1. Spirit Fanfics >
  2. Nossa História - SasuSaku >
  3. Reencontro

História Nossa História - SasuSaku - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Bom, inspiração é algo que tem me faltado esses dias, sabe mesmo em quarentena minha professora resolveu passar dever pelo Whatsapp, o que complicou, por que todos os outros professores foram na vibe dela, além do que meus outros cursos resolveram fazer o mesmo.
Esse capítulo foi o que podemos chamar de meu ultimo fio de criatividade, pensei que talvez por conta do tempo sem aula e curso ia dar pra postar mais frequentemente, to tentando mais ta meio difícil, mas sem desânimo. Tentei fazer esse capítulo com menos drama e também com um toque mais engraçado do que o nornal, também cortei algumas partes pra não ficar tão longo quanto os outros.
Espero que gostem.

Capítulo 12 - Reencontro


Fanfic / Fanfiction Nossa História - SasuSaku - Capítulo 12 - Reencontro

     Aquele garoto de cabelos negros, assim como seus olhos, dono do moletom que ela vestia, aquele garoto ali na sua frente, ela queria que fosse verdade, torcia pra não ser apenas um sonho ou outra alucinação.

       - Sasuke... - Ela dizia andando em direção à ele.

       - Primeiro e único, Haruno. - Dizia com um sorriso meio trêmulo.

       - Eu me vejo sendo padrinho desses dois. - O Uzumaki dizia baixo rindo enquanto escolhia algo do cardápio.

     Naquele momento Sakura não sabia o que sentir, Sasuke imaginava que ela estaria assim, mas entre tantas sentimentos e emoções o ultimo que passava na mente da Haruno era raiva.

        - É você mesmo? Não está brincando comigo? Não estou alucinando? Sonhando? Esta realmente aqui? Como? Quando? Por que? - Ela o bombardiava de perguntas em meio a finas lágrimas que se formavam.

        - Muitas perguntas Sakura, calma. - Ele sorria. - Esse é o meu moletom? - Ele apontava para a vestimenta.

        - Sasuke. - Ela o abraçou, desejava que o tempo parasse ali naquele momento, onde ela podia se sentir feliz e confortável sem ter que pensar no amanhã.

      O Moreno retibuia o abraço se sentindo aliviado por saber que Sakura não o odiava por estar ali, ele pensava que se ela o visse lá em um momento tão trágico como esse em que ela havia acabado de se tornar órfã, ele seria a ultima pessoa no mundo em que ela iria querer ver, talvez fosse uma paranóia besta de sua cabeça. Ele retribuiu o abraço acariciando os fios róseos com o braço que estava livre.

       - Hei Uchiha. - Naruto dizia se aproximando com um milk-shake na mão. - Fez uma longa viagem só pra ver a Sakura-chan, o amor vence distâncias, Dattebayo. - O Uzumaki dizia ao passo que via um sorriso se formar no rosto do Uchiha.

       - Oi pra você também Uzumaki, sim eu to muito bem, obrigado por perguntar. - Ele disse em tom de piada.

     Sakura encarava Sasuke ainda se perguntado quanto tempo iria demorar para aquele momento virar um pesadelo, afinal de contas não é todo dia que a pessoa com quem você esta em um "relacionamento" aparece em outro país apenas para te consolar, para ela a ficha ainda não tinha caído.

       Aquele vínculo que eles tinham era algo inexplicável, Sasuke não sabia o que era, ele não tinha ideia se ele deveria estar lá, pela reação dela parecia que sim, isso fazia aquele nó na garganta sumir e seu coração não passava mais por um grande aperto.

      - Okay, eu suponho que vocês dois tem muito a conversar. - O Loiro já imaginava que eles iriam ir a casa em que Sasuke estava hospedado, que ele teria que ficar enrolando e ir para casa na mesma hora que Sakura e seus pais não desconfiassem.

