História Nossa história - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Drama, Taekook, Yoonmin
Visualizações 21
Palavras 1.912
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 18 - Não vou


[Taehyung POV]

 

Quando eu acordei, Jimin não estava mais lá, eu olhava ao redor e reconhecia o quarto da cabana, o carpete de cor cinza claro combinava com a decoração em tons pastéis, a vista da janela era incrível e o clima, quase sempre frio, me agradava. Tínhamos alguns dias à frente para nos recuperarmos. Eu estava com medo e preocupado mas ali, os problemas pareciam não alcançar a gente. 

Logo vi Jungkook dormindo no grande sofá do quarto, me levantei e fui me enfiar embaixo daquelas cobertas junto com aquele que era meu cúmplice há algum tempo.

- Você está bem, Tae? - Kook dizia baixo sem abrir os olhos.

Eu me aconchegava nele e dava a resposta de sempre:

- Sim, estou ótimo.

- Eu não diria outra coisa, mesmo que não fosse verdade, pelo menos não naquele momento.

- Está com fome? - o mais novo me perguntava.
Não, só quero ficar aqui um pouco.

 

Minha relação com Jungkook era inexplicável. Era uma relação de extremos: tínhamos muito momentos doces e tranquilos, jogávamos, assistíamos filmes, dávamos risada enquanto jantávamos e eu realmente gostava de vê-lo sorrir pra mim, mas em outras horas, passávamos por momentos de tensão e eu simplesmente parecia não reconhecer ele, mas nenhuma das vezes até agora tinha sido como a noite que estava por vir.

 

Depois de 3 dias voltávamos para casa e faríamos a filmagem de um clip. 

- Acho que isso não vai funcionar, já tivemos gente machucada nas vezes que fomos suspendidos, não podemos fazer de outro jeito? - Yoongi dizia na sala de reunião.
       - Vai dar tudo certo, nós estamos nos planejando há semanas. - dizia o diretor.
            - Mas a cena será ao ar livre, não era melhor fazer em um studio? - Jin perguntava.
Montaremos uma estrutura para isso, não se preocupem.

O tema seria algo como magia numa floresta, então eu e Yoongi ficaríamos suspensos para a filmagem.

 

Passados 4 dias e nos encontrávamos em uma cidade afastada onde iríamos filmar no meio de um bosque, e como alguns membro tinham previsto, realmente não estava funcionando.

O clima frio e úmido demais fazia as roupas parecerem molhadas, sentíamos o corpo doer de tanto tremer e nos encolher de frio mas nada se comparava a dor que eu sentia nas costas e nas pernas.

Embaixo da camisa vermelha eu usava o colete de segurança por cima de uma camiseta branca fina. Dois cabos de aços saiam pelas laterais da minha cintura. Nas minhas coxas, por debaixo da calça, eu usava cintas pelos quais saiam mais dois cabos. O peso do meu corpo todo estavam apoiados nesses pontos. Minhas costas estavam dormentes e de tanto me mexer para repetir a cena, a cinta estava me cortando. 

- Você está bem Tae? - Jin perguntava para mim,  eu não conseguia responder - aguenta só mais um pouquinho e nós já vamos embora.

Jungkook se aproximava e após alguns momentos de silêncio ele se manifestava:

- você quer que eu solto você? - ele me perguntava preocupado.
          - Não, se você me soltar não vou ter coragem de colocar de novo. - eu tentava respirar fundo para diminuir a dor - e só o trabalho que vamos ter pra tirar e colocar vai fazer demorar mais ainda.

Jin passou a mão nas minhas costas o que me fez encolher pela dor.

- Desculpa Tae...
            - Como Yoongi hyung está? - eu perguntava.
       - Acho que está tão mal quanto você. - Jin respondia olhando para o outro.
            - Vamos terminar isso logo! - Hoseok dizia bravo. 

