História Nossa história - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Drama, Taekook, Yoonmin
Visualizações 87
Palavras 1.354
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 17 - Onde eu estava todo esse tempo? (Yoonmin)


[Jimin POV]

Na cabana, eu sentia que nós podíamos nos afastar da nossa vida. Uma parte minha ficava aliviado de estar lá, a outra parte estava emocionalmente esgotado.

Logo que Namjoon terminou de falar me ajoelhei no sofá ao lado dele para abraçar o gigante, ele carregava o mundo de responsabilidade nas costas e eu não conseguia deixar de me sentir egoísta e inútil por não conseguir ajudar alguém que sempre esteve lá por mim. 

Hoseok voltava com as cervejas e junto trouxe alguns mini hamburgers.

- ah! Eu te amo, Hoseok! - Jin falava exagerado - é por essas coisas que eu vou casar com você! 
            - Sei... - Hoseok retrucava - estou esperando há anos já...

Os dois brincavam o que aliviava a tensão na sala. 

 

Naquela noite eu abri meus sentimentos sobre tudo o que aconteceu, o vazamento da foto, o stress, o erro no show e me escutei dizer as palavras de mais baixa auto-estima em anos, me escutei desesperado, triste e com raiva. Vi os membro chorarem.

- Jiminie, porque você pensa tão pouco de si mesmo? - Hoseok perguntava com lágrimas nos olhos.

Eu não sabia a resposta, e então Jungkook disse algo que eu nunca tinha escutado:

- Você sempre foi tão bom em tudo o que fez, conquistou o mundo, o que mais você precisa pra não pensar assim de si mesmo? 

Aí que eu finalmente entendi.

- Eu nunca sou bom o bastante pra mim mesmo... - eu respondia mais pra mim do que pra ele.

Essa era a verdade para mim, eu nunca seria bom o bastante, bonito o bastante, talentoso o bastante e definitivamente, feliz o bastante, eu sempre senti que faltava algo, e esse algo se tornava tudo.

Nós choramos muito, eu me sentia anestesiado. Quando eu pensei que nada mais seria dito, Taehyung conseguiu acabar com cada um de nós.

Ele se segurava, remoía, ele olhou para Jungkook e recebeu um aceno de incentivo, Taehyung se levantou e foi até seu quarto trazendo de volta sua mochila, despejando todo seu conteúdo na mesa em nossa frente. Em quase todos os objetos tinham post-it grudados neles.

 

“Carregador do celular e tablet”

“Remédio para dor de cabeça, tomar somente 1, é muito forte”

Nós líamos os bilhetes e eu não entendia nada.

- O que são todas essas coisas Tae? - perguntava Jin.

Ele balançava as pernas, puxou o ar e tomou coragem.

- Já fazem alguns meses que eu estou com dificuldade de me lembrar das coisas. - ele não olhava para gente - eu fui no médico e fiz exames, estamos esperando os resultados. 

Eu esperava que qualquer um de nós fosse o primeiro a ir abraçar Taehyung menos ele, mas o primeiro a se levantar foi Yoongi, que abraçou o mais novo como se o tentasse proteger de tudo.

Onde eu estava todo esse tempo? O que eu estava fazendo? Como eu não percebi que meu melhor amigo estava passando por isso?

Me lembrava de cada vez em que ele perguntou onde estávamos indo, que dia era, me lembrei de cada vez que ele repetia pela enésima vez a mesma coisa, me lembrei dele não tomar o remédio que precisava e de esquecer datas importantes. Taehyung sempre foi o mais distraído entre nós então nunca imaginaria isso.

Ninguém dizia nada, acho que todo mundo estava se sentindo culpado por não ter notado antes. 

- Tenho certeza que não será grave - Namjoon dizia - vamos enfrentar isso juntos. - ele dizia segurando a mão de Tae. 

 

Durante muito tempo eu pensei que dinheiro e fama resolveriam todos os meus problemas, que eu nunca mais ficaria triste mas aí aprendi que as coisas mais importantes não podem ser compradas. Naquele momento, nós poderíamos pagar qualquer médico, qualquer tratamento, qualquer remédio mas nada disso importava, estava em pânico de qualquer jeito. 

