História Nossa Relação - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Konan, Matsuri, Naruto Uzumaki, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shizune, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Naruto, Romance, Sakura Haruno, Sasori, Sasosaku, Sasuke Uchiha, Sasusaku, Triângulo Amoroso
Visualizações 1.561
Palavras 3.934
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


oláaa
gente eu to pasmo com uma coisa
chegamos a mais de 1000 comentários! isso é surreal! até agora não to sabendo processar. cara, chorei muito.
a fic tá na reta final e vcs me dão um presente desse<33 nem tenho palavras pra agradecer.
amo todas vcs estão sempre comentando, dedicando um pouco do seu precioso tempo dando uma atenção para mim<3333 cada comentário tem enorme importancia pra mim, e me inspiram cada vez mais.
Só tenho a agradecer. Muita gratidão! essa fic quem faz é vcs
E tentarei responder o máximo que eu conseguir♥

Sobre o capitulo, tá bem dramatico. vcs irão perceber q a sakura não é nem um pouco dramatica rsrsrs sqn

Capítulo 33 - Ele não te merece


Fanfic / Fanfiction Nossa Relação - Capítulo 33 - Ele não te merece

Não me diga a verdade
Diga-me que isso não aconteceu
Houve um erro
Houve um mal-entendido
Sujou as suas mãos
Rasgando meu coração em pedaços
Se este é o fim
Então nós sussurramos para o vento e o libertamos

— Walking Blind, Aidan Hawken​

 

Ela não queria que lhe vissem. Desejava passar despercebida quando chegasse. Mas era impossível evitar. Assim que atravessou a porta, os olhos se dirigiram em sua direção e se atentaram ao seu rosto, que estava um verdadeiro desastre com a vermelhidão, nariz e olhos inchados.  

Hinata se sobressaltou do sofá, subitamente preocupada. Estava apenas ela em casa, junto com Naruto. O loiro pausou o filme de comédia que eles estavam assistindo, e fitou a Haruno, tão preocupado quanto sua namorada.  

— Sakura, você está bem? O que aconteceu?

Sakura negou com cabeça, com a fala presa na garganta. Cobriu o rosto com as mãos e correu para as escadas, subindo sem nem ao menos responder a Hyuuga.  

Chegando em seu quarto, ela se jogou na cama e encolheu o corpo em posição fetal, e uma nova leva de lágrimas escorreu pelo seu rosto. Seu corpo inteiro tremia com os soluços, seus punhos se fecharam de forma tão apertada que as unhas cravaram na palma da mão. Talvez a dor aliviasse a angustia que sentia. Mas não funcionara. Afinal, nada poderia estar doendo mais do que seu coração.  

Ela sentiu o colchão afundar quando alguém se sentou ao seu lado. Uma mão delicada repousou em seu ombro e uma voz suave ecoou: 

— Oh, Saky... — Hinata murmurou, sensibilizada por ver sua amiga naquele estado. Sakura se virou e foi recebida nos braços da Hyuuga, que deitou ao seu lado e apertou o corpo da Haruno, reconfortando-a. A rosada afundou o rosto nos cabelos negros azulados e esvaziou tudo que tinha dentro de si, chorando compulsivamente nos braços da amiga.

Depois do que pareceu ser um longo tempo, seus soluços foram diminuindo. Aos poucos, seu choro foi perdendo as forças, como se suas lágrimas estivessem se esgotando. Tudo fora colocado para fora, e mesmo assim, ela ainda sentia dor.  

— Hinata... Será que eu nunca vou dar certo com ninguém? — Disse com voz embargada.  

— Não diga isso... — A Hyuuga tentou acalma-la, acariciando suavemente seu cabelos. — O aconteceu? Me conta. — Pediu, seu tom gentil e sereno demonstrava que Sakura poderia confiar nela para desabafar.  

Quando a Haruno permaneceu em silencio, Hinata a apertou mais forte em seus braços.  

