História Not Today - Capítulo 12


Escrita por: ~

Visualizações 107
Palavras 1.657
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OI OI PESSOAL! TUDO BEM COM VOCÊS?

FINALMENTE CHEGAMOS NOS VINTE FAVORITOS! YAYYYY

Seguinte, gente: o próximo capítulo pode demorar um pouquinho a mais, visto que o meu namorado vai vir me visitar - ele chega amanhã e só vai embora dia 20 - e eu planejo passar todo o tempo possível com ele, já que a gente não se vê desde fevereiro. É claro que eu vou me esforçar pra postar, mas não me julguem se eu estiver mais ausente nesse mês lskjdak

Aproveitem o capítulo!

Capítulo 12 - It's happening


- Eu quero que vocês acabem com a raça desses desgraçados! – o treinador Kepler gritou, incentivando o time dos Bayside Pirates, enquanto eles ainda estavam nos vestiários. O jogo começaria em dez minutos e, obviamente, os nervos estavam à flor da pele. Ninguém ali queria perder. – Se ninguém sair daqui com uma perna quebrada ou tornozelo torcido, significa que vocês falharam!

O treinador Kepler não era muito bom com incentivos.

O plano de Jimin havia dado certo. Ele, Seokjin e Kook tinham treinado um pouco na Mansão Jeon e, no caminho para cá, Yoongi havia os acompanhado em uma loja de licores sobrenaturais. Eles conseguiram comprar a fatídica bebida que os deixaria alegres sem problema. Jimin havia se surpreendido muito com a família Jeon, para ser sincero. Não era nenhum monstro de sete cabeças, como sua família havia os pintado. Todos se mostraram amigáveis – desconfiados, mas amigáveis – e muito mais receptivos do que qualquer caçador que Jimin já conhecera.

Patrick era um rude antipático se fosse comparado com Erik III.

- Nós vamos ganhar com toda certeza – Jimin disse, simplesmente. Sussurrando, ele completou: – Ainda mais com dois licantropos no time.

- Cale a boca – JungKook revirou os olhos. – Não podemos usar nossos poderes aqui. Seria trapaça.

- Bah, claro que podem. Você ouviu o treinador. Temos que acabar com a raça deles – Jimin riu. – Se ele soubesse que vocês são sobrenaturais, com toda certeza estaria tirando vantagem. Aliás... Ele é sobrenatural?

- Quem, o treinador Kepler? – JungKook sorriu. – Não. Não sinto cheiro nenhum, pelo menos. É só um velho raivoso, acho. A raiva dele é sobrenatural, talvez. Mas ele? Não. Humano.

- Ah, que pena. Isso explicaria porque ele é... Assim.

- O que as duas garotinhas estão fofocando?

JungKook e Jimin olharam para trás. Namjoon estava atrás dos dois, de braços cruzados e um brilho de fúria no olhar. O Saint-Louis revirou os olhos. Ótimo.

Ele e Namjoon costumavam ser amigos até o ano passado. Muito amigos, na verdade. Mas, depois do que tinha acontecido entre Namjoon e Victoria, os dois inevitavelmente se afastaram. Mesmo que Namjoon ainda tentasse ser legal com Jimin no começo, o mais novo não havia escondido seu desprezo pelo capitão dos Bayside Pirates, que também não tardou a ser recíproco. Desde então, eles só se falavam se fosse extremamente necessário e, geralmente, envolvia caça ou futebol americano. Não se cumprimentavam e se evitavam ao máximo. Era como se nenhum dos dois existisse para o outro.

- Nada que seja da sua conta, pode ter certeza – Jimin bufou, levantando-se. – Já se cansou de ouvir a conversa dos outros? E, se não for para dizer algo construtivo, eu prefiro que permaneça de boca fechada.

Namjoon riu.

- Eu não vou nem te responder, honestamente – ele deu um empurrãozinho no ombro de Jimin, fazendo com que o Saint-Louis cambaleasse para trás. – Você não vale o meu tempo. Só quero lembrar aos dois panacas que eu tô na cola de vocês. Se, por um milésimo de segundo, vocês parecerem inúteis... Estão fora – Namjoon olhou para Kook. – E isso vale para aquele seu primo também.

- Quem? – JungKook sorriu, sarcástico. – O que te socou na cara?

