História Nossa Velha Infância - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Dakota, Debrah, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Lysandre, Nathaniel, Peggy, Personagens Originais, Professor Faraize, Rosalya, Violette
Visualizações 15
Palavras 2.171
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção Adolescente, LGBT, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


💕

Capítulo 19 - Um dia quase perfeito


Fanfic / Fanfiction Nossa Velha Infância - Capítulo 19 - Um dia quase perfeito

Depois do meu passeio com o Lys, eu refleti bastante nas coisas que eu descobri sobre ele, não sei se tudo se passava de uma grande conhecidência, ou se realmente ele tiverá feito parte do meu passado, depois de muito tempo pensando bastante, e de quase não ter dormido, o meu despertador me " Acorda " oque faz eu me destrair dos meus pensamentos, me alevanto, me dirijo até o banheiro, tomo um banho demorado, escovo meus dentes, pego uma blusa branca uma calça jeans rasgada, e meu tênis preto, depois de tomar um café sabendo que minha mãe ja havia saído para o trabalho, eu saio de casa ainda um pouco pensativa, quando eu iria passar pela rua, eu não olho para os lados e um carro buzina quase me atropelando e deixando a marca dos pneus pelo o asfalto, eu olho assustada e um pouco atordoada.

Castiel: - Você ta bem?! 

- T-Tô. * Eu falo um pouco tremula * 

Castiel: - Você é doida?! Vem, vamos pra escola que lá a gente toma uma água.

O Castiel pega no meu braço me guiando até a escola, eu apenas o acompanhava ainda um pouco tremula e nervosa, quando entramos na escola o Castiel ainda estava segurando meu braço me levando até o bebedouro, o Lysandre nós olha e não faz uma cara boa, e segue nois dois.

Lysandre: -  Oque está acontecendo? 

 Castiel: - Sua namorada quase foi atropelada! 

O Lysandre olha pra mim com uma cara de preocupado enquanto eu tomava água.

Lysandre: - Castiel, pode nós dar licença? 

Castiel: - Uhum.

Depois da saída do Castiel o Lysandre vem até mim colocando a mão dele no meu ombro, oque me acalmou um pouco, a cara dele estava tão preocupada que fez eu me sentir um pouco mal, ele me virou de frente para ele, e me deu um abraço bem apertado, sussurrando em meu ouvido " Não sei oque seria de mim se tivesse acontecido o pior... " Meus braços ainda não estavam ao redor de suas costas, mais depois de ter escutado essa frase, uma lágrima escorreu pelo os meus olhos, fazendo com que eu o abraçasse de uma forma inexplicável.

Lysandre: - Está tudo bem? 

- Sim... Eu apenas estava muito concentrada nos meus pensamentos que nem prestei atenção.

Lysandre: - No que estava pensando? 

- Er... No... Na aula do professor Faraize, falando nele vamos pra aula? 

Lysandre: - Hum, vamos... 

O olhar dele parecia que eu não havia o convencido, mas eu não queria preocupa-lo com isso ainda, eu queria ter a certeza disso para depois pergunta-lo, o sinal tocou, logo o pátio ficou vazio, e as salas de aulas cheias, eu ainda estava de cabeça baixa indo até a sala, a Rosa e o Alexy perceberam o meu estado, e não exitaram em me perguntar oque houve. 

Rosalya: - Giulia? 

- O-Oi? 

Rosalya: - Está tudo bem?

Alexy: - A gente percebeu que você está cabisbaixa. 

- Eu estou meio pensativa em relação ao Lys. 

Rosalya: - Ao Lysandre? 

- Ahn, eu não contei pra vocês, eu e ele estamos namorando.

Alexy: - Sempre shippei! 

Rosalya: - Oque há de errado nisso?

- Nada, em um passeio que nós tivemos eu conheci a mãe dele, e por uma grande conhecidência o nome da mãe dele foi o nome de uma senhora que era a mãe de um amigo que fez a minha infância muito feliz, mais eu não consigo me lembrar o nome dele, eu apenas queria saber se era o Lys, pois é tudo uma conhecidência absurda!.

Alexy: - Por que você não pergunta logo pro Lysandre isso? 

- Estou meio sem jeito de perguntar isso pra ele.  

Rosalya: - Se você não perguntar, como vai saber? 

Eu fiquei calada, e realmente o Alexy e a Rosa estavam certos, eu agredeci os dois e fui até o Lysandre que estava conversando mais o Castiel. 

- Podemos conversar? 

Lysandre: - Sim.

Castiel: - Tá tá já estou saíndo!

Lysandre: - Oque quer conversar? 

- Lys, eu... eu fiquei muito pensativa depois da conversa com a sua mãe, pois ela me lembrou alguém do meu passado, o nome dela é o mesmo de uma senhora que era mãe de um amigo muito importante meu...

Depois que eu falei essa palavras, o Lysandre abriu um sorriso, e eu continuei falando. 

