História Not Strong Enough - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Harry Potter, Tom Riddle Jr.
Tags Adoção, Comportamento Possessivo, Harry Potter, Manipulação Emocional, Relação Pai-filho, Tom Riddle, Viagem No Tempo
Visualizações 93
Palavras 2.317
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, LGBT, Magia, Mistério, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


desculpinha a demora~
meu computador tava quebrado

o capitulo também não é muito grande, mas eu vou postar com mais frequencia~
espero que gostem

Capítulo 4 - Conhecendo você, Conhecendo tudo sobre você.


Harry sonhou naquela noite, sonhava com coisas que ele não tem há muito tempo. Uma mistura de bom, ruim e horrível.

 

“Este diário guarda lembranças de coisas terríveis. Coisas que foram encobertas. Coisas que aconteceram na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts ” 

 

“Eu fui arrancado do meu corpo, eu era menos que espírito, menos que o pior fantasma. . . mas ainda assim eu estava vivo. 

 

“Ele sabia apenas uma coisa, e estava além do medo ou da razão: ele não ia morrer agachado aqui como uma criança brincando de esconde-esconde; ele não ia morrer ajoelhado aos pés de Voldemort. . . ele ia morrer de pé como o pai e ia morrer tentando se defender, mesmo que nenhuma defesa fosse possível. . . .   

 

"Avada Kedavra!" "Expelliarmus!"

 

 

Harry acordou com uma lembrança vívida de uma luz verde brilhante indo direto para ele. Ele deitou na cama, ofegando com o suor cobrindo seu corpo. Ele olhou para a direita e seu corpo congelou em estado de choque. O rosto de Voldemort estava deitado ao lado dele olhando para ele com olhos vermelhos de sangue. Ele parecia exatamente o mesmo que ele fez durante o seu renascimento. Vivo. Glorioso. Mal. 

Harry fechou os olhos forçando-se a se acalmar, ele sabia no fundo que Voldemort não estava ao lado dele. Ele abriu os olhos depois de alguns momentos .. 

Voldemort não estava mais lá, em seu lugar estava Tom. 

Harry sentiu tanto frio, seu corpo estava tenso e trêmulo. Seu peito arfava com o esforço de levar o ar de volta aos pulmões. Sua mente corria o tempo todo tentando não acordar a criança adormecida ao lado dele.

Um mantra se formou em voz baixa. “Ele não é Voldemort, ele não é Voldemort. Ele é apenas uma criança. Você precisa pegar sua merda juntos! Ele não é Voldemort ... ele não pode ser."

Harry olhou para a criança dormindo deitada ao lado dele. Quanto mais Harry olhava para o rosto adormecido de Tom, mais envergonhado se sentia. Harry gentilmente se afastou de Tom, tomando cuidado para não acordá-lo e começou a puxar os cobertores ao redor de Tom para que ele ficasse aquecido. Harry encontrou a vontade de andar sem se desintegrar no chão e foi para o banheiro. Ele então ligou o chuveiro, desajeitadamente despido e, em seguida, entrou nos sprays quentes de água para lavar o suor. Se ele pudesse, teria lavado de bom grado o sonho horrível e a alucinação.

 

“Ele não é um bom menino… mesmo quando bebê, ele sempre foi uma criança gananciosa e possessiva. Nunca compartilhando com as outras crianças, até mesmo roubando ... Ele machuca as pessoas. ”

 

'Muitas crianças roubam, isso não significa que elas acabarão com o mal. O orfanato provavelmente não tinha o suficiente para comer; Eles são notórios por serem subutilizados até mesmo no futuro. Eu roubei às vezes quando se tornou muito. Ele provavelmente não tem muito controle sobre seus poderes; ele não conseguia controlar suas emoções o suficiente e deixava sua magia tirar o melhor dele, isso é perfeitamente normal. Isso não significa que ele vai acabar mal. Essas pessoas simplesmente não o entendem ”.

 

(_______________)

 

 

Tom acordou com o corpo do homem enrijecendo coberto de suor, já hipersensível a qualquer coisa que Harry fizesse. Ele ficou lá olhando para o homem, seu rosto parecia tão vulnerável, tão delicado. Era estranho, Tom nunca achou nada agradável ou bonito. O mundo tinha sido tons de cinza para Tom, tudo era tão insípido e comum, tão chato. Ele nunca encontrou nada muito interessante. Harry era a luz em seu mundo cinza escuro e ele gostou muito do homem que o adotou. Tom sorriu ao pensar nele e Harry sendo o mesmo, ambos especiais, não comuns em tudo. Harry trouxe cor ao seu mundo cinza escuro, o fez sentir coisas que ele nunca sentiu antes. Tom apertou a pequena mão onde o coração de Harry estava e sentiu o frenético baque do coração de Harry. Isso o acalmou, era a prova de que sua nova vida não era um sonho e era uma prova física de que Harry estava ao lado dele, ao seu alcance. Tom deitou de volta ainda observando Harry. Eventualmente, o sono o encontrou novamente, o ba-dum o embalou de volta ao sono.

