1. Spirit Fanfics >
  2. Notalie >
  3. Explicação

História Notalie - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Explicação


— Hey, está tudo bem com você?

Perguntou um dos parceiros de trabalho de Talles

— Sim — respondeu Talles olhando o computador a sua frente com diversas informações sobre o próximo artigo que ele publicará — apenas cansado de ontem

Talles trabalhava em um editorial, sua principal função era buscar informações e notícias para serem publicados

— Conseguiu alguma coisa ontem?

Perguntou seu parceiro

— Consegui muita dor de cabeça — respondeu ele com um suspiro — mas nada que vai ser útil para o jornal

— É uma pena, você estava tão confiante

Os dois voltaram a editar as informações até que após alguns minutos uma jovem mulher aparece e diz que o Chefe queria falar com o Talles.

Talles olha surpreso para ela e logo se levanta. Ao chegar na frente da sala de seu Chefe, quem o recebeu foi o próprio com um sorriso em seu rosto

— Eu sabia que podia contar com você! — falou o Chefe apertando a mão de Talles e arrastando ele para dentro — Graças a você nós conseguimos fechar um acordo!

— Graças a mim?

Perguntou Talles confuso

— Sim! — respondeu o chefe — esse investigador veio até nós por causa do seu artigo!

O chefe apontou para um cadeira onde um homem com cabelos negros penteado para o lado estava sentado e ao ver Talles ele levantou-se e estendeu a mão para cumprimentar Talles

— Muito bem Sr. Noah, esse é o responsável pelo artigo

Falou o chefe ao ver os dois se cumprimentando

— Eu agradeço Sr. Ryan por nos apresentar — falou Noah encarando chefe e logo depois olhando para Talles — Talles, certo?

— Sim...

Respondeu Talles confuso

— Se você não se importa, eu gostaria de discutir os temas do nosso acordo

Falou Noah sentando-se novamente

— o Sr.Noah interessou-se no seu artigo sobre os possíveis responsáveis pelos recentes assassinatos e sequestros, e então nos procurou

— Resumidamente — começou a falar Noah desinteressado por aquela conversa — eu quero que você me ajudem com as informações que possuem ou que vão conseguir e em troca eu forneço para vocês uma matéria inédita do que eu consegui

Talles encarou Noah pensativo, ele sabia que aquilo não era sobre o artigo dele ou muito menos sobre ajuda e sim sobre o que havia acontecido no dia anterior

— Ok — respondeu Talles querendo acabar logo aquela conversa — e quando eu posso começar a te ajudar?

— Agora — respondeu Noah se levantando — Sr.Ryan, depois eu te envio o nosso acordo, mas se você não se importar eu e Talles vamos sair agora

— Okay!

Falou Ryan animado ao ver os dois saírem

— Como você me achou?

Perguntou Talles caminhando logo atrás de Noah pegando seus equipamentos

— Vocês eram o único jornal investigando aqueles cara, não foi difícil ligar os fatos

— E onde nós vamos ir?

Perguntou Talles descendo o Elevador até o térreo

— Só para confirmar, você não falou nada sobre ontem... certo?

— Sobre você ter congelado o braço de uma pessoa e depois ter despedaçado ele? ou sobre eu ter ido para um lugar todo escuro sem sair do lugar?

— Ambos

— Relaxa — Respondeu Talles — mesmo se eu contasse iria parecer que eu estava bêbado

Ao chegar no térreo os dois caminharam até a saída e então Noah foi até o seu carro e mandou Talles entrar

— O que você é?

Perguntou Talles ao ver Noah dirigindo

— Um humano mais esperto que a maioria — respondeu Noah com um suspiro — não é como se eu tivesse um nome especial

— Em outras palavras, você só é alguém que controla os elementos? tipo um avatar ou um mago?

— Algo do tipo, embora mago pareça um classificação melhor do que avatar, mas de forma geral somos conhecidos como "manipuladores"

— Quem era os quatro de ontem?

