História Nosso maldito Fluxo - Capítulo 33


Escrita por:

Visualizações 48
Palavras 3.122
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Saga, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


ai vc faz metade do capitulo
joga uma partida de lol
faz outra parte pequena
sente a bunda doer e sai andando pra ver se volta ao normal
deve ser falta de dar ne ?
preciso dar gente
'-'

boa leitura ( super desnecessaria eu mas okay vida que segue )

Capítulo 33 - Verdades e Consequências


Fanfic / Fanfiction Nosso maldito Fluxo - Capítulo 33 - Verdades e Consequências

~ Pov narrador on ~

 

 

A família Ferrari sempre teve seu histórico de herdeiros homens, sempre fora a família de poucas mulheres, a gerações foi mantido esse histórico, herdeiros ruivos, os mais cobiçados queridos e galinhas. E por incrível que pareça sempre no quarto filho ou terceiro eles tinham gêmeos. Mas então a praga foi posta na família, um primogênito nasceu menina, e todos odiaram isso e se recusaram a aceitar, fizeram ela a se vestir de garoto e se comportar como um, e para a infelicidade deles, nasceram mais meninas, um único garoto nasceu dentre os cinco filhos de Jerald Ferrari. Ele estava afogado em lagrimas de agonia, depressão seria a palavra correta, pela primeira vez a família Ferrari havia quebrado seu histórico, e pra piorar a situação, a primogênita estava perdidamente apaixonada por sua irmã. Isso era algo inaceitável. Eles a mandaram para longe, mas mesmo depois de sua ida seu amor não acabou, muito menos diminuiu, só aumentou de ambas as partes. Quando a garota voltara de seus estudos fora, completamente formada e bem de vida o amor de sua vida havia se casado, com um primo distante. E tinha um filho. Ela enlouqueceu. Ela quis se matar por ter perdido tanto tempo de sua vida esperando o dia em que voltaria para sua amada, desgostosa com a vida ela tentou suicídio mas quem diria que a pessoa que a salvara da morte seria seu amor de anos atrás. A mulher jurou que nunca havia esquecido de sua amada. Elas juraram que ficariam juntas, Giovanna pediria o divorcio e moraria na grecia com Emanuelly junto com seu filho. Mas nada fora como planejado, o marido enlouquecera com tamanha loucura de sua esposa, pedir divorcio para se aventurar nos braços de uma mulher, ele tentou de todas a formas prender a esposa, impedi-la de partir, fez com que a guarda do filho fosse dada a ele dizendo que sua esposa não tinha condição de criar o menino com outra mulher. Mas Giovana não queria perder o amor de sua vida, seu filho faria 10 anos a época, ela o pediu para arrumar suas malas enquanto seu pai estava em uma reunião com os herdeiros da família. Carlos não entendeu o porque. Ele era apegado a mãe e sabia que ela iria embora, mas não queria deixar seu pai. então em vez de arrumar suas coisas ele ligou para o pai avisando da suposta viagem que Giovanna faria ainda pela manhã. O homem voltou para casa soltando fogo pelo nariz discutindo com a mulher brigando com ela, mas Emanuelly chegou na hora em que o homem enforcaria a esposa, ela entrou um estado que não conseguia mais agir com razão, ela atirou pelas costas do homem na frente de carlos.

Com o menino chorando desesperado sem saber o que fazer, Giovanna ofegante e chorosa, e Emanuelly tremendo entrando em pânico, a gritaria ficou ainda pior, foram-se ouvidos carros de policia na porta, giovanna começou a gritar mandando o filho correr para o carro enquanto tirava a arma da mão de manu que tinha o corpo paralisado completamente tremulo. Ela puxou a mesma pela casa e a empurrou no carro, vendo o garoto parado na porta choroso encolhido.

- carlos meu filho...vamos...- chamou a mulher mantendo a calma mas por dentro ela estava entrando em desespero. Não conseguiria viver se jogassem o amor de sua vida numa cadeia, e seria o que fariam por atirar em um medico de nome feito seu marido.