       - Acho que sim. - Sasuke falava com um pouco de receio, já que Sakura estava em silêncio a alguns momentos, o que conseguia ser reconfortante e desconfortante ao mesmo tempo.

      - Naruto, avisa pros seus pais que eu vou chegar tarde. - Finalmente dizendo algo a Rosada puxa a mão de Sasuke em direção a saída da lanchonete, Naruto fica confuso mais apenas toma seu milk-shake.

       - Já devia saber que isso ia acontecer. - O loiro diz voltando para o seu assento, pensando na sua bela garota de olhos claros e cabelo azulado. - Eu queria minha Hina aqui. - Ele diz fazendo bico. - Acho que agora somos só eu e você milk-shake. E ai como anda a vida?

      Sakura vai para fora com Sasuke sem o olhar nos olhos.

        - Sakura? Tudo bem? - Ele tentava encontrar aquelas esferas esmeraldas em algum lugar mais ela evitava. - Acho que me equivoquei, deveria mesmo ter ficado no Japão. - Ele diz baixando a cabeça e colocando as mãos no bolso do moletom que ele usava.  - Não Sasuke. - Ela passa a suave não no rosto dele. - Eu apenas estou surpresa, não esperava te ver aqui.

   - Eu também não, mas é uma longa história que eu prefiro te contar em casa.

       - Quem me dera poder voltar para casa mesmo. - Ela dizia entristecida.

       - Vamos entrar então. - Ele abria a porta do carro pra ela.

     O Uchiha entrou no carro e deu partida, Sakura olhava para fora, observava as pessoas, os lugares, da mesma maneira que tinha feito na noite passada, quando chegará de sua viagem de tempo inderteminado.

      Suas pálpebras pesaram, Sakura aperentava estar bem, parecia estar suportando tudo isso, parecia que já tinha se conformado, porém só ela sabia o que estava passando. De manhã e a tarde com Naruto não queria demonstrar tristeza, ela se sabia que se ele soubesse ia dizer que ela estava em seu direito de se sentir mal, mas não era isso que ela queria, não queria que ninguém se preocupasse, queria mostrar que era forte, mas ela estava desabando aos poucos.

      Prendendo as mãos em seus joelhos, sem olhar para o Uchiha, ela deixava silenciosas lágrimas caírem. O garoto que dirigia atento na estrada, olhava para Sakura e via que ela estava a chorar.

       - Ei Rosada, pode chorar, ou se preferir pode sorrir, pode até me estapear, eu to aqui pra isso. - Ele disse colocando a mão em cima da dele que parecia estar menos tensa ao toque dele.

      - Sabe, acho que no aeroporto com você, foi meu ultimo momento feliz de verdade, quero dizer é otimo está com Naruto e seus pais, mas eles fazem tanto por mim que acho que eu devia estar feliz... - Ela fungou. - Eu não sei mais o que fazer! - Desatou a chorar

      Sasuke queria poder soltar a droga do volante e abraçar Sakura como se fosse seu ultimo momento com ela, como se fosse sua ultima chance de ser feliz com quem realmente amava desde de sempre.

        - Se soltar esse volante e nós batermos em alguma coisa posso dizer que foi culpa sua? - Ele riu, ela olhou para ele com seus belos olhos verdes, com cabelo grudado na cara por conta das lágrimas que manchavam seu rosto e assenti com a cabeça.

        - Não me importo de sofrer um acidente, se eu puder ficar nos seus braços. - Abriu um trêmulo, porém verdadeiro sorriso, Sasuke corou levemente.

      O silêncio voltou a reinar, estavam próximos a casa, Sasuke viu que Sakura havia enfim cessado seu choro.

        - Quase enlouqueci por culpa sua.

        - Minha? Por quê? - Sakura perguntava com a voz falhada.

        - Ainda pergunta, Sakura acho que esse é de verdade um assunto pra conversamos sentados, com chocolate quente.

        - O meu pode ter marshmellows?

        - Quantos quiser sua gulosa. - Ela riu.

