História Not Even The End of Our Lives Will Separate Us - Capítulo 1


Escrita por: e itsormxxnlxght

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Criminoso, Flex, Hoseok, Jimin, Jungkook, Namjin, Suga, Taehyung
Visualizações 33
Palavras 780
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Leiam as notad finais!

Capítulo 1 - OO1. Prologue


O fim da tarde próximo mantinha-se com o clima nublado, ameno. A brisa gélida e melancólica transpassava sorrateiramente as cortinas brancas e finas lhe bagunçando os fios desgrenhados e mal cuidados, lhe fazendo arrepiar-se brevemente. O simples e cálido toque da pequena, ainda presente, fresta da luz solar lhe batia aos olhos, antes profundos, penetrantes, iluminados por uma paixão indecifrável, mas que agora, encontravam-se apagados, ocos, sem cor ou sentimento, a não ser o do medo, da angústia, a frieza lhe corroendo. O sentimento de perda profunda.

Seu interior estava revirado mais uma vez aquele dia, como se a qualquer instante sequer, viesse a libertar seus órgãos pela boca ressecada e com cortes profundos causados por seus próprios dentes. A garganta queimava e ardia, enquanto falhamente, tentara segurar lágrimas quentes e salgadas de escorrerem vagarosamente e sem piedade alguma por seu rosto, este mais pálido e magro que o costumeiro, amorenado e com expressões de uma pessoa forte e determinada, mas que agora, se acabava cada vez mais, mesmo que aos poucos.

Se acabava dolorosamente. 

Sentado sobre o acolchoado macio, tragava o sexto cigarro consecutivo daquele dia enquanto olhava fixo as janelas onde observara o lado exterior ao cômodo, tão, opaco. A paisagem do lado de fora parecia agora, aos seus olhos, tão sem vida assim como si próprio. Nunca fôra de fumar, na verdade, abominava a droga como o pior veneno do mundo, o que de fato era, de certeza forma, verdade. Mas depois "daquilo", a droga foi sua única opção, para enfim, afogar as magoas, a angústia, irá, infelicidade. Mas também, tinha o álcool, esse ingerido quando jás não suportava a dor latente no peito, quando pensava seriamente, seguir o mesmo rumo da pessoa que amara ardentemente. A má influência em pessoa. Mas mesmo assim não poupou tempo e se entregara de corpo e alma. Sem poder suportar, as lágrimas já escorriam abundantemente por sua face, tão grossas e pesadas que lhe causavam uma ardência incomum nas pálpebras avermelhadas e inchadas, de um choro anterior.

Sob a cama, alcançou com certa dificuldade a garrafa de soju já pela metade, dentre outras ainda intocadas. Levou o recipiente de vidro ao lábios rececados, esbranquiçados e principalmente feridos profundamente, engolindo uma grande quantia do liquido que descera queimando sua garganta, a maltratando sem dó, nem piedade. Mas a ardência era, sem sombra de dúvidas, mais suportável que a frieza e tristeza empregadas no quarto, que um dia fôra tão quente e feliz. As roupas amarrotadas ao corpo fragilizado e sem força alguma, o cigarro também em mãos voltara de encontro a boca assim que recebera outro gole generoso da bebida alcoólica, tragando a substância maligna, que ia de encontro direto aos pulmões, os maltratando, e liberando a fumaça tóxica pela boca novamente.

ー Ah … ー fungou ao que mais lágrimas desciam em abundância, e goteavam seu jeans surrado ー Eu …

Suspirou enquanto falhamente apertava a garrafa em mãos, e jogava o cigarro à um canto qualquer, em forma de conseguir pronunciar o que lhe entalava a garganta.

ー Eu te amo tanto … ー apertou uma das coxas fortemente, descontando a raiva que lhe apossava aos poucos ー Porque?! Tem noção do quanto isso dói?! Dói aqui …

Pronunciava alto ao apontar freneticamente para o peito esquerdo. As lágrimas rolavam sofrêgas e carregadas por uma dor mortal. Estava de fato, muito fragilizado. De luto.

ー Eu estou morrendo por dentro … Eu … ー levantou-se sem limitações, e atirou a garrafa já vazia na parede ao seu lado oposto, esta que se estilhaçou-se em pedaços consideravelmente pequenos ー Estou sofrendo, morrendo … Estou morto, morto, morto …

Um cheiro conhecido por si, cobria a atmosfera do quarto, o calor subia consideravelmente e a pequena demanda de fumaça se apossava de cada canto ali. Suas narinas queimavam mais do que anteriormente, os olhos lacrimejavam pelo gás que lhes embaçam, o oxigênio parecia estar se esvaindo aos poucos, sua respiração ficando cada vez mais difícil. O suor lhe tomava a pele, descendo livre por seu pescoço e molhando a gola da camiseta, o mesmo com suas costas, estas molhadas consideravelmente.

ー Mas que … ーtossiu, sentindo a garganta em uma ardência absurda, o pouco ar se esgotando, a fumaça lhe cegando.

Os olhos pesaram, e pôde jurar, que, por um mero curto momento vira a silhueta masculina tão conhecida por si, diante aos seus olhos, com lágrimas abundantes no rosto jovial, o cenho franzido em dor, com a palma das mãos erguidas, como  forma de salvá-lo. O que de certo modo, foi falho. Até que tudo a sua volta se apagou, como uma lâmpada que se queima, sem mais, nem menos.

Agora era só seu corpo em meio as chamas ardentes do cômodo. 


Notas Finais


Olá! Eu falei que ia postar uma NamJin, simplesmente, por já ter muita VKook por ai. Enfim.

- SeokJin será um fucking criminoso. Vocês vão ver. Também, não será nada "santo" que nem na maioria das fics que já li, muito menos será "bottom", pelo menos na maioria das vezes, vocês vão ver, ou melhor ler.

Também será irônico, sarcástico, sem vergonha na face ... Rebelde. Dá pra ter uma noção.

- NamJoon vai ser o certinho! Isso, nada de Nam quebrador de regras e essas coisas, pelo menos até um certo momento da fic. Acho que só isso.

- Esse prólogo é um flashback, pelo menos uma parte, vocês vão ler mais pra frente.

Acho que é só isso, caso eu tenha mais observações, direi nos próximos capitulos! Enfim, até os próximos.

Quero agradecer @LostStories pela capa divosa, sério, façam encomenda, ficou pronta em menos de um dia! Muito rápido! E linda por sinal. Então, comentem e favoritem, para que eu saiba que já apóiam a ideia! Bjos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...