- E nessas conhecidências eu criei a expectativa que meu amigo de infância era você, e... eu queria apenas saber, se... é você. 

Ele continuou com o sorriso, pegou uma mecha do meu cabelo e pós atrás da minha orelha, e disse.

Lysandre: - Depois que te deixei em casa, minha mãe conversou comigo, e me amostrou fotos que eu aparecia ao lado de uma menina, muito bonita, e ela me falou que era você... E foi assim que eu pensei, se quando eramos crianças ja éramos amigos inseparáveis, imagina hoje que somos namorados... Foi aí que eu descobrir o quão eu sou apaixonado por você.

Depois dessas palavras, eu fiquei corada mais tão feliz, a minha vida toda o Lysandre estava comigo, e hoje, somos namorados! Eu o abracei fortemente fazendo com que uma lágrima escorrece pelo o meu olho, fiquei tão feliz em saber de que ele participou da minha infância e hoje está participando em mais uma parte da minha vida, isso só me fez ficar mais fascinada por ele.

Rosalya: - GENTE SÉRIO QUE FOFOS! 

Alexy: - GENTE! IMAGINA UMA VIOLONISTA TOCANDO AQUI DO LADO?! QUE LINDO!!! 

Castiel: - Que melação hein... 

Rosalya/Alexy: - Cala boca Castiel! 

Eu e o Lysandre começamos a rir e demos as mãos, sinceramente eu fiquei aliviada em descobrir mais sobre o meu passado, e principalmente saber que o Lys estava nele, depois dessa grande turbulência o professor Faraize entrou na sala, e deu a matéria dele, como já era de se esperar ele quis que nós recitacimos uma cena, e pra variar de novo a Ambre fez um escândalo pra ser a personagem principal, o próprio professor havia criado as falas e a cena. 

Prof.Faraize: - Bom alunos eu vou distribuir os papéis e os personagens...

Ambre: - Já vou avisando professor que eu quero ser a personagem principal, pois eu mereço! Nada mais justo! 

Prof.Faraize: - Senhorita Ambre, fico feliz por querer mostrar o seu potencial, mas você não é a pessoa adequada para fazer este papel, poderia ser... GIULIA! 

Ô minha nossa senhora! Tudo sobra pra mim!

- E-Eu? 

Prof.Faraize: - Obvio! Você tem a doçura e leveza da personagem principal! Vamos pegue o papel.

- Tá né.  

Prof.Faraize: - Agora... LYSANDRE! Você irá ser o esposo de Giulia! Você tem que demonstrar o seu grande amor e cavalheirismo por Giulia!. 

Lysandre: - Fazerei isso. 

O Lysandre fala olhando no fundo dos meus olhos com um sorriso tímido no rosto. O professor continuou distribuindo os papéis, e a Ambre ficou como serviçal da Rosalya!!! Eu nunca vi a Rosa tão feliz em ver a Ambre aos pés dela!!! Chegou a minha vez de atuar com o Lysandre, eu tinha que ser uma moça ingênua e insegura mais apaixonada por ele, na parte do apaixonada não terei que fazer muito esforço!. 

Prof.Faraize: - Podem começar. 

Lysandre: - Ei você! Espere por favor! 

- Oque quer de mim? , nobre alteza. 

Lysandre: - Quero apenas admira-lá e lhe dizer o quanto é linda.

- O-o senhor deve está me confundindo com alguém da nobreza senhor.

Lysandre: - Eu nunca poderia confundi-lá com alguém, pois apenas você é única. 

- Não seja assim senhor, oque eu, uma camponesa que se esconde atrás dos muros do castelo pode lhe fazer ficar tão encantado? Olhe os meus trajes! Meus cabelos, agora olhe para o senhor, um príncipe da realeza... Somos tão diferentes que eu demoraria mil luas para dizer tudo que somos diferentes. 

Lysandre: - Não estou a procura de uma mulher com vestidos bonitos, cabelos arrumados ou título de nobreza, pra que tudo isso? Se oque eu realmente admiro está me olhando como se estivesse abaixo de mim, não me importo com que oque fale, ou que demore mil luas para você me entender e compreeender que, é você que eu estou apaixonado e você quem um dia eu quero chamar de minha esposa...

Depois do Lysandre ter recitado esse texto eu não deixei o meu sorriso escapar, ele se abaixou beijou minha mão e se levantou me olhando com um belo sorriso.

Prof.Faraize: - Ótimo!!! 

* Triiiiii * 

Prof.Faraize: - Bom alunos,  na próxima aula de literatura eu trago outra dramaturgia, até.  

Rosalya: - Que isso hein?! Vocês dois atuaram tão bem! Na verdade eu aposto que isso não foi da boca pra fora não é Lys? 

Lysandre: - Sim. 

Eu sorrio pro Lysandre um pouco tímida, no intervalo, eu, Castiel, Lys, Rosa, Alexy e Armin ficamos conversando até o sinal tocar novamente.