— Me conta. Vai fazer você se sentir melhor.  

Soluçando, Sakura se afastou, desprendendo-se do abraço da amiga e se sentando com as costas apoiada contra a cabeceira da cama. Ergueu os joelhos contra seu peito e os abraçou. 

Hinata se sentou na beirada do colchão e repousou uma mão no braço da Haruno, querendo lhe transmitir segurando com seu toque.  

Sakura fungou, e com o olhar baixo, começou a contar.  

Do lado de fora do quarto, escorado na parede ao lado da porta, Naruto escutava tudo.  

  ○○○○ 

  

Sakura caiu no sono depois de mais uma crise de choro que lhe tomou após ter terminado de relatar os acontecimentos. Hinata ficou espantada com as revelações. Mas, apesar de estar inconformada com Sasori, teve que engolir as maldições que queria proferir contra o ruivo, e se manteve serena para que pudesse confortar a Haruno da melhor forma possível. Ela estava precisando de seu apoio e não de seu ódio.  

Então, a Hyuuga lhe abraçou e murmurou palavras de conforto até a rosada se acalmar e dormir.  

Quando Sakura acordou, já era de madrugada. Assim que ela despertou, sentiu o peso em seu peito, que até então estava anestesiado pela inconsciência.  Ela desejou que o sono voltasse. Pois quando está dormindo, seus sentimentos são silenciados.  

Porém, o sono lhe abandonou e não queria mais voltar. Sakura ficou se revirando na cama, com seus pensamentos inquietos. Por mais que ela quisesse evitar, era impossível desativar seu cérebro, e sua mente remoía tudo que acontecera, torturando e a deprimindo ainda mais.  

Para tentar se distrair, Sakura pegou seu celular. Logo que desbloqueou o aparelho, deu de cara com inúmeras mensagens.  

Sasori havia ligado várias vezes e também mandou mensagens de texto, pedindo para que ela lhe atendesse. O coração da Haruno se apertou ao ler.  

“Fala comigo” 

“Podemos resolver isso” 

“Por favor” 

“Eu sinto muito por tudo” 

As mãos da Haruno tremeram ao segurar o celular. Imediatamente, ela saiu da aba e por puro impulso, excluiu a conversa. Ela não estava afim de ver a foto de Sasori todas as vezes que fosse conferir seu what's sap. Por enquanto, a imagem dele era a última coisa que ela gostaria de ver. Sentia seu peito queimar apenas ao imaginar seu rosto, se lembrando de sua expressão dissimulada ao dizer que não lhe devia explicações.  

Os olhos da rosada lacrimejaram. Antes que sua visão se embaçasse, algo captou sua atenção. Ela esfregou os olhos com as costas da mão, limpando as lágrimas e logo focou seu olhar na tela do celular.  

A foto do moreno era estilo preto/branco, e apesar de ele não estar fazendo pose, sua postura exalava altivez, com suas costas escorada contra o carro e mãos no bolso da calça, de forma natural. Seu rosto estava virado para lado, como se estivesse distraído com algo que acontecia do outro lado da rua. O cabelo escuro estava bagunçado e sobrevoava ao vente e seu olhar estava estreito. Era uma fotografia simples, mas era o suficiente para fazer qualquer garota.

Ao lado do icon com a foto dele, havia uma mensagem.  

► Hey. Você está bem? 

A mensagem fora enviada no fim da tarde. Sakura estranhou. Era como se ele soubesse que ela não estava em um bom momento. E mais estranho ainda era o leve sentimento de sossego o qual ela sentiu após ler essas 4 palavras.  

De forma quase automática, ela respondeu: 

Não muito 

Depois de enviar a mensagem, ela se perguntou o porquê que estava fazendo isso. No instante seguinte, ela se arrependeu. Não estava raciocinando direito. Sua mente estava completamente confusa.  