— O "Conselho", eles são os responsáveis por garantir que as coisas não saiam do controle

— "Manter as coisas em ordem" né? — Falou Talles com um sorriso — algo me diz que eu vou me envolver em algo perigoso

— Provavelmente

Respondeu Noah friamente

— Vocês falaram ontem que eu iria ser um "discípulo" ou algo assim, mas até ontem eu não sabia nada sobre vocês

— Um dos ideias do conselho é que as pessoas descubram sobre a "magia" por conta própria — falou Noah com desprezo — já que as pessoas não conseguiriam lidar com esse conhecimento

— Você não parece concordar com isso

—É graças a ignorância que as pessoas continuam insistindo em seus erros e não tem a oportunidade de mudar... omitir o conhecimento sobre a manipulação é apenas mais uma forma de deixar as pessoas agindo como engrenagens

— Pretende fazer em relação a isso?

— Te garanto que eu não sou o único que não concorda com eles

— E se mesmo assim eles continuam fazendo o que fazem, é porque não teve ninguém que conseguiu contrariar eles — disse Talles com um suspiro ao ver Noah parando em frente a um prédio — onde nós estamos?

— No meu apartamento

— Você é mais ousado do que eu imaginei

Falou Talles com sarcasmo ao ver Noah saindo do carro e seguiu ele

A entrada tinha um azulejo preto com uma parede caramelo que dava um aspecto mais antigo mesmo parecendo novo. Eles caminharam até o elevador e entraram nele, Noah apertou o botão para o vigésimo andar e após alguns segundos o Elevador parou.

Os dois saíram, a decoração do lugar era a mesma do térreo. O elevador estava no meio do corredor, onde os dois lados apresentavam mais corredores que levavam a diversos apartamentos. Noah seguiu pela direita e virou novamente a direita, eles passaram por três porta numeradas até chegar na porta de número 120.

Noah colocou a chave, girou e a porta abriu

Ao entrar Talles se deparou com um lugar espaçoso mas devido as coisas que ocupavam o lugar, o apartamento aparentava ser pequeno.

O primeiro cômodo foi uma sala de estar grande, havia uma mesa baixa de madeira em seu centro sobre um carpete quadrado listrado de alguns tons de azul, variando entre o azul mais claro e o azul mais escuro. Ao redor do carpete haviam dois sofás um de cada lado formando um L, ao lado de um dos sofás estava um pequena mesa de vidro com um bloco de notas e uma caneta, atrás do outro sofá estava uma das janelas do apartamento, um vidro retangular que dava visão para outros prédios a frente. O restante da Sala era preenchida por diversas estantes repleta de livros, todos com marcações sobre os mais diversos temas possíveis.

Ao lado da sala estava a cozinha, era um retângulo onde não havia quase nada, o que dava a impressão de ser maior do que realmente era. A cozinha era composta por alguns armários na parte de cima e um fogão junto com a pia na parte de baixo, e no balcão ao lado da pia estava um cafeteira e uma torradeira.

Havia alguns puffs escondidos atrás do sofá que não aparentava terem sido muito usados.

Noah caminhou até o centro da sala e pediu para Talles de sentar, e assim ele o fez.

Após isso Noah caminhou até a cozinha e encheu um copo com água até metade e depois pegou outro copo vazio e os colocou em cima da mesa de madeira

— Mova a água de um copo para o outro sem encostar no copo

Falou Noah se sentado no outro que não estava ocupado

— Acho que eu não preciso falar isso mas… você é um péssimo professor

Falou Talles encarando o copo com água

— Por que eu te pedi para mover a água?

— Por que você não explicou nada que eu tenho fazer!

— Para o ser humano começar a modificar a natureza foi preciso ele ter conhecimento sobre com o que ele estava mexendo — começou a falar Noah apontando sua mão para o copo com água— com conhecimento ele conseguiu criar plantações, elevar edifícios e sobreviver por milênios — após falar isso um círculos azul com diversos símbolos apareceu ao redor de seu pulso fazendo a água no copo começar a se mexer — e é com conhecimento que eu consigo manipular os elementos

Ao terminar de falar a água saiu do copo e foi até o outro preenchendo o copo pela metade

— Ou seja, eu sabendo que a água é formada por hidrogênio e oxigênio significa que eu posso manipular ela?

