História Nothing Lasts Forever - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Capitão América, Homem de Ferro (Iron Man), Homem-Aranha, Homem-Formiga, O Incrível Hulk, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Clint Barton, Dr. Bruce Banner (Hulk), Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), Gwen Stacy, James Buchanan "Bucky" Barnes, James Rupert "Rhodey" Rhodes, Natasha Romanoff, Pepper Potts, Personagens Originais, Peter Parker (Homem-Aranha), Steve Rogers
Tags Nat, Natasha Romanoff, Romance, Romanogers, Stasha, Steve Rogers
Visualizações 48
Palavras 1.313
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Fantasia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi lindos e lindas, tudo bom?

Peço desculpas, era para eu ter postado a dois dias atrás, mas minha internet estava me sacaneando nos últimos dias :s, foi tenso, maaas agora eu consigo postar, então deixo minhas desculpas e meus agradecimentos aos comentários anteriores. Amo vocês, sabem disso né?!
Vamos ao capítulo, esse volta a história ao normal.

Capítulo 14 - Capitulo 12


POV Natasha Romanoff

Essa abstinência vai passar e eu sei que vou melhorar, eu não preciso de você Steve, não preciso de ninguém, eu sou Natasha Romanoff, nada está acima de mim.

Retoquei minha maquiagem e passei um tempo me encarando no espelho, recuperando as forças, saí por aquela porta diferente, disposta a conquistar de volta minha vida, dar a volta por cima.

Entrei pela porta da sala do Bruce e me aproximei dele - Que bonito, na minha cadeira! Está confortável meu amor? - ironizei

— Oi irmã, que saudade! - ironizou de volta

Revirei os olhos e me sentei a sua frente - Pode falar, não disperdiça meu tempo precioso, você tem muita coisa para me explicar não acha?

— Eu não te devo satisfações, mas já que está aqui vamos ao assunto. Vou me divorciar - não fiz cara de espanto, não esperava mais nada dele, e eu já sabia - Já faz uns meses que a Hill está estranha comigo, acho até que está me traindo com seu amigo, o Clint, ela chegou em casa dizendo que não me amava mais, que estava comigo somente por status, me senti tão péssimo com isso que aceitei, deixei ela pedir o divórcio.

Fiquei o olhando por um tempo, analisando aquela encenação, realmente era um ótimo ator e digno de Oscar, eu duvido muito que essa seja a versão verdadeira, não achava que a Hill fosse capaz de tal coisa - Entendi, que pena, é tão triste perder alguém sabia? Espero que aprenda com esse término, que mude e seja uma pessoa melhor.

— Eu estou aprendendo muito, não está sendo nada facil - suspirou como se fosse chorar, ah esse teatro estava me dando nojo - Acabei relaxando com a empresa, perdi meu foco, as finanças estão caindo, e eu preciso da sua ajuda.

— Você está afundando a empresa por conta de um término de casamento? Mentira - ironizei novamente - Eu acredito que esteja mal, mas achei que fosse melhor irmão, por quê não pede ajuda do seu querido funcionário do mês, Steve, para levantar os números da empresa, que eu saiba você não precisava da minha pessoa para nada.

Pude perceber a raiva dele no olhar, até que hora esse teatrinho iria durar? - Steve não trabalha mais aqui - tive que fingir surpresa - Ele infelizmente aprontou e tivemos que desligar ele, não sabia? - aprontou? - Vocês estavam juntos na época, achei que seu término fosse por isso.

— Me poupe Banner, eu não estava com ele pelo salário que ele ganhava, até porque eu mesma que pagava - revirei os olhos - O que ele fez? - quis saber, era meu direito, e também fiquei mais curiosa ainda sobre o assunto.

— Assunto confidencial, não posso informar querida.

— Não só pode como vai Bruce, sou dona disso tudo e eu tenho que estar a par do que acontece - tentei ser firme.

— Não, não tem não, a partir do momento em que você assinou um documento abrindo mão de tudo isso aqui você deixou de ter direito de opinar sem a minha permissão ou solicitação.

— Espera... - isso só pode ser brincadeira - Eu não assinei nada, ficou louco?

— Ah não? O que é isso aqui então? - ele me entregou uma papelada com as minhas assinaturas em todas as folhas, fiquei sem entender, em desespero por dentro mas sem ação.