Estava prestes a apagar a mensagem quando percebeu que Sasuke estava online e provavelmente já vira sua resposta. E então uma lembrança passou pela sua mente. Alguns pontos se ligaram. Entretanto, algo não fazia sentindo.  

Querendo tirar essa história a limpo, Sakura digitou rapidamente, antes que perdesse a coragem: 

Precisamos conversar.  

Sakura enviou o texto e começou a roer suas unhas nervosamente. Mas o Uchiha não fez ela esperar por muito tempo. Logo chegou a resposta, e era tão direta que a rosada sentiu algo em seu interior se contorcer com desconforto.  

Sasuke: Quer que eu vá até aí? 

Ela se surpreendeu com a forma que ele se disponibilizou a ir até ela, a essa hora da noite, tão facilmente. Passava das três da madrugada, o dia virava de sábado para domingo, e ela imaginava que ele teria coisas mais interessantes para fazer em vez de ir na casa dela conversar.  

Afastando o receio, ela respondeu: 

Sakura: Se você puder... 

Conversar pessoalmente seria melhor, ela achava. O assunto era sério e Sakura queria olhar diretamente nos olhos do Uchiha para analisar se ele está sendo verdadeiro ou não.  

Sasuke respondeu de imediato: 

Estou a caminho.  

Simples assim.  

Sakura reprimiu o nervosismo. Não havia motivo para ter receio. Ela tinha um assunto importante para tratar com o Uchiha e não poderia deixar de lado. Para completar, estava sem sono e provavelmente se reviraria na cama por um longo tempo até que finalmente conseguisse dormir. Agora teria uma distração.  

Uma distração que lhe deixava mais apreensiva em vez de relaxada. Ela não poderia se sentir plena com toda essa situação. Com sua vida amorosa. Tem tanta coisa errada que nem cabe em palavras. Era impossível distinguir tudo que ela estava sentindo.  

Após anos esperando que vivesse um verdadeiro romance, ela desistiu de se iludir e se acostumou ao fato de que jamais iria viver o relacionamento de seus sonhos. E então, apareceu Sasori, e suas esperanças se renovaram. Desde as primeiras palavras que trocara com ele, Sakura sentiu algo diferente, e era o tipo de sentimento que floresce e faz bem. Teve a oportunidade de conhecer em primeira mão o que era ser verdadeiramente amada e desejada. Um tipo de desejo que não lhe fazia mal.  

Ela finalmente estava vivendo o relacionamento que tanto idealizou, e era melhor do que ela imaginava.  

Mas, hoje Sakura descobrira que estava apenas se iludindo, novamente. Ela fora obrigada a colocar seus pés no chão e voltar para o mundo real. O destino te deu mais um tapa na cara. E ela percebeu que estava sendo ingênua demais ao pensar que realmente conseguiria ser feliz.  

Sasori pode ser um dos culpados, claro. Mas a culpa maior era dela por ter se permitido ter expectativas altas quando deveria estar ciente de que nada seria perfeito. Ela caiu e quebrou a cara. Porque estava voando alto demais.  

Sakura se virou na cama, deitando de costas e levando as mãos à cabeça. Suspirou, cravando os dedos entre os fios de seus cabelos e puxando as mechas, pouco se importando com a dor. Ela sabia que deveria parar de pensar nisso. Quanto menos cutuca a ferida, mais rápido ela cicatriza.  

Porém, ainda havia muita coisa para tirar a limpo. E quanto a Sasori... bom, ela ainda não sabia o que pensar. Precisaria refletir muito antes tomar alguma decisão. No momento, Sakura não se sentia apta para fazer boas escolhas.  

E deve ser por esse motivo que ela se levantou da cama e começou a trocar de roupa. Tirou o vestido amarrotado, o trocando por uma calça legging preta e blusa de moletom, vermelha.  

No banheiro, ela se recusou a olhar para o seu reflexo no espelho, evitando se preocupar com sua aparência desastrosa. Apenas lavou o rosto com água morna e prendeu seus cabeços em um rabo de cavalo frouxo.  

