História Nossa Despedida - Oneshot - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Tags Gelda, Geldris, Zelda, Zeldris
Visualizações 24
Palavras 2.683
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Literatura Feminina, Magia, Mistério
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Enquanto não sai capítulo novo da outra história, eu tive essa idéia de um breve encontro entre Zeldris e Gelda antes de tudo acontecer.

Obs: o capítulo da outra história está pronto só preciso de criatividade pro final

Capítulo 1 - Eu te amo


Fanfic / Fanfiction Nossa Despedida - Oneshot - Capítulo 1 - Eu te amo

Após a traição do meu irmão Meliodas, ele se juntou com o clã  das Deusas e nós demônios vimos todas as raças contra nós. Exceto os vampiros que tornaram-se nossos aliados, por um tempo, mas, não durou muito pois eles acabaram se rebelando contra nós e não  aceitando  nossa subjugação. Obviamente a tentativa deles foi falha e meu pai tomou uma decisão que me deixou totalmente abismado. 


~.~.~.~.~.~.~


Meu pai havia acabado de me dar as ordens , eu não acreditei no que pude ouvir , minha mente de repente ficou em branco e eu só pude sentir tudo dentro de mim  desabar . Meu pai sabia muito bem que Gelda também era do clã de vampiros , e o que ela significava pra mim . Mas não pareceria querer poupar pelo menos ela , em sua mente tudo que ele queria era dar uma lição aos vampiros, que ,por sua vez não  aceitaram a idéia de serem subjugados por meu pai. Tive que manter meu semblante sério e esconder tudo que se passava dentro da minha mente.

        - Você entendeu Zeldris??- perguntou ele , com sua voz grossa e seu semblante assustador. - Elimine todo o clã dos vampiros! Malditos traidores !

        - Sim senhor! - respondi sem hesitar , o olhando com determinação. Ele assentiu satisfeito e sai pelos corredores daquele vasto castelo sombrio .
         O que eu farei? Ela é tudo que tenho , eu não vou conseguir olhar para ela e simplesmente arrancar-lhe a vida. Me deparar com seu corpo ensanguentado ficando cada vez mais frio . Por que? Por que? Por que isso tem que acontecer comigo? Por que o maldito do Meliodas teve que nos trair ?? Isso é tudo culpa dele ! Desgraçado maldito traidor como pode dar as costas para seu próprio irmão? ? Por que ele não pensou nas consequências que essa maldita rebelião podia causar ? É tudo tão fácil assim pra ele , pra ele parece tudo tão fácil.

        Eu caminhei até uma floresta escura , longe daquele castelo , longe de qualquer demônio. Me sentei em uma pedra média que ficava em baixo de uma árvore , estava de noite , uma noite escura e sem estrelas , apoiei minhas mãos em meu rosto e comecei a chorar , chorei de raiva , gritei , bati na grama alta do lugar, eu tinha que soltar tudo que estava dentro de mim .

         - MELIODAS DESGRAÇADO !!! EU TE ODEIO !! POR SUA CULPA EU...-gritei , e depois murmurei .- ...vou ter que matar a mulher que amo...- tampei minha boca e senti mais uma lágrima cair .- ...Gelda...por favor...me...





        -...me perdoe...



       Diferente do meu irmão eu sou fiel ao nosso clã , e se eu não o fizer, eu serei um traidor como ele , e os vampiros serão mortos por outras pessoas, talvez os dez mandamentos, se bem que não será lá algo tão difícil. O problema é que eu não quero que ninguém encoste nela...ninguém...
       Eu mesmo me praguejo trocentas vezes por ter que fazer isso . Eu não entendo, eu estava tão feliz, meu irmão me tornou forte e sempre foi minha fonte de inspiração, eu lutei inúmeras vezes visando voltar para Gelda vivo e sempre estar lá para protegê-la. E eu simplesmente não vou poder protegê-la de mim mesmo.

       Encarei o céu azul escuro e me levantei voltando a caminhar sem algum rumo em mente, por mais que eu já tenha chorado muito eu não sei se a ficha realmente  caiu . A Elizabeth...por que ela ? Que idiotice tremenda se apaixonar por alguém do clã das deusas , por que justo o meu irmão? Ele é um tremendo idiota.

