1. Spirit Fanfics >
  2. Nosso primeiro verão - Imagine Jungkook >
  3. Eu quero ser melhor pra você

História Nosso primeiro verão - Imagine Jungkook - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Sim, eu voltei, de novo! HAJSHAJDJSJDJJSSJ
Durante essa madrugada eu comecei ter ideias e mais ideias na minha cabeça, então achei melhor postar antes de esquecer tudo hehehe.
Espero que vocês gostem do capítulo!
Um boa leitura ♡

Capítulo 15 - Eu quero ser melhor pra você


Acordei em meio de tralhas e com uma baita dor de pescoço. A insuportável dor de cabeça chega, e demoro um pouco para raciocinar onde eu estava, e o que eu estava fazendo ali. Começo a lembrar da trágica noite passada, - que talvez foi a pior noite da minha vida - e suspiro pesado, querendo chorar de novo. Pego meu celular ao meu lado e vejo diversas ligações perdidas da minha mãe, da Sarah e... do Jungkook.

      - Merda... estou ferrada. - Digo enquanto coço os olhos e com um pouco e esforço - por estar com dor - saio do pequeno depósito da casa do Noah. Levo um susto quando dou de cara com ele, e me dá uma pequena vontade de rir ao ver sua cara espantada.

        - S/n? O que você estava fazendo aqui? - Noah me ajuda a levantar.

        - Eu... dormi aqui, porque ninguém ia me achar aqui. - Digo em voz baixa, vendo a casa imunda de copos, pizza e até pessoas caídas no chão.

            - A gente se matou de te procurar ontem. A Sarah e o Jungkook estão muito preocupados. - Noah fala com uma preocupação.

         - Eu vou ligar pra Sarah, obrigada por avisar. - Digo ainda meio mole por estar com sono.

         - Ei... - Noah me chama, e me viro para olhá-lo. - Eu sei que você está chateada, mas você deveria falar com o Jungkook. - Jungkook. Esse nome era o meu ponto fraco em todos os sentidos. Eu amava e odiava escutar esse nome.

          - Não temos nada para conversar, Noah. Eu já vi o que tinha que ver e ele já escutou o que ele tinha que ouvir. - Digo, sentindo um nó em minha garganta. Olho para a minha aliança da minha mão direita e sinto uma pontada de dor no coração, tiro a aliança e a entrego para Noah, que me olha confuso. - Entrega esse anel pro Jungkook por mim, porque essa aliança não significa mais nada pra mim, não mais. - Noah me olha sentindo pena de mim ou do Jungkook, ou de nós dois. Mas eu não me importava mais. Me viro e vou em direção à porta de casa do Noah, saindo pela porta e semicerrando os olhos pela claridade que machucava os meus olhos. A casa do Noah até a minha era longe, mas eu estava disposta a andar a pé. Enquanto vou caminhando, sinto olhares reprovadores em mim, provavelmente eu estava toda descabelada fedendo à álcool. Após longos minutos caminhando, finalmente consigo chegar até a porta da minha casa, que pela minha sorte, estava destrancada. Giro a maçaneta e entro na casa, dando e cara com a minha mãe e a Sarah, que estavam sentadas na mesa da cozinha, e que quando me vêem, ficam espantadas.

          - Meu Deus S/n, onde você estava? - Minha mãe vem correndo até mim, e me analisa de cima a baixo e faz uma pequena careta quando sente o cheiro de álcool vindo de mim. - Te procuramos a noite toda... Eu soube do que aconteceu, sinto muito... - Minha mãe me olha com ternura, e sinto vontade de chorar de novo.

       - Eu estou bem, eu fiquei a noite toda no depósito da casa do Noah. - Expliquei, e tanto a minha mãe quanto a Sarah me olharam confusas. - Eu... só quero tomar um banho e dormir, tá? Não quero falar sobre isso. - Minha voz sai baixa, mas as ambas conseguem escutar, assentindo com a cabeça.

          - Vem, eu te levo. - Sarah vem ao meu lado e me segura pelo ombro, me levando até o meu quarto em silêncio. Ao chegar lá, ela decide quebrar o silêncio. - Eu sinto muito S/n... Eu faria qualquer coisa pra não te ver assim. - Sarah fala com uma voz calma, mas seu tom de voz exalava preocupação. Eu não consegui responder, apenas olhei para Sarah com os olhos marejados e a abracei, começando a chorar, muito. Eu me permiti soluçar, aos prantos. Eu apenas senti o abraço forte de Sarah, que me reconfortava muito.

