História Nostálgico - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki
Tags Naruhina
Visualizações 60
Palavras 1.332
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ficção, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiiiii
Essa fic foi o resultado da insônia kkk
Espero que gostem.
Boa leitura!

Capítulo 1 - Tão nostálgico


Fanfic / Fanfiction Nostálgico - Capítulo 1 - Tão nostálgico

Hinata  


O salto alto me incomodava. Murmúrios enchiam a igreja enquanto eu lutava para ficar de pé, me apoiando com uma das mãos na primeira coisa que vi pela frente. 

A noiva estava entrando. Todos  Vinda de uma família tradicional, a notícia de que havia engravidado antes do casamento era o cúmulo. Ela estava grávida e carregava dentro de si outra vida, mas as pessoas pareciam não entender isso. Só viam a desgraça do ato irresponsável dos pais. Os forçaram se casar o mais rápido possível. Mas, apesar de tudo, Temari estava radiante n'aquela noite enquanto caminhava em direção ao noivo que sorria.

Dor. O salto alto estava esmagando meu pé, e a maldita doença só piorava tudo. Praguejava mentalmente a noiva, que fazia tanta hora pra andar, parecia uma eternidade.

A cerimônia havia começado. Finalmente eu podia sentar.

Olhei para o lado e dei de cara com Naruto sorrindo para mim. Não pude evitar o sorriso que, instantâneamente, surgiu em meus lábios. Ele estava de terno. Estaria completamente elegante se não fosse seu velho par de tênis no pé. Que sorte a dele.

Era uma noite quente e agradável. As chuvas de verão eram constantes, mas n'aquela noite o céu ainda não desabara. Jogavam arroz nos noivos que sorriam alegremente descendo as escadas, enquanto eu puxava o meu vestido pra baixo, bonito de mais, curto demais. Todos iriam para a festa agora. Naruto me levaria em seu carro então ele me ajudou a descer as escadas e fomos em direção ao estacionamento. Estava esperando que o garoto fizesse o mesmo caminho de todos os outros convidados, porém, ao envés de irmos para a festa, ele me levou para um campo afastado rodeado por árvores. Meu lugar favorito.

Quando éramos crianças nossos pais nos traziam para este campo nos finais de semana. Foi aqui que eu conheci Naruto. Eu tinha 5 anos, quando vi, pela primeira vez, um menininho de fios loiros jogando bola. Quando seus olhos cruzaram com os meus eu tive a certeza de que o amaria. Ele se aproximou de mim e eu disse que ele era bonito. Ele sorriu e disse que os meu cabelos negros eram os mais bonitos do mundo. E aqui estávamos nós novamente. Totalmente mudados com a inocência perdida.

Tão nostálgico.

Desci do carro. Ele me alertou de que se eu não voltasse para casa antes de meia noite minha mãe ficaria zangada, mas tudo o que fiz foi andar em direção ao campo.

O incomodo ainda estava lá. Retirei o par de saltos e os arremessei com força para longe agradecida por não ter que usa-los mais, mas a dor ainda estava lá e tomava conta do meu corpo. Meu tempo estava acabando por culpa d'aquela maldita doença.

Naruto se aproximou e então, para a sua completa surpresa, eu o beijei. Não sabia de onde havia tirado tanta coragem. Amava Naruto e ele sabia disso. Desde a primeira vez em que o vi eu tive a certeza de que ele era o menino mais bonito que já colocou os pés neste mundo. Eu o amava como jamais amei alguém em toda a minha vida.

Quando fui diagnosticada com câncer todos me olhavam com pena, eu odiava isso. Minha mãe estava sempre ao meu lado, mas eu sabia que era apenas fisicamente, ela nunca esteve tão longe. Papai e Hanabi morreram em um acidente de carro, mas, mesmo naquela época, mamãe não se abateu tanto. Quando o médico disse que não existia mais nenhuma forma de eu sobreviver foi o fim. Minha mãe se trancou, e todas as noites eu a ouvia chorando. Naruto era o único que não me tratava diferente. Ele nunca havia me olhado como uma doente, e sim como a Hinata que conhecera anos atrás. Quando fiquei sabendo do casamento de Temari e Shikamaru, pedi a minha mãe para que deixasse eu ir, esse seria o meu último pedido. Ela exitou, mas acabou cedendo. 