Perguntou Talles incrédulo

— Se você tem conhecimento de que a água é "só" hidrogênio e oxigênio, por que você não manipula ela?

Mesmo sem acreditar, Talles levantou sua mão na direção do copo mas, como ele esperava, nada aconteceu

— Por que você não conseguiu?

Perguntou Noah ao ver Talles pensativo

— Quem é o mago aqui é você — respondeu Talles com uma leve irritação — como você quer que eu mexa a água sendo que eu nem sei o que eu tenho que fazer?!

— Eu acabei de falar — respondeu Noah com indiferença — você só precisa saber do que é feito para conseguir manipular

— Mas eu sei que a água é só hidrogênio e oxigênio e mesmo assim eu não consegui fazer nada!

— Obviamente — falou Noah com um suspiro — a água não é "só" hidrogênio e oxigênio, a base da água que é "só" hidrogênio e oxigênio

— Ou seja?

Perguntou Talles impaciente

— A água do mar tem cerca de 80% de sódio e 20% de outros sais. Água mineral é formada por diversos componentes: sulfatos, magnésio, sódios, etc. A água tratada terá um quantidade maior de cloro em sua composição. A água --

— Ok — falou Talles interrompendo Noah — eu entendi que existem vários tipo de água… você quer que eu decore tudo isso para conseguir mover a água de um copo para o outro?

Noah levantou-se e caminhou até uma de suas várias estantes e pegou um livro de Ciências do ensino fundamental e o entregou para Talles

— Ótimo — falou Talles pegando o livro e folheando algumas páginas — eu fui de aprendiz de mago para estudante do nono ano

— Se você realmente tivesse aprendido algo nessa época, você não teria problema em conseguir manipular a água

— Bela forma de falar que uma criança é mais esperta que eu — Talles fez uma pausa abrindo o livro — o que exatamente eu devo estudar?

— Por enquanto vamos apenas focar na água — respondeu Noah encarando Talles — esse livro tem algumas marcações que eu fiz sobre o que realmente importa, tenta focar nelas

Talles abriu na primeira marcação e deu de cara com uma explicação sobre o ciclo da água e como ela era usada nós mais diversos caso: usinas, corante, solvente e por que ela era necessária para a vida

Talles ficou pensando se aquilo realmente iria ajudar em algo. Mesmo tendo visto duas vezes Noah manipulando a água, ele mesmo ainda não acreditava que aquilo existia. Como em seus vinte e seis anos de vida ele não ouvira falar em nada disso.

"Eu nunca ouvi ou eu nunca percebi?" Pensou Talles

Até onde a magia poderia ser público? Será que ela é usada apenas em segredo ou usada também em filmes? Mesmo que alguém falasse que alguém soltava fogo pelas mãos, ninguém acreditaria. Os efeitos especiais podem fazer tudo hoje em dia, mas o que poderia ser considerado efeito e o que poderia ser considerado magia?

Essas perguntas ficaram percorrendo a mente de Talles por um longo período, até que ele decidiu que o melhor jeito de saber o que era real e o que era ficção era ele mesmo entender a diferença entre os dois.

Com isso, Talles começou a estudar a todo instante os materiais que Noah lhe entregava. Quando ele estava em casa ele dividia seu tempo entre estudar e editar o material do próximo jornal. No trabalho ele tentava fazer o máximo de coisa possíveis para ficar livre o resto do dia, quase todo dia após o trabalho ele ia até a casa de Noah que entregava um novo livro com assuntos cada vez mais complexos.

Essa foi a rotina de Talles por uma semana

— O que você faz para o conselho?

Perguntou Talles encarando Noah que lia um livro sobre física quântica

Talles estava sentado no carpete de na sala de Noah enquanto fazia algumas anotações sobre alguns elementos e características da Água

— Por que você acha que eu faço algo?

Perguntou Noah virando a página de seu livro

— Quando eu encontrei o Conselho eles falaram algo sobre seu "progresso"

Antes de responder Noah fechou seu livro e o colocou de lado

— Eu já te falei que o Conselho existe para tentar manter a paz, certo?