Após chorar tudo o que tinha pra chorar, vou tomar um banho. Tiro as minhas roupas que estavam fedendo e entro debaixo do chuveiro, entrando debaixo da água. Fico por lá uns 30 minutos, sem saber no que pensar e nem no que fazer. Termino o banho e me enrolo na toalha, saindo do banheiro logo em seguida. Sarah me ajuda a eu vestir um pijama confortável e logo me trás um copo de água. Tomo alguns goles e me deito na cama, sentindo a exaustão tomar conta do meu corpo. Sarah apenas fica sentada ao meu lado, acariciando a minha cabeça, e nessa maldita hora eu lembro dos toques dele, do seu corpo colado ao meu, do seu cheiro. Quando me dou conta, eu já estava completamente adormecida, apenas pensando no meu sono profundo.

P.O.V JUNGKOOK

Após escutar todas aquelas palavras de S/n, me sinto no chão, arrasado. Ver seus olhos cheios de lágrimas e sua expressão de mágoa, me trouxe muita dor. Eu apenas queria abraçá-la e pedir perdão, explicar tudo o que acabou de acontecer. Angel, a garota que me beijou veio atrás de mim, com sua expressão preocupada.

- Merda! Isso foi culpa minha. - Angel passa a mão pelos seus cabelos cacheados e suspira. 

- Não foi sua culpa Angel, a culpa toda foi minha. - Digo baixo, sentindo um nó na garganta.

- Não adianta se lamentar agora, vem, vamos procurar ela juntos. - Angel me puxa para a multidão de pessoas e começamos a procurá-la. Mas nada. Fui pra frente da casa, na intenção de achar a S/n e encontro a Sarah, que me fuzila com seus olhos. 

- Você é um grande filho da puta Jungkook! - Sarah me empurra, e não faço nada porque sei que ela está exaltada. - Como você foi capaz disso? - Sarah grita e me encara, eu apenas suspiro e começo a explicar tudo com Angel ao meu lado. Sarah, ao ouvir a minha explicação, se acalma um pouco  e suspira. - Mas você sabe que foi um grande idiota né? A S/n deve estar arrasada, e acho melhor vocês dois consertarem isso! 

- Pode deixar, eu irei fazer isso... - Digo, em puro arrependimento. - Mas precisamos achá-la. Ela não atende a minha ligação e não encontro ela na festa.

- Eu também liguei e procurei por toda parte, mas nada. - Sarah suspira, e voltamos a procurá-la. 

Após procurar a S/n, as pessoas já estavam indo embora e a música já estava baixa. Eu apenas queria encontrá-la a qualquer custo, eu não podia deixar as coisas assim. Por fim, decidimos continuar ligando pra ela, Sarah foi pra casa de S/n e eu e Angel fomos pra minha casa, para esperarmos.

Já na minha casa, me sento exausto no sofá e suspiro, passando a mão pelo meu cabelo. Angel se senta ao meu lado, colocando  sua mão em meu ombro como forma  de consolo.

- Eu sou um grande idiota Angel... Por causa disso eu vou perder a mulher que eu mais amo. - Digo, me segurando para não chorar.

- Você realmente foi um grande idiota por não ter contado pra ela, mas uma parcela da culpa foi minha também. - Angel diz com sua voz baixa e serena. - Nós vamos consertar isso, ok? - Angel dá um sorriso leve, e sorrio de volta.

P.O.V S/N

Desperto quando o céu já estava escuro, Sarah não estava mais por lá e me sento na cama, esfregando os olhos. Eu estava com nenhuma vontade de sair daquele quarto, daquela cama e só de lembrar da noite passada, me dava vontade de chorar. Escuto a porta ser aberta e vejo Sarah, com um prato de comida. Me sinto mais alegre ao vê-la.

- Você não foi embora... - Digo com um pequeno sorriso no rosto. Sarah sorri  se senta na beira da cama, com o prato em sua mão.

- É claro que não... Eu vim te trazer comida. - Sarah sorri, e me entrega o prato.

- Obrigada, mas estou sem apetite. - Digo em um tom baixo, e Sarah suspira. 

- Mas você precisa comer S/n, você está sem comer nada o dia inteiro.

- Eu estou bem, é sério. Eu só estou sem apetite. - Sarah suspira mais uma vez, e coloca o prato no criado-mudo ao lado da minha cama.

- Quando você sentir fome, você come então. - Assinto, dando um sorriso forçado para parecer que eu estava bem, e Sarah me abraça. 

