História Nosso maldito Fluxo - Capítulo 32


Escrita por:

Visualizações 52
Palavras 2.027
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Saga, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


eu to com reação alergica pois a dondoca aqui resolveu ir pra fazenda e tomar no cu. sim. eu cai do cavalo, literalmente, e ainda tive reação alergica
coisa linda
to devendo a maratona pra vocês eu sei. mas vamos com calma né klajsdkjasdkj
mals
perdão
aproveitando que faltei o colegio escrevi essa maravilha pra vcs <3

Capítulo 32 - Irmãs ???


Fanfic / Fanfiction Nosso maldito Fluxo - Capítulo 32 - Irmãs ???

~ Point of view Maria Luisa on ~

 

- e então ? vocês estão se pegando ou não ? – encaro uma vivy que fumava do meu lado, ela suspirou soltando a fumaça e deu de ombros sorrindo

- quiii. Meio que rolou um clima e tals mas. Não nos beijamos...acho que gosto dela sabe, ela é bem legal – comentou a loira descontraída com um sorriso abobalhado no rosto. Acabo sorrindo e pego o cigarro de sua mão dando um trago, ela deitou na grama e encarou o céu. Estávamos no quintal de sua casa, por incrível que pareça os pais da vivy são de boa e não se importam com o fato dela fumar no quintal, mas claro, tudo com moderação.

- pelo visto você já gosta dela – sorrio de canto e vejo seu rosto corar de leve, ela solta uma risadinha contagiante e esfrega o rosto. Coisa fofa.

- não é pra tanto malu. Além do mais ela...hm...namora ? – perguntou em duvida o que me fez rir – ah bom! Serio!! eu não gosto de me meter em relacionamentos alheios, rolou um clima, rolou, mas não porque eu quis...tipo..a sei la – se embolou corando mais ainda o que me fez gargalhar e rolar na grama – qual é!! To seria aqui!! – ate ela ria. Suspiro e me viro pra loira sorrindo – eu gostei dela pra caramba, sabe, ela não é um cara gostosão cheio de músculos parecendo aqueles cavalos bem dotados mas me deu aquela coisa sabe ? sei la malu...meio que...ela faz meu tipo ? – ainda na duvida, solto uma risadinha e ela sorrir me olhando. Digamos que a vivy só ficou com uma garota na vida, sim eu, ela sempre foi louca arriada por aqueles “ boy magia “ “ playboyzinho “ sabe. Pois.

- ah querida, a lyla com aquele cabelo e aquele corpo dela faz o tipo de qualquer um! – ela começou a rir e me deu um soquinho pegando outro cigarro de maconha no  bolso e acendendo.

- não é o corpo dela....quer dizer, também é mas. Não é só isso. conversar com ela fez meu corpo arrepiar sacana, ah velho....não tem como explicar – murmurou fazendo um bico. Sorrio largo olhando pra ela

Sei exatamente como é isso...

Ah américa...o que infernos de macumba você jogou em mim em ?

- eu vi esse suspiro apaixonado – sorriu travessa, deixo um sorriso de canto escapar e olho pro céu

- pois é miga...parece que estamos encrencadas – ela forçou uma risada sem animo e suspirou

- é...agora me diz qual é a do dilan com aqueles dois em, porra eu quase dei meu rivotrill pra ele de tanto que o moleque tava nervoso coitado

 

[...]

 

Sábado.

O tão famoso dia em que pego hora extra no trabalho.

Mas não hoje, hoje eu iria visitar a lara na prisão junto com a Fernanda, a amiga dela.

- esta pronta ? – pergunto pra Fernanda da sala de sua casa enquanto ela se arrumava apressada no quarto. Ela já estava pronta quando cheguei mas se atrapalhou com um pote de agua no chão e molhou a calça toda. A coitada tava ansiosa e nervosa de mais.

- quase!! Preciso levar identidade ?

- acho melhor levar

- okay !!

Sinto algo se esfregando em minha perna e olho pra baixo vendo uma gata branca e peluda pra caralho se esfregando em mim e ronronando, deus que coisa fofa!!!! Deus quanto pelo!!! Aaah!!

