História Nosso Segredo em Oak Mountain - Capítulo 2


Escrita por: e DonaBaleia

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Escolar, Original, Yaoi
Visualizações 35
Palavras 1.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Capítulo fresquinho na área, espero que curtam!

~Saudações, da Autora

Capítulo 2 - Falha na Comunicação


P.O.V Coral

Acordava ao sentir o meu gato, Berry, pular em cima de mim, como todos os dias. Olhava pela janela, era mais uma linda manhã, mesmo que o Sol não conseguisse atravessar as nuvens do céu cinzento. Me espreguiçava, sendo banhado pela luz, então caminhava calmamente até o meu banheiro, me preparando para o meu segundo dia de aula no meu novo lugar favorito.

Era sempre divertido ficar tentando lembrar dos meus sonhos enquanto escovava os dentes, mas o daquela noite tinha sido um tanto especial. Aquele professor de óculos, acho que o nome dele é Larry, estava me perseguindo pelos corredores da escola, com uma cara de quem ia me matar. Foi difícil parar de rir depois de uma dessas, mas conseguia parar a tempo de tomar banho e me vestir.

Depois disso, foi só pegar uma banana na tigela de frutas sobre a mesa e correr para cima da minha bicicleta, que já carregava meus materiais na cestinha.

Tentava dar algum sentido às minhas pedaladas sem me engasgar enquanto comia, mas era uma tarefa um tanto quanto difícil. Por sorte, conseguia chegar no colégio inteiro.

Como estava um pouquinho atrasado, jogava a casca da banana no lixo e corria para a minha classe, com os livros nos braços.

-Foi mal, gente! – Colocava os livros na mesa e depois perguntava, ofegante - Quanto tempo eu atrasei?

-Acho que uns quinze minutos... – Respondia uma aluna gótica.

-Ufa...- Suspirava, aliviado. – Onde nós tínhamos parado mesmo? – Ria baixo junto com alguns dos alunos.

-Arquitetura Renascentista... – A mesma garota resmungava.

Parecia que ela realmente estava gostando da minha matéria, isso já era satisfação demais pra uma só semana.

Pegava um dos livros e abria.

-Agora podemos pular pra Cultura na Renascença... – Ajeitava os meus óculos, tentando ler o número no rodapé – Página 42.

A aula prosseguia sem muita perturbação, então conseguia terminar a aula e liberar a mim mesmo, junto com os alunos, dez minutos antes do sinal do intervalo tocar. Fiquei conversando com os alunos, já que achava importante me aproximar deles.

Caminhando pelo corredor, em direção ao refeitório, sentia alguém puxar o meu braço carregado de livros bem devagar. Era a diretora.

-Ah, oi, diretora Sharron! – Afastava a pilha de livros do rosto, pra conseguir vê-la.

-Precisa de companhia no almoço hoje de novo? – Ria, lembrando de ontem, quando eu tinha esquecido do dinheiro do almoço.

-Poxa, pior que sim – Passava a outra mão livre por cima dos meus bolsos, que estavam vazios e sorria envergonhado.

-Sorte sua que eu sou uma boa pessoa. Guarda esses livros que eu te espero no refeitório.

-Valeu, chefe! – Acenava. Conforme ela ia se afastando, me lembrava de uma coisa – Ei, pera aí - Mas ela já estava longe.

Eu ainda não tinha um armário, onde ia guardar todas essas coisas?

Ficava apenas encarando a parede de armários na minha frente, esperando que alguma alma caridosa aparecesse. Por sorte, o meu desejo se tornou realidade.

Aquele cara do dia passado, o tal do Henry, estava vindo guardar as coisas dele.

-Ei, Bonny! – Gritava, correndo na sua direção.

-É Anthony. – Ele respondia, destrancando seu armário e colocando a bolsa lá dentro, para depois se virar na minha direção – O que você quer?

-Então, eu tô precisando de uma ajudinha com esses livros e–

-Você quer o armário emprestado, não é? – Ele suspirava, antes de jogar as chaves na minha cara – Faça o favor de devolver no fim da tarde.

-Ah, obriga- Mas ele já tinha ido embora antes que eu pudesse agradecer.

Colocava todos os meus livros ali, depois trancava tudo, colocando a chave no meu bolso e caminhando até o refeitório, onde a diretora Sharron e o Carry me esperavam, com o meu prato já pronto.

-Resolvi chamar o seu colega Coral para almoçar conosco, espero que não se incomode – Ela sorria para mim, enquanto eu me sentava ao lado dele.

-Tanto faz – Ele mexia sua comida sem levantar o olhar.

-Isso aí parece bom... – Olhava para o prato dele, um pouco antes dele se afastar mais para o lado.

Eu pensei que estivesse sendo legal, mas, pelo visto, ele não gostou.

Mal começava a comer e a chefe saía pra ir no banheiro, me deixando sozinho na mesa com ele. Era a chance perfeita para puxar assunto!

-Então, você-

-Silêncio- Me interrompia antes que eu pudesse completar a frase.

Acabamos terminando o almoço todo em silêncio, o que, na minha opinião, era um saco.

Esvaziava minha bandeja no lixo e ia me despedir dele, mas ele já estava indo dar as aulas do segundo horário. Abaixava um pouco a cabeça e fazia o mesmo.

Eram cerca de cinco da tarde quando nos encontrávamos novamente, perto dos armários. Ele simplesmente tinha me ignorado e ido na direção da saída, me fazendo correr tentando alcançá-lo.

- Ei! Espera aí- Ele subia no ônibus, como se eu não existisse – A chave...

P.O.V Anthony

Finalmente estava em casa. Tinha passado o dia todo tentando evitar aquele lunático, mas agora podia simplesmente pegar um bom livro e relaxar na minha poltrona favorita.

Apalpava a minha literal, onde a bolsa tiracolo preta deveria estar, mas não sentia nada entre os meus dedos. Revirava toda a casa, jogando almofadas e tudo que encontrasse pela frente nos dois andares para o alto.

Ofegante e sem resultados, socava a mesa, irritado.

-Maldito drogado... – Massageava as têmporas, respirando fundo.

Não devia ter tentado ser gentil. “Socialize com o novo professor”, a diretora disse. “Vai te fazer bem”, ela disse. Estou vendo mesmo.

Ia até a cozinha para fazer uma xícara de café, tentando me acalmar. Ajeitava o papel, colocava o pó e a água, esperando que ficasse pronto o mais rápido possível para me impedir de surtar completamente. Enchia a xícara e bebia um gole do café ainda amargo, me sentando novamente e observando a fumaça quente se dissipar no ar.

-Esse Coral vai me pagar... – Bebia mais um gole lentamente, acabando com o café, então atirava a xícara na parede, a quebrando.


Notas Finais


É o primeiro Yaoi que estou escrevendo (o Prólogo foi escrito pela Lyn, mas ela postou no meu perfil :P), então qualquer comentário é extremamente importante para o meu desenvolvimento como escritora! Muito obrigado por estarem acompanhando!

~Beijos, a Autora


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...