- Quer fazer alguma coisa? - Sarah pergunta, e eu nego. Não estava com vontade de fazer absolutamente nada. - Nada disso, vamos assistir a um filme de comédia. - Sarah sorri e se deita ao meu lado, ligando  a TV com o controle remoto e colocando um filme de comédia qualquer. Consegui dar algumas risadas e me distrair um pouco, esquecendo por um momento os problemas. Eu sou muito grata por ter a Sarah na minha vida, e ela sabe disso.

No dia seguinte minha mãe veio ao meu quarto conversar comigo sobre coisas aleatórias. Eu sei que ela e a Sarah estão tentando o seu melhor, e sou muito grata por isso. Após a insistência das duas, consegui comer um pouco de comida, mas acabei colocando tudo pra fora pois me senti enjoada. Chequei o meu celular, pra ver se tinha notificações e apaguei todas dele. Nem o seu nome eu podia ouvir, parece que eu estava de abstinência de sua presença. Eu sei que ele me magoou, me chateou e me machucou, e eu não estava apta para sofrer mais, eu não podia viver assim. Desliguei o meu celular  e me cobri com o cobertor. Lá fora estava 34° C, mas eu estava com frio pelo incrível que pareça. 

Escutei batidas na porta do meu quarto e me sentei na cama, vendo a Sarah entrar. Ela sorriu meio... receosa? Fiquei preocupada, e comecei a prestar atenção em cada palavra que ela dizia.

- Olha S/n, eu sei que você não quer ver ninguém, e ela é a última pessoa que você quer ver na vida, mas você precisa de explicações, e ela pode te dar tudo isso. Espero que você não me mate. - Fico confusa com suas palavras quando vejo uma garota específica entrar no meu quarto. Naquele momento, a minha vontade era de gritar com ela  agarrar em seus cabelos, mas eu nem tive força para falar um "A". Eu apenas olhei feio para  a garota de cabelos cacheados e desviei o olhar. Senti ela  aproximar, e se sentar na minha cama.

- Oi S/n, eu me chamo Angel, e eu acho que... - A interrompo, olhando diretamente para ela.

- Eu sei quem você é. - Digo em um tom seco, e vejo a mesma se encolher um pouco.

- Olha, eu sei que você está brava comigo e que eu sou a última pessoa que você quer ver na vida, mas não é só o Jungkook que te deve explicações, eu também te devo, e muito. - Jungkook, esse nome era realmente o meu ponto fraco, em literalmente todos os sentidos.

- Explicar o quê? Eu já vi tudo que eu tinha pra ver. - Digo, lembrando daquele maldito beijo  sentindo o nó na garganta se formar. - Se você veio pra arranjar uma desculpa... - Dessa vez eu sou interrompida pela Angel, que me faz franzer o cenho ao escutar suas palavras.

- Eu sou lésbica. - A olho confusa, e ela delicadamente pega as minhas duas mãos. - Eu  e Jungkook somos amigos desde o fundamental. Foi praticamente ele que me ajudou a sair do armário. Eu literalmente o vejo como um irmão, porque eu não tenho interesse algum em homens. - Angel se explica, e parece que tudo se esclarece. Mas mesmo assim, eu estava machucada. - Eu sei que isso não justifica em nada que fizemos naquela noite. Os garotos sempre me provocam e me desafiam  beijar garotos, porque eles sabem que eu detesto. Quero que saiba que não foi intenção alguma de te machucar. - Sinto as lágrimas escorrerem pelo meu rosto, eu estava aliviada por uma parte, mas na outra parte, eu estava com medo de ter perdido o Jungkook de vez. - Olha, o Jungkook foi um idiota por não ter te contado nada, e você pode dar o tamanho soco  na cara dele, ele merece. - Dou uma risadinha de sua piada, e Angel ri junto. - Mas uma coisa que eu quero que você saiba, é que em todos esses anos que conheço o Jungkook, nunca o vi tão apaixonado como está com você. Ele já namorou outras garotas, mas seus olhos brilham toda vez que ele cita o seu nome. - Engulo em seco, impressionada com todas essas informações. - Eu não quero te obrigar a voltar com ele, é o seu direito de querer terminar tudo e não querer escutar o que ele tem a dizer, mas se você está disposta a dar mais uma chance à ele, eu quero que saiba que ele te ama muito. - Angel sorri, e me afundo em lágrimas novamente. Sinto seus braços finos me abraçarem.

- Eu não sei se ele... vai querer falar comigo... depois daquelas palavras. - Digo entre soluços, e Angel acaricia as minhas costas.