- vamos ?? – me assusto com a voz da garota quando estava prestes a pegar aquela bola de pelos no colo, olho pra ela e ela sorrir ainda nervosa – na volta eu deixo você ate levar a lulu pra casa mas agora pelo amor de Deus vamos logo ? – começo a rir de sua euforia e a irmã dela entra na casa chamando a atenção da gata que literalmente corre atrás da garota miando

- hey meu amor, essa ogra deu comidinha pra você ? deu ? essa ogra não esqueceu de você não né – acabei sorrindo observando a irmã da Fernanda pegar a gata no colo e enche-la de carinhos

- oi pra você também Oliver. Vamos malu!! – resmungou uma Fernanda apressada, sorrio pra Oliver que sorriu pra mim acenando e saiu com a gata no colo conversando com ela.

Garota interessante. Gostei dela.

- to indo Fernanda calma! – e la estava eu sendo puxada pela garota.

O trajeto foi demorado, durou quase duas horas de viajem ate a penitenciaria no meio do nada. Entramos de boa, fomos revistadas e nos deram um crachá estranho. Andamos ate uma sala enorme com mesas e sofás. Meus olhos caíram numa lara mais magra pálida e alguns roxos no rosto entrando na sala algemada. Ver ela algemada fez meus olhos marejarem, e percebi que não era a única quando ouvi um soluço do meu lado, fungo limpando meus olhos vendo a Fernanda correr ate ela desesperada e abraça-la com força grudando nela como se ela fosse sumir a qualquer momento. Suspiro acabando por sorrir observando a cena. A Fernanda a enchia de beijos no rosto fazendo varias perguntas ao mesmo tempo segurando no rosto dela acariciando ela. essa garota ama muito a lara. mds.

- o que é isso no seu rosto lara ?? pelo amor de deus, o que você ta aprontando aqui ?? esta brigando ?? merda !! você não pode arranjar confusão aqui !! – sorrir com a preocupação da Fernanda vendo a lara sorrir, sentia tanta falta daquele sorriso dela. ela aprendeu ele comigo.

- hey nanda, calma. Eu to bem okay ? – disse baixinho segurando as mãos da garota que só conseguia chorar, não sei se era saudade ou agonia. Acabei ficando de vela por quase uma hora vendo elas se beijando. Não foi ruim ver elas se beijando, foi ate fofo e aconchegante. Percebi que a lara precisava daquilo, a garota estava acabada.

- então, como são as coisas aqui ? – vejo ela soltar um muxoxo e abraçar ainda mais o corpo da Fernanda que estava sentada em seu colo grudada em seu pescoço.

- bom...resumindo tudo, isso aqui parece mais um puteiro, todas as garotas dessa merda parece que entraram num cio desgraçado logo quando pus meus pés aqui. Arranjo briga quase todo dia, meu TEI vem piorado pra caralho e eu quase fui violentada uns dias atrás, me drogaram. – ela estava risonha, mas sabia que nada daquilo era engraçado ou bom, sentia ela incomodada e agoniada pra sair dali. Respiro fundo e esfrego meu rosto, não tinha muita coisa que eu poderia fazer.

- avisaram ao seu pai ?? você esta bem ?? – perguntamos juntas, eu e a Fernanda. Lara soltou uma risadinha e enfiou o rosto no pescoço da garota em seu colo

- foda-se. Ele esta foda-se pra mim. O diretor ligou pra ele avisando sobre o ocorrido e ele me desprezou, disse que eu merecia, que e gostava dos assédios, sabe...ele nunca me fez ficar com nojo dele mas dessa vez ele conseguiu

- que filho da puta !!! desgraçado !! eu vou ligar pra sua mãe !! ai que inferno!! Eu não acredito nisso lara...esse maldito arrombado do caralho!!

- malu ? hey mah...desculpa..- pisco os olhos saindo de um transe.

 saber que meu chefe, o cara que me deu uma casa, trabalho, praticamente uma vida nova, fez uma coisa dessa com a própria filha...

Isso é tão...

Revoltante e triste..

- malu...hey mah! – esfrego meus olhos sentindo os mesmos marejados e respiro fundo

- desculpa lara...eu sinto m-muito...- resmungo sentindo minha voz tremula e sinto os braços da minha pequena me rodearem e me apertarem. Abraço ela de volta sentindo um choro preso na garganta

- ah malu...meu pai é um escroto comigo, mas só comigo, não precisa se doer por isso meu anjo. Ele foi muito bom pra você, sei disso...aquele velho te ver como uma filha – fungo contra seu pescoço e nego rapidamente, não conseguia acreditar. Como ele conseguia ser tão filho da puta com a própria filha ?