       - Eu te odeio Meliodas. -murmuro  de cabeça baixa.

       - Odiar? Mas você sempre o admirou tanto.- de trás de mim ouvi uma voz doce e serena , a qual eu sempre almejo ouvir todas as vezes que volto de uma luta  ou até mesmo de casa. Lá estava ela , Gelda me olhou calma porém com um semblante preocupado.

     
       - G-Gelda...- ela vem até mim e me abraça na altura de seus seios afogando meu rosto lá, me deixando envergonhado.

       - Eu sinto muito Zeldris , por tudo que está acontecendo. -ela apóia a cabeça dela na minha e eu me acalmo , porém ainda triste, suspiro fundo e a abraço pela cintura.

       - Eu também...- sinto suas mãos acariciarem meus cabelos negros, me dando a melhor sensação do mundo.

       - Não devíamos ter feito aquela rebelião, era óbvio que o rei Demônio descobriria.

       - Vocês se quer pensaram nas consequências.

       - Apenas obedecemos Izraf como nosso rei que é.  Realmente não...não pensamos . - prenso mais o seu corpo ao meu . - O resultado não será nada bom não é?

     
  -Gelda...- levanto meu rosto de seu busto procurando pelo seu olhar que para minha surpresa, ou não, estava marejando . Porém ela ainda estava mantendo um sorriso, prestando atenção em tudo que digo , sinto uma de suas lágrimas descer e cair em minha bochecha e logo em seguida as enxugo. - ... meu pai mandou-me para executar o seu clã inteiro.

       Ela aperta os olhos e as lágrimas só aumentam , ouço seus soluços baixos vendo que ela mal conseguia olhar em meus olhos. Vê-la neste estado me quebrava por dentro, por que estas coisas tinham que acontecer conosco? Começo a chorar também a abraçando novamente.

       - Me desculpe Zeldris... isso era tudo o que eu menos queria.

       - Eu também não queria nada disso.

       - Merecemos isso. - ela refere-se a ela e seu clã.

       - Não não diga isso. - enxugo meus olhos.

       - Sabíamos muito bem o que estávamos fazendo ou era o que pensávamos . E agora teremos que morrer , é justo.

      - Você não merece este tipo de destino.

      - Eu sempre estive ao lado deles , são a minha família. Desta vez não foi diferente.

      - Na minha família só há infelizes , principalmente eu .

      - Nada disso você é corajoso. - ela se abaixa e pega a espada que estava em minha cintura. Sem entender nada a vejo  colocar a lâmina da espada em seu próprio pescoço e direcionar o cabo a mim para que eu segurasse. .- Então nos livrei-nos de mais sofrimento, por favor Zeldris... me mate . Comece por mim.

       A encaro perplexo , por mais que esta seja minha missão eu não consigo, eu não posso tirar sua vida Gelda . Simplesmente saber que você não fará mais parte da minha vida me dói demais. Pego a espada de suas mãos e a guardo em minha cintura novamente.

      - Não...- viro meu rosto para outro lado.

     - Faça logo , ou eu mesma farei.

     - Eu não lhe desejo a morte Gelda , é a última coisa que quero . Você é tudo para mim , você é mais preciosa do que tudo que eu já tive ou tenho .

     - Você também  Zeldris, mas se não fizer... o pior sobrará para ti.

     - É a última coisa na qual quero pensar hoje. Por favor , deixemos isso pra lá. - ela me encara meio cabisbaixa mas assenti .- Deve ter algum jeito de resolver as coisas .

     - Eu duvido. - ficamos em silêncio por alguns segundos, tudo aquilo mexia conosco de forma ruim , deixar para lá talvez seja uma boa opção por enquanto.

 
        Quebra de tempo


   Após aquilo Gelda propôs que fossemos para o castelo de Thiatany , era um lugar antigo porém ainda imobiliado . Não se encontrava em maus estados e costumávamos usar aquele lugar para evitar olhares e ficarmos sozinhos. Apenas para aproveitar a companhia um do outro , não íamos nada além de beijos ou coisas do tipo .
   Eu não sou atrevido e evito falar coisas do tipo com ela , eu a respeito apesar de sentir meu desejo por ela crescer cada dia mais.  Me sinto um pouco desconfortável com esse assunto mas não nego a mim mesmo que ela é a única que mexe com meus desejos.

