História Nossa História - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Beemo "BMO", Finn, Jake, Lady Íris, Litch, Marceline, Mordomo Menta, Princesa De Fogo, Princesa Jujuba
Tags Ação, Adventure Time, Batata Frita, Bubbline, Cartoon, Desenhos, Hentai, Hora De Aventura, Inferno, Jujuba, Lutas, Marceline, Ooo, Sexo
Visualizações 94
Palavras 2.463
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Fantasia, Fluffy, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Demorou? Demorou!
Mas saiu!

Lembra aquele hot que eu fiquei devendo? u.u ENTÃO GENTE, TA AE SEUS LINDOS E LINDAS <3

NÃO ESQUEÇAM DE LER AS NOTAS FINAIS!

Capítulo 11 - EXTRA - Antes da ida


Fanfic / Fanfiction Nossa História - Capítulo 11 - EXTRA - Antes da ida

A vampira e a princesa doce acabaram por perder a noção do tempo enquanto conversavam pela madrugada, mas pelo que Marcy poderia calcular (ela conhecia bem a noite), eram por volta de três da manhã. Ela estava sentada na janela do quarto de sua amada princesa, enquanto Bonnie estava jogada em sua cama, com a expressão sonolenta.

"Altamente estuprável." - pensava a vampira, enquanto dava um meio-sorriso, seus pensamentos insistindo em tomar um rumo diferente da agradável conversa que estavam tendo naquele momento. De toda forma, já era mais do que hora de partir, ela precisava contar para Bonnie. Era mais digno do que simplesmente desaparecer, afinal, nem ela mesma sabia se voltaria.

- Bonnie...

Marcy faz uma pausa mais longa que o necessário ao ver o olhar sonolento da princesa doce se prender ao seu, como quem se esforçava para se manter acordada e quase perdendo essa luta. Bonnie, por outro lado, podia sentir que o tom da vampira havia mudado, e acaba por sentar na cama numa tentativa de permanecer consciente.

- O que? - a princesa perguntava com certo receio, ela conhecia bem a amada e sabia que algo não ia bem.

- Eu preciso voltar agora e eu ficarei um bom tempo pela Noitosfera. Vou precisar lutar e não sei se irei retornar com vida, mas eu preciso lutar. Minha imortalidade está em jogo e, bem, você entende como as vezes precisamos dar a alma para algo.

A última parte soava como um deboche por Bonnie escolher o reino doce ao invés de seu relacionamento com a vampira. Bonnie ia fazer menção de levantar e tentar discutir, mas Marcy flutua até a mesma, parando com o rosto a centímetros do rosto da princesa.

- Nem ouse discutir sobre isso. Não há o que discutir.

Isso faz com que Bonnie engula por hora tudo o que estava prestes a dizer. Em sua mente, ela já podia imaginar Marcy morta (se é que isso era possível), com espadas cravas no abdomên e dezenas de mostros ao seu redor. Ela se encolhe com o pensamento e sente o peito apertar. Marcy põe os pés no chão e beija a testa de Bonnie, um beijo fofo e cheio de carinho e amor.

- Não se preocupe tanto. Se eu morrer me faça uma homenagem decente. -  a vampira brinca, tentando quebrar o clima de tensão pela "notícia".

- ISSO NÃO TEM GRAÇA, MARCELINE! - a princesa grita em resposta - POR FAVOR, NÃO VAI!

O olhar de Bonnie era de súplica e, cara, isso destruía o coração de Marcy, mas ela não poderia ignorar aquela guerra.

- Eu não posso...

A vampira responde, por fim, enquanto Bonnie se agarrava a sua camiseta xadrez, como se aquilo fosse impedi-la de ir. Marcy tira com cuidados as mãos rosadas de sua roupa e beija as costas da mão de sua amada, erguendo o olhar de forma que fazia o corpo de Bonnie tremer.

- Preciso ir.

