História Nossa pequena história de amor - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nathanaël, Nino, Plagg, Tikki
Visualizações 100
Palavras 1.678
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Homossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Ladybug e Chat Noir


- O que é isso? - Marinette e Adrien Perguntam nas suaa casas. Eles abrem as caixinhas e delas saem um brilho intenso. 

Mari

- Oi. - Um inseto gigante rosa com pintas pretas na testa e nas bochechas. Eu grito e começo  a jogar coisas ele. - Calma Marinette, sou amigo. - Paro quando ouço meu nome. 

- Como você sabe meu nome?

- Eu sou um kwami, meu nome é Tikki. Eu concedo poderes e o seu é o da criação. 

- Um kwami??  Poderes?? Você quer dizer que agora eu sou uma super heroína? 

- Sim. So você pode deter o Coração de pedra. 

- Eu? Não isso só pode ser um engano. Eu não posso deter ninguém. 

- Claro que você pode. Com a ajuda do talismã, você pode fazer qualquer coisa. 

- Mas eu nem sei como fazer isso. 

- Todo o que você precisa fazer é colocar os brincos e dizer transformar. - Coloco os brincos

- Transformar? - Digo insegura. Então uma luz surge dos brincos e Tikki voa ate ela, sinto uma energia correr por todo meu corpo, é uma sensação estranha, mas ao mesmo tempo boa. 

Me olho no espelho e fico surpresa com minha aparecia. Estou vestindo um uniforme todo vermelho com pintas pretas até meus tornozelos, ele, meus braços e pescoço são inteiramente pretos. Uma máscara vermelho com 5 pintas pretas se amarra na minha cabeça por um enorme laço vermelho. O que eu mais gosto sobre esse novo visual é meu cabelo corto, ele está um pouco a baixo da minha orelha, todo repicado e com uma franja também repicada até meu nariz. Sempre quis saber como eu ficaria de cabelo curto, mas sempre tive medo de não gostar. Mas agora percebo que eu deveria ter cortado ele antes. 

Subo até a sacada do meu prédio, o que será que eu tenho que fazer agora? Pego o ioiô que está na minha cintura como um cinto, o que eu faço com isso? O examino, experimento jogar ele pra ver o qual longe ele vai e milagrosamente ele se enrola em torno de um predio proximo, puxo pra ver se esta firme. Uau esta! Uso ele para me puxar e ir até o Coração de Pedra. 

Adrien

Da luz surge uma criatura preta de olhos verdes. Ele parece com um pequeno gato, com três antenas /bigodes na cara. 

- O que é isso? - Eu digo o cutucando. 

- Meu nome é Plagg e eu sou um kwami. - Ele fala?

- Um kwami? Meu pai deve ter feito isso, mas meu pai não tem senso de humor... 

-.Se pai não pode saber de mim, ninguém pode. Agora me diz que aqui tem algo que eu possa comer. - Ele voa até minhas coisas tentando come las. 

- Ei? Espera! - Corro atras dele. - Para! 

É muito difícil pegar esse... Kwami. Depois de algum tempo acabo pegando ele. 

- O que é um kwami e o que você está fazendo aqui? - Pergunto. 

- Kwamis concedem poderes e o seu é o da destruição, entendeu?

- Não. - Ele bufa e sai voando. 

- Você e a sua parceira são os únicos que podem deter o Coração de Pedra. - Ele diz voando em cima de um rolo de papel higiênico. 

- E como eu faço isso? 

- Você só tem que colocar o anel e dizer mostrar as garras. 

- Entendi. Plagg mostrar as garras.- Digo ansioso. Eu vou poder ser um super-herói e fazer o que eu quiser. 

Uma energia invade meu corpo, sinto como se pudesse fazer qualquer coisa. Minha roupa é substituída por um macacão de couro com um cinto que mais parece um rabo, luvas, botas  coturno e um capacete com orelhas de gato preto, a única coisa de outra cor é a viseira do capacete que é verde. Há também um bastão na parte de trás do meu macacão começa a testá-lo. 

Saiu pela janela com ajuda do bastão, pula de um prédio para o outro. Em um deles eu paro e coloco o bastão entre  eles, parece que ele se estende bastante, subo em cima do bastão tentando me equilibrar. 

- Já estou pegando o jeito. - Falo animado. 

De repente alguma coisa me atingir e se enrola em mim, quando eu finalmente consigo enxergar o que aconteceu, eu vejo uma garota de máscara e cabelos curtos me olhando. Ela está tão perto de mim que mesmo com capacete eu consigo sentir seu cheiro e sua respiração contra o meu pescoço então a gente cai, nos levantamos rapidamente. 

- Você deve ser a parceira que meu Kwami falou. - Falo. 

- Me desculpe às vezes eu sou muito desastrada.-  Ela diz puxando  uma corda fazendo meu bastão cair  e em  seguida algo cai na minha cabeça. 

- Tudo bem, eu também estou catando jeito. Ela segura o que caiu na minha cabeça, foco a visão do capacete e vejo que é um ioiô. Essa é nova. 

- Eu me chamo hum... Chat Noir e você? 