    Ela estava preparando um chá e eu apenas olhava o local ao meu redor ,havia alguns móveis desgastos  mas nada que fosse quebrar . Eu e a minha Gelda trocávamos alguns olhares desconfortáveis e tristes e nos mantínhamos calados , até certo momento :

    - Está pronto. - ela põe duas xícaras de porcelana sobre a mesa de vidro e madeira e nos serve .

    - Obrigado.

    - Chá relaxa .

    - O de Cusack é horrível. Aquilo claramente não é relaxante . - ela dá um riso soprado .

    - Deveria ser grato a ele , ele se importa contigo.

    - C-certo.- dou o último gole e coloco a xícara sobre a mesa. Ela me olha de um jeito profundo, do qual não consigo decifrar .

    - Você é um garoto teimoso e difícil. - ela alisa meu rosto com a palma da mão. - Não sei como consegui entrar aqui .-aponta para um de meus corações. Nos levantamos das cadeiras, agarro sua cintura e aproximo nossos rostos.
        

Você é a única que mexe comigo de todas as formas possíveis. - ela sorri e invade minha boca com sua língua repleta de voracidade como sempre faz . Eu a retribuo na mesma intensidade colocando minhas mãos sobre sua cintura , porém o jeito do qual ela me beija era totalmente diferente, parecia mais violenta , abria meus olhos vez ou outra para olhar sua expressão rubra.

    - Zeldris...- ela se aproxima de meu ouvido e sussurra me fazendo arrepiar . - ...me faça sua...- me afasto um pouco dela.

    - Não posso tirar sua pureza desta maneira.

    - Eu não me importo. - acaricio o seu rosto.

    - Eu gostaria que isso acontecesse de maneira diferente para nós dois, não que acabasse tudo assim.

    - Então considere-a como nossa primeira e última vez,  serei punida de qualquer modo e não há mais conserto , não posso mais escapar da morte. Então deixe marcado em mim o quanto me ama , e que eu vá inteiramente sabendo que fui sua .- minhas bochechas estavam muito vermelhas e eu não conseguia proferir uma palavra sequer .- Zeldris? ?

      - E-eu...- viro o rosto de lado assumindo uma feição séria. -...se...s-serei seu também. - ela ri soprado da minha expressão envergonhada e se aproxima de mim novamente , a puxo pela cintura e começamos a nos beijar novamente. O sabor da boca dela muda constantemente , às vezes seu beijo é bem doce , outras , é possível sentir o gosto do sangue do qual minha vampira toma .- Vem .- paro o beijo. - Vamos achar um lugar mais adequado. -ela sorri e assenti.
   



          ~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~


       Fomos para um dos cômodos acima , estava tudo arrumado já que eu e Gelda passávamos parte do nosso tempo juntos ali . Caminhei com ela a beijando e a coloquei devagar na cama , fui até seu pescoço e o beijei , beijei bastante, mordi a ouvindo arfar alto e em seguida chupei. Fiz com que ela sentisse minha respiração perto do seu ouvido e mordi seu lóbulo da orelha.

       - Você sempre me deixou louco assim. - murmuro em seu ouvido.
  
       - Aproveite-mos isto então. - ela se vira me fazendo ficar por baixo , ela se remexe um pouco em cima de mim me fazendo arfar alto.

        - N-não faz isso...- suspiro com os olhos fechados. Do mesmo jeito ela continua a fazer ,de trás para frente me tirando gemidos roucos. Ela ergue meus braços e começa a retirar minha blusa e  joga minha espada contra o chão. Alisa meu peitoral e começa a distribuir beijos e  mordidinhas de baixo para cima até chegar em meu pescoço , sinto as presas dela saltarem e ela as alisar em meu pescoço, as penetrando logo em seguida me fazendo grunhir.

       Ela às tira depressa para não me surtir um efeito ruim . Sinto o sangue escorrer pelo meu pescoço e ela a lamber os lábios e os dedos me olhando provocativa .

