História NÓS SOMOS: ECLIPSE - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Mamamoo
Personagens Moonbyul, Solar
Tags Mamamoo Moonsun
Visualizações 3
Palavras 1.526
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: FemmeSlash, LGBT, Orange, Shoujo-Ai, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - 03! yeah i'm in love


Yongsun me olhava confusa e eu estava nervosa e com medo. Muito medo, se eu pudesse voltar no tempo…

— Não é de agora. — digo. — Quando você foi pro Japão, naquele dia fui na sua casa pronta para dizer isso mas você já tinha ido embora… — explico. — e ver você no mercado, conversar com você hoje foi como se tudo voltasse. E voltou. E eu não quero guardar de novo. — solto sua blusa. 

— Eu…

— Não precisa responder. Vamos para casa. Você prometeu que independente da sua resposta ainda seríamos amigas, eu não me importo se negar isso, eu só… precisava falar.

Ela nega, e pega na minha mão andando até o banco mais próximo da praça. Nos sentamos em um embaixo de uma grande árvore toda decorada com luzes e que com certeza depois vou tirar uma foto.

Solar me olha séria e eu retribuo seu olhar, só que com medo. 

— Eu tentei… por muito tempo negar tudo o que eu sentia por você. Talvez uma das razões por eu não ter te ligado ou mandado uma mensagem foi por isso. — ela fala. — eu queria fugir dos meus sentimentos. Do que o meu coração me dizia sentir. 

— Por eu ser uma garota…

— Sim. E você sabe, desde crianças "é errado essa coisa de homossexuais" dos nossos pais e eu achei que… meio que não lhe falando mais nada, o que eu sentia por você iria ir embora. 

A olho e vejo seus olhos brilharem, ela vai chorar. 

— Mas em nenhum maldito dia você saiu da minha cabeça, achei que era errado até conhecer uma garota e ela tirar tudo isso da minha cabeça. Não é errado amar.

Eu engasgo.

— Amar?

— Amar. 

Dou um leve soco no seu braço, sorrindo tímida. Ela se aproxima de mim e me abraça. Eu retribuo seu abraço. 

— Você aceita meus sentimentos? — pergunto sentindo seu cheiro gostoso de sabonete.

— Sim. Você aceita meus sentimentos? — ela pergunta e a sinto me dar um cheiro.

Me arrepio. 

— Sim.

Solar me aperta no abraço e ela solta um suspiro. 

— Eu achei que eu nunca iria falar isso pra você. — confessa. 

— Eu também. E eu tô tão feliz que nem sei o que pensar, nem como agir e nem sentir. — falo, ela ri.

Eu não sei por quanto tempo nós ficamos ali, sentadas no banco da praça abraçadas. E eu arrisco dizer que nossos corações estejam quentinhos e cheio de amor. Eu, Moonbyul, nunca na minha vida achei que meu amor por uma garota seria recíproco. 

Já tive namoradas, mas digo com certeza que o que eu sentia era paixão. Pura paixão. 
Amor, é realmente uma coisa bonita e eu me sinto privilegiada em poder sentir isso romanticamente para com outra pessoa. Sabe… é extremamente difícil amar nos tempos de hoje com todo mundo odiando todo mundo, se enchendo de coisas que geram o ódio próprio, isso me dá pena das pessoas. Porque poxa… amar não custa nada.
 
Eu me sinto em amor por estar abraçada com a pessoa que foi o motivo do meu choro de saudades por anos, um choro de saudade, mas que hoje retribui meus sentimentos nessa noite fria em Seul. E me deixa a abraçar e me abraça como se qualquer coisa pudesse nos separar.

— Eu… posso te beijar? — pergunto, desfazendo nosso abraço. 

Ela sorri aquele sorriso lindo e concorda.

— Sim, sim. Eu posso te tocar? — Yongsun pergunta se aproximando de mim.

— Sim, você pode. 

Eu me esqueço que estamos em um lugar público e que justo hoje a cidade resolveu ficar mais movimentada, mas esqueço esse pequeno detalhe que infelizmente, pode custar nossas vidas, quando Yongsun coloca sua mão na minha coxa e se aproxima mais de mim. Sinto sua respiração tocar meu rosto e um frio na barriga. 

Movo minha mão esquerda e a pouso em seu ombro direito. Estamos a poucos centímetros de distância quando ela toma a iniciativa de juntar nossos lábios. 

Acho que meus divertidamente estão surtando porque até eu estou. Meu coração começou a bater forte numa melodia descompassada e eu quase pulei pra longe dela só pra fazer uma dancinha idiota porque eu estou beijando Yongsun, meus sonhos estão se tornando realidade.

Eu estou beijando Yongsun.

Eu estou beijando Yongsun.

Eu estou beijando Yongsun.

Caralho, eu estou beijando Yongsun.