Ao voltar para o quarto, pegou o celular e viu que tinha uma nova mensagem de Sasuke. Ele já havia chegado e estava esperando por ela, lá fora.  

Recolhendo todo resquício de coragem que lhe restava, Sakuro enfiou o celular no bolso do moletom e se dirigiu para o andar de baixo.  

Ao abrir a porta se deparou com as costas largas do Uchiha, que estava sentado no degrau da varanda, aguardando por ela. Ele vestia uma blusa preta com mangas longas, o tecido era fino e aperto, deixando evidente os contornos dos músculos dele.  

Sakura se aproximou lentamente e se sentou ao lado dele. Não o encarou, mas podia sentir os olhos dele sobre si, analisando-a intensamente.  

Escutou o leve som dele se remexendo. Sasuke se sentou de lado, virando-se para ela. Sakura manteve os olhos focados no chão.  

Percebendo que ela não seria a primeira a falar, Sasuke se pronunciou após um minuto em silencio.  

— Tsc... Parece que as coisas não andam bem entre você e o ruivinho. — Disse, com um toque de sarcasmo, mas levemente cauteloso.  

Sakura mordeu o lábio e abraçou seu corpo, se protegendo contra o vento frio que soprou de repente.  

— Aconteceram... Coisas. — Falou de forma vaga.  

Após uma pausa longa, replicou.  

—Sakura, eu sei o que aconteceu. — Ele revelou em tom baixo.  

Ela ergueu o olhar e o encarou, levemente surpresa. Sasuke arqueou as sobrancelhas, o olhar com um suave brilho de receio.  

— Er, Naruto me contou. — Ele confessou. Sakura franziu o cenho, confusa e desconfiada. Sasuke desviou o olhar, e explicou: — Ele ouviu sua conversa com Hinata.  

A rosada estreitou os olhos e cerrou os dentes. Se lembrou do seu desabafo com Hinata, e ela estava tão atordoada que nem se preocupou em fechar a porta. Mas não poderia imaginar que o Uzumaki seria tão enxerido a esse ponto. 

— Aquele idiota... Que fofoqueiro dos infernos. — Ela cerrou o punho, cheia de vontade de socar a cara sapeca do loiro. Sakura fitou o Uchiha com olhar irritado. — Vocês não valem nada. 

Sasuke devolveu olhar, incrédulo.  

— Ei, a culpa não é minha, ok. Ele quis me contar e eu não poderia tampar os ouvidos para não escutar. — Ele se defendeu.  

Sakura torceu os lábios, emburrada.  

— Você fala como se não tivesse gostado do que descobriu. Vai mentir e me dizer que não está satisfeito? — Ela o confrontou com tom amargo.  

O maxilar do moreno se tencionou. Seu semblante ficou sério. Ele aproximou seu rosto ao dela e lhe fitou com olhar penetrante.  

— Não vou negar que gostei de saber que estava certo esse tempo todo. O Akasuna é um sonso e eu saquei isso logo na primeira vez em que o vi. — Sakura virou o rosto, rompendo o contato visual. O tom do Uchiha não era agressivo, mas era duro e firme. — Mas não estou satisfeito. Por que você não merece isso.  

Sakura voltou o olhar para ele. Se surpreendeu com suas palavras e o olhar compassível que ele lhe lançou.  

— Não deve estar sendo fácil para você. — Ele completou em tom baixo. E naquele momento, com ele sustentando seu olhar e a seriedade estampada em seu semblante, Sakura acreditou que Sasuke realmente estava levando a sério essa história de firmar uma amizade. E, apesar de desconfiar das suas motivações, ela se sentiu inclinada a aceitar essa amizade.  

— Não, não está. — Ela confessou, cabisbaixa. Então, ergueu o olhar e o encarou com olhar estreito. — Você disse que conhecia Matsuri.  

O canto da boca do Uchiha se contorceu.  