        - Vire-se.- ordeno e ela obedece se virando. Começo a desabotoar seu longo vestido cheio e volumoso que dá destaque aos seios e lhe cai muito bem. Ao retirá-lo  vejo seus ombros desnudos em minha frente e os ataco assim como ela fez comigo. Passo minha língua dos ombros até o pescoço e dou-lhe um beijo no local.

       - Zel...- ela geme baixo.

    Tiro o restante de sua roupa e a tenho nua em minha frente, exceto pelo pano delicado que cobria a intimidade dela .

       - Vem , deita aqui. - ela volta para o centro da cama e eu a deito tendo a visão completa de seu corpo que sempre andava coberto por seus vestidos longos e delicados. Retiro o resto da minha minha roupa e em seguida aquele pequeno pedaço de pano dela.

       Começo a beijar seu pescoço descontroladamente, chupando e mordendo cheio de desejo por ela . Ela emitia sons altos entre aquelas grandes quatro paredes. Massageava seus bustos e via seu rosto ficar totalmente vermelho desci a boca para aquele local e chupei e mordisquei seus bustos e ela gemia descontroladamente. 

        
       Desci uma de suas mãos para sua intimidade e a estimulei e ela variava em suas expressões de prazer me deixando levemente curioso. Eu nunca havia feito isso na minha vida, e saber que todo prazer que estou dando a ela faz com que eu me sinta satisfeito.

       - E-eu vou fazê-lo...

       - Certo.- ela fecha os olhos e suspira .

       - Me avise se doer.

 
       Suspiro também e me posiciono , a invadindo devagar . Lentamente fui me colocando dentro dela e ela fazia expressões de dor e gemia alto franzindo o rosto . Apertou minhas costas  com força quando havia começado a me mover dentro dela . Eu tentei ir o mais devagar possível no começo mas não consegui me controlar,  queria sentí-la mais que tudo,  demonstrar a ela meu amor de todas as formas.
       Ia e voltava , num vai-e-vem descontroladamente . Eu delirava de prazer em seu ouvido repetindo palavras aleatórias e confusas mas ao mesmo tempo dizendo a ela o quanto eu  a amava.

       - Te amo...te amo...te amo muito Gelda.- gemo baixo em seu ouvido sentindo o suor em meu rosto.

       - Também te amo...Z-Zeldris Anw...
   
     10,20,30,40 e chegamos ao nosso limite. Me deitei em seu peito ofegante e ela também, procurei por sua boca a qual me recebeu com vislumbre felicidade e amor. Nos beijamos com amor e desejo , tudo que eu queria era que esse momento durasse para sempre . Que eu não tivesse que te perder...eu não queria nada disso.
     Me lembrei da proposta que Meliodas havia me feito. Ele me propôs fugir com ele e a Deusa para longe dali . Obviamente recusei, eu não colocaria Gelda em perigo em hipótese alguma.


       - Não importa o que aconteça, eu sempre estarei contigo. - ela me abraça contra ela e  eu abraço também. Não disse nada, apenas aproveitei aquele abraço, aqueles seus beijos, seus toques .




   Pra mim cada segundo vale...






        Quebra de tempo





      - Maldito filho do Rei dos Demônios!  O que fez conosco? O que faz aqui ? - braveja Izraf.

       - Vim fazê-los pagar por se oporem ao Rei . Como punição, vocês entregaram suas vidas sem hesitar .

       - Maldito.- todos os vampiros estavam presos em volta de uma barreira que eu havia criado e que os cercava. Me aproximei de todos eles , e me deparei com Gelda , ela me olhava com um sorriso no rosto visivelmente aguardando que eu chegasse mais perto. Naquela hora eu não soube o que fazer a não ser tocar na barreira e deixar que lágrimas caíssem, de cabeça baixa e soluçando, digo:

       




       - Perdão pai...eu não posso...- com movimentos começo a conjurar uma magia de selamento , não os matando mas , simplesmente os prendessem lá. Encosto minha mão na de Gelda . - Vamos nos ver de novo...eu prometo... meu  amor...
       

       



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...