- eu quero ficar com o papai – disse o garoto desnorteado encolhido e choroso, a mulher olhou para o filho sentindo seu coração apertar o ar faltar – vamos ficar com o papai por favor – isso fez a mulher chorar descontrolada no volante o menino continuou chorando e foi se ouvido o som de passos rápidos.

- desculpa meu filho...- foi a ultima coisa que disse antes de acelerar o carro e sair da cidade sem olhar para tras.

Carlos desde então criou pavor de relações incestuosas, e com o passar do tempo esse pavor foi virando ódio, e quando percebeu que suas próprias filhas estavam entrando em um tipo de relação amorosa e incestuosa ele resolveu separa-las, dividi-las, botar uma contra a outra, nem que pra isso ele fosse perder o “amor“ de sua vida. Para ele luna era uma mulher totalmente diferente das outras, a única que ele resolveu assumir um relacionamento pra família e se casar, mas ser diferente não muda o fato de que para os homens daquela família, mulheres só serviam para os servir, tanto na casa quanto no sexo ou para ter filhos, nenhum deles tinham respeito com suas mulheres. Luna mudou isso em Carlos, mas não totalmente. Sabendo que não poderia controlar a mulher que tinha ele ia atrás de outras, e numa dessas idas ele acabou engravidando uma que já tinha filha, e por já ter uma filha ele se recusou a criar a menina dizendo que não era dele.

Nenhuma dessas mulheres o conhecia como Carlos, para elas ele era o Giovanni nome que seria uma homenagem a sua mãe. Mãe essa que em sua cabeça o abandonou por ser incestuosa e lesbica.

 

Malu on

 

 

Respiro fundo tentando me recompor sentindo uns tapinhas nas costas, tinha acabado de cuspir e engasgar com a catuaba que bebia. Fernanda me olhava preocupada batendo em minhas costas com pouca força. Deuses, ela é irmã da lara e da bruna, e transa com a lara. puta merda!!

- hei...tudo bem ? você parece pálida

Isso me lembra que no aniversario das gêmeas eu as vi se beijando. Caralho. Lara traçando as irmã tudo!! Kkkkk

- malu ? porra, enlouqueceu de vez foi ? – paro de rir sozinha e olho pra garota abrindo um sorriso de lado. Eu deveria contar ? afinal, qual a diferença em fazer parte da família ? acho que não deveria contar e sim bombardear o Carlos de perguntas, afinal ele conhece a Fernanda, como ele nunca percebeu que ela é filha dele ??

Sera que é de família ficar pegando as irmãs ??

( N/A : você não tem ideia skjdksjd )

- mds!! Vai me ignorar agora ? – pisco os olhos e acabo pulando do sofá apressada, porra deixei a garota falando sozinha.

- foi mal Fernanda, obrigado pela ajuda e pela catuaba, eu preciso ir trabalhar ainda – sorrio pra ela e ela acaba sorrindo depois de um suspiro

- okay. Da próxima você fica pra gente conversar mais – sorriu amigável o que me fez querer por ela num potinho. Coisa fofa.

- uhum. Eu prometo – ela sorrir largo e me da um abraço demorado, deus...ela é irmã da larinha. Como assim a lua nunca percebeu isso ?? eu preciso falar isso pra alguém !!! aaaah!! Cade a vivy ou Lucy quando se precisa delas ??

 

 

[...]

 

 

Nada de mais aconteceu nesse fim de semana, passe noite de sábado trabalhando na boate, acordei tarde no domingo e não deu nem tempo de ir falar com a Lucy, faz tempo que não a vejo e isso é muito estranho. Ela não costuma a ficar mais de dois dias sem falar comigo ou sem vir aqui em casa. Passei a tarde de domingo trabalhando com um Keaton e Dilan no meu pé me pedindo pra fica na pista hoje mas teria que ficar no balcão já que jesse teve o dia de folga e não tinha ninguém pra ficar no balcão que soubesse fazer os coquetéis e bebidas como eu ou ela. como dito, fiquei a noite de domingo no balcão servindo bebidas e fazendo bebidas. Pensei que talvez poderia encontrar a américa numa dessas noites na boate mas nada dela. talvez ela estivesse de castigo.

