História Nossa música de amor (Park Jimin) - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Amor, Bangtan Boys (BTS), Fofo, Jimin, Jungkook, Paraplégica, Paraplégico
Visualizações 22
Palavras 1.559
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpem a demora, mas eu cheguei, não é? Não vou ficar enrolando.

Espero que gostem, boa leitura e até as notas finais ♡

Capítulo 4 - Tudo novamente.


P.O.V. Jimin


Eu havia entrado em choque, nunca que eu imaginaria que a menina que eu tanto penso estaria nessa situação agora.


P.O.V. _______


Eu estava acordada, sim eu estava, só que não conseguia abrir os meus olhos, era como se eu estivesse hipnotizada e tivesse dormido por muito tempo. Eu escutava tudo a minha volta, mas não fazia ideia do lugar onde eu estava.


Eu escutava barulhos de um aparelho cardíaco, e foi aí que eu caí na real, eu estou no hospital.


Era uma sensação estranha que jamais havia tido, eu não conseguia fazer nada sem ser escutar e respirar.


Eu estava quase entrando em desespero, mas eu escutei o barulho porta do quarto onde eu estava sendo aberta, era muito agoniante.


Eu ouvi também a porta sendo fechada, e passos estavam sendo dados pelo quarto, e quanto mais passos, mais alto o barulho deles.


Eu senti uma mão sendo passada em meus cabelos, era uma mão pequena e macia. Eu não entendia nada.


— Oi. Errr... eu não sei se você lembra de mim, mas eu sou o menino que te ajudou quando machucou seu joelho, é estranho te ver assim, sabe? Vim passar a noite com você. — Ouvi uma voz calma e que jamais iria esquecer — Ouvi dizer que conversar com pessoas em coma, ajuda elas a acordarem... por que você não acorda, em?


Eu estava confusa, ele disse que eu estou em coma? Isso explica o que eu estou sentindo agora, e acredite, é horrível sentir isso.


— Como você foi parar nesse estado? — Não  sei explicar, mas seu tom de voz parecia ser um tom de preocupação — Não gosto de te ver assim… Eu ia todos os dias no hospital na esperança de te achar lá, sei que parece meio louco, mas eu queria te ver novamente. — desabafou… e eu permaneci escutando tudo.


Chega a ser engraçado, ele me procurou? Como assim? Estou surpresa ainda. Eu pensava nele todos os dias, mas não sabia que ele também pensava em mim. Chega a ser estranho. 


— Gosta de café? Trabalho em uma cafeteria, posso te levar lá quando você acordar, não quero parecer um louco, mas quero ser seu amigo também. Por que você não acorda? 


E como em um passe de mágica, consegui tossir e logo em seguida abrir os olhos, eles ainda estavam se acostumando com a claridade, mas logo eu consegui ter a visão total do quarto onde estava, e do menino a minha frente também. Park Jimin.


— Eu sou mágico, não é possível. — falou sem reação ao me ver acordada. — Você está bem? — perguntou olhando fixamente para meu rosto.


Depois que ele falou eu comecei a tossir, eu estava meio tonta e precisava de água.


— Ok, vou chamar um médico. — disse me fazendo dar um sorriso enquanto tossia.


Era engraçado ver ele denovo, e o mais engraçado era saber que isso foi em um hospital e o motivo é eu estar em um suposto estado de coma.


— Pronto


— Como se sente? — perguntou o médico andando até o lado da cama do hospital na qual eu estava deitada.


— Só estou com um pouco de dor na coluna, dor de cabeça e estou tonta ainda.


— Isso é normal, você ficou em coma por onze dias, já era esperado que isso acontecesse. — fala o médico calmamente. — Vou pedir alguns exames para ver se está tudo de acordo, é daqui a pouco venho te ver é realizar alguns outros procedimentos, pode ser?


Onze dias? O acidente foi tão grave assim? 


— claro, não há problema algum. — respondi o médico.


Enquanto isso, Jimin observava tudo o que o médico falava atentamente, ele não falava nada, apenas escutava.


— Está tudo bem? — perguntei a ele, o médico já havia saído, e ver ele daquela forma estava me incomodando.


— Oi? Ah, desculpe... estava prestando atenção no que ele dizia, acabei me empolgando. — disse mostrando novamente aquele sorriso que me encantou, o menino sorridente.


— Por que ficou tão interessado? — perguntei curiosa.


— Agora eu estou "estudando" medicina com meu pai, às vezes é bom prestar atenção em algumas coisas — sorriu novamente.


— Entendo — sorri para ele também.


(...)


Nós estávamos conversando, e sem percebermos, horas se passaram, mas para nós dois parecia que foram minutos.


— Estou aqui novamente. — falou o médico aparecendo no meu quarto.


— Não fiz os exames ainda, senhor. — comentei a ele.


— Não faz mal, vou fazer alguns procedimentos agora, os exames você pode fazer depois — foi gentil comigo.


O médico ia preenchendo algo em sua prancheta enquanto eu conversava com o Park. Depois de um tempo ele me explicou alguns procedimentos que iria fazer, tudo bem tranquilo na minha opinião.


— Poderia se levantar, por favor? — pediu para mim.