     Dizem que é mais fácil perder uma amizade do que ter um amor de infância correspondido, Sakura pensava isso até alguns dias atrás, mas como o destino gosta de brincar com a nossa vida, ela nunca pensou que poderia ser eleita presidente, também não pensou que seu vice seria Sasuke, jamais lhe passaria a mente que o mesmo garoto iria corresponder seus sentimentos de infância que jamais foram apagados de seu coração, novamente brincando com sua vida o destino pega toda essa alegria e transforma em perda e logo mais lhe trás a alegria de volta, sua vida parecia uma gangorra com duas crianças inquietas, mais no final a vida de todo mundo é feita de altos e baixos, só que a de Sakura continuaria nessa sem parar nos altos ou baixos nem por um instante, os acontecimentos vieram sem nem deixar a garota dos cabelos róseos respirar.

       Já dentro da casa, Haruno andava a frente e o Moreno observava o moletom com o símbolo de sua família nas costas da Haruno, Isso lhe fez abrir um sorriso de canto.

        - O moletom combina com você. - Ele disse andando lado a lado com ela. - Especialmente o símbolo. - Passou o braço pelo ombro dela a usando como uma espécie de encosto.

       - Também acho. - Ela sorriu, até pensou "Sakura Uchiha, pega bem." - Seus pais não vieram com você?

       - O certo seria eu vim com eles, mais não, hoje decidiram sair, aproveitar, bem responsável, deixar um adolescente sozinho em um país desconhecido sem saber falar a língua direito.

        - Bom, você não tá mais sozinho, além do que conheço o lugar com a palma da mão e também você ta com uma pessoa que fala fluentemente cinco idiomas.

         - Como tem tempo para viver? - Ele sentou em um sofá já na sala. - Você teve tempo de aprender cinco idiomas, artes marciais, quer ser médica, tem uma memória fotográfica impressionante, faz trezentos cursos e ainda tem tempo para aprender a cozinhar, sem contar que agora é presidente. - Sasuke sempre se supreendia com Sakura, ela era uma garota de génio forte, com personalidade e determinada em seus objetivos.

        - Bom, o mandarim e a minha língua nativa, eu tive que aprender japonês pra me mudar pro Japão, o inglês é a lingua básica, francês e português eu quis aprender apenas por interesse. - Ela falava como se fosse a coisa mais simples do mundo o que deixava o Uchiha boquiaberto. - Aprender a cozinhar foi uma questão de sobrevivência.  Os cursos, quando se acostuma a rotina já é básica. Artes marciais é defesa então, acho que tudo isso também é necessário pra profissão que eu escolhi.

       - Quem me dera ter toda essa sua força de vontade, eu apenas tive sorte de nascer numa família rica que sempre mimou e só. - Ele dizia cruzando as pernas, Haruno se aproximava.

         - Não é só, você é inteligente e muito confiante, você também tem foco, e o que eu mais admiro em você Sasuke Uchiha é essa sua vontade de fogo de conseguir o que quer, ser ambicioso não é para qualquer um. - A Rosada dizia se entrelaçando nos braços do Uchiha que estava sentado num sofá de veludo, ao passo que lhe dava um beijo a casa qualidade que ela via nele.

        - Sakura Haruno você me deixa louco. - Ele a puxou para mais perto de si, encostou seu nariz no dela, eles sorriam como duas crianças apaixonadas e tudo que há de trágico no mundo se extinguia. - Vamos subir?

        - Claro. - Ela levantava do colo dele, teriam ao menos duas horas, pra conversar e acho que qualquer um imaginaria o que viria depois do bate-papo. - Não precisa me carregar desta vez.

        - Nem se eu quisesse, eu quase morro sozinho subindo esse inferno de degraus. - Ele dizia rindo, Haruno também sorria, porém um sorriso meio fraco e sem gosto, não demonstrava ser falso mais também não demonstrava ser feliz, nem ela mesma entendia o que passava em sua mente.