Estava saindo da boate em plenas 3:55 da manhã, hoje só teve movimento durante a noite, durante a madrugada o pessoal foi pra casa, ficaram poucas pessoas e quando deu 3:30 o mark resolveu fechar. Escuto meu celular tocando wannabe de spice girls e começo a dançar no meio da rua fazendo Brian rir feito um retardado.

- IF YOU WANNA BE MY LOVER

YOU GOTTA GET WITH MY FRIENDS

MAKE IT LAST FOREVER

Friendshipp never ends

Começo a gritar no meio da rua enquanto o brian ria e se debatia parecendo entrar em um colapso nervoso de tanto rir. nego com a cabeça rindo escutando uns grito de “ cala a boca ” e outros de “ aaii mais é uma bixooona mesmo ”

Atendo o celular ainda rindo e respiro fundo soltando um “ alo “

- preciso falar com você...pode me encontrar na frente do bar que trabalha ? vou estar dentro do carro cinza..

Sinto minha respiração falhar e meu corpo trava no lugar. Essa voz...essa...voz

- américa ? – sussurro só pra ter certeza e ela murmura um “uhum” pisco os olhos e levanto o rosto pro brian que me olhava curioso – oh. Claro. Posso sim! você já esta la ?

- eu vi você saindo...só liguei agora porque estava esperando umas garotas saírem daqui da frente...pode vim agora ? – sinto meu coração acelerar e palpitar loucamente. Merda. Sera que aconteceu algo ? américa me ligando no meio da madrugada de um numero desconhecido. Socorro.

- claro, já estou indo – aceno pro brian que sorrir de canto e acena pra mim continuando seu trajeto. Valeu brian.

- mah...eu sinto sua falta...- sinto meus pelos se arrepiarem e começo a correr de volta pro bar feito uma louca retardada. Dou a volta no quarteirão e me deparo com o carro da amiga da américa na frente do bar. Mary sai do carro e olha pra mim com as bochechas coradas abaixando o rosto e brincando com os dedos. Mordo meus lábios e me aproximo dela com medo de isso ser apenas um sonho. Porra. se isso for um sonho eu me mato quando acordar.

- podemos conversar na sua casa ? – sussurrou olhando pros lados, concordo rapidamente ainda em transe só por ter ouvido sua voz...ah...a voz dela...acabo sorrindo olhando pra ela. merda. Eu não acredito que to fazendo aquela cara de pessoa trouxa apaixonada!!

( N/A : sim você esta )

- ahn...tem certeza que você quer ir la ? – arqueio uma sobrancelha e ela suspira levantando a cabeça me encarando com as sobrancelhas franzidas fazendo uma cara de mandona. Céus. Que porra fofa!!

- claro que tenho malu!! Porra!! vamos logo ou ta difícil ?- acabo sorrindo largo e ando ate ela

- okay bravinha. Vamos – ela entra no carro e eu entro no mesmo com receio, vejo a gabi sorrindo no volante e ela levanta uma catuaba dando um gole e acelerando o carro que já estava ligado. Legal. Vou morrer antes de chegar em casa com essa louca dirigindo.

Não sei o que foi pior, o carro derrapando nas curvas em alta velocidade, uma Gabriela louca risonha dizendo ter visto uma pomba branca ou estar do lado de uma américa quieta e nervosa enquanto tudo isso acontece.  