 

(_______________)

 

Harry rapidamente se secou e copiou o que Alexander fez antes de se vestir. Ele checou Tom antes de descer para fazer o café da manhã. Ele vasculhou a cozinha para ver se ele tinha todos os ingredientes de que precisava e, quando descobriu que estava, começou a preparar o café da manhã. 

Foi uma visão para ver, panelas e potes ajudados por magia estavam em um tango com espátulas e uma variedade de alimentos como bacon, salsicha e tomate. A salsicha tinha que ser feita, as torradas precisavam ser torradas, os ovos precisavam ser fritos. Era uma tarefa que consumia muita atenção, mesmo com mágica, para garantir que nada sobre cozido e as coisas fossem onde deveriam estar. Harry sempre achava que cozinhar era calmante; isso levou sua mente das coisas. Algo que ele precisava desesperadamente. Ele gostava do caos tranquilo imensamente enquanto ele cortava, mexia e sacudia com cliques e cliques no fundo, era um som reconfortante. 

O resultado final foi magnífico. Harry olhou para a mesa satisfeito, lembrou-se das refeições com os Weasley's. Mesas transbordando de comida, cabelos bagunçados e risos e um pouco de confusão aqui e ali. Isso era o que ele queria ter com Tom, por Tom. Ele queria que Tom fosse tão feliz quanto ele quando estava com seus amigos e familiares.

 

Eram oito e quinze quando Harry subiu para acordar Tom. Quando ele entrou Harry foi saudado com uma imagem inocente de Tom em seu estômago com os cobertores jogados fora dele, a luz do sol iluminou seu corpo e rosto dando-lhe um olhar angelical. Harry avançou e sentou-se ao lado da forma adormecida de Tom, escovou o cabelo para trás e silenciosamente observou Tom dormir por alguns instantes antes de gentilmente afastá-lo. 

- Bom Dia, amor. Você precisa acordar, não quer que o café da manhã fique frio, não é? 

Tom franziu o rosto um pouco por um momento antes de abrir os olhos escuros. Ele se sentia tão grogue e cansado e apenas ficou lá até que ele foi capaz de ver Harry sem nenhum borrão. Ele podia sentir a mão de Harry esfregando suas costas, isso senti bem. 

- Mhmmmm, não pare.”

 

Harry soltou uma risadinha e eu percebi que ele tinha dito em voz alta e seu rosto tinha o começo de um rubor se formando em seu rosto. Ele moveu-se para sentar-se rapidamente, com a cabeça baixa para esconder seu constrangimento. Harry apenas riu mais e passou a mão pelo cabelo de Tom: " Que fofo e orgulhoso ele é".

 

- Vamos lá, vamos tomar o café da manhã.

Tom estava feliz, muito feliz mesmo. Ele estava quentinho e comendo comida deliciosa, mais que ele pensou que ele já poderia comer e para o café da manhã nenhum menos, e era só para ele. Nenhuma criança chata e irritante ao redor dele ou crianças mais velhas intimidando-o por comida. Era tudo dele e Harry estava lá e Tom não poderia estar mais feliz. 

O mundo ideal de Tom foi logo destruído. O sino tocou e Harry foi buscá-lo e voltou com Alexandre. O humor de Tom azedou quando o homem apareceu. 

Alexander olhou para Tom e viu o olhar sombrio direcionado em sua direção. Ele passivamente assistiu Tom, não querendo começar nada que pudesse ser evitado. Se qualquer coisa, ganhando o favor de Tom, seria mais fácil para ele estar mais perto de Harry e definitivamente mais confortável sem os pequenos olhares mortais que ele recebia. 

A atenção de Tom estava logo em Harry novamente. Ele viu que Harry tinha uma caixa embrulhada de prata brilhante em suas adoráveis ​​mãos. Harry se apressou em explicar quando viu a atenção de Tom voltando para ele. 

- Alexander lhe trouxe presente. Não foi legal ele? Aparentemente, este é um trem elétrico Lionel, acabou de sair. Deve ter sido caro. Por que você não diz a Alexander obrigado pelo generoso presente Tom? 

Tom entendeu as palavras de Harry e tentou forçar seu rosto em um sorriso agradável antes de agradecer ao homem horrível que se intrometeu no espaço dele e de Harry. 

- Obrigado, senhor, você não tem que me comprar nada ou aparecer para trazê-lo.

Alexander se divertiu com a sutil foda de Tom.

 

- Não foi problema Tom; crianças pequenas deveriam ter brinquedos para brincar para mantê-los entretidos enquanto os adultos conversam. -Alexander respondeu com um sorriso hostil e agradável. 