- É ele que deveria ter medo de perder uma garota tão boa como você. - Ela desfaz o abraço, enquanto seca as minhas lágrimas. - Ele deve estar desesperado em poder falar com você. Se você quiser, podemos ir lá a qualquer momento pra você socar a cara dele, porque ele merece. - Dou risada e sorrio, pela primeira vez, um sorriso sincero. Eu queria ir vê-lo, e lhe dar um soco, depois lhe abraçar  e xingá-lo por todas as coisas que ele fez. 

- Você... espera eu me trocar? - Pergunto receosa e Angel sorri, acenando com a cabeça. Me levanto da cama depois de dias e coloco uma roupa qualquer. Logo, Eu e Angel descemos as escadas da minha casa, encontrando a Sarah boquiaberta por ter me visto fora do quarto em dias. Dou um abraço na Sarah, que resolve ir junto com a gente até a casa do Jungkook. Antes de sair de casa, me vejo no espelho da entrada de casa e vejo olheiras enormes debaixo dos meus olhos e faço uma careta, eu queria poder me arrumar, mas estou sem paciência para isso. Com o carro da Angel, ela nos leva até a casa do Jungkook, parando em frente de sua porta. Respiro fundo, sentindo meu coração palpitar  minhas mãos suarem, e decido tomar coragem de descer do carro e ir até a porta dele. Angel e Sarah me encorajam a tocar a campainha, e quando a toco, um pânico me consome. Quando a porta é aberta, vejo Jungkook me olhar totalmente surpreso, e eu fico em choque.

- S/n? - Por puro impulso, lhe acerto um soco no nariz, e Jungkook acaba caindo pra trás enquanto colocava a sua mão no seu nariz.

- Aí meu Deus! Não era pra bater tão forte assim! - Me desespero e me abaixo ao seu lado, vendo seu nariz sangrar. Sarah e Angel caem na risada enquanto viam essa cena deplorável. 

Após tanto rirem, Angel e Sarah me ajudam a levantar o Jungkook, e  colocá-lo no sofá. Estanco o sangramento e coloco uma bolsa de gelo em cima do seu nariz.

- Está doendo muito? - Pergunto, fazendo uma careta para o seu nariz que ficou roxo na hora.

- Está, mas acho que eu mereci esse soco. - Jungkook diz rindo sem graça, ele olha pra mim e sua expressão muda para preocupação. - Você está bem? 

- Eu não estava, até a Angel me explicar tudo. - Explico em voz baixa, e Jungkook abaixa a cabeça. - Você me magoou muito Jungkook. - Digo, sentindo meus olhos marejados.

- Eu sei, e eu me detesto por isso... Me perdoa por não ter te explicado antes  e por ter te machucado desse jeito. - Jungkook me olha abalado, seus olhos estavam vermelhos, ele também estava prestes a chorar. - Eu sei que não mereço o seu perdão, mas mesmo assim eu te peço desculpas S/n. 

- Eu não quero ser mais machucada.... - Digo, sentindo as lágrimas percorrerem pelo meu rosto. 

- Eu sei disso, eu sei. - Sinto sua mão passar pelo meu rosto. - Mas eu quero ser melhor pra você S/n, eu não quero ser mais aquele cara de antes que não se importava se ia  machucar  o sentimento de alguém ou não. - Olho em seus olhos. - Eu quero fazer você se sentir amada, assim como eu me sinto quando estou com você. - Me surpreendo quando vejo lágrimas em seu rosto, e o abraço. E como eu senti falta de seu corpo ao meu, do seu cheiro, da sua voz.

- Eu só vou te dar mais um chance. - Digo, enquanto sou abraçada pelos seus braços. - Porque eu te amo muito. - Jungkook desfaz o abraço, me olhando nos olhos.

- Eu não vou fazer você se arrepender disso. - Sinto suas mãos segurarem o meu rosto, e sinto seus lábios se colarem ao meu, me fazendo permitir sentir o seu gosto e sua ternura.

Quando nós amamos alguém, somos capazes de fazer de tudo para defender o nosso amor,  e eu estava disposta a dar-lhe mais uma chance, porque eu senti amor em seus lábios carnudos ao tocarem nos meus.


Notas Finais


Se você chorou, curta HAUSHAJDJSJDJSJ
Eu realmente não sei se esse capitulo vai agradar vocês, eu realmente espero que sim... juro que mais coisas interessantes vão acontecer, só preciso da paciência de vocês hehehehe.
Espero muito que vcs tenham gostado e me desculpe por qualquer erro :3
Beijos de luz♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...