E quando eu pensava que não iria piorar, começou a chover forte. Quase duas horas depois, terminamos, o sol já ia embora e nossas roupas pingavam de tão molhadas, eu sentia o jeans justo de cor preta grudado em minhas pernas.

- Venha Taehyung, vamos tirar essas coisas - dizia um dos staffs.
         - Não, não encoste em mim. - eu dizia baixo - eu só quero ir embora.
       - Você não vai conseguir tirar sozinho Taehyung. - o staff respondia.

Via Anna e outra staff juntas, carregando algumas roupas. Jungkook se aproximou com uma toalha seca e a colocou nas minhas costas.

- Deixa que eu ajudo ele. Vamos embora Tae.

 

O hotel onde estávamos ficava a 15 minutos de carro da onde estávamos. Entrei no carro com dificuldade, eu não precisava nem olhar para os outros membros pra saber o que eles estavam sentindo.

Meu cabelo pingava e a cada gota que eu via cair parecia que minha raiva aumentava. Eu nem imaginava como Yoongi estava, ele tinha sido o primeiro a dizer que não iria funcionar.

- Como Yoongi hyung está? - eu perguntava de novo.
Ele está no outro carro mas está atrás de nós, não se preocupe. - Jungkook dizia pra mim.

 

Chegando no hotel subimos para o quarto, eu mancava e cada passo custava para ser dado. 

- Vai pro chuveiro Tae. - dizia Kook indo em direção a sua mala.

Liguei o chuveiro e esperava a água esquentar. Logo Kook apareceu com um kit de primeiros-socorros e toalhas, ele colocou a mão na água que caia.

- Acho que está bom, pode entrar Tae.

Sem tirar nada, Kook me guiou para dentro do box, logo dava para ver no chão  uma água vermelha, eu realmente estava com as pernas cortadas.

- Ai Tae, como vamos fazer pra tirar isso? 

A calça era justa demais e parecia colada em mim por causa da água. Kook saiu e logo voltou com uma tesoura, ele se ajoelhou na minha frente e eu podia ver a água pingando em suas costas.

- Não se mexe Tae.

A tesoura gelada encostada em mim me arrepiava, logo o que era a minha calça estava jogada no chão do banheiro.

- Nossa Tae, ficou machucado. - ele dizia passando a mão na minha perna. - Tae, para tirar as cintas eu vou ter que apertar um pouco pra soltar a trava, não tem jeito, não dá pra cortar.

Fiz que sim com a cabeça. A camisa vermelha longa não me deixava enxergar como estava o machucado.

Kook apertou a cinta da perna esquerda e soltou a trava, eu puxava o ar entre os dentes e jogava o corpo para frente pela dor, me apoiando em seus ombros, senti uma fisgada forte nas costas o que me fez desequilibrar. Ele se levantou e me segurou.

- Desculpa Tae, só mais um pouco. Vou tirar o outro.
Não, espera um pouco Kook.

Eu tomava coragem para continuar. Ele estava muito próximo de mim, conseguia sentir seu peito contra o meu e a única coisa que conseguia ouvir era a água do chuveiro caindo e nossas respirações. 

Pronto? - ele dizia baixinho.

Apoiei a cabeça em seu ombro e escondia o rosto em seu pescoço. Ele passou a mão por trás de minha coxa e apertou a trava. Gemi de dor.

A água quente fazia o machucado arder e agora sentia as pernas formigarem. Ele colocou seu joelho entre minhas pernas, para que eu tivesse um apoio o que fazia praticamente eu me sentar em sua coxa e começou a desabotoar minha camisa, deixando exposto o colete. Logo eu escutava velcros e zíperes sendo abertos e logo o coleto estava no chão também.

A camiseta branca que eu usava embaixo de tudo já ficava transparente, o silêncio entre nós deixava o clima tenso.

Logo senti ele me beijar, não era a primeira vez mas nunca tinha sido daquele jeito. Ele empurrava seu corpo contra o meu o que me fez gemer de dor em sua boca o que o fez se afastar.

