa ironia, mas não debochada.

Olhei em volta para ver se alguém nos olhava, estávamos um pouco mais distantes da festa graças ao enorme jardim daquele lugar. Abracei ela por trás e perguntei em sussurro próximo ao seu ouvido sentindo-a se arrepiar:

— Por que? Não acha?

Percebi ela ficar arrepiada e suspirar, mas ainda assim, ela se afastou e riu como se não tivesse ficado estremecida.

— Se o Blake visse isso, ele iria avançar em você — ela disse negando enquanto sorria.

— Depois de nocauteá-lo, iria te levar como o meu troféu — lhe abracei e selei nossos lábios, rapidamente.

— Para com isso — ela disse rindo de nervoso — Vamos voltar para festa, antes que queira transar comigo aqui no gramado.

— Mas eu quero!

— Você é louco!

Ela segurou minha mão e caminhamos de volta para festa.

— Khris! — um homem a chamou e se não me engano, era o seu pai — Venha ver quem está aqui!

Caminhamos até o homem que estava rodeado de outros homens vestidos como executivos.

— Tio Jairo... — ela sorriu abraçando o homem trajado com um smoking cinza — Que bom vê-lo aqui!

— Achou que eu não viria na festa da minha princesa? — disse o homem ainda a segurando — Trouxe a Maya e as crianças, vamos vê-los?

A Khris assentiu e saiu acompanhada do homem. A observei caminhar para longe, até que senti olhares em cima de mim. Os homens me olhavam e eu me senti um peixe no meio de tubarões.

— Estava olhando para a bunda da minha irmã? — Kendrick, o lutador, perguntou com a mão apertando meu ombro. Estava doendo.

— N-Não, e-eu... — gaguejei e eles começaram a rir.

— Pode falar a verdade, cara... estou te zoando— disse ele me fazendo rir sem graça — Aqui, o que vale é a sinceridade, não é, pai?

— Sim, eu sei que minhas filhas são atraentes... Eu fiz gostoso... — todos riram, inclusive eu.

— Está tendo caso com a Khris? — perguntou um deles.

— Não, somos só amigos.

— Eu queria ter escutado um “sim” — disse o mais velho resmungando — Não vejo a hora da minha neta largar aquele idiota do Blake, eu tenho tanta vontade de mandar darem uma surra nele, mas ela iria me odiar.

— Acho que é a vontade de todos nós, vô — disse o Kendrick.

— O que ele fez? — perguntei curioso.

— Ele faz a Khris de idiota, vive a traindo e, infelizmente, ela é muito ingênua, sempre acha que ele está sendo sincero quando diz que a ama — disse o pai da Khris — Na verdade, nós homens somos muito hipócritas, porque pelo menos uma vez na vida já traímos, mas quando acontece com alguém da nossa família ficamos com muita raiva.

— Eu sou fiel — disse Kendrick fazendo o restante rir.

— Jura? — o pai da Khris perguntou com sarcasmo.

— Foi uma vez só — disse o Kendrick — Duas, não sei... Ah, perdi a conta já!

— Somos uns filhos da puta! — disse o outro nos fazendo rir.

— Afinal, nem nos apresentamos — disse o pai da Khris — Richard Jullian, pai da Khris, da Katheryn e do Kendrick.

— Daniell, o patriarca da família.

— Luther, pai do filho da Kathy.

— É um prazer conhecê-los! — apertei suas mãos — A Kathy tem filho? — perguntei surpreso.

— Não deveria por conta da idade, não é? — Daniell deu ênfase olhando para o Luther que riu sem jeito — Não sei como não mandei matar você... juro.

— Penso nisso todos os dias que pego ele aqui em casa — disse Richard me fazendo rir acompanhado do Kendrick.

— Mas ela é tão nova assim? — perguntei.

— A Kathy vai fazer dezoito ainda — Kendrick me respondeu.

— O que? — quase me engasguei — Com todo respeito, aquele puta mulherão só tem dezessete anos e já é mãe?

— É isso aí! — disse o Luther com um sorriso superior no rosto — Minha mulher é foda!

— Deixa ela ouvir isso — disse Daniell rindo.

— Desculpa perguntar, mas quantos anos você tem?

— Vinte e sete — respondeu, naturalmente.

— Isso não é pedofilia?

— Gastei um dinheiro para livrar a cara desse otário! — disse o Richard — Devia ter deixado você ser preso e virar mulherzinha na cadeia só por ter transado com a minha filha quando ela tinha quatorze anos, sorte que ela implorou para eu livrar sua cara.

— Puta que pariu, eu tinha matado — me pronunciei surpreso com as declarações.

— Eu a amo, vou me casar com ela ainda — disse ele.

— Que loucura! — acabei rindo.

