História Nostálgico - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias The Rose
Personagens Dojoon, Woosung
Tags Band, Boy Band, Dojoon, Romance, Songfic, The Rose, Woosung, Yaoi
Visualizações 23
Palavras 1.804
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Musical (Songfic), Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Musica de Kim Hyun Joong, Please

Capítulo 1 - Único, como seu gosto.


Deixando o lápis escorregar entre os dígitos longos e rolar sobre a mesa, foi quando se deu conta de que não conseguiria terminar a composição como havia prometido anteriormente. Queria jogar o violão longe, juntamente com a guitarra e qualquer outro instrumento musical que o lembrasse de sua falha naquele momento, e o maldito lápis que ainda continuava a rolar sobre a mesa também. Queria destruir as coisas por se sentir frustrado, mas sabia que era errado e até um tanto desumano. Pegando o lápis novamente, ignorando o deboche que o mesmo parecia lhe oferecer de bom grado e o prendendo na prancheta que usava minutos antes, sentou-se novamente e passou a pensar. Pensou em livros, musicas e filmes. Pensou nos momentos vividos que teve e naqueles que nunca teve a oportunidade, mas sonhou ter. Pensou.

Pensou tanto que sua cabeça doeu.

E o barulho da porta se abrindo e fechando o distraiu. E as ideias, novamente, lhe fugiram. 

Frustrou-se. 

Olhou ao redor e sua expressão se suavizou quando DoJoon ergueu a mão em um cumprimento simpático, quase energético. O mais novo se encaminhou para o aparelho de som que nada rodava no momento, ele colocou um CD e sorriu de forma ansiosa.

— Achei entre minhas coisas, é um pouco antigo mas também é muito nostálgico.

Woosung fechou a cara no mesmo momento quando reconheceu a melodia, sabendo muito bem que não era seu estilo favorito de musica, preferindo os tons mais pesados. DoJoon sabia disso muito bem, mas também tinha a plena certeza que a nostalgia tomaria o mais velho. 


Embriagado, eu chorei
Esperando por você na frente de sua casa
Com as luzes apagadas, eu vi você e ele
E engasguei com a minha respiração

A voz melodiosa de Kim Hyun Joong encheu o ambiente e pareceu acalmar o mais velho. No momento certo, ele pensou. DoJoon se aproximou e olhou os papeis em frente ao mais velho, pegando os amassados e os remexendo para que pudesse ler, ele ignorou a prancheta e apenas pegou o lápis que havia sido presa na mesma, puxando um pedaço de papel e passando a anotar partes que achava interessante.


Seus olhos estavam fixos, e você o beijou
Você o abraçou e adormeceu
Eu realmente odeio você
Mordendo meus lábios e engolindo minhas lágrimas.
Eu permaneço aqui como um louco.

A caligrafia de DoJoon não era as das mais bonitas, mas ele escrevia tão rápido quanto fosse possível e Woosung apenas permaneceu ali, olhando-o trabalhar tão concentrado nos papeis quanto na musica. O som, de fato, era bom e poderia até passar a gostar daquela musica - e melodia - no decorrer dos dias se o mais novo estivesse presente. 

DoJoon ergueu o rosto e o encarou de volta por poucos segundos, fazendo com que Woosung levasse a mão no peito e tentasse entender porque seu coração acelerou sem mais e nem menos. 


Para mim, ainda é só você
Para sempre, é você
Com minhas lágrimas caindo, eu chamo por você
Chamo por você.
Eu só não entendo, porque vocë náo entende?
Por favor, se você olhar para ele, não sorria
Por favor, não o beije
Por que você é uma traidora, uma mentirosa e uma assassina

Quando o refrão passou a tocar no aparelho, DoJoon passou a cantarolar baixinho no mesmo ritmo, acompanhando a voz de Kim Hyun Joong e se concentrando no que escrevia. A musica parecia mais suave e mais bonita na voz do integrante da banda The Rose, Woosung pensou. Ele mantinha a cabeça baixa, os lábios se abrindo para que a voz saísse e desse som ao seu trecho favorito da musica, os olhos focados nas letras e testa franzindo-se ora sim, ora não.

Ele organizava as letras, coisa que Woosung havia descartado.


Quando eu fecho meus olhos, querida
Eu acho que ainda estou ao seu lado
Sua respiração, seu amor 
Estão dentro de mim, e eu os abraço para que não possam escapar

A chuva molha o nosso adeus
As lembranças que eu deseo que desapareçam
Levando minhas lágrimas para dentro da escuridão, para um lugar distante

DoJoon empurrava o papel com escritos em direção ao Woosung e finalmente dava atenção a prancheta ao qual o mais velho estava usando e analisava os escritos. Ele olhava, lendo e relendo as letras rapidamente e anotando algumas notas sobre o lado dos versos e o colocava sobre a mesa, escorando-se contra o estofado do sofá e fechando os olhos. A melodia ainda soava no lugar, mas Woosung não conseguia acreditar como ele era tão ágil com as palavras e os escritos. 

— Sammy, apenas aprecie a musica, tudo bem? - Ele dizia, os olhos ainda fechados e os lábios entreabertos, cantarolando tão baixinho que nem chegava ao mais velho.

E pensando pelo lado bom daquilo tudo, imitava o mais novo e se deixava absorver pela musica. A voz do cantor tinha um dom de os fazerem esquecer qualquer coisa e se enterrar de corpo e alma no que estava sendo ouvido. A dor descrita era tão perfeita que quase poderia ser tocada com os dedos.