- É... - quando ela estava prestes a falar ocorre uma explosão. - Vamos ela diz lançando seu ioiô em um prédio  vou atrás dela.

Vamos até o estádio de futebol, os meus colegas de sala estão correndo assustados. Coração de Pedra joga um gol  neles, jogo meu bastão contra o gol, pedindo ele de acertar Alya, mas Coração de Pedra  acaba me pegando, mas em seguida ele cai, me soltando, volto até minha parceira que está ao lado do gol. 

- Vamos atacar ele juntos. - Falou indo até ele, mas sou parado por ela, que segura meu rabo.

- Não. - Ela diz. - Não podemos atacá-lo, toda vez que o atacam, ele fica maior. Temos que bolar um plano. - Ela diz pensativa.

- Então vamos  usar  nossos poderes.  Cataclysm! -  Minha mão é preenchida por poder, sinto um formigamento nela e todo o poder contido na minha mão, a energia transborda dela por uma luz fraca verde e bolhas pretas. - Parece que eu vou destruir tudo que eu tocar. - Digo encostando no gol, que enferruja. Corro até Coração de Pedra e relo minha mão nele, mas nada acontece. Ele grita para mim, eu saio correndo de volta a minha parceira. -  Parece que eu só posso usar meus poderes apenas uma vez. 

- Seu kwami não te explicou nada? 

- Digamos que eu estava ansioso com minha nova vida. 

- Que maravilha, agora você tem 5 minutos antes de se transformar. A gente precisa quebrar objeto onde o akuma está. - Ela fica pensativa. 

- Mas ele é inteiro de pedra. 

- Acho que está na hora de eu usar meus poderes. - Ela diz com animação e confiança. - Talismã! -  E uma roupa de mergulho cai nas mãos dela. 

- O que você vai fazer com isso? - Ela fico olhando ao redor pensativa. 

- Isso. - Ela diz amarrando as aberturas da roupa e em uma dessas aberturas ela coloca uma mangueira e amarra também. - Eu preciso que você confia em mim. - Ela diz com sorriso estranho. 

- Confiar? Confiar para quê? - Mas antes de responder ela pega minha cauda e me joga no Coração de Pedra, que me pega. Essa garota é maluca. 

Então ela corre até o vilão e se joga nele. 

- Duvido que você me pegue. - Realmente ela é maluca, Coração de Pedra pega ela, derrubando o que estava na sua mão. 

- Ei! Garota! Abre a Torneira! - Ela grita para Alya, que rapidamente abre a torneira, fazendo com que o vilão abra a mão. 

Minha parceira cai, corre até o objeto e pisa em cima dele. Uma borboleta roxa sai do objeto e vai embora, Coração de Pedra volta a ser o Ivan e eu caio no chão. Wow, essa garota é demais. 

- Você fez um ótimo trabalho. - Digo indo a ela. 

-Obrigada. - Ela diz com um sorriso simpático e confiante. - Seu anel. - Ela diz assim que ele apita. - Você vai se transformar. 

- É melhor eu ir. - Digo assustado e triste, queria poder conversar mais tempo com ela. Chega em casa no mesmo  instante em  que a transformação acaba. 

Ligo a TV para ver as notícias sobre hoje, o jornal mostra a filmagem amadora de Alya. Ela pergunta para minha parceira seu nome, que se levanta  e enquanto  vai embora diz Ladybug. 

- Ladybug. O nome dela é Ladybug. 

Mari

Eu destruo papel e uma borboleta roxa sai e vai embora. Ivan volta ao normal e Chat caiu no chão, rio internamente. 

- Você fez um ótimo trabalho. - Ele diz  indo até  mim. 

- Obrigado. - Digo sinceramente e orgulhosa de mim mesma. O anel dele apita. - Seu anel. Você vai se transformar. 

- É melhor eu ir. - ele diz indo embora. 

Pega o papel do chão e leio "Você não tem coragem de falar com a Myleni"

- Foi o Kim que escreveu isso. - Ivan diz. 

Vou até ele me ajoelho ao seu lado. 

- Tudo bem não tem coragem de se declarar, mas se você gosta dela porque você não tenta? 

-Você vai ser a nova heroína de Paris?- Alya  diz do nada, filmando tudo. Me levanto e começa a ir embora. - Espera! Qual  é o  seu nome heroína vermelho? 

- Ladybug. Pode me chamar de Ladybug. - Jogo o meu ioiô no prédio e vou embora. 

Chego em casa e a transformação termina. 

- Você foi muito bem Marinete. - Tikki diz. Sorrio agradecida para ela. Ando até meu quarto.

 Ligo a TV, enquanto  sento cansada na cadeira.Ouço de relance a senhora Chamarck falar sobre o ocorrido de hoje. 

- Mal ganhando dois super-heróis e as pessoas estão sendo transformadas em criaturas de pedra... 

- Que?! - Digo assustada, prestando atenção na notícia. 

- O Prefeito recomenda que todos fiquem em casa até sabermos o que está acontecendo. 

- Mas eu quebrei objeto onde estava  o akuma. O  que acontece Tikki? - Falo a encarando preocupada. 

- Você capturou Akuma



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...