- podem foder a vontade, vou fumar maconha na varanda e fingir que são meus pais transando no quarto – essa Gabriela ta muito louca, mds. Sinto meu rosto corar e balanço o mesmo fitando a louca ir pra minha varanda e se debruçar no parapeito gritando algo como “ i love small pussy because are so cute !!! “

Estapeio minha própria testa ouvindo ela rir sozinha e falar algo como “ eu sempre quis fazer isso “ deus. Ela ta muito noiada.

- ignora ela – escuto a voz risonha da mary e percebo que estava travada no lugar desde que chegamos – ela usou êxtase

MEU DEUS A GAROTA DIRIGIU SOBRE EFEITO DE EXTASE !!!

- calma calma, foi metade da metade, bruna e Larissa pegaram o resto – deu de ombros falando de suas outras amigas. Nego com a cabeça e acabo rindo relaxo os ombros e sento na cama olhando pra ela que me encarava de um jeito intenso. Respiro fundo e olho pra minhas mãos.

- me desculpa – murmurou atraindo minha atenção, acabo sorrindo pra ela e ela sorrir descontraída se acalmando e relaxando. Ela estava muito tensa. – eu...eu soube por uma garota que ficava com o dilan que você ficou preocupada comigo quando faltei – observo ela segurar os próprios dedos e ignoro todo o barulho do lado de fora junto com as risadas baixinhas que a maluca dava sozinha. Me aproximo dela lentamente e ela ergue o rosto comprimindo os lábios com o rosto avermelhado. Céus ela quer chorar... – meu pai me colocou de castigo naquela semana...na verdade eu ainda estou sem celular meus livros e meu notebook mas tanto faz. Ele só me tirou do castigo pra participar de um jantar...e foi nesse jantar que fui literalmente obrigada a conhecer o diego e sair com ele e automaticamente começar a namorar com ele. – observo ela respirar fundo e buscar meus olhos, aceno pra ela encorajando-a a continuar e ela acaba sorrindo fraquinho – eu nunca quis esse relacionamento, meu pai me forçou a isso. e simplificando tudo, eu não quero isso. mas...eu meio que tenho que aceitar por causa do meu pai. ele esta tentando me manipular e me fazer ficar longe de você. Ele me jurou entre dentes de que se me visse com você ele arruinaria seu histórico escolar e te expulsaria do colégio...e que se eu continuasse com a historia de “ virar sapatão “ ele me mandaria pra um internato de freiras em outra cidade... – esperei ela terminar e segurei suas mãos sentindo uma mistura de alivio raiva e culpa.

Alivio por ela não ter se afastado porque quis, raiva do maldito pai dela e do diego que provavelmente esta se aproveitando da situação e culpa por ter achado que ela realmente estava com o diego. Céus...ela se afastou de mim pra me proteger!! Ela ta fazendo isso pra me proteger !!

- mary...- sussurro apertando suas mãos e ela olha pra mim com uma carinha de medo e chorosa – eu sinto muito por isso...não sabia que estava passando por isso – sussurro e escuto ela suspirar alto, sinto ela literalmente pular em cima de mim e abraço seu corpo sentindo sua respiração se chocar contra meu pescoço – porque demorou tanto pra me dizer isso ? hm ?- murmuro abraçando seu corpo com mais força sentindo ela grudar em mim e roçar seu rosto no meu pescoço me lembrando da gata da Fernanda. Sorrio de lado e beijo seus cabelos fazendo carinho em suas costas ouvindo ela respirar fundo.

- não tinha como falar com você, e além do mais eu soube do que aconteceu com a bruna...eu era colega de sala delas no outro colégio, fiquei sabendo pela Fernanda...eu tive medo de ir atrás de você e você me mandar a merda, percebi que estava mal – murmurou baixinho, arregalo os olhos de leve surpresa e olho pra ela que agora não estava tão grudada em mim.

Ela estudava no colégio das garotas. Como infernos eu nunca soube disso ? porque ninguém nunca me disse isso ?