Marcy simplesmente dá as costas e iria flutuar para fora do quarto e para fora do Reino Doce, até que sente as mãos de Bonnie envolverem seu corpo em um abraço, um abraço quente e carinhoso como basicamente nunca dera em ninguém, era tão fofo e amável que fez Marcy apenas encostar seus pés no chão e sorrir para a mesma, passando os longos dedos cinzentos pelos cabelos rosados e sedosos de Bonnie, que parecia querer segurar o choro naquela altura do campeonato.

- Você não precisa ficar assim – a vampira dava de ombros se afastando um pouco da rosada. – Como pode ser tão.... tão... tão egoísta?

Marceline colocava uma mão sob o rosto jogando os cabelos para trás e suspirava como quem estava exausta, ela já não entendia o que estava realmente rolando , apensa ficava triste por deixar sua amada.

- Eu não sei ... – suspirava Jujuba – apenas sou assim quando se trata de você

- Eu te odeio...- Marceline dizia baixo e arrastado, se aproximando da princesa.

Antes que Bonnie pudesse responder qualquer coisa, Marcy selava seus lábios em um beijo quente, apenas os encostando calmamente, fazendo Jujuba dar alguns paços para trás. Elas andavam lentamente enquanto uma mão de Marceline vai para a nuca da rosada a pegando de modo gostoso, a sucumbida língua de demônio entrava lentamente em sua boca e Jujuba não resistia, apenas dando passagem para aquele delicioso e sexy beijo provocante.
Elas batiam contra a beirada da cama e caíam com a vampira por cima, o beijo se separa por um momento e elas se olhavam seriamente como quem queria dizer algo, porém as palavras eram trocadas pelos beijos molhados no pescoço.

Marceline chegava beijando lentamente o pescoço de Jujuba, dando leves mordidas que espetavam o pescoço de sua amada que arfava baixinho, as mãos de Bonnie já estavam sob os cabelos de Marcy a puxando para baixo lentamente, como quem queria direcionar a boca da amada em outro lugar.
Como assim pedido, Marceline ia descendo os beijos lentamente, puxando a camisa preta que Bonnie usava e a arrancava sem o mínimo cuidado, olhando para os grandes seios de biquinhos rígidos, o que a fazia sorrir, a quanto tempo ela não via Jujuba naquela situação? Estava tão vulnerável, as rosadas e delicadas mãos estavam a cima da cabeça, as pernas abertas dando espaço para a vampira em seu meio e usando apenas uma calcinha, com a respiração totalmente ofegante e excitada, suas bochechas estava coradas e sua boca meio aberta, ela quase implorava para ser fodida.

- Para de me olhar... – Sussurrava Bonnie virando o rosto, ao perceber os vermelhos olhos de demônio a observando  - É vergonhoso pra mim...

- Ora, quantas vezes já não vi? – os lábios da vampira subiam para a orelha de Jujuba – Quantas vezes já não escutei você me implorando para...

Marcy permanecia sussurrando algumas besteiras no ouvido da princesa e levava uma de suas mãos até um dos seios da mesma, dando leves beliscadas no bico e puxando, fazendo assim a rosada gemer e apertar as pernas, Jujuba pulsava, sua intimidade já escorria e chegava a doer de tanto tesão que sentia na voz da morena, que vez ou outra dava mordidinhas em sua orelha, apenas lhe provocando.
Marceline permanecia agora com as duas mãos nos grandes seios da princesa os massageando, enquanto jujuba desce a mão para dentro de sua própria calcinha e sente seus dedos ficarem melados, ela já não aguentava aquela tortura e começava a se masturbar de modo gostoso e excitado, massageando seu clitóris e gemendo fino e gostoso no ouvido de Marceline, sem demoras, a vampira tira a mão de Bonnie dali e troca pela sua, enfiando apenas a pontinha de um de seus dedos e fazendo movimentos lentos sem entrar na rosada, junto ao polegar que tocava o clitóris inchado e melado.

A boca de Marceline fazia um caminho lento e gostoso pela clavícula de Bonnie e ia descendo por entre os seios, sem demorar abocanha o mamilo de um dos mesmos o sugando lentamente, colocando entre os dentes e dado uma pequena mordiscada, sem força, apenas para provocar.