Ficamos conversando sobre coisas aleatórias: mulheres, dinheiro, golfe... E mulheres... A aparência deles eram de homens de escritório chatos, arrogantes e prepotentes. Mas não parei de rir um minuto sequer com eles. Cada história que escutei, acabei me sentindo parte da família. O Richard disse que tinha um campo de golfe ali em sua mansão e me convidou para vir a sua casa outro dia para jogarmos e claro que não faria desfeita desse convite.

A festa estava rolando, eu não saia de perto dos Jullian's, a Khris se aproximava ora ou outra e eu fazia questão de abraça-la e beija-la no canto da boca vendo os olhos do namorado dela fumegarem. O tal Jairo se ajuntou a nós, então pude conhecê-lo: irmão mais velho da mãe falecida da Khris. Ele também era tranquilo, acabou entrando nos assuntos e contando alguns segredos.

Quando anunciaram o jantar, tive que voltar para mesa que o Scooter estava, a entrada foi servida, logo o prato principal onde comemos ao som de violino tornando o ambiente mais agradável. Ao acabarmos a sobremesa, começou a entrega de presentes.

P. O. V. Narrador.

Os presentes dos convidados eram levados pelos garçons até a aniversariante. A maioria eram roupas de grifes famosas e joias. Depois de abrirem todos dos convidados, começou a entrega dos familiares sentados à mesa principal. Começou por seu tio Jairo que lhe deu um lindo colar de diamantes com pedras de rubi, depois foi a vez de Luther que lhe deu uma bolsa luxuosa da Prada. Na vez de sua irmã Katheryn, recebeu um vestido feito pela mesma deixando Khristine bastante animada para usá-lo, pois sabia que sua irmã era uma boa estilista, mesmo não sendo formada na área. Na vez de seu irmão, ela abriu a caixa e se deparou com dois sapatinhos de bebê.

— Isso é sério? — perguntou sorrindo olhando para o seu irmão que assentiu passando a mão na barriga da sua namorada — Aí meu Deus! Mais um integrante para a nossa família, parabéns Kenny!

A jovem abraçou seu irmão e sua cunhada e a mesa se movimentou onde todos parabenizavam o rapaz pela notícia enquanto o restante dos convidados aplaudia em comemoração. Katheryn, por sua vez, não parabenizou seu irmão, pois não gostava de sua cunhada, apenas sorriu em deboche e deu uma golada em sua taça de champanhe.

— Aproveitando a deixa... — Luther começou a falar atraindo atenção da mais nova — Vou ser papai de novo — disse e abraçou de lado sua esposa que sorria superior olhando para Katheryn.

— Depois de tentarmos tanto, finalmente... — disse a mulher acariciando sua barriga sem volume — O amor prevaleceu!

Todos que estavam à mesa se sentiram constrangidos e receosos em parabeniza-los, pois viram que Katheryn não gostou nem um pouco da notícia. Khristine, para não deixar criar tensão à mesa, parabenizou o casal e o restante fez o mesmo apenas falando sem saírem de seus lugares.

Para mudar o clima, Khristine voltou a receber os presentes, sendo a vez de seu noivo. Ela ganhou um lindo par de brincos e um colar de ouro. Da sua amiga, Clarissie, ganhou uma bolsa da Louis Vuitton e de sua sogra, um scarpin da mesma marca. Na vez de seu pai, ela abriu uma caixinha pequena e viu uma chave de carro. A morena saltitou na mesa de alegria e seguiu o seu pai até a garagem, assim como boa parte dos convidados. Lá, ela viu uma Lamborghini aventador branca com um laço vermelho em cima. A coreógrafa não se conteve de alegria e pulou nos braços de seu pai o enchendo de beijos agradecendo pelo presente.

Depois de entrar em seu carro, olhá-lo por dentro e admirá-lo, Khristine e seus familiares voltaram aos seus devidos lugares. O último presente da noite era o de seu avô, ela recebeu uma pasta e uma caixinha. Primeiro, abriu a pasta e leu os documentos descrito ali.

— Vô, isso é sério? — a jovem perguntou surpresa e o homem sorriu assentindo.

— O que é? — Katheryn perguntou curiosa.

— Uma casa de praia nas ilhas Turcas e Caicas, no Caribe — Khristine disse ainda incrédula.

— Sim, e é toda sua — disse Daniell fazendo todos aplaudirem admirados pelo presente, alguns até mesmo invejando.

— Senhores e senhoras, me deem licença porque eu tenho que viajar com a minha irmã neste exato momento — diz Katheryn fazendo todos rirem.

— Muito obrigada, vô! Gostaria de agradecer a todos que se fizeram presentes nesta noite, valeu muito mais para mim do que qualquer presente me dado — disse a jovem fazendo todos aplaudirem, novamente.