- é...eu fiquei muito sem saber o que fazer...estava muito mal mesmo – murmuro baixinho e ela me olha nos olhos

- você sabe se elas estão bem ? depois de encontrar a Fernanda no hospital eu não consegui mais falar com ela... – hospital ? franzo cenho

- a lara ta com uns problemas na prisão mas ta bem, já a bruna esta meio...digamos que ela não esta tão bem assim – mary soltou um suspiro de cabeça baixa e comprimiu os lábios. – mas porque encontrou a Fernanda num hospital ? – encaro ela preocupada e ela desvia o olhar fazendo uma careta – estava doente ??- seguro em seu rosto e ela nega rapidamente voltando a olhar em meus olhos. Esses olhos dela...Céus.

- psicólogo, eu entrei em crise quando estava no castigo. Tive crises de ansiedade e tudo mais – deu de ombros. Caralho ela tem transtorno de ansiedade ?? – eu tenho ansiedade generalizada ou TAG – explicou provavelmente por causa da minha cara de “ what fock “ – normalmente eu não dou muitos ataques mas eu tive alguns durante a semana – deu de ombros novamente. A cada dia que passa sinto que menos conheço dessa garota. Uma caixinha de surpresas.

- vocês vão transar ou ficar com essas cara de cu se encarando ?? – me assusto com a voz da gabi e acabo rindo da cara dela. ela arqueia uma sobrancelha e américa que tinha o rosto vermelho também acaba rindo.

- mah, eu não aguento mais sentir isso – franzo o cenho confusa e ela agarra minha mão colocando a mesma por cima de seu peito, arregalo os olhos sentindo seu coração acelerado – ele doi quando te vejo e não posso te abraçar ou falar com você. Doi muito mais quando não te vejo, eu sinto sua falta.

Céus ela é tão fofa, tão incrível, tão ela. me pego aos sorrisos bobos e olhos levemente marejados segurando suas mãos, estava prestes a falar que me sentia da mesma forma mas a gabi falou primeiro

- o porra ser vela é uma desgraça. Que inferno. Se beijem logo – acabamos por rir juntas e ouvi a garota resmungar. Lembrei de algo que ouvi dos meus pais quando era menor “ ações, filha, contam muito mais do que palavras, ate mesmo as pequenas ações “ foi como se a voz deles ecoassem pela minha cabeça. Pena que as ações deles foram tão... 

Ignoro a angustia que se apossou do meu peito ao lembrar dos meus pais e fecho meus olhos levando minhas mãos a sua nuca rapidamente aproximando meu rosto do seu sentindo nossas respiração se chocarem , minha respiração acelera e eu me perco quando finalmente sinto seus lábios nos meus. Durante segundos ficamos apenas nisso, um roçar de lábios gostoso, que pra mim durou uma vida. Ela finalmente abriu seus lábios e inclinou seu rosto me beijando se agarrando a mim.

Conseguia sentir sua euforia, ansiedade, desespero e saudades, mas era tudo suave e gostoso. Tudo com ela era suave e gostoso. Céus. Senti ela sugar meus lábios e um choque percorreu em minhas costas me acordando de um transe.

Puxo seu corpo pra mais perto e ela senta sobre mim fechando suas pernas ao meu redor respirando descompassadamente, aperto seu quadril de leve mordendo seus lábios e ela geme baixinho.

- oh porra vocês vão mesmo transar aqui é ? caralho pra que fui abrir minha boca ??! inferno

- cala a boca gabi!! – gritamos juntas e a garota começa a rir. me sinto sorrir largo e vejo um brilho de alegria nos olhos da garota em meu colo. Mordisco seus lábios de leve e ela suspira abraçando meu rosto

- eu senti tanta a sua falta...

- eu também senti mary...


Notas Finais


AAAAAAAAAAAH
FINALMENTE O OTP TA JUNTOOOOO
UAAAAAAAAAAAAAAA KASJDKASJDKJAS
faltei o colegio hj de novo skjdskj mereço uma surra


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...