Talles concordou com um maneio de cabeça

— Tem os magos que não tem interesse em ajudar as pessoas, você já tinha falado sobre isso

— Acontece que os "magos" são os nossos menores problemas

Ao falar isso, Talles deixou seu livro de lado e começou a prestar atenção nas palavras de Noah

— O que você está fazendo nessa última semana é obter conhecimento para conseguir manipular os elementos, mas ser esperto não é a única forma de conseguir fazer isso

— Por algum motivo isso não me parece bom

— Se segundo você nós somos "magos", então existem "feiticeiros" — Noah fez uma pausa — os feiticeiros de forma geral conseguem ter poderes mais forte do que os magos, mas para conseguir isso o preço é se tornar um assassino

— E como matar alguém pode ajudar?

Perguntou Talles intrigado

— O que realmente importa é conhecimento da pessoa, feiticeiros matam as pessoas e prendem suas "almas" em um objetivo — Noah fez uma pausa pensativo — normalmente são pequenos objetos feito especialmente para isso… cientificamente falando, isso é impossível para humanos

— Em outras palavras, eles mexem com o sobrenatural? Como se fosse um boneco de vodu?

Noah confirmou balançando a cabeça

— Mesmo eu não entendo muito sobre isso, mas é como se fosse um ritual — disse Noah procurando a melhor forma de explicar — eles prendem a alma da pessoa no boneco e o carregam consigo, sempre que eles forem manipular algo o esforço vai vir dessa alma

— E quanto mais almas eles tiverem no boneco, mais forte a pessoa se torna

— Quanto mais almas elas tiverem mais o impossível se torna possível, normalmente quem cuida dessas pessoas é o próprio Conselho

— E você ajuda o Conselho?

— Meu trabalho é outro — respondeu Noah após algum segundos quietos — como eu te falei, quanto mais almas mais o impossível se torna possível, até que chega no ponto de criar uma espécie de "Pedra filosofal"

— Não é a primeira vez que ouço isso — falou Talles pensativo — não é uma pedra que os alquimistas do passado queriam criar pois eles acreditavam que poderiam transformar pedra em ouro?

— Ao decorrer dos anos foi dado vários significados para ela, seja em filmes ou em livros

— E qual o significado dela na vida real?

— Um objeto capaz de fazer tudo a partir do nada — explicou Noah — pode transformar barro em ouro ou reviver uma que morreu a um milênio atrás

— E qual preço para criar ela?

Perguntou Talles esperando a pior resposta possível

— Centenas ou talvez milhões de almas — respondeu Noah com uma leve raiva — quanto mais esperta a pessoa mais ela vai contribuir para a criação da pedra

— E alguém está tentando criar ela?

Noah confirmou com a cabeça

— A uns dois anos, ouve diversos casos de mortes onde o cérebro da pessoa estava "deteriorado" sendo que o corpo da pessoa estava intacto

— Ainda continua havendo?

— Eu fui encarregado de investigar esse caso, mas desde então seja lá quem está fazendo isso está tomando mais cuidado para não deixar rastros

— E o que você descobriu?

— Nada que vai levar ao culpado, mas parece que não é apenas uma pessoa que está fazendo isso

Após Noah falar isso, Talles ficou quieto pensativo

— Agora eu sei que existe um grupo matando pessoas para conseguir uma pedra e que tem pessoas que estão dispostas a matar para conseguir mais poder… tem mais algo que eu precise saber?

— Eu não acho que você vai achar, mas se mantenha longe de qualquer um que usar manipulação proibida

— Manipulação proibida?

Perguntou Talles com um semblante de dúvida

— Embora seja uma lenda — Noah mudou sua voz como se fosse contar uma história — muitos anos atrás apareceram quatro pessoas com conhecimentos singulares. Um deles tinha conhecimento suficiente para manipular um corpo morto, seja de um animal ou de um ser humano. Outro podia manipular o sangue, não apenas o seu mas o de qualquer pessoa fazendo o sangue atribuir qualquer forma. Outra conseguiu a imortalidade podendo sobreviver a qualquer ferimento por mais fatal que fosse. E a última conseguiu o controle sobre o espaço-tempo, podendo ter noção sobre tudo o que cercava ela

— Por que você chamou de "manipulações proibidas"?