 

Alexander se virou para se dirigir a Harry. - Eu quero verificar suas costas e eu gostaria de falar com você enquanto estamos nisso.- Virando-se um pouco para abordar Harry e Tom, ele casualmente disse: - Eu realmente trouxe isso para que Tom pudesse ter algo para ocupar seu tempo enquanto estamos conversando. Eu vi como você estava angustiado ontem quando pensou que não estava dando atenção suficiente a Tom. Dessa forma, você não se sentirá culpado quando não estiver atento em outro lugar.  

Tom fechou a cara com algo feroz como as palavras de Alexander. 

Alexander e Harry conversaram em silêncio perto da lareira, observando Tom tentar fazer seu novo trem sair do sofá. A música estava tocando no rádio ao fundo. 

- Obrigado pelo presente.

- Não é nada; é melhor se o menino estivesse distraído. O que você disse ao garoto? 

- Eu disse a ele que explicaria tudo mais tarde, e que estou mudando meu sobrenome para o dele.

- Ele parece ... intrigante. E tem certeza de que pode mudá-lo? 

- Eu não tenho certeza sobre nada. Mas tenho que tentar. 

 

Ambos ficaram em silêncio enquanto Alexander terminava de adicionar o unguento e as ataduras. Ele então sobe para fazer um chá acenando para longe do protesto de Harry. Ele fez Harry ficar sentado enquanto ele ia fazer chá e o tirou alguns minutos depois. Harry estava olhando para Tom com um olhar distante, mas intenso. Como Tom era a única coisa no mundo. Ele nem olhou quando se sentou ao lado dele.

 

"Em seguida, senhoras e senhores: If I Didn’t Care by the Ink Spots”

 

If I didn't care more than words can say

If I didn't care would I feel this way? 

If this isn't love, then why do I thrill? 

And what makes my head go 'round and 'round 

While my heart stands still? 

If I didn't care would it be the same? 

Would my ev'ry prayer begin and end with just your name? 

And would I be sure that this is love beyond compare? 

Would all this be true if I didn't care for you?

 

'Espero que meu amor e cuidado seja suficiente para você. Eu pensei que seria uma coisa clara, mas mesmo agora, depois de todo esse tempo, você ainda é meu mundo inteiro. Eu não sei o que aconteceu no orfanato, essa conexão nós temos que não há razão para isso, mas está lá. Eu espero que eu seja o suficiente para você. Você foi uma peça central toda a minha vida. Mesmo agora, eu de bom grado me coloquei à sua mercê. Eu me coloquei no melhoramento do seu bem estar. Olhando para você, eu sei que não é o ódio que me atrai para você, eu não sei o que sinto mas você não é ele. Você não é Voldemort. Você é Tom Riddle e essa é a melhor coisa do mundo. Espero que com o tempo você acredite o mesmo.

 

If I didn't care honey child, mo' than words can say. If I didn't 

care baby, would I feel this way? Darlin' if this isn't love, then why do I thrill so 

much? What is it that makes my head go 'round and 'round while my heart just stands 

still so much ? 

If I didn't care would it be the same? 

Would my ev'ry prayer begin and end with just your name? 

And would I be sure that this is love beyond compare? 

Would all this be true if I didn't care for you?

 

Tom olhou para cima para ver Harry observando-o com um olhar tão intenso, mas distante em seus olhos. Ele não gostava disso, ele nunca queria que Harry estivesse longe de seu alcance. Ele se moveu para se levantar e caminhou em direção a Harry, e foi ao toque de Tom que Harry foi trazido de volta, seus olhos claros para encontrar Tom na frente dele. 

- Tom? Está tudo bem?

 

- Sim. Estou bem. Venha brincar comigo?

O rosto de Harry se abriu em um sorriso, ele esteve sorrindo muito ultimamente.

- Claro que sim amor.

Eles se moviam juntos de mãos dadas e sentavam-se juntos, completamente absortos um no outro. Suas mãos se moveram juntas. Suas mentes se moveram juntas quando colocaram as peças. Eles estavam completamente sincronizados. Eles sorriram um para o outro e se pegaram encarando o outro e riram. Uma barreira foi criada quando eles estavam juntos, algo que era intocável para os outros, algo pelo qual outros se esforçavam. O vínculo que eles tinham era incrível e em tão pouco tempo. Foi uma coisa tão doce e intensa de se assistir. Alexander foi completamente esquecido, e ele sentiu como se fosse um intruso. Se Tom soubesse, ele definitivamente estaria convencido que finalmente percebeu. Alexander conversaria com Harry mais tarde. Eles nem perceberam quando ele se levantou para sair. 

Não era um amor sexual, não, isso era uma coisa tão pura que só pode ser apreciada pelos espectadores e vista com inveja. Eles não sabiam o que chamar no momento em que tinham no orfanato; eles não sabiam como chamar o que tinham agora e como estavam tão interligados em tão pouco tempo. Eles não sabiam como chamá-lo, mas não se importavam.


Notas Finais


espero que tenham gostado~~
deixem comentarios


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...