As louças usadas para sobremesa foram recolhidas, um DJ assumiu o controle da festa fazendo boa parte dos convidados se levantarem para dançar. Khristine estava muito animada, comemorando seus ganhos com seus irmãos e se alegrando com a chegada de mais um sobrinho, ou sobrinha, em sua vida.

Começou a tocar "Lifestyle - Young Thug", instantaneamente, Khristine e Justin se olharam. Ambos sorriram, mas de diferentes formas: Justin com malícia e Khristine envergonhada por lembrar da noite em que quase se entregou para o cantor.

Seu noivo se afastou, ali foi a deixa para Justin se aproximar e puxar a morena para dançar. Khristine estava tensa com tamanha aproximação, mas tentava agir, naturalmente. Ela tentava evitar as investidas que o cantor lhe dava, pois sabia que seu noivo já estava irritado por ter visto seu pai, seu avô e seu irmão se dando super bem com o astro, diferente da forma que o tratam.

— Bieber, você adora estar no meio de confusão — a jovem sussurrou no ouvido do rapaz que sorriu.

— O que eu estou fazendo? — perguntou provocativo.

— Está irritando o meu noivo... — disse a morena arfando ao sentindo a mão forte do cantor apertar sua cintura com um pouco de intensidade — Para...

— Você quer, Khris, admite! — o rapaz beijou o canto de sua boca — Se você não quisesse, se afastava.

Com cuidado para não ser arrogante, Khristine se afastou do rapaz que sorriu frustrado. A coreógrafa sabia que a tensão sexual entre os dois era grande, mas não podia ser infiel, trocar o que achava certo, pelo duvidoso. Ela ainda amava seu noivo, mas estava tendo suas estruturas abaladas pelo cantor. Não se considerava apaixonada, mas tinha uma enorme vontade de ser tocada por ele.

Enquanto pedia uma bebida no bar, sua irmã parou ao seu lado sorrindo com malícia. Khristine sabia o que aquele sorriso significava, então não conseguiu segurar sua risada.

— Safada! — Katheryn pronunciou — Nem precisei falar nada, você não tem nada de inocente, Khris!

— Deixa de ser louca, você que chegou aqui sorrindo que nem uma maluca.

— Pensa que me engana? Eu vi você e o Bieber lá no maior clima, o que está rolando? — perguntou a mais nova curiosa.

— Não está rolando nada! — Khristine pegou seu coquetel e se sentou ao lado de sua irmã — Ok, eu admito, estou muito afim de transar com ele, mas é só isso!

— Por que não transou ainda? Khris, você perde as oportunidades que a vida lhe dá. Obviamente, ele vai sair daqui essa noite e vai transar com outra, porque você o deixou com um puta tesão, dá para ver o pau dele marcado na calça — a coreógrafa quase se engasgou com a bebida.

— Kathy, eu não quero trair o Blake, isso me tornaria uma pessoa sem respeito — disse a jovem mexendo sua bebida.

— Então termina, porra!

— Só para fazer sexo?

— Não é só para fazer sexo, é para você curtir sua vida, você fica com um cara que nem te respeita, está presa com a mesma pessoa a cinco anos, não se dá oportunidade de viver outras coisas, novas aventuras... Daqui uns anos, você vai olhar para trás e ver que não viveu. Vai estar com um cara que só te trai e pede perdão, vai viver esse círculo vicioso e não vai ter coragem para sair por vergonha. Transe com o Bieber e com outros homens, desfrute de todos eles, sinta-se mulher até achar alguém que te respeite como merece — disse Katheryn fazendo sua irmã refletir em suas palavras.

— Nunca pensei estar ouvindo conselhos da minha irmã mais nova... — Khristine sorriu — Vou pensar a respeito, não agora, mas juro que vou.

— Só não faça isso tarde demais — disse a mais nova.

— E como você está? — Khristine perguntou em relação à revelação de Luther sobre ser pai de novo.

— Descobri que sou uma idiota achando que ele iria mesmo pedir o divórcio. Acho que nunca me senti tão humilhada nessa vida — a jovem negou sorrindo sem vida.

— Não fica assim, você é linda e vai arrumar alguém que te ame de verdade. Agora seja madura e corte qualquer tipo de relação com ele que não seja relacionada ao Khalff, se dê o respeito. Eu amo o Luther, mas eu te amo mais e não aceito ver ele brincando com seus sentimentos.

— Acabou, definitivamente — disse Katheryn — Estou cansada de ser taxada de “amante”, sendo que eu nem sabia que ele era casado quando ficamos. Ele me enganou desde o começo e agora sai como o bonzinho, marido fiel e apaixonado, que vai ter o filho planejado de seus sonhos.

— Você é muito melhor que isso! — Katheryn sorriu recebendo apoio de sua irmã.

As irmãs ficaram no bar conversando, até que viram Luther se aproximar. Ele queria aproveitar que sua esposa havia ido ao banheiro para conversar com a mãe de seu filho.