- Toma cuidado com o que diz – Namjoon deu as costas e saiu andando, simplesmente. Antes de sair do vestiário, porém, ele olhou para os dois por cima do ombro. – Vocês nunca sabem quem está ouvindo.

E saiu.

JungKook se virou para Jimin.

- Você acha que ele ouviu alguma coisa?

- É claro que não. Só está sendo idiota – Jimin revirou os olhos. – Quem nasce idiota, tende a fazer idiotice. Não se preocupe com ele. Anda, temos um jogo para ganhar. E uma festa para ir.

~~~

- Não sei não, Vicky – Maya suspirou. As duas estavam sentadas na arquibancada da Bayside High, onde aconteceria o primeiro jogo da temporada dos Bayside Pirates. Estavam todos nervosos. A torcida já estava animando os convidados; algumas primeiranistas seguravam cartazes incentivando os jogadores, as pessoas gritavam, e a banda tocava animadamente. Parecia uma grande festa. Um segundanista passara entre as arquibancadas perguntando se os espectadores queriam comprar cachorros-quentes. – Você realmente acha uma boa ideia ir nessa festa? É... Perigoso, não acha? Com tudo que está acontecendo...

- Você quer dizer com as suas suspeitas sem nexo de que eu sou uma Banshee?

Maya aquiesceu. Victoria revirou os olhos.

Depois do que tinha acontecido no quarto de Frances, Maya retornou ao colégio. Vicky voltou para casa levando Allison e as duas seguiram o trajeto sem dizer uma só palavra. Não tiveram notícias de Diane desde então; depois do jogo, elas iriam para a casa de Maya e iriam se arrumar para a festa. Allison voltaria para casa com alguma das líderes de torcida e iria para a festa com Yoongi. Jimin, com JungKook, iria para a casa de Drake direto do jogo, após uma boa chuveirada e uma troca de roupas.

- Eu não sou uma Banshee.

- Victoria, ser uma Banshee não significa algo ruim. Já te disse isso. Pode ser muito bom, na verdade. Especialmente pelo que estamos passando. E esses... Sacrifícios.

- Podia ser tudo da minha cabeça, sabia. Talvez nada daquilo realmente tenha acontecido.

- Eu duvido. E sabe por quê? Porque andei olhando alguns registros no computador do meu pai – Maya pegou seu celular. Como seu pai era xerife, ela tinha essa pequena vantagem. – Olhe as fotos. Todo verão, três caçadores desaparecem na Reserva Nacional de Bayside. Geralmente, dois adultos e um mais novo. Isso vem se repetindo já tem nove anos. Como um ritual.

- Um sacrifício – Victoria completou. Ela olhou as fotos e deu zoom. – Por quê? Como ninguém nunca desconfiou disso antes?

- Caçadores morrem ou desaparecem o tempo todo, Vicky. É normal. Mas, com isso tudo acontecendo... Com essa ideia de apocalipse... Você não acha que, talvez, tudo seja relacionado? E se os sacrifícios, supostamente, forem para algum agente apocalíptico? E se a besta que vocês estavam perseguindo antes das aulas começarem queriam, na verdade, completar o último sacrifício?

- Dois adultos e um mais novo. Mas Mark não era adulto. Não ainda – Victoria franziu as sobrancelhas. Sua mente estava trabalhando tanto que, se Maya se concentrasse, poderia ouvir as engrenagens. – Ele era experiente.

- Era a primeira caçada de Frances – Maya disse. – Na noite em que morreu. Era a sua primeira caçada. Ele não era experiente.

- Não significa adulto e criança. Significa alguém mais experiente e alguém menos experiente – Victoria pareceu perder o ar. – Allison. Ele estava atrás de Allison. Provavelmente seguiu o cheiro e acabou nos encontrando. Por isso parecia tão desinteressado no começo... Mas já que precisa de dois experientes...

- Mas já foi, certo? A primeira caçada de Allison já aconteceu.

Victoria fechou os olhos. Merda.

- Não. Não aconteceu – ela suspirou. – Houve um problema. Eles vão treiná-la mais antes de deixá-la caçar de novo. E, com tudo isso acontecendo devido ao Instituto... Só Deus sabe quando ela vai ter sua primeira caçada.

- O que significa que ela é inexperiente. Ela é a próxima.