— Então é sobre isso que você queria conversar. — Constatou e Sakura poderia jurar que ele parecia levemente desapontado.  

— Sim. É que eu desconfio que você sabe mais do que me disse. E preciso que me conte.  

Sasuke revirou os olhos.  

— Tudo que sei é o que Gaara me contou. E aconteceu no passado. Eu não sabia que essa tal de Matsuri ainda tinha contato com o Akasuna até você mencionar. Acho que nem o Gaara sabe.  

— Sim, ela trabalha com ele. — Sakura disse, sentindo sua garganta se fechar e um gosto amargo na boca. Balançando a cabeça, ela focou o olhar no Uchiha, com expressão curiosa. — Mas, o que Gaara te contou? O que você sabe? 

Sasuke estalou a língua. Se inclinou para frente, apoiou os cotovelos sobre sua coxa e entrelaçou suas mãos.  

— Um dia ele foi lá em casa e me contou que você estava envolvida com seu primo.  

Sakura rangeu os dentes e uma veia saltou em sua testa, se lembrando do dia que Gaara se deparou com ela, na casa de dona Chiyou, junto com Sasori. O ruivo havia lhe jurado que não diria nada a ninguém. A rosada não queria manter sua relação com Sasori em segredo, mas, não achava agradável a ideia de espalharem o assunto por aí.  

— Seus amigos são uns filhos da mãe fofoqueiros. — Ela resmungou com dentes cerrados.  

Sasuke deu de ombros.  

— Gaara me contou porque tinha uma rixa entre ele e o Akasuna. É bem obvio que ele detesta seu primo. Eu quis saber o porquê. Gaara me disse que no ensino médio ele tinha uma namorada chamada Matsuri. Os dois estavam juntos há dois anos. Até que Sasori se matriculou no mesmo colégio que eles estudavam. Ele fazia muitas aulas junto com Matsuri, e em certo momento os dois formaram dupla para fazer um trabalho.  

" Gaara percebeu a proximidade entre os dois, mas não desconfiou de nada. Até que rolou uma festa. Gaara estava jogando sinuca quando alguém sussurrou em seu ouvido, dizendo que sua namorada estava o traindo nos fundos do jardim. Ele, então foi lá, e os flagrou. Matsuri chorou e confessou que isso estava rolando já a algum tempo, mas ela não teve coragem de contar para ele, que ela não pôde resistir e tals. — Sasuke revirou os olhos. — O Akasuna disse que as coisas simplesmente foram acontecendo e ele não pode evitar. Claro que o Gaara não acreditou nisso. Ele conhece o primo que tem.  Sasori era mimado e quando queria uma coisa, não havia restrições para conseguir. Ele seduziu Matsuri com seu jeito gentil e amigável, e acabou conquistando ela. " 

Sakura sentiu sua boca ficar seca, e ela fitou suas mãos com olhar perdido.  

— É inacreditável que ele tenha feito algo assim. — Murmurou. Se as coisas aconteceram de forma natural ou não, a atitude de Sasori fora detestável. Matsuri era namorada de Gaara, seu primo de sangue, e o Akasuna lhe traiu da maneira mais desleal. Agora ela compreendia o porquê Gaara desgostava tanto de Sasori.  

Sasuke riu sem humor.  

— Deve ser uma surpresa saber que ele não é o santinho que você imaginava.  

Sakura apertou suas mãos uma na outra e mordeu lábio. Ela não encarou o Uchiha, permanecendo com o olhar distante.  

— Eu não achava que ele era santo. Só não... — Suspirou. — Não imaginava algo assim.  

O que mais lhe doia era o fato que ela estava totalmente alheia a tudo isso. Sentia tristeza, decepção, mas além de tudo, mágoa por Sasori ter escondido tanto coisa. Ela detestava ser a última a saber, ser deixada na completa ignorância.  

— Por que você não contou antes? — Ela questionou, fitando o Uchiha com olha fulminante. — Teve a chance de falar, mas não o fez. Por que, Sasuke?   