Quis saber Talles intrigado com a história

— Foi o nome que o Conselho atribuiu para essas quatro manipulações — explicou Noah — eu estou te ensinando a manipular os elementos através do conhecimento, as feitiçarias manipulam os elementos através do sacrifício. Por outro lado, essas quatro manipulações não basta apenas aprender e sim testar — Noah fez uma pausa ao ver Talles processando a informação — Manipulação de sangue, mortos, espaço-tempo e a imortalidade não são coisas que você consegue aprender em um livro além de cada um deles ter inúmeras variáveis

— Como o sangue que depende do tipo e do quão saudável a pessoa é?

Noah confirmou com um maneio de cabeça

— Além disso, como eu falei, você precisa testar — voltou a explicar Noah — se uma pessoa tentar manipular o sangue e fazer algo errado pode acabar criando uma doença ou até mesmo fazer o sangue da pessoa parar de circular sem querer

— Seguindo essa linha de raciocínio, para manipular os mortos seria necessário ter alguns para teste, manipular o espaço-tempo poderia acabar criando um buraco negro que engoliria o planeta e, por fim, a imortalidade precisaria de inúmeros testes para ver o que o ser humano aguenta — Talles olhou para Noah e percebeu que tudo o que ele havia falado estava certo — não é atoa que são proibidas

— Mas em compensação quem aprendesse teria um imenso poder em mãos, por isso que o Conselho deseja a morte deles… se por acaso os quatro se juntarem não seria exagero afirmar que eles poderiam destruir o mundo brincando

— Por que você pediu para eu me manter longe? Você conhece algum deles?

— Não, tudo o que tem sobre eles são lendas e boatos… mas nenhum dos boatos são verdadeiros — falou Noah pensativo — ninguém nem sabe se eles realmente existiram em algum momento

— Então são como lendas urbanas — assimilou Talles — não sei se eu fico triste ou feliz por saber disso — Talles voltou a pensar sobre a história que Noah estava contando — mas se eles realmente existissem, o imortal não estaria vivo até hoje?

Noah balançou a cabeça negativamente e voltou a contar a história

— Conforme o tempo passou, os quatro perceberam que nenhum manipulador normal conseguiria acabar com eles, e o senso de superioridade subiu a cabeça deles. A única que se manteve sã foi a manipuladora do espaço-tempo e isso fez com que ela se distanciasse dos outros três, que por sua veze acharam que ela não era de confiança e começaram a planejar a sua morte — Noah fez uma pausa como se tentasse se lembrar do restante da história — entretanto ela era uma oponente formidável, além de ter controle sobre o espaço-tempo podendo alterar ele ou até mesmo prever o futuro, ela passara tempo suficiente com os três para saber como cada um lutava. Sendo assim ela tomou a decisão de acabar com essa maldição: ela iria matar os três e depois iria se matar

— Uma atitude nobre — disse Talles — se matar para proteger o futuro… meio irônico vindo de alguém que podia alterar ele

— Os três bolaram um plano para impedir que a manipuladora do espaço-tempo matasse eles e foram executar ele. Cercaram ela e tentaram atacar juntos evitando que ela pudesse usar suas habilidades. Aquele que controlava os mortos atacou com o máximo deles possíveis, entretanto aquela que manipulava o espaço-tempo usou suas habilidades para acelerar a decomposição dos corpos sem vida fazendo eles perderem suas utilidades e então usou sua habilidade nele fazendo com que a velhice o alcançasse rapidamente tornando ele incapaz de prossegui a luta.