— Claro — o respondi calma, aliás, não tinha problema algum em fazer isso.


Pelo menos eu achava que não tinha problema nenhum.


Eu não conseguia me mover de onde eu estava, eu ia para frente com o impulso dos meus braços, mas minhas pernas nem davam sinais de movimento.


Foi nessa hora que eu comecei a me desesperar.


— Eu te ajudo — Jimin me pegou no colo ao ver minhas tentativas falhas de me levantar.


Ele me colocou de pé no chão, segurou em minha cintura e eu me apoiava nele, mas quando ele me soltou, minhas pernas fraquejaram e eu quase cai, só não cai na hora, pois Jimin me segurou rapidamente e me olhou assustado.


— Eu não consigo — falei para o médico praticamente em um sussurro. Naquele momento eu já estava quase chorando.


O médico voltou a anotar algumas coisas em sua prancheta, e enquanto isso Jimin me colocava de volta na cama do hospital.


— Você já teve problemas como esse no passado, estou certo? — perguntou calmo enquanto eu já estava praticamente surtando por dentro.


— Já tive sim. Depois de um acidente eu perdi o movimento das pernas. — comentei com ele.


— Devido a esse acidente recente, aconteceu a mesma coisa, o movimento das suas pernas foi perdido.


Naquela hora eu perdi meu chão.


Eu não tinha mais reação naquele momento, a única coisa que eu sabia fazer, é chorar... chorei mesmo, eu fiquei muito mal com essa notícia.


— Mas dá para reverter isso ainda, vou procurar uma clínica boa para te colocar na fisioterapia — ele dizia me olhando com tristeza, parece que ele se tocou com isso também.


— Obrigado, obrigado mesmo, está nos ajudando bastante, mas pode nos deixar a sós por um instante? — Jimin dizia, ele sabia que eu não estava em condições de responder ele agora.


— Claro, amanhã cedo você vai fazer seus exames, ok? — disse e logo em seguida saiu do quarto do hospital onde estávamos.


P.O.V Park Jimin


Fiquei triste em ver ela naquele estado, eu literalmente não esperava que algo dessa forma fosse acontecer. Ela chorava, e muito.


— Não chore, ok? Eu estou aqui — tentei acalmá-la.


— Aconteceu de novo, eu vou ficar sem andar de novo, meu irmão vai ficar com meus avós por mais tempo; não tem como eu não chorar. — dizia já soluçando.


— É passageiro, eu já falei que estou aqui para te ajudar, não sei quem é seu irmão, mas eu tenho certeza que ele vai entender seu estado.


— Isso é muito complicado para mim, eu já sofri bastante no passado, sei como é fazer fisioterapia e passar por isso. Mas eu não entendo. Por que logo agora... Eu estava indo bem.


Eu sabia que era complicado, seria errado da minha parte falar que é tranquilo; é o contrário disso, é uma situação muito difícil de se passar, principalmente para ela.


— Se acalme, vai dar tudo certo — era tudo o que eu conseguia falar no momento, não tinha palavras para descrever o que eu estava sentindo naquele momento.


E foi assim até ficar de madrugada.


Ela já estava dormindo, após tanto chorar, o mínimo que ela tinha que fazer era descansar. Sei que ela mal havia acordado de coma é já estava dormindo de novo, mas ela estava cansada após a notícia e eu entendo seu cansaço.


Ela dormia igual um anjo, e eu mal conseguia fechar os olhos, era meio estranho isso, que situação.


Comecei a cantarolar baixinho para não atrapalhar o sono da garota, e querendo ou não, cantar me acalmava.


E em questão de minutos, consegui adormecer sem nem ao menos perceber.


(...)


Acordei de manhã, e ______ já estava acordada tomando seu café da manhã, seus olhos ainda estavam meio inchados pelo choro, mas nada muito alarmante.


Ela comia sem vontade, parecia criança quando não queria comer, mas era forçada a comer pelos pais, mas sem querer acabei rindo do meu próprio pensamento chamando a atenção da garota.


— Já acordou? — Perguntou para mim e eu assenti me espreguiçando logo em seguida.


— Sim, acordei a pouco tempo. E tenho que confessar que você é engraçada comendo — disse rindo.


— Ah, que vergonha...


— Oh, já estão acordados? Bom, isso não vem ao caso, mas trago boas notícias — disse o médico entrando dentro do quarto todo animado...



É, hoje o dia será cansativo.








Notas Finais


Perdão pela demora, eu estava em semana de provas e não estava conseguindo escrever direito, mas essa semana eu entro de férias e prometo tentar postar ao menos um capítulo por semana.

Desculpem qualquer erro, espero que tenham gostado♡

E por último, eu estou meio insegura com essa minha forma de escrita, já pensei várias vezes em excluir minhas fanfics... Mas não vou fazer isso, não quero é nem vou deixar elas para trás dessa forma.

Então me digam o que estão achando ♡ quero saber o que vocês acham, quero entender o ponto de vista de vocês. Estou aberta a sugestões e respondo os comentários com muito carinho ♡ me digam o que estão achando, sim?

Bom, é isso! Até a próxima ♡

Um beijo e um queijo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...