Para mim, ainda é só você
Para sempre, é você
Com minhas lágrimas caindo, eu chamo por você
Chamo por você.
Eu só não entendo, porque vocë náo entende?
Por favor, se você olhar para ele, não sorria
Por favor, não o beije
Por que você é uma traidora, uma mentirosa e uma assassina

Woosung quase gritava de susto quando Dojoon cantava alto o refrão novamente, logo caindo na risada ao olhar para o mais velho que mantinha a mão no coração. DoJoon ria, Woosung fechava a cara novamente e arremessava uma almofada quanto o rapaz travesso do outro lado. Ele se encolhia, mas continua rindo.

— Sammy! - Ele gritava, logo passava a cantar novamente e a gesticular, como se estivesse tentando fazer a coreografia. 

Se rendia.

Woosung se rendia as brincadeiras do mais novo e se deixava cantar juntamente com ele. As vozes se misturando e se elevando a tal nível que o cantor não mais parecia importar e a frustração de antes não mais existia em Woosung. Ele estava liberto, naquele momento.


Tento dispersar sua imagem na fumaça do cigarro
Mas você se torna cada vez mais visível.
Eu não consigo te esquecer
Oh, garota
Volte para mim!

Gritando como um louco, eu amo só você
Foi um erro te deixar ir. Arrependido, eu imploro
Eu imploro

Ambos eram a mistura perfeita de bagunça com pulos e risadas sem deixar perde-se na melodia e na musica. DoJoon segurava o vocalista principal pelos ombros enquanto pulava sobre o estofado e mantinha o rosto próximo ao dele, quase o decorando-o. Woosung estava corado, mas não poderia saber se era devido a aproximação de DoJoon ou se era apenas pelos pulos em excesso e a gritaria da musica, mas suas bochechas não negavam o tom avermelhado as tingindo. 


Eu só não entendo, entendo
Por que você não pode entender, entende?
Por favor, não permaneça em seus braços
Por favor, não se apaixone por ele.
Por que você é uma traidora, uma mentirosa e uma assassina.

Ambos escorregaram sobre o estofado e se estatelaram sobre carpete, rindo alto e esquecendo-se da melodia. Resmungos de dores eram ouvidos e sons de roupas sendo puxadas e mais risadas. Woosung tentava se erguer do chão, segurando-se bobamente contra o estofado do sofá e as diversas mantas sobre o mesmo, mas DoJoon se agarrou contra sua camisa e o puxava para baixo, rindo como uma criança de seis anos. 

A verdade era que tanto DoJoon como Woosung não tinham forças o suficiente para voltarem ao sofá e descansarem um pouco, até o final do musica, e por isso Woosung se rendia e se deixava cair ao lado do mais novo que ainda ria coo uma criança. Ele o olhava, rindo e sorrindo como um bobo da corte. 


Oh querida, eu preciso de você.
Você levou o meu amor e o matou, garota
Você levou o meu amor e o matou, garota
Você levou o meu amor e o matou, garota (Não faça isso)
Você levou o meu amor e o matou, garota (Por que meu coração chora?)
Vocë levou o meu amor e o matou, garota
Você levou o meu amor e o matou, garota (Da mesma forma que você me matou)
Você levou o meu amor e o matou, garota (Querida, você o matou)
Você levou o meu amor e o matou, garota (Por favor, não me deixe)

— É bom aproveitar esses momentos, não é? - DoJoon dizia-lhe tão perto do seu ouvido que se assustava, remexendo-se de forma desconfortável. 

Assentia para o mais novo e virava o rosto para ele. A musica mudava, uma nova melodia de Hyun Joong ecoava pelo ambiente, mas Woosung não mais prestava atenção, ele apenas ficava ali, deitado de lado, olhando para seu companheiro de grupo e amigo. Ele tinha uma pequena noção de que a melodia também era suave, mas as palavras não pareciam chegar até seus ouvidos, ou seria coração nesse caso? 

— Não foi tão ruim, eu diria. - Ele dizia, explodindo em uma gargalhada quando o mais novo colocava a mão sobre os olhos e fazia uma expressão estranha, debochando.

O estresse sobre a composição havia desaparecido por completo e Woosung se sentia tão leve que parecia flutuar sobre as coisas, mesmo que seu corpo ainda estivesse no chão ao lado de DoJoon. O que o fazia pensar que DoJoon sempre sabia qual era o momento exato para colocar uma musica que o tiraria do foco, mesmo que tivesse fechado sua expressão no começo. 

Ele era, sem duvida alguma, muito bom em ler as pessoas.

E as arrumar, como naquele momento.

E quando o mais novo se ergueu, ele caminhou até o aparelho de som, clicou no stop e logo passou abrir a gaveta do CD e o retirando lá de dentro. Ele nada disse e muito menos ajudou Woosung a se erguer do chão, apenas se retirou da sala com um acenar de mão.

E Woosung apenas ficou lá, deitado no chão e pensando nos sentimentos que aquele momento haviam lhe causado. Ele não pensaria em como DoJoon saiu daquele modo, sem nada dizer, apenas apreciou o momento sozinho e pensou em todas aquelas coisas. Os sentimentos que sentiu ao se deixar levar por uma musica um pouco antiga e logo em seguida, a confusão de seus sentimentos pelo seu amigo. E claro que a felicidade por ambos aproveitarem uma boa musica juntos, cantando a pleno pulmões e sem se importar com nada.

O cansaço logo em seguida.

E então se ergueu, sentando-se no chão e puxando a prancheta para seu colo e passando a reler tudo o que havia escrito e tudo o que DoJoon havia arrumado. E seu trabalho recomeçou, depois de uma pausa com um pouco mais de três minutos. 


Notas Finais


Se conter algum erro, por favor me avisem.
Sujeito a mudanças.
Mereço comentários?

Até breve.
Ciao, ciao.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...