— Após a morte de seu companheiro, foi a vez do manipulador de sangue — continuou Noah — ele viu o que sua ex parceira fora capaz, ele mesmo nunca tinha visto sua antiga parceira usar algo daquele nível e entendeu que ela nunca usará seu potencial total em sua presença, sendo assim, ela iria ter que tomar cuidado extra e decidiu tomar uma atitude defensiva. A Manipuladora do espaço tempo avançou em sua direção determinada a acabar com aquilo, então o Manipulador de sangue usou seu próprio sangue para se defender mas a Manipuladora do espaço-tempo fez com o que o sangue dele fosse para um lugar longe de seu controle fazendo com que ele não pudesse se defender, mas, em um momento de desespero, ele usou o resto de sangue que lhe restava e acabou ficando desnorteado por culpa dessa atitude de desespero e deu a oportunidade para sua ex companheira acabar com ele. Faltava apenas a imortal

— Diferente dos outros dois, a imortal podia controlar os elementos — explicou Noah — ela confiava de mais na sua imortalidade, então a única preocupação dela era em matar sua ex companheira e depois procurar algo para fazer. A Imortal acreditava que nada podia matar ela, e a sua ex parceira tinha total ciência disso. Sendo assim, sem pensar duas vezes ela avançou para cima da imortal que por sua vez permaneceu parada, e quando sua ex parceira se aproximou dela ela manipulou a terra ao redor e perfurou a barriga da manipuladora do espaço-tempo. A Manipuladora do espaço-tempo sentia suas forças esvaindo devido ao ferimento, ela estava muito próxima da imortal próxima o suficiente para encostar sua mão em seu ombro. A Imortal achou que aquilo fosse o último esforço antes que a morte a abraçasse, mesmo que ela separasse a sua cabeça de seu corpo ela continuaria viva, e por isso decidiu ver a alma se esvair do corpo de sua antiga parceira. Mas, justamente por culpa da sua confiança em sua imortalidade, ela foi morta. A Manipuladora do espaço-tempo não tocou seu ombro como um ato falho e sim como seu último ato: ela iria apagar a existência da imortal daquele universo. A própria Manipuladora nunca tinha feito algo naquele nível, mas era tarde de mais para recuar. Em troca do resto de vida que lhe restava ela apagou a existência da imortal, sendo assim, só a faltava esperar a sua morte que não demorou muito para acontecer

Ao terminar de ouvir a história Talles começou a se perguntar se aquilo era verdade, e mesmo que não fosse aquilo chamou atenção dele. Muitas pessoas devem ter tentado aprender uma dessas magias, pensou Talles, mas se Noah não ouvirá falar de nenhum que deu certo era porque aquelas magias era algo além da capacidade de um humano normal… não seria algo que qualquer um pudesse fazer

— Mesmo após anos ninguém conseguiu reproduzir nenhuma dessas magias?

Perguntou Talles esperançoso

— Pelo o que eu sei, pouco tempo depois dessa história se tornar famosa o Conselho foi fundado — voltou a falar Noah bebendo um copo de água que estava na mesa de centro — a principal intensão dele era impedir que, se essas magias realmente fossem verdade, elas não voltassem a tona

— Tudo pelo medo do mundo acabar?

Perguntou Talles com uma leve irritação

— Isso não é motivo suficiente para você?

— Isso não é motivo, é uma possibilidade! — com essa fala Noah começou a prestar atenção em Talles — se essas magias voltassem agora o mundo poderia acabar ou os usuários dela poderiam ajudar a entender sobre tudo o que não entendemos! — argumentou Talles — poderíamos aprender mais sobre os diversos tipos de câncer, sobre os bilhões de elementos que compõe o universo, conseguir criar a cura antes que uma doença pudesse se espalhar… poderíamos ter o dobro de conhecimento que tempos

— É uma possibilidade — concordou Noah colocando seu livro em cima da mesa — ou conseguiríamos descobrir a cura do câncer ou um segundo Big Bang poderia existir

Com essa fala Talleentendeu que aquilo não era uma questão de simplesmente "conhecer o desconhecido" mas que um movimento em falso e tudo o que ele conhece poderia deixar de existir por milhões de anos, até que recomeçasse o ciclo do universo

— Mas não adianta ficar irritado com isso, pois mesmo depois de séculos, ou milênios, que essa história surgiu, ninguém conseguiu recriar essas magias — com isso ele caminhou até Talles e pegou o copo de água preenchido pela metade que Talles usava para tentar manipular a água — por ora, apenas foque na água… se você conseguir manipular a água talvez um dia você consiga manipular alguma "magia proibida”

— Mesmo que você diga isso, eu estou tentando a uma semana e nem o círculo eu consigo formar… mesmo você tendo me mostrado várias vezes

Disse Talles com um leve ar de frustação

— E por que você não consegue?

