História Notes To Be Noticed - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Shouta Aizawa (Eraserhead)
Tags Aizawa, Amor, Conquista, Declaração, Romance
Visualizações 83
Palavras 1.676
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente! Tudo bem? Não aguentei e escrevi o primeiro capítulo kkkk estou com muita expectativa em relação a essa fic porque sou completamente apaixonada pelo Aizawa. Espero que gostem.

Boa leitura <3

Capítulo 1 - Primeiro Passo


 Ouço o som estridente do despertador e bufo frustrada, cobrindo o rosto com os cobertores. Ontem antes de dormir eu havia pensado muito e cheguei a uma grande conclusão. Eu não posso mais esconder meus sentimentos por aquele desgraçado gostoso que nunca nem olhou na minha cara, mas a ideia que jurei começar hoje agora não parecia tão boa assim, talvez porque na teoria as coisas ficam maravilhosas e é na prática que você se arrepende e reza pra nunca mais tentar algo tão idiota quanto.

 Sinto algo subindo na cama e tiro o cobertor do rosto vendo Mieko se aproximar de mim com seus olhos amarelados, o felino fica ao meu lado e amassa o cobertor com as patinhas me fazendo babar por sua fofura, como ele sempre fez, desde que o resgatei de uma casa abandonada. Seu miado é audível e já sei que não conseguirei mais fugir, preciso me levantar para alimentar este gato adorável e faminto e ir trabalhar.

- Eu já estou indo, Mieko, espere mais um pouco, tudo bem? – recebo um miado em resposta e sorrio me sentindo a própria branca de neve falando com os animais da floresta, só que não tão bonita e formosa, muito menos graciosa e com certeza nada parecida com uma princesa. Coloco os pés pra fora da cama e suspiro ao sentir o chão gelado sob os pés descalços, caminho até o banheiro preguiçosamente. Tiro a camiseta que estava vestindo para dormir e entro no box ligando o chuveiro depois de prender meus cabelos ruivos em um coque apertado.

 A água quente relaxa meus músculos e suspiro satisfeita, mas ainda encabulada com o plano que tenho em mente. Será que eu devo mesmo fazer isso? Estou há 3 anos apenas o observando de longe, cultivando cada dia mais o meu interesse por ele, que sequer deve saber meu nome. Ensaboo meu corpo rapidamente deixando Aizawa Shouta um pouco de lado em meus pensamentos, terei tempo suficiente para me remoer sobre a decisão que tomei depois de hoje. Termino o banho e me enrolo em uma toalha, buscando minha roupa no armário, escolho uma camiseta preta de gola alta sem mangas, combinando com uma calça cinza escuro e meus scarpins vermelhos assim como meus cabelos. Pego uma calcinha de shortinho bem confortável e um sutiã reforçado para espremer um pouco meus peitos avantajados, realmente eles me deixavam um pouco constrangida de tão grandes, quase todas as minhas roupas são discretas e fechadas, justamente para não chamar atenção para esta parte do meu corpo.

 Visto a roupa e penteio o cabelo prendendo-o em um rabo de cavalo alto, com todos os fios perfeitamente alinhados. Os fios batem no meu quadril mesmo presos e fico alegre com o resultado. Faço uma maquiagem básica já sentindo um calor em minha perna, sabendo que se trata de Mieko esfregando seus pelos negros em minha calça para que eu me apresse com sua comida. Termino passando um batom nude que sempre costumo usar e saio em direção a cozinha, já levando minha bolsa com tudo que preciso. Alcanço o pote de ração no armário alto e retiro uma porção para Mieko que aguarda pacientemente sentado em frente ao seu potinho, volto a guardar o pote e pego também uma colher de patê caseiro para agradá-lo, despejo um copo de água no recipiente ao lado da comida e então o felino se aproxima para comer. Sorrio pensando que sempre fora o mesmo ritual para que ele coma, se eu deixar de seguir uma etapa que seja, ele fica miando sem parar. Acho que mimei demais esse gato.

 Olho para o relógio da cozinha e decido que o melhor é comprar um café fora de casa, já são por volta das 6h30 e meu horário de trabalho começa às 7h. Não que alguém realmente se importe com minha presença, mas já que as aulas começam às 8h, se eu não verificar a ordem nas salas de aula, com certeza ninguém o fará, e isso sim, será notado. Saio de casa apressada, caminhando rapidamente até a cafeteria da esquina, eu realmente gostaria de um Starbucks de Caramelo Macchiatto com um shot extra de café Colombia para acalmar meus nervos, mas pelo meu tempo curto, o bom e velho café expresso da Dona Jinen terá de servir.

 Compro meu café e continuo a caminhar até o colégio. Realmente dei muita sorte de encontrar um local por perto quando me mudei, é um detalhe que me ajuda muito para manter a pontualidade e também para me obrigar a caminhar um pouco e ter ao menos algum contato social com pessoas nas calçadas. Sempre fui um pouco mais na minha, tímida e introvertida na escola, até tentei entrar para o curso de heróis, mas acabei falhando. Os eventos externos que ocorriam na minha vida naquela época podem ter afetado um pouco meu desenvolvimento, mas não deixo de pensar que no final, a culpa é toda da minha incapacidade.