Então aqui estávamos nós, em um campo. Todos condenavam o meu amor julgando-lhe como infantil. Mas n'aquela noite eu mostrei a Naruto que, mesmo sendo tão jovem eu já carregava um amor. O meu primeiro amor. Naruto não me amava. Não como eu o amava. Ele alegava que eu era como uma irmã mais nova, mas apenas isso não me bastava. Para a minha surpresa ele retribuiu o beijo. Ficamos vários minutos assim. Então ele me abraçou e foi quando a primeira gota caiu do céu bem na minha testa. O céu desabou em cima de nós, mas nós não movemos um músculo sequer. Sua respiração estava tão ofegante quanto a minha. Aquela noite era nossa. 

Sentamos na grama. Mesmo meu vestido sendo curto, eu não me importei. Apesar de as gotas que caiam do céu serem extremamente geladas, eu não sentia frio. Me ajustei em seu corpo. Naquela noite não existia problemas. E a única tempestade existente não era em meu interior e sim a que havia se formado acima de nós, no céu.

Nada além de Naruto me importava. Seus olhos tinham minha total atenção. Eles me confortavam. Me aqueciam. Trazendo a certeza do meu primeiro amor. Tão familiar.

Tão nostálgico.

As gotas de chuva caiam em seu corpo. Deixavam o seus fios loiros encharcados, os seus cílios coladinhos, sua boca vermelha... Então eu vi, pela primeira vez, a beleza da água enquanto as gotinhas escorriam pelo seu rosto. Ele se deitou na grama molhada e eu repousei minha cabeça em seu peito. Como em um sonho.

E então a chuva passou. O vento fez questão de levar consigo todas as nuvens e nos deixar sob os cuidados da lua. Tremi. Ele me abraçou e eu me aconcheguei em seu braço. Um gesto tão simples que trazia consigo turbilhões de sentimentos e ao mesmo tempo as lembranças de um passado inexistente.

Tão nostálgico.

Olhei para o céu. As estrelas estavam perfeitamente alinhadas de uma forma tão absurda que era impossível acreditar. A dor veio novamente, mais forte do que nunca. Era como se facas estivessem me rasgando por dentro. Minha visão ficou turva. A dor estava me levando. Sentia que a hora de ir estava próxima.

Todos os meus planos foram destruídos, meu futuro foi arrancado de mim, o direito de viver... Tudo! A doença me tirou tudo! Jamais me casaria, jamais teria um diploma, jamais teria filhos... uma família.

Antes que a raiva me consumisse, afastei todos aqueles pensamentos da minha mente e apertei o corpo de Naruto contra o meu. O loiro sorriu e eu senti como se tivesse nascido para viver aquela noite. Apenas ele me importava agora.

Meu corpo estava entorpecido por causa da dor e as consequências da chuva gelada começavam a aparecer. Mas apesar de tudo eu estava feliz. Pela primeira vez em muitos anos eu sentia paz novamente.

Em uma oração silenciosa agradeci por estar com Naruto nos meus últimos suspiros. Pedi a Deus que me acolhesse bem. Lágrimas enchiam os meus olhos, a ideia de deixa-lo para trás me partia o coração. Naruto seria então meu primeiro e único amor. Sabia que era tempo de descansar, então fechei os olhos. Deixei que todos os meus problemas fossem afogados junto ao meu vestido que ainda estava encharcado. Estava deixando para trás o meu amor. As lagrimas ainda escorriam pelo meu rosto. Sentiria saudades. Acariciei seu rosto uma última vez. Aquele foi meu maior gesto de amor.

Então meu corpo foi tomado por uma dor lancinante. Eu não gritei. Senti as lagrimas escorrerem por minhas bochechas e o meu corpo ter pequenas convulsões. Naruto tentou se levantar mas eu não permiti. Ele me olhava assustado. E eu pude ver em seus olhos que talvez seus sentimentos fossem maiores do que ele mesmo achava ser. 

-Está tudo bem, logo a dor vai passar - passei a mão em seus fios loiros tentando tranquiliza-lo e ele fechou os olhos.

Ele pareceu mais calmo.

Fechei meus olhos esperando que tudo passasse. Senti o meu coração parar lentamente. A dor se esvaiu do meu corpo. Eu estava faliz e em paz.

Dormi. 

Sabia que não acordaria na manhã seguinte. Não dormiria apenas por uma noite.

Dormi

Pela eternidade


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Qualquer dúvida estou a disposição.
Algum comentário?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...