      Já no quarto, o casal estava debaixo de cobertas um agarrado no outro, Sakura estava deitada usando o braço de Sasuke como travesseiro. O Moreno a acariciava como se temendo que ela fosse quebrar, em um momento de paz e conforto dos dois nada poderia atrapalhar.

        - É supreendente, não é? - Haruno dizia caminhando com os dedod pelo tronco do Uchiha.

        - O que?

        - Isso tudo, nossos pais serem amigos de infância, o fato disso tudo acontecer. Tipo todos esses acontecimentos um seguido do outro. É inexplicavelmente supreendente.

        - Quem sabe é destino ou coisa do tipo.

        - Sei bem que não acredita nisso de destino. - Haruno dizia se pondo a frente do Uchiha.

        - E você? Acredita que tudo o que aconteceu pra estarmos onde estamos foi destino? - O Moreno dizia, a cada palavra com um ritmo mais lento enquanto puxava o corpo seminu de Sakura para perto.

       - Eu... - Sakura foi interrompida por um abrir de portas no primeiro andar. - Seus pais chegaram?

       - Não sei, fica aqui eu vou ver.

       - Mãe! Pai! Sasuke! - A voz de Itachi ecoava pela casa assustando o jovem casal, ao mesmo tempo que os aliviava por não serem o Sr. e a Sra.Uchiha, bom de fato eram, mais de outro modo.

    Sakura espantada se cobria abaixo das corbertas, Sasuke ouvia os passos de Itachi proximos ao quarto.

       - Eles devem ter saido Itachi. - Ele ouvia a voz de Izumi ainda mais próxima.

       - Sasuke? Sair? Faça-me rir, ele deve estar dormindo em algum lugar, ou apenas não quer nos responder. Sasuke Uchiha me responda!

       Ainda na cama Sasuke não sabia reagir, estava tão pasmo, não por ele, Itachi já havia pegado ele nessas situações, várias vezes eles riam depois, mas já Sakura podia não achar engraçado.

       - Devem estar aqui então. - Itachi abriu a porta, nesse momento Sasuke olhava pra Sakura que se escondia abaixo das cobertas.

       - Sai daqui Itachi! - Sasuke gritou arremessando a camisa que estava no criado-mudo ao lado da cama, antes que a porta se abrisse por completo.

       - Olha só eu achei, posso entrar?

       - Não! Eu to pelado, mete o pé daqui!

       - Como se não tivesse te visto nu várias vezes quando era bebê. - Izumi dizia, Itachi ria disfarçadamente. - Tava assistindo um pornô Sasuke? Desistiu da sua namoradinha e resolveu se aliviar da tensão? - Izumi caia aos risos, ela amava deixar outras pessoas desconfortáveis.

       - Controla a sua esposa louca!

       - Eles não vão entrar aqui, né? - A Rosada, corada como um tomate, esperava que não.

       - Vou vestir um calção e botar eles pra correrem daqui.

      Sasuke levantou e pegou o primeiro calção que viu em sua mala, bom não o primeiro já que seu chamativo calção de corações estava lá, foi até a porta.

       - Eu trouxe hambúrguer, desce e a gente come.

       - Não obrigado, são 18:30 quem como hambúrguer uma hora dessas? Esqueceu que vamos em um restaurante? Some logo.

       - Bom, eu vou ter que ficar já que vamos ir pra um restaurante mais tarde e papai insistiu que eu chegasse mais cedo, provavelmente pra tomar conta de você, por isso ele não falou que ia sair.

- Não sou uma criança. Ele pensou que eu ia botar fogo na casa?

- Já fez isso uma vez no Havaí, não duvido que não faria de novo. - Sasuke fazia cara de emburrado, queria poder usar algum argumento pra se defender mais não queria estender a conversa.

       - Tanta insistência pra não deixar a gente entrar, tu tava nu, porém aposto que o banheiro ta seco sem vestígios de banho, suspeito. - A cunhada tarada de Sasuke ria, os dois Uchihas estavam meio constrangidos, enquanto Sakura se continha pra não rir, já estava acostumada com piadinhas desse tipo, já que era amiga de Ino ela tinha que se acostumar.