 Chego aos portões enormes da U.A. e continuo com os passos apressados, bebericando meu café calmamente mesmo com meus saltos batendo no chão rapidamente em direção às escadas, faço isso tantas vezes que já adquiri uma agilidade para realizar várias ações ao mesmo tempo sem afetar meu desempenho nelas. Passo pelos corredores e cumprimento alguns funcionários, sei o nome de todos eles, já que eu cuido da parte burocrática das contratações do colégio também, mas posso contar nos dedos de uma mão, quais se lembram de mim.

 Vou para a ala administrativa e coro profusamente ao notar Aizawa entrando na sala dos professores com sua típica cara de “morri, mas passo bem”, paro um pouco quando a porta se fecha e respiro fundo para me recompor e acalmar as batidas do meu coração. Meu cérebro diz que devo me controlar e parar de parecer uma adolescente apaixonada toda vez que o vejo a poucos metros de mim, mas se depender do meu coração consigo ouvi-lo dizer “Dá pra ele logo garota! É o nosso homem”. Guardo minha bolsa no armário designado com meu nome e deixo meu celular corporativo no bolso, jogando o copo de café vazio no lixo ao lado da porta. Saio em direção às salas de aula para realizar a ronda e fazer as verificações do ambiente dos alunos, mas minha mente anda distraída e não tenho dúvidas de que estou fazendo tudo de forma superficial no momento. A dúvida ainda perdura em meus pensamentos, mas também me sinto cansada estando sempre na penumbra, sem ter qualquer reconhecimento. Entendo que cada um tem seus próprios assuntos, mas eu por cuidar dos assuntos de quase todos, conheço um pouco de cada um, sendo que grande parte nem sabe que existe uma secretária na diretoria do colégio. Termino a inspeção 10 minutos antes das aulas se iniciarem e vejo alguns alunos já entrando nas salas, paro no final do corredor ao ver Aizawa aparecer no lado oposto, vindo na direção da turma 1-A, que sempre acaba me dando um trabalho danado, tanto em questão de consertos nos cenários de luta, quanto em papeladas sobre polêmicas envolvendo algum aluno. Finjo estar olhando para o mural na parede, mas mantenho minha visão periférica atenta no caminhar do grande herói Eraserhead, sua expressão vazia, seu olhar baixo e sua boca contraída em uma linha fina. Eu já havia memorizado cada detalhe deste homem, e ainda assim não me cansava de observa-lo.

 Desvio o olhar quando o mesmo entra na sala e continuo meu caminho para minha sala na secretaria. Apesar de poucos me conhecerem, eu possuía ao menos uma sala só minha, para mim já era uma conquista suficiente que amansava um pouco meu orgulho ferido. Enfio a cara no trabalho a fim de distrair minha cabeça, logo eu botaria meu plano em prática, e desta vez eu precisava seguir adiante com meu objetivo. Posso até ser completamente desprezada, mas poderia finalmente trocar algumas palavras com ele, que não sejam relacionadas a alunos, colégio e burocracia.

 Suspiro pegando meu celular e olhando para o fundo de tela com uma foto que tirei dele quando estava distraído olhando alguns papéis na sala dos professores, seu rosto sempre cansado me preocupa, mesmo que não prejudique sua beleza, por mais fechado que Aizawa fosse, eu sentia que o herói estava constantemente reprimindo suas emoções, criando uma barreira que ninguém era capaz de penetrar.

 Guardo o aparelho novamente e volto a analisar os documentos e criar mais alguns outros, quando me dou conta, percebo que já passam das 14h e eu estou morta de fome. Junto os papeis batendo a pilha na mesa para alinha-los e separo tudo de acordo com a categoria e o status, pendente e concluído. Deixo tudo em cima da mesa e vou até o armário para pegar minha carteira, dou uma olhada de relance para a porta aberta da sala dos professores e noto que Aizawa se encontra ali, concentrado em algo escrito nos papeis em suas mãos.

 Prendo a respiração como se ele pudesse me notar ali a qualquer momento, coisa que eu não deveria nem criar expetativas. Mais invisível que eu, apenas a garota do 1-A que é, literalmente, invisível.

 Abro a bolsa e pego uma caneta e um post it amarelo, escrevo uma mensagem e fico corada com as palavras que escolhi para chamar sua atenção. Espero ao menos que ele leia, pois da forma que Aizawa é tacando o foda-se pra tudo, há uma grande chance de ele ignorar completamente. Seguro o pequeno papel em minha mão e me concentro, fazendo ele se desmaterializar e logo surgir sobre a mesinha, pego minha carteira e saio de fininho olhando para dentro da sala discretamente e comemoro internamente quando o vejo largando os papéis para conferir o post it que surgiu próximo a ele. Caminho normalmente sentindo meu coração batendo forte. Consigo respirar aliviada apenas quando estou na rua em frente ao colégio.

 Primeiro passo concluído, agora preciso ficar calma. E esperar para escrever novamente amanhã. De nota em nota, eu logo serei notada, ou não. 


Notas Finais


É isso galeraaaa, o nome da fic traduzido é "Notas para ser Notada" então no começo será basicamente isso. Pretendo alternar alguns capítulos com a visão da Hekou e com a do Aizawa. Mas não postarei com tanta frequência porque vou priorizar minha outra fic O Poder e a Dor que já está chegando na reta final. Portanto, calma na alma que em breve veremos a tentativa da Mirai de conquistar o EraserDaddy <3

Enfim, até breve! ;3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...