Ela move sua cabeça e sinto sua língua em meus lábios, não me demoro para os entreabrir e dar a ela passagem para a minha boca. E okay. Eu estou bem. Seu beijo me levou às nuvens, eu realmente senti que poderia morrer, estava no meu limite. Apertei seu ombro e no mesmo instante, ela apertou minha coxa. 

Me sentia tão bem e tão… surtada beijando ela que quando nos separamos em busca de ar, nos olhamos e rimos. 

Ouvir sua risada misturada a minha era uma das coisas que eu gostaria de ouvir enquanto estivéssemos vivas.

— Droga, eu me sinto muito boiola por você. — ela diz e sorri. 

Eu também sorrio. Quando vou abrir minha boca para falar alguma coisa sou impedida por sua boca na minha. E novamente nos beijamos, e novamente me sinto nas nuvens. Até beijando ela era boa… afinal, no que Kim Yongsun era ruim? 

Em nada. Ela era perfeita em tudo, e completamente apaixonante… acho que dei sorte em conquistá-la e ter o coração dela para mim porque sejamos francos, ela sempre tem alguém pra ficar, e falta de opção não seria um problema. Me sinto uma pessoa de sorte.

•ू♡ •ू♡ •ू♡

Depois dos beijos que trocamos que eu acho que estou bêbada de amor porque eu estou rindo e beijando os lábios de Yongsun igual uma. Caramba, eu estou mesmo apaixonada. Ou, eu deveria dizer… amando? 

Paramos de nos beijar e nos encontramos sentadas ainda no banco da praça, encostadas uma na outra olhando o céu estrelado. Pego na mão dela e a entrelaço na minha. 

— Qual a possibilidade de termos um relacionamento? — ela pergunta. 

Eu olho para ela.

— Acho que seria difícil. — sou sincera.

— Você não quer tentar?

— Como quero!

— Vamos?

— Acho que tenho que conhecer a nova Solar melhor antes e você conhecer a nova Moonbyul. — digo. 

Ela concorda.

— O problema é a sociedade e meus pais. Minha mãe está foda se com quem eu beijo ou transo mas meu pai parece se importar demais o que na minha opinião nada realmente nos impede de ficarmos juntas. 

— Minha mãe… Você sabe. — ela tem um semblante triste. Deus a tenha. — meu pai ele aceitaria você. Ele te ama. 

— Eu também o amo. — Sr. Kim era o pai que toda garota gostaria de ter, e eu o tinha agora como futuro sogro. 

— Eu amo você. — Sou eu quem digo, ela me olha completamente corada e surpresa. — E pra mim foda se o que eles vão pensar, se vamos ser julgadas pela nossa sociedade de merda que tem a mente retrógrada, o que realmente importa é que nosso amor seja recíproco e forte o suficiente para lidar com todo o ódio que vamos receber, e o principal: uma estar do lado da outra. 

— Você é incrível. 

E nós nos beijamos mais uma vez. Contudo, no meio do beijo nós ouvimos um assobio e eu sinto nojo. Quase me separo dela mas ela me puxa para mais perto e me beija com ainda mais vontade e óbvio que a beijo de volta na mesma intensidade. 

— Eu amo você. — Yongsun fala antes de voltar a me beijar. 

Eu acho que vou chorar de felicidade porque sério… eu nunca achei que iria ouvir isso dela e nem ao menos trocar beijos com ela na rua. 

Nos separamos e ficamos nos encarando. Seus olhos brilham e ela sorri. E eu sorrio. Sinto minhas bochechas doerem de tanto que sorri hoje. 

— Você é o meu Sol. — falo colocando seu cabelo atrás da orelha. 

Ela sorri.

— Se eu sou o Sol, você é a Lua. A minha Lua. — Yongsun responde. 

E eu a abraço de novo. 

Ali embaixo daquela árvore grande, toda enfeitada, sentadas no banco da praça em pleno inverno, nós nos beijamos pela primeira vez e falamos sobre nossos sentimentos. E prometemos não perdermos contato e por enquanto, sermos amigas que se beijam e dizem "eu te amo" uma para outra. 

E dali um ano, no mesmo lugar, quase na mesma época eu a pedi em namoro. Porque estávamos prontas para termos algo realmente sério. 

Talvez não tenha sido tão ruim ficar calada sobre meus sentimentos por 8 anos. O ruim, foi realmente, ficar longe de Yongsun por 8 anos. 

Mas no final, tudo ficou bem.
 
Eu estou amando. E estou sendo amada, e isso é o que vale no final. 

Amar.

E no fim… como uma das comparações que ela fez num dia em que saímos juntas para assistirmos um filme e na volta pra casa olhávamos o céu, ela disse: separadas nós somos Sol e Lua.

Mas juntas… Nós somos: Eclipse.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...