* Triiiiii * 

Quando eu me dirigia pra sala o Lys me chamou. 

- Oi Lys? 

Lysandre: - Espere um pouco. 

Todos os alunos entraram na sala, e não havia sinal da general, digo! Diretora!. O Lysandre me puxa para atrás de uma coluna de uma parede que era grande e estreita.

- Lys! Alguém pode nós ver!. 

Lysandre: - Não estou conseguindo ficar sem um beijo seu! Eu estava doida pra beija-lá quando atuamos juntos, mas tive que me segurar... 

- Haha, eu também, mas mesmo assim! É muito arriscado! 

Lysandre: - Você está certa... Venha, vamos.

Ele estende a mão para mim, eu olho a mão dele por alguns segundos e penso " Ah que se foda! " eu puxo a mão dele mais pra perto de mim, me deixando contra a parede.

- Mudei de ideia!.

Ele dá um sorriso malicioso e me beija com vontade! Eu já estava com saudade do toque e dos lábios dele, eu sei que nós estavamos correndo o risco de sermos pegos, mas eu não me aguentei, a saudade falou mais alto! Eu o beijava, passando a minha mão pela a sua nuca, ele passava a mão pela minha cintura, dando umas leves puxadas, e eu fazia o mesmo com um pouco do seu cabelo, eu percebi que já deviriamos ter entrado na sala a um certo tempo, então nós dois entramos inventando a desculpa que tinhamos havido falar com o Professor Faraize sobre a cena que nós dois fizemos, depois de nós olharmos, sentamos e as vezes nos encaravamos, eu estava ficando tão vermelha mas eu estava tão feliz! Ao ponto de explodir!!!.

Depois da aula chata de gramática, fomos embora, a Rosa veio falar comigo.  

Rosalya: - Oque você e o Lys estavam fazendo lá fora hein? 

- Apenas resolvendo coisas com o Faraize ue...

Rosalya: - A T A * ela fala pausadamente * Mente não queridinha!!! 

- Ta ta, nós apenas estavamos... 

Rosalya: - Não precisa nem terminar haha...

- Haha só você viu Rosa! 

Rosalya: - Haha!  

Eu fui embora rindo ainda da Rosa. Eu estava chegando no meu prédio, peguei o elevador fui no meu andar, peguei a chave da porta e entrei. 

- Mãe? Cheguei! Aonde você tá? 

Falei procurando por ela na casa toda, quando eu entro no quarto dela, encontro a minha mãe desmaiada no chão com várias cartas e taças de vinho espalhadas pelo quarto.

- MÃE?! MÃE FALA COMIGO?! MÃE!!! 

Eu tento acorda-lá a chacoalhando, mais não estava adiantando, eu corro até o telefone e chamo uma ambulância mais rápido o possível.

- M-Moço pelo amor de Deus!!! Minha mãe ta desmaiada moço me ajuda!!!

Eu passo o meu endereço para o homem que estava me atendento depois de uns cinco minutos a ambulância chega, recolhe minha mãe colocando-a em uma maca, eu vou acompanhando a minha mãe o tempo todo rezando para ela está bem. 

Chegando no hospital, os para-medicos levam a minha mãe para um quarto urgentemente, a enfermeira pediu para eu esperar na recepção, eu estava tão nervosa, então eu decido ligar para a Rosalya.

Ligação/ON

- Alô? 

- Oi Giulia? 

- Amiga,  pelo amor de Deus eu tô muito nervosa! 

- Oque foi?!

- Eu encontrei minha mãe desmaiada no chão agora ela ta internada! * chorando * 

- Meu Deus! Amiga eu tô indo pra ir! Vou avisar o Lys também! 

- E-eu tô com m-medo!... 

- Calma! Nós já estamos chegando aí! 

- T-Ta bom...

Ligação/OFF

Eu desligo, enxugando as minhas lágrimas e tentando me acalmar de  tão tremula que eu estava, eu abaixo minha cabeça rezando todas as rezas que eu sabia,  até em espanhol eu rezava! Avisei para os meus irmãos também que cada um minuto me mandavam mensagens dizendo que iria ficar tudo bem. 

Rosalya: - Ô amiga... 

Eu corro até a Rosa que estava acompanhada com o Lys, e dou um abraço bem forte nela. 

Rosalya: - Calma viu, sua mãe vai ficar bem! 

- Obrigada, por vocês dois terem vindo.

Lysandre: - Que nada, eu não poderia deixar você aqui, nesse estado.

Rosalya: - O resto da turma vai vir também pra ficar do seu lado...

- Obrigada 

Nós três nós abraçamos e eu não conseguia parar de chorar a cada segundo, nós três nós sentamos, de tanto eu chorar acabei adormecendo no ombro do Lys que acariciava minhas bochechas e os meus cabelos. 




Notas Finais


💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...