- M-Marcy... – Dizia Jujuba excitada gaguejando por entre os gemidos - Assim vai me fazer gozar...

- Não vai gozar tão cedo – sorria a vampira enfiando diretamente dois dedos na rosada, apenas uma única vez e os tirando.

Marceline se afastava e levantava da cama, puxando a cadeira do quarto e se sentando na mesma de braços cruzados, olhando fixamente para Bonnie que estava deitada a encarando, com uma expressão totalmente puta, quase desacreditando que a morena tinha parado quando ela estava quase gozando.
Jujuba se senta na cama ainda de pernas abertas e coloca um dedo sob o lábio inferior, com um sorriso estampado no rosto, a mesma se levanta tirando a calcinha e a colocando de lado, assim que se aproxima da vampira, senta em seu colo e rebola lentamente o quadril, pegava nos longos e negros cabelos da morena e os puxava de modo violento, mordendo apenas o lábio inferior da mesma, sem quebrar o olha que as mantinha em um transe excitante.

Marcy levava as mãos para a bunda de Jujuba e crava as unhas ali apertando com violência fazendo com que a rosada rebole gemendo baixo, os delicados dedos desciam pela camisa xadrez de Marceline e abriam os botões da mesma, mostrando o sutiã de rendas preto que ressaltava a pele pálida da vampira, sem nem se quer avisar, Bonnie dá um beijinho em sua amada e desce os beijos que virão chupões para os seios de Marcy, que geme de dor ao sentir uma mordidinha no mamilo.

- Merda Bonnie...- Ela dizia erguendo a cabeça e sentindo os dedos da rosada descerem para dentro de sua calça.

Bonnie entrava na calcinha de Marcy e sorria de modo malicioso ao sentir seus dedos totalmente melados, parecia que a vampira também estava pulsando por ela, dando uma sensação excitante a mesma, Jujuba erguia um pouco o corpo empinando a bunda e olhava fixamente para a morena que lhe fitava, pronta para devora-la.

- O que foi? – Ela sussurrava e escutava um barulho no corredor a frente de seu quarto, uma luz era acesa e provavelmente alguém iria ali – Merda!

Jujuba dava um pulo para sua cama e se colocava para de baixo das cobertas, enquanto Marcy praticamente grudava na parede a cima da porta, vendo ela se abrir no mesmo instante e menta olhando pelo vão da mesma, Bonnie fingia estar dormindo e Marceline estava cuidando para não fazer nem um ruído sequer. Mordomo menta olha para os lados e fecha a porta, se retirando e apagando a luz do corredor, fazendo com que Marcy sinta o corpo se acalmar um pouco.

- Quase ... – dizia e escutava Bonnie dizer algo.

- Marcy – ela chamava manhosa – vem cá..

Assim que Marceline corre os olhos para Jujuba, vê a mesma de quatro com a bunda empinada e com o rosto sob o travesseiro, uma de suas mãos acariciava seu seio e a outra entrava em sua intimidade sem dó, em uma masturbação frenética e gostosa, fazendo Marceline pulsar novamente

- Merda Bonnie...

A vampira não podia mais se conter e leva as mãos ao bumbum rosado e empinado da princesa doce, apertando a carne macia com força e arranhando com as unhas compridas, dava tapas até que a pele rosada de Bonnie estivesse em um vermelho vivo e sentia a buceta pulsando a cada gemido de sua princesa. Ela queria que Bonnie se contorcesse sob seu toque, que gemesse seu nome, gritasse e implorasse para que sua vampira a fodesse. Bonnie já estava completamente mansa e entregue, rebolava de forma sensual e lenta a medida que Marcy apertava sua bunda. O quarto estava silencioso assim como os corredores do castelo, fazendo os gemidos de Bonnie parecerem ainda mais altos.

Bonnie sentia a língua de demônio de Marceline toca seu clitóris, fazendo a princesa empinar mais a bunda e abrir mais as pernas. A vampira lambe os lábios rosados, passando a língua de forma lenta e provocante, enquanto arranhava a bunda e as costas de Bonnie, que sentia a buceta pulsando e seu líquido escorria por entre as pernas, lambuzando a cama de lençóis de cetim rosa.