- eu...eu vou...eu vou dar um jeito nisso...eu prometo – abraço ela com mais força ainda e sinto ela beijar minha cabeça e testa

- relaxa malu. Não precisa se preocupar...eu só...queria falar com a bruna..- murmurou baixinho. Levanto o rosto fungando e limpo minhas lagrimas rapidamente

- ela não ligou pra você ainda ? – ela nega e encolhe os ombros olhando pro chão – eu vou falar com a sua mãe okay ? logo logo você vai ouvir a voz da sua mana – ela sorrir fraco e olha pra Fernanda estendendo a mão pra ela, a garota sorrir e pega a mão dela entrelaçando os dedos deixando um selinho nos lábios dela, suspiro acabando por sorrir e me endireito no sofá que estava sentada.

- então...não aconteceu nada de bom nesses últimos dias ?? – pergunto tirando elas daquela bolha privada delas de ficarem trocando beijinhos. To começando a ficar com ciúmes já. A lara me chamou a atenção quando riu e suspirou

- aconteceu sim. conheci uma garota incrível, ela é bem tagarela e engraçada, rir de tudo e faz piada toda hora. Ela vem enchendo meu saco a um bom tempo – sorriu largo olhando pra Fernanda que fez um bico – relaxa, ela é hetero – sussurrou no ouvido da garota me fazendo rir – mas eu tenho certeza que ela ainda vai dar pra mim – começamos a rir juntas enquanto a Fernanda arregalava os olhos e estapeava os ombros da lara rindo. – serio!! ela é bem legal. E tem muito estilo...e é gostosa, você vai gostar dela nanda

- eu já odeio essa garota lara. – continuamos rindo enquanto a Fernanda emburrava a cara.

 

Voltamos pra casa no final do dia, depois de quase arrastar uma Fernanda chorosa pra longe de uma lara risonha e divertida.

- obrigado por me levar la malu...eu...muito obrigada mesmo – sorrir pra garota observando seu rosto, ela me lembrava a bruna.

- hey...porque você mora com sua irmã ? – acabo entrando na casa dela sendo surpreendida pela gatinha bola de pelos fofa pra caralho. Sorrio largo e pego a gata no colo começando a fazer carinho na mesma que ronronava loucamente roçando a cara na minha mão. Iti malia!!

- ah..longa historia. Minha mãe me abandonou com a Oliver quando completei meus 7 anos, dizendo ela que não criaria uma filha sozinha – deu de ombros indo pro quarto – fica a vontade vou pegar uma roupa aqui, tem catuaba na geladeira – pisco os olhos observando ela sumir no corredor e olho pra gata manhosa miando

- hey garota. Você é muito fofinha sabia disso ? – converso com a gata e ela solta um miado fazendo aquela típica massagem de gato em minha coxa, sorrio de lado fazendo carinho em suas costas – você gosta disso né safada. Gosta que eu sei – brinco divertida e a gata solta alguns miados lambendo minha mão

- ela adorou você – escuto a voz risonha da Fernanda e sorrio para a mesma olhando pra ela – então quer beber alguma coisa ? – ela já tinha duas garrafas de catuaba na mão, acabei concordando e agradecendo pela catuaba. Dou um gole e olho pra ela.

- então...e seu pai ? – a garota deu de ombros e tomou um gole da catuaba

- minha mãe nunca falou dele. Oliver sempre diz que mamãe saia com caras casados e que talvez tenha me abandonado por ser filha de um deles – franzo o cenho e ela rir – minha irmã é bem direta, ela nunca me escondeu nada.

- mas isso é maldade, falar uma coisa dessas – ela rir e acabo sorrindo

- qui. Ela queria deixar bem claro pra mim que nossa mãe não prestava – isso me fez lembrar das vadias que ficavam com o chefe...perai...isso não é meio

- ahn...- engulo em seco e encaro ela por um tempo. Não é possível meu deus. Isso só pode ser uma brincadeira – Fernanda...uh...você sabe o nome do seu pai pelo menos ? – ela da de ombros e da um gole na catuaba.

- Giovanni Ferrari...pelo menos foi isso que minha mãe disse quando me abandonou

Ca

Ra

Lho

O nome do chefe é Carlos Giovanni Ferrari

ELA É IRMÃ DA LARA!!! MEU DEUS COMO ASSIM ?


Notas Finais


vcs duvidaram de algo ? n né kjdkasjdks


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...