- Mas, espere. Você disse que os corpos foram encontrados na Reserva. Mas os corpos dos Aveyard foram encontrados na floresta atrás de Hidden Hills.

- Provavelmente foram encontrados antes de poderem ser usados no sacrifício. Talvez por isso que seus corpos tenham sumido. Talvez... Talvez o corpo de Mark suma também. Os corpos dos outros caçadores mortos não foram encontrados.

- A reserva não é tão grande assim. Ele... Seja lá o que aquele bicho for, não pode tê-los escondido longe. E por que lá? Por que justamente lá?

Aquela parte não fazia sentido. Afinal, todos sempre diziam que a floresta atrás de Hidden Hills era amaldiçoada, não a reserva. A reserva era popular e frequentada por moradores de todas as idades. Havia trilhas privadas e casas no lago de moradores mais abastados naquela área. Era um lugar extremamente popular e bem frequentado.

- Deve ter algo lá. O primeiro selo, talvez. Eu não sei. Como o apocalipse começa em outras culturas?

- Naturalmente. Um cometa atingindo a Terra. Guerras. Pragas. Fome. O nascimento de seis sóis. Skoll e Hati engolem o sol e a lua... – Victoria pausou. Ela arregalou os olhos. – Hati.

- O que tem Hati?

- Hati. Eu ouvi. Ouvi ele dizendo Hati – Victoria olhou para Maya. Ela parecia chocada com o que tinha descoberto, como alguém que acaba de somar 2 mais 2 e descobriu a cura para uma doença rara. – A besta. Quando matou Mark. Ela... Proferiu coisas estranhas em uma língua estranha, mas eu consegui reconhecer uma palavra. Essa palavra. Hati. Ele disse Hati. Quando ele estava matando Mark, ele disse Hati. Ele disse...

- Hati? Ele estava... Sacrificando em nome de Hati? Para quê?

- Não sei. Para torná-lo mais forte. Mais... Rápido? Não sei – Victoria suspirou. – Por isso ele precisa de dois caçadores. Um maduro, representando a escuridão da noite, para Hati. E um inocente, para a pureza do dia, para Skoll. Para que eles persigam o sol e a lua com mais afinco.

- E para que o Ragnarok comece. Vicky, se ele está fazendo isso há nove anos... Quando o Ragnarok começará?

- Esse ano – Victoria perdeu o ar de novo. Sentia um mal-estar. Parecia prestes a desmaiar. – Três e nove são números sagrados na mitologia nórdica. Três filhos de Bor que criaram o mundo. Três eventos pré-Ragnarok. Três cordas que amarram Fenrir. Nove mundos na Yggdrasil. Nove dias e nove noites do sacrifício de Odin. Nove divindades que sobrevivem ao Ragnarok. O terceiro sacrifício... Provavelmente para Fenrir. Para que ele se solte de suas amarras mais rápido.

- Três eventos pré-Ragnarok, você disse. Quais são eles?

- Os nascimentos dos filhos de Loki. A morte de Baldur. E... O inverno rigoroso. Três invernos rigorosos consecutivamente.

Maya arregalou os olhos.

- Tivemos os piores invernos da história nos últimos dois anos. Esse inverno está programado para ser ainda pior. Vicky...

- Está acontecendo.


Notas Finais


E AÍ MOZÕES??? O QUE ACHARAM???

AAAA eu espero que tenham gostado! Desculpa pelo capítulo pequenino, é que eu precisava fazer esse finalzinho dramático de algum jeito sakjksd mas se preparem, porque daqui a pouco chega o capítulo da festa com suas oito mil palavras lacradoras!

Se gostaram, não se esqueçam de favoritar e deixar um comentário, porque ajuda muuuuuito <3 E MUITO OBRIGADA PELOS VINTE FAVORITOS!!! Gente eu tô tão feliz sakdjaksd sério, muito obrigada!!!

CURIOSIDADE (eu acho legal trazer curiosidades aqui lksjdl me julguem): Skoll e Hati são dois lobos gigantes na mitologia nórdica, filhos de Fenrir com uma giganta (algumas lendas dizem ser a giganta Angrboda, que também é mãe de Fenrir lsjdlad, mas não são todas que afirmam isso). Skoll persegue o sol diariamente, enquanto Hati persegue a lua. Quando Skoll e Hati finalmente alcançarem o sol e a lua e os engolirem, Fenrir será capaz de se libertar da Gleipnir (a atadura mágica forjada pelos anões, que o mantém preso) e inicia-se o Ragnarok.

Muito obrigada por lerem e favoritarem! Beijão e até o próximo capítulo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...