Marcy estava simplesmente enlouquecendo por finalmente poder tocar Bonnie novamente, o modo com que a língua de demônio passava por toda sua intimidade, indo para as coxas e lambendo todo o liquido que escorria dela e voltando lentamente, vez por vez enfiando lentamente a língua longa dentro da rosada, a língua da morena tocava o útero o massageando lentamente, assim que começa a mexer a língua dentro de Bonnibel, percebe leves espasmos, Jujuba fecha as pernas lentamente e aperta os lençóis tentando não gemer alto, enterrando assim a cabeça no travesseiro.

Assim que Marcy tira a língua, totalmente melada, o líquido escorre e pinga na cama, fazendo Bonnie ficar mole e deixar seu corpo cair pela cama com o corpo suado e a buceta doendo, por ter tido um orgasmo violento.

- Não pense que acabou, "princesa"

 

Os dedos gelados de Marcy se enroscam nos cabelos rosados de Bonnie, puxando-os de forma bruta e a princesa ergue a cabeça, podendo olhar sua própria expressão excitada no espelho de seu guarda roupa. O corpo de Marceline pesa sobre as costas de Jujuba e a vampira a segura pelo pescoço, apertando de forma suave e modificava sua orelha, sentindo seu doce perfume e movia o próprio corpo como quem fodia Bonnie por trás. Bonnie só conseguia gemer e deixar que sua vampira fizesse o que tivesse vontade, ainda estava manhosa e mole por conta do orgasmo, mas mesmo assim sua buceta pulsava e seu corpo estava tão quente que ela sentia os lençóis encharcados de seu suor.

Marcy a vira para que ficasse de frente pra ela e Bonnie se esquece de respirar por um momento, enquanto observava a expressão  excitada de Marcy, que mordia o lábio inferior. O contato se quebra quando Marceline desce para o pescoço de Bonnie, suas presas se arrastando de forma suave pela pele rosa, a fazendo suspirar e gemer, logo a vampira tira suas últimas peças de roupas ficando totalmente nua junto a rosada.

Marceline sorria de forma pervertida, e solta um gemido grave quando seu clitóris toca o de Bonnie, roçando e se lambuzando no gozo da princesa, erguia uma das pernas de Jujuba para que ficasse mais aperta pra ela e sentia os lábios de sua buceta se abrindo junto aos de Bonnie, que parecia estar enlouquecendo, gemia alto, sem se importar se o Mordomo Menta ou qualquer outro no Reino Doce pudesse ouvir.

Tanto Marceline quando Bonnibel estavam indo a loucura, mas era mais do que isso. O amor entre elas parecia estar livre, como não estivera a muito tempo. Marcy podia ver todos os sentimentos de Bonnie em seus olhos semi cerrados pelo prazer, e Bonnie podia ver o mesmo em Marcy. Ambas estavam entregues, caminhando cada vez mais para seu ápice e acabam por atingi-lo juntas, o gozo de Marceline sujando os lençóis e escorrendo pela buceta de sua princesa doce, e a vampira cai sobre o corpo de Bonnie, que a abraça de forma terna e carinhosa.

O silêncio toda o quarto, os gemidos se cessam por completo e a única coisa que podia ser ouvida era a respiração ofegante de ambas, que ia se acalmando aos poucos. Nenhuma das duas ousava sair daquele abraço, e o peito de Marceline se apertava ainda mais. Bonnie acaba caindo no sono e, já com os raios de sol da manhã tocando seu corpo nu, ela vê que Marcy já não estava mais lá. E ela não consegue segurar as lágrimas, sabendo que sua vampira talvez nunca retornasse.

Isso que rolou..... Antes da ida


Notas Finais


Tcharam, ficou grandinho né? Pois é galera, pois é. '3' Assim, estou prestes a fazer um outro extra mais pra frente, então... já fiquem avisados, talvez eu leve uns dois ou três dias para postar capítulos, afinal eu ando atolada de coisas do colégio. Obrigado amores <3

Não esqueçam de:
~compartilhar
~favoritar
~comentar <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...