1. Spirit Fanfics >
  2. Nossa versão ( cinquenta tons de cinza) >
  3. Capítulo Quinze

História Nossa versão ( cinquenta tons de cinza) - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Muitas surpresas estão por vir.

Capítulo 15 - Capítulo Quinze


Fanfic / Fanfiction Nossa versão ( cinquenta tons de cinza) - Capítulo 15 - Capítulo Quinze

Ele abriu a porta, e nós dois entramos... as luzes estavam apagadas quando ele acendeu eu fiquei paralisada, era uma sala com todas as paredes vermelhas onde tinha uma grande cama vermelha no centro do quarto, com as luzes baixa iluminando cada cantinho daquele local.

— Ai meu Deus! — disse assustada, andei até uma prateleira onde tinha varias coisas que chamava a minha atenção. Eu respirava fundo, ele trancou a porta, vindo atrás de mim.

— São açoites. — ele disse ao me ver pagando em um dos “brinquedos”.Continuei andando e olhando cada coisa que chamava a minha atenção, em silencio.

— Por favor diga alguma coisa.

— As mulheres fazem isso com você? ou você faz... — me virei para ele, com os braços cruzados. Ele me cortou.

— Eu faço com elas. Com as mulheres que querem que eu faça. — continuei andando.

— Você é sádico?

— Sou dominador.

— O que quer dizer?

— Quero dizer que, eu quero que você se entregue a mim, espontaneamente.

— Por que eu faria isso?

— Pra mim agradar.

— Pra agradar você? como? — disse seco.

— Eu tenho regras, se você seguir elas eu te recompenso, se não eu castigo.

— Você me castiga, usando essas coisas em mim?

— Isso.

— E o que eu ganho com isso? — sorrir sem mostrar os dentes.

— Eu! — ficamos em silencio, e depois saímos do quarto de jogos e voltando para sala.

— E se eu não quiser nada disso? — falei enquanto descíamos as escadas.

— Eu entenderia perfeitamente.

— Mas ai, a gente ia ter nenhum tipo de relação?

— Esse é o único tipo de relação que eu me interesso. É assim que eu sou!— ele segurou em meu braço. ( mal sabia ele que tudo estava prestes a mudar).

Nos setamos no ultimo degrau da escada.

— Quando você falou em negociar o que quis dizer? — eu queria muito entender mais sobre ele.

— O nosso contrata já está preparado ele é bem detalhado, você vai analisar e vamos negociar o que está ou não disposta a tentar.

— Como eu vou saber o que eu estou disposta a tentar?

— Quando você fez sexo tinha alguma coisa que você não gostava de fazer?

— Eu não sei dizer...

— Como assim?

— Porque eu nunca... — balancei a cabeça e em seguida abaixei ela.

— Você é virgem. — acabei de lembrar que ela tinha me dito isso, eu sou um imbecil.

Cheguei ainda mais perto dela e toquei o seu rosto fazendo ela levantar a cabeça.

— Onde você estava?! — ficamos bem próximos olhando fixamente um para o outro.

— Esperando...— sussurrei.

— Os homens devem se jogar pra cima de você.

— Nunca um que eu quisesse. — mordi meus lábios.

— Está mordendo seus lábios. — ele sussurrou, me puxando para um beijo, carinhoso e intenso. Ele se levantou e me levou junto com ele.

— O que está fazendo? — perguntei de mãos dadas com ele.

— Resolvendo o problema.

— Eu sou um problema? — ele sorriu voltando a me beijar.

—Você, não.

 Ele me levou para um quarto todo branco era lindo. Ele apagou as luzes deixando acessa apenas ah que iluminava o centro do quarto.

Voltamos a nos beijar e naquele momento eu me senti preparada para ter a minha primeira relação sexual com ele, mesmo sabendo tudo que soube sobre ele hoje, eu não senti medo.

Ele começou a me beijar com delicadeza, sempre olhando em meus olhos com ternura, seus beijos desceram para meu pescoço, fomos caminhando lentamente até minhas pernas encostarem cama.

— Você quer isso? — ele disse serio.

— Sim, muito. — ele voltou a me beijar enquanto me deitava com cuidado na cama. ele tirou toda a minha roupa com cuidado e beijou todo o meu corpo, com muito carinho e paciência, não estava sendo daquilo que ele me disse minutos atrás... “Eu fodo com força.” Muito pelo contrario ele estava sendo atencioso comigo, o que me fez ficar bem relaxada eu estava sentindo muito prazer com os seus toques.

Ele tirou sua roupa e em seguida, deu atenção ao sexo que no momento estava totalmente molhado, como da ultima vez que ficamos.

Ele começou a chupar ali com muito delicadeza e maestria, me levando a loucura!

— Meu Deus isso é muito bom. — gemi mordendo meus lábios. Ele sorriu, e com cuidado olhando em meus olhos ele introduziu o seu membro em mim. Gemi sentindo ele entrar em meu canal, doeu um pouco mas depois eu fui me acostumando com o seu vai e vem dentro de mim, ele se movia lentamente.

— Ta tudo bem Lety? — ele me perguntou ao me ver apertando forte meus olhos.

— Sim...

— Tem certeza se quiser que eu pare eu é só dizer.

— Não quero que pare, está muito bom. — mesmo sentindo um pouco de dor eu não queria que ele parasse. Ele procurou por minha boca e tomou meus lábios em um beijo demorado e gostoso, eu gemia ao pé do seu ouvido, e via em suas ações que o mesmo estava delirando de prazer. Apos atingir o auge do prazer ele caiu ao lado da cama e me olhou. Ficamos em silencio, ele me acalmava e depois do que fizemos eu estava tão relaxada que acabei pegando no sono.

 

 

 


Notas Finais


Deixe o seu comentário.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...