 

A madrugava parecia eterna, eu quase implorava aos Deuses para que trouxessem logo a manhã, o sol, para que minimamente, as coisas parecessem melhores.

 

Fui para o quarto onde Tae estava dormindo, Jungkook estava sentado lendo alguma coisa no notebook.

- Você está bem? - ele me perguntava se virando pra mim. Não tinha o que responder, apenas sorri para ele e deitei ao lado de Tae chorei todas as lágrimas que eu tinha. Ele estava de frente para mim e eu o abraçava o mais forte que podia sem o acordar. 
           - Me desculpa Tae, desculpa por não ter percebido. Me desculpe por te deixar sozinho nisso, mas eu estou aqui agora. Vamos enfrentar isso juntos, você não está só.

Eu olhava a escuridão fora da janela, encarando aquele breu. Quando o sol iria nascer?

 

Acordei antes de Tae com a cabeça pesada de tanto chorar e mais confuso do que quando fui dormir, via o relógio que marcava 6 da manhã e me levantava com cuidado para não acorda-lo, andava pela casa silenciosa e fui para cozinha tomar um remédio para dor e encostado na pia eu olhava para fora da janela, “realmente o sol faziam as coisas parecerem melhores, então porque me sinto triste?”, eu pensava. Sinto alguém me abraçar por trás, me empurrando levemente contra a pia, mas não preciso olhar pra saber quem era:

- Jiminie, eu vou cuidar de tudo, eu prometo pra você que vai ficar tudo bem, todo nós vamos ficar bem. - Yoongi dizia baixo.

Eu continuava a olhar a paisagem do lado de fora, as montanhas tinham um paz que eu não encontrava dentro de mim. Minha visão ficava embaçada pelas lágrimas que iam se formando. Eu e ele não tínhamos realmente conversado depois do dia do show em que explodi e disse para ele o que estava em meu coração. Eu só conseguia pensar na pergunta que ele nunca respondeu “o que estamos fazendo, Hyung?”, só conseguia pensar no que ele me disse antes de sermos interrompidos pela equipe para gravar um vídeo de agradecimento “não era pra ser assim”, pensava em todas as perguntas que eu queria fazer pra ele e não tinha coragem. Cada vez que ele me tratava bem, cada vez que ele cuidava de mim, eu sentia meu coração doer, senti ele dar um beijo da minha cabeça o que fez as lágrimas dos meus olhos caírem.

- Hyung, não faça isso. Não... - eu não conseguia me entender, me virei para ele - já disse, não me trate bem. - eu repetia as palavras daquela noite.

Apesar de estar de frente pra ele, ele ainda não me soltava daquele abraço que nos deixava tão perto.

- Jiminie... - ele dizia me encarando, mas o interrompi.
            - E não me beije, você não pode me beijar toda vez que estiver triste e me deixar todo bagunçado. - eu desabafava fraco.

Aqueles beijos que eu não conseguia esquecer, implodiam minha mente. Ele não falava nada, continuava a olhar pra mim e eu podia jurar que vi tristeza em seu olhar, ele me dava preciosos segundos para eu me acalmar e então eu me dei conta, eu sabia o motivo da tristeza de Yoongi na segunda vez que nos beijamos, mas e a primeira?

- Jiminie... eu - o interrompi.
            - Hyung, o que aconteceu na noite da foto? 

Vi ele tremer os lábios e apertar os olhos.

- Você tem razão Jimin. Me desculpe. - ele tentava desviar o assunto.

Ele me soltou e se virou indo em direção ao seu quarto, fui atrás dele e fiquei na sua frente.

   - Hyung, o que aconteceu aquele dia? Porque você estava tão chateado?

Ele suspirou.

- Jiminie, não aconteceu nada. - ele sorria falso - me desculpe por toda essa confusão, eu não estava pensando direito.

Me joguei em cima dele o abraçando o que o fez se desequilibrar. 

- Hyung, eu sei que você está mentindo, aconteceu alguma coisa grave aquele dia, mas você não pode me contar não é? 

Eu me dei conta que não tinha noção do que ele estava passando e nem do que tinha acontecido aquele dia. 

Senti ele me abraçar forte de volta. 

E de novo eu falhava em ficar longe dele.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...