— Kathy, posso falar com você? — perguntou receoso.

— Vou deixá-los à sós — disse Khristine.

A coreógrafa estava se levantando do banco para se retirar quando viu sua irmã virar a bebida que estava em seu copo no rosto do homem.

— Não tenho nada para falar com você, seu porco mentiroso — disse chateada, se levantando e se retirando do lugar.

Khristine pegou guardanapos no bar e ajudou o homem a se limpar.

— Quando ela vai entender que eu a amo? — perguntou chateado.

— Quando você demonstrar isso de verdade e parar de tratá-la como segunda opção. Você a enganou diversas vezes, Luther, quer que ela se sujeite a ser sua amante menor de idade? A Kathy é muito mais que isso! E que belo lugar para você anunciar sua nova paternidade — dito isto, Khristine saiu deixando o homem sozinho no local.

Enquanto andava de volta para a área de dança, no canto perto de um arbusto, a coreógrafa viu seu noivo conversando com uma prima sua que já foi ex-namorada dele. Os dois pareciam íntimos, conversavam no ouvido um do outro e trocavam carícias. Sem alarmar, Khristine se aproximou devagar e parou quando a mão do seu noivo foi para a bunda da sua prima.

— Você está tão gata nessa roupa que eu poderia tirá-la de você nesse instante — o rapaz disse e mordeu o lábio inferior.

— Por que não faz isso? — Khristine perguntou atraindo a atenção dos dois.

— A-Amor... — Blake gaguejou.

— Khris, eu posso explicar... — disse a jovem.

— O que? Que estava querendo relembrar os velhos tempos? — a coreógrafa perguntou com sarcasmo — Compreendo, fiquem à vontade para fazer isso, aproveita que agora ele está livre!

— Que porra quer dizer com isso? — o advogado perguntou nervoso.

— Que acabou!

— Você quer terminar comigo porque eu estou conversando com a minha ex, mas estava lá se esfregando naquele cantorzinho de quinta. Deixa de ser hipócrita, Khris!

— O Justin está tentando ficar comigo desde que eu entrei na companhia, mas em respeito a você, eu não fiquei. Se eu fosse uma vagabunda, ou uma hipócrita, teria ficado. Aliás, eu já estava pensando em fazer isso mesmo, obrigada por me motivar — a jovem sorriu — Agora se retire da minha festa, antes que meu avô saiba que não estamos mais juntos.

— Você não vai terminar comigo, temos que conversar! Vai ser sempre assim? Nosso casamento está marcado, vai jogar tudo no lixo assim? — disse o rapaz segurando o braço da morena — Eu já disse que te amo e que você é a minha vida, por quê fica fazendo isso comigo?

— Menos, Blake! Estou cansada de você me tratar com falta de respeito, uma hora na vida, nós abrimos os olhos e enxergamos a verdade. Acabou! — Reforçou. — Não precisa aparecer na minha casa, irei mandar suas coisas para casa da sua mãe, sinta-se privilegiado por agora estar livre para ficar com quem você quiser.

— Não faz isso comigo! — agarrou a jovem que tentava se soltar de seus braços.

— Acho que ela pediu para você ir embora — a voz grossa e alta de Jairo fez o rapaz se assustar.

— Khris... — o rapaz tentou remediar, mas a jovem não mudou sua ideia.

— Vai embora, agora!

O rapaz bufou empurrando a morena que foi segurada por seu tio e saiu pisando firme. A sua prima já não estava mais ali, Khristine se recompôs e sorriu forçado para o seu tio.

— Obrigada — agradeceu.

— Como você está? — o homem perguntou vendo sua sobrinha abaixar a cabeça sentindo-se envergonhada.

— Eu pensei que ele tivesse mudado — negou com a cabeça enquanto seu tio digitava uma mensagem em seu celular sem que a jovem percebesse.

— Não fica assim... — Guardou seu celular no bolso de seu smoking e segurou a mão da coreógrafa, a fazendo se virar para ele — Quem perdeu, foi ele. Se eu tivesse a oportunidade de ter uma jovem linda que nem você como minha esposa, daria total valor a ela.

— Obrigada, tio — a jovem se desvencilhou de seu toque voltando a caminhar.

— Senti sua falta... — Khristine olhou para o homem que continuou: — Nunca mais foi lá em casa, somos sua família também. Vocês são a parte da sua mãe que a faz se tornar viva entre nós.

— Me perdoe, eu voltei agora da faculdade e estou me estabilizando aqui. Mas em breve, passarei um tempo com vocês, prometo — a jovem sorriu.

— Espero... sentimos sua falta — o homem sorriu. — Principalmente, eu! — abraçou a jovem, a surpreendendo e sussurrou em seu ouvido: — Você é a minha favorita!


Notas Finais


Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...