Sasuke desvia os olhos para chão, pensando, em silencio. Por que ele não contou antes? Era uma boa pergunta. Vontade não lhe faltou. Mas as coisas não eram tão simples assim.  

— Se eu dissesse, você não acreditaria. — Ele confessou com tom sério. — Acharia que eu só estava tentando plantar a discórdia entre vocês e se afastaria ainda mais de mim.  — Sasuke olhou de soslaio para ela, vendo seu rosto se contorceu em uma careta.  

— Você se diz meu amigo mas não se importou em me alertar. Simplesmente porque não queria sujar sua barra? — Questionou incrédula.  

A expressão do Uchiha se endureceu.  

— Não é bem assim. Eu sabia que, uma hora ou outra, você iria descobrir, e o melhor seria que fosse naturalmente. Você perceberia que o Akasuna é um fingido que queria te fazer de otária até o último segundo.  

Sakura endureceu o queixo. Sabia que por um lado, o Uchiha estava certo. Se tivesse descoberto antes, ela não saberia se Sasori esconderia as coisas dela por tanto tempo. E jamais imaginaria que ele seria capaz disso. Mas agora, ela percebia. Ele só lhe contou sobre Matsuri porque fora necessário e ainda omitiu os detalhes. Caso contrário, ela permaneceria sem saber por um bom tempo.  

— De qualquer forma, você deveria ter me contado. Seria o certo a se fazer.  

Sasuke bufou, levemente irritado. Para ele, o certo seria não se intrometer diretamente. Mas mesmo quando ele faz o certo, acaba sendo errado.  

Suspirando pesadamente, Sakura o fitou por baixo dos cílios.  

— Você sabe o que aconteceu depois? Quero dizer... Gaara terminou com ela, obviamente, não é?  

Sasuke assentiu.  

— Depois que ela confessou, Gaara e o Akasuna brigaram feio. Gaara não perdoou ela, e muito menos o Sasori. Não quis nem mais olhar na cara deles, porém sabia que os dois continuavam tendo relações. Mas nunca assumiram, por algum motivo. E então veio a formatura, e depois cada um foi para o seu lado. Gaara nunca mais viu Matsuri, porém ainda tem que aturar o Akasuna, às vezes.  

— Entendo. — Por mais incrível que pareça, Sakura se sentiu solidária ao Gaara. Nunca imaginou que um dia simpatizaria com o ruivo, mas tinha que admitir que ele não merecia essa traição. — Coitado do Gaara. — Ela sussurrou. Sasuke concordou com um murmuro e olhou para a rosada com o canto dos olhos.  

— Pois é. Parece que o Akasuna tem essa mania de roubar a garota dos outros. — Balbuciou com certo sarcasmo, porém havia um ponta de seriedade em seu tom.  

Sakura preferiu fingir que não compreendera a indireta. Mas fora impossível disfarçar sua expressão incrédula.  

— Não entendi muito bem o que você quis dizer com isso.  

— Você entendeu, sim. — Sasuke rebateu com olhar estreito e sorriso discreto. Sakura rolou os olhos. O Uchiha voltou a ficar sério quando observou seus ombros murcharem e a cabeça se curvar, cabisbaixa, e ela olhou para as mãos em seu colo com olhar tristonho. — Mas, e agora? Você pretende continuar namorando? — Ele questionou, tenso.  

Sakura fechou os olhos e suspirou. No momento, ela não tinha certeza de nada. Se sentia muito chateada com tudo. E eram muitas coisas. Só pelo fato de Sasori ter sido hipócrita e omitido seu caso com Matsuri, enquanto lhe questionava arduamente sobre sua relação com Sasuke, era o suficiente para abalar o namoro. Sasori não era como ela pensava. Descobrira um lado dele que ela não gostou de conhecer.  