       - E-eu tava no banho sim, não que seja da sua conta.

       - Com esse cabelo seco, me engana que eu gosto cunhado. Vou descendo amor. - Ela beijou o Uchiha mais velho e bagunçou o cabelo de Sasuke.

       - Tinha outra esposa pra arranjar não? Preferia o Shisui. - Itachi olhava custando entender, assim que a ficha caiu ele começou a rir.

       - Infelizmente não posso dizer o mesmo de você e Naruto já que prefiro a Haruno, ela é menos escandalosa. - Sakura não sabia se sentia ofendida ou grata pelo elogio.

       - O beijo foi um acidente! - Foi a gota da água a Haruno não aguentava.

       - Aham tá, vou fingir que acredito, vou descer lá pra sala, a Izumi come seu hambúrguer.

    Lá dentro do quarto Sakura se vestia, soltando algumas risadas o mais baixo possível pra não ser notada, Sasuke voltava para o quarto viu Sakura quase toda vestida faltando apenas o moletom que ela usava a já três dias seguidos.

- Acha melhor ir embora Haruno?

- Bom. - Ela vestia o moletom e mordia os lábios. - Você vai sair, eu tenho que voltar pra casa, Minato e Kushina devem querer sair hoje também, provavelmente um sushi bar. Além do que é melhor não correr riscos, ainda mais com a Ino segunda aqui e também...

- Tudo o que eu ouço são desculpas, cansou de mim Haruno foi? - Disse se sentando na cama.

- Quem sabe. - Ela riu sentando em seu colo e o beijando. - Infelizmente eu tenho que ir.

- Okay Haruno, agora como vamos te tirar daqui sem sermos vistos?

- Quantos lençois tem ai? Qual é a altura da janela? - Ela dizia rindo. - Sempre quis fugir por uma janela com um lençol amarrado em algum lugar.

- Quem sabe outro dia, hoje eu não to afim de morrer.

- Chato. - Ela mostrou a língua.

- O chato aqui ta salvando sua vida, agora da licença pra que eu possa me trocar.

Sasuke veste uma roupa casual mesmo, sai discretamente com Haruno do lado, eles olham a todo instante se não tem ninguém, Sakura ria como uma criança.

- Não consegui pular a janela, mas ao menos ganhei uma aventura de espião. - Ela dizia em um tom alto o suficiente para ouvirem eles da sala.

- Então tá agente cereja, sua missão é fazer o mínimo de barulho possivel. Obrigado. - Sasuke dizia sinico.

- Ta bom agente emburrado. - Dizia susurrando, Sasuke olhava com sua mesma cara de sempre.

Os dois chegaram na cozinha por onde iam sair, Sakura olha pra trás e vê a silhueta de alguém.

- Rápido Sasuke.

- Não me apressa, olha a quantidade de chave. - Dizia procurando a certa. - Abriu! - Disse exaltado.

- Sasuke? - Itachi chegava a cozinha com um balde de pipoca nas mãos. - Sakura? - A reação de Sakura foi mandar um gesto de oo com a mão, Sasuke se auto estapeou.


Notas Finais


Mais é claro que algo ia dar errado pra esses dois, na verdade é difícil algo dar certo, ao menos alguém saiu ganhando, Izumi ganhou um hambúrguer.
Se bem que Sasuke e Sakura também saíram ganhando, Sasuke pode ter certeza de que Sakura o queria com ela, enquanto a Haruno teve com quem desabafar.
Claro que agora a complicação é outra, Izumi pode fazer dramas e piadinhas, Itachi pode querer convidar Sakura pra um chá e fofocar da vida de Sasuke, enquanto aos Uzumaki que não sabem onde está Sakura, tudo isso e muito mais você vê amanhã no jornal hoje.
(Foi mal pela piada, necessitei)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...