Ele me encarava quando escutamos alguém na porta do banheiro:

- Kook, o Taehyung não está no quarto dele, onde ele está? - Jin perguntava mesmo já sabendo a resposta.

Ele não respondia e continuava a me olhar.

- Kook? Responde ou vou entrar!
           - Ele está aqui comigo. - Kook dizia alto o suficiente para o mais velho escutar.

Se fez um silêncio e Jin não falava mais nada.

 - É melhor vocês saírem desse chuveiro, a Anna está atrás de você Jungkook.
           - Não! Fala pra ela não vir. Fala que converso amanhã com ela.

Jin fazia silêncio, eu tinha certeza que ele pensava para escolher as palavras certas a dizer.

- ok então... - Jin dizia hesitante - Taehyung você está bem?

Comecei a chorar, não, eu não estava bem porque a namorada do garoto que estava me beijando estava atrás dele.

- Ele está, está machucado mas tá tudo bem. - Kook respondia por mim.
            - Ok então... depois falo com vocês então.

Escutei Jin fechar a porta do quarto. As lágrimas se misturavam com a água que caia em nós.

- Acho melhor você ir, Jungkook. - eu dizia baixo desviando o olhar dele, tentava o afastar de mim.
           - Você quer que eu vá? 
           - Acho que você sabe a resposta dessa pergunta.
         - Fala pra mim, Tae. Eu quero saber. - ele me encarava e pressionava o corpo dele no meu.
           - Fala você, Jungkook! - eu aumentava o tom de voz.
           - Falar o que Tae? O que você quer ouvir? 

A raiva me dominou.

- O que você quer de mim?! Me diz! O que você quer de mim, Jungkook?! - eu gritava entre lágrimas.

- Ele não respondia. Eu puxei o ar para gritar de novo mas ele me interrompeu.

- Eu não sei, Tae!! Tá bem?! Eu não sei! - ele respirava fundo para se acalmar - me desculpa Tae, me perdoa. Eu não sei...

O choro vinha com força.

- Vamos sair desse chuveiro Tae. Deixa eu fazer os curativos em você.

 

Apenas com uma cueca e uma camiseta muito maior do que eu, me sentava na beira da cama e começava a mexer o estojo de Kook. “Esse vidrinho era pra machucado ou para dor muscular?”, eu sabia que eu tinha um igual, mas não lembrava para que servia, peguei a cartela de comprimidos “esse era pra dor ou para resfriado?”, eu me irritava e me frustrava, as coisas dele não tinham etiquetas, peguei a única coisa que eu sabia para o que servia, abri o band-aid e coloquei no dedo que tinha cortado segurando o cabo de aço.

Eu encarava aquele band-aid no meu dedo quando Kook saiu do banheiro de moletom, passando a toalha na cabeça, eu continuava a mexer nas coisas do estojo para fazer o que pelo menos eu conseguia.

- Deixa que eu faço isso pra você Tae. 

Ele se sentou na cama e logo abriu o vidrinho passando o líquido gelado em mim. Ele assoprava com cuidado o que fazia ficar mais gelado ainda e logo minhas duas pernas estavam enfaixadas. Eu olhava os curativos feitos com tanto cuidado quando Kook sentou atrás de mim e me puxou levemente para os seus braços, me deixando de costas para ele.

- Tae, me perdoa. Me perdoa por tudo isso, mas por favor, não fiquei longe de mim, não desista de mim.

Era uma confusão, ele era uma confusão. O garoto que há alguns minutos literalmente estava cortando as minhas roupas de mim, me beijando e me pressionando contra a parede, agora me abraçava com todo o carinho depois de assoprar meu machucados e me fazer curativos, pedindo para que eu não ficasse longe dele. Então, indo contra o bom senso e a lógica eu respondia:

- Não vou.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...