Agora ela percebe que era perfeição demais para ser real. Mas ela tinha sua parcela de culpa. Desde que conheceu ele, o pintou da forma que ela queria que fosse. Para que se encaixasse no conceito de "homem dos seus sonhos". E isso deu certo, por algum tempo. Mas a pintura se rasgou, e entre vão de retalhos ela pode visualizar outra imagem de Sasori. Principalmente após descobrir sobre seu passado.  

E para completar, havia o fato de que Matsuri estava carregando seu filho.  

Ele teria um filho. Com outra mulher.  

Como Sakura poderia lidar com isso? Ela sequer sabia como reagir. Era um baque forte demais para superar.  Era simplesmente demais para ela. 

Não percebeu que as lágrimas escorriam até que sentiu um toque quente em seu rosto. Sasuke estava inclinado próximo a ela com sua mão estendida. Seus dedos calejados deslizaram pela bochecha dela, enxugando suas lágrimas.   

Sakura ergueu o rosto, sobressaltada.  

— Calma. — Sasuke sussurrou com tom tranquilo. Seu olhar intenso transmitia compaixão. Ele se inclinou mais, tomando o rosto da Haruno com suas duas mãos e deslizou a ponta do polegar em baixo dos seus olhos, afastando suas lágrimas. Seu toque era delicado e gentil, sua mão tinha uma temperatura cálida e aquecia sua pele. — Não chore. Ele não merece suas lagrimas. — Ele engoliu em seco. — Assim como eu também não mereci. — Admitiu. — A verdade é que nenhum de nós merece você, Sakura.  

Sakura ficou surpresa com sua declaração. Sentiu seu coração mole. Ergueu a mão e a repousou em cima da mão do Uchiha. Ele, ao menos, sempre fora verdadeiro com ela. E estava se mostrando um bom amigo, lhe apoiando no momento em que ela mais precisa. Ele estava mudado, Sakura tinha que admitir. Parecia realmente preocupado com seu estado emocional, e ela não enxergava segundas intenções em seus atos.  

Claro que ela não se esquecera de tudo que acontecera no passado. E não voltaria a se relacionar com ele. Contudo, ela já se resignou ao fato de que era impossível afasta-lo de vez.  

O som de um celular tocando quebrou o silencio. Sasuke se afastou relutantemente. Sakura sentiu a brisa fria atingindo seu rosto com a ausência do toque cálido da palma dele.  Observou enquanto o Uchiha tirava seu celular do bolso e erguia as sobrancelha, confuso ao ver algo na tela. Ele lançou um olhar de desculpa a Sakura antes de levar o aparelho ao ouvido.  

— Que foi, mãe? — Atendeu com desanimo. Do outro lado da linha, Mikoto começou a falar. Sakura apenas observou e conforme o Uchiha escutava, sua expressão irritada se desfez e se transformou em espanto. Seu rosto empalideceu e os arregalaram. Total espanto tomou sua feição. — Onde ele tá? — Questionou com tom desesperado. — E-eu estou indo! — Exclamou.  

Ele encerrou a ligação e se levantou abruptamente.  

— O que aconteceu? — Sakura perguntou, se levantando, preocupada.  

Sasuke a encarou com olhos esbugalhados. A expressão em seu rosto era uma mistura de aflição e desespero. Sakura nunca o vira assim antes.

— Meu irmão... — Sua voz falhou devido ao nervosismo. Sasuke engoliu em seco. — Ele sofreu um acidente.  


Notas Finais


iiiih oq será q aconteceu com o itachi? as coisas serão um pouco tensas, daqui em diante. será que sasuke suportaria uma perda?
enfim
quem ai gostaria de ser consolada por um moreno delicia?
E agora até deu uma peninha do gaara. tadinho, foi corneada em grande estilo.
nem vou dizer nada sobre sasori. nem tem como defender.
Isso é reviravolta minha gente! antes eu detonava o sasuke junto com vcs nos comentários, agora parece q o jogo virou não é mesmo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...