Perguntou Noah

— Por que eu não sou esperto o suficiente?

Perguntou Talles imaginando que Noah concordaria

— Talvez — respondeu ele friamente — vamos fazer o teste

Após falar isso, Noah jogou o conteúdo do copo na direção de Talles.

Ao ver isso, Talles teve um sentimento de susto junto com um leve desespero. A água que Noah havia jogado iria cair sobre sua face e por instinto ele levantou seus braços e os colocou na frente do rosto para evitar que se molhasse, embora a água pudesse molhar suas roupas. Junto com essa reação, ele fechou os olhos e virou o rosto para evitar que a água caísse sobre.

Alguns instantes se passaram e Talles não teve o sentimento esperado, não havia sentido que a água o molhara. Noah podia ter manipulado ela para evitar que ela caísse sobre ele, pensou Talles, mas esse pensamento logo foi embora ao sentir um incomodo em seu pulso: uma leve irritação junto com um dor aguda, mas não forte o suficiente para gritar de dor.

Ao abrir os olhos ele viu a água que Noah jogara em sua direção parada no ar e em seu pulso um círculo azul com apenas um símbolo geométrico

— Quando o cérebro se sente ameaçando ele procura a forma mais rápida de se livrar daquela situação — começou a explicar Noah dando as costas para Talles — ele é capaz de passar por dezenas ou até centenas de informações em segundos para poder se salvar... No seu caso ele juntou as informações necessárias sobre a água para impedir que ela caísse sobre você — Noah fez um pausa ao ver que Talles ainda estava surpreso com a água parada a sua frente — o que faltava para você começar a manipular a água era um senso de perigo. Seu cérebro ainda não acreditava que isso era possível mas por um estimulo ele foi forçado a acreditar para que a água não o molhasse

Após entender o que estava acontecendo, com um pouco de dificuldade, Talles colocou a água de no outro copo evitando que ela caísse. Após fazer isso o círculo em seu pulso sumiu junto com dor aguda que ele sentira

Talles voltou o seu olhar para Noah que preparava duas xícaras de café

— Agora que você deu o primeiro passo, vamos passar os próximos dias treinando o seu controle

— Amanhã eu não vou poder — falou Talles — vou ter um encontro

— Namorada?

Perguntou Noah

— Noiva

Responde Talles

Com isso Noah passou seus olhos pela mão de Talles mas não viu nenhum anel, por outro lado, ele viu uma pulseira em seu pulso esquerdo: uma pulseira vermelha não muito com grossa com um pequeno desenho de um quebra cabeça. Aquela pulseira deveria substituir a aliança, pensou Noah

— Acho melhor continuarmos hoje então

Disse ele levando uma xícara de café até Talles

— Não pode ser depois de amanhã? Já tive um bom progresso hoje… e estou bem cansado, eu passei a madrugada dos últimos dias lendo os livros que você me emprestava

— Se você for embora agora e dormir, seu cérebro pode interpretar o que acabou de acontecer como um sonho — explicou Noah sentando-se no sofá novamente — e talvez um copo de água não seja o suficiente para fazer o círculo reaparecer

— Ou seja…?

— Talvez eu tenha que te jogar no Oceano para te dar a sensação de perigo

Um leve temor passou pelo semblante de Talles

— Acho que eu posso ficar mais um pouco — falou ele tomando todo o café em um gole — ela não vai se importar se eu chegar um pouco atrasado… eu espero

Após isso, Noah se aproximou de Talles e começou a explicar sobre o círculo que apareceu em seu pulso



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...