— Eu não assinei isso Bruce, você.... Você falsificou minhas assinaturas? Sabe que isso dá cadeia não sabe?

— Não se você não puder provar, nos vemos no tribunal amor, você não tem direito a mais nada dessa empresa, já transferi um funcionário da empresa de Nova Orleans para cá, James Barnes, é bem melhor que você por sinal, só vou precisar de você para treiná-lo, não tenho outro capacitado para esse tipo de trabalho, depois pode ir embora. E não se preocupa, não vou te deixar pobre, ainda vai receber o que recebe atualmente, para não dizer que eu sou um irmão ruim.

— Eu vou te matar - fui para cima do mesmo na hora, enchendo ele de tapas e arranhões mas infelizmente fui tirada de cima dele pelos seguranças nojentos que cercavam a sala.

— Até logo irmã - ele ajeitou o terno, e limpou o sangue que tirei da sua boca, eu estava entregue ao ódio que sentia dele, precisava de alguém para me ajudar nisso tudo.  

[...]

Gwen Stacy

Larguei um pouco meus livros e fui para a cozinha, procurar algo para fazer um lanche, a casa ficava pequena sem a companhia da minha amiga, e sem o Peter ali também para bagunçar tudo o que eu arrumo.

Me peguei pensando no Bucky por um momento, ele era um doce, gentil, bonito, mas não nos vimos mais depois que viemos para Nova Iorque novamente, por mais que eu quisesse eu não iria ligar para ele. Fui tirada de meus pensamentos ao ouvir meu celular tocar, acho que ele leu minha mente.

— Oi James - falei em voz doce e me sentei no sofá da sala.

— O que acha de um cineminha amanhã? Eu pago o lanche - segurei a risada e mordi a boca pensando, ele era divertido e eu gostava disso.

— Eu só vou se você me prometer um fast food de engordar até dizer chega! - sorri e ouvi ele rir

— Combinado, eu te pego às 19h, tem uns filmes legais em cartaz, gosta de terror?

— Eu tenho medo, não vou dormir por uma semana, eu moro sozinha ta!

Ele riu novamente e pude ouvir ele suspirar gostando da conversa - Eu deixo você abraçar meu braço nas horas de susto e depois posso te fazer companhia para dormir. Sem problema algum. - foi a minha vez de rir.

— Toma vergonha Barnes.

— Ah para, vou ficar vigiando seu sono só - demos risada e eu estava gostando desse interesse dele.

— Para digo eu, amanhã às 19h, não se atrasa se não eu não saio mais com você.

— Pode deixar, não vou atrasar, sou pontual. Até mais baixinha.

— Até mais - ele ficou na linha esperando eu desligar, foi um momento de silêncio, parecia que nenhum dos dois queria se afastar.

Dei o primeiro passo e desliguei, era estranho, essa necessidade dele de me ligar em um mundo onde existe mensagem de texto, me chamar para sair mesmo, e esse carinho todo, ele ser um doce, se estou apaixonada não sei, mas eu estava nas nuvens com ele.

[...]

Natasha Romanoff

Voltei para meu antigo apartamento muito tarde e encontrei a Gwen dormindo, aproveitei para tomar um banho, comer algo mesmo que forçada, tinha sido um dia cheio. Primeiro encontro o Steve, ficamos cara a cara e isso só me fez mal, e depois tive que aguentar a peça do Bruce na minha frente.

Não conseguia pensar em nada, só queria sumir, fugir de todos esses problemas e dores de cabeça, o Steve fazia tanta falta nessas horas, não tinha mais ele para me acalmar nesses momentos difíceis, não tinha mais meu ombro amigo. Amigo! Era isso que eu precisava. Fui para o meu quarto já ligando para meu irmão, Barton, pelo menos ainda tinha alguém.

— Isso são horas? - falou com voz de sono do outro lado da linha e eu só consegui suspirar aliviada por ouvir aquela voz - Tudo bem?

— Não, nada bem, estou em Nova Iorque.

— Jura? E não veio me ver ainda, estou chateado - sorri e pude ouvir uma leve risada dele.

— Não tive tempo, me perdoa, eu vou aí assim que possível, acho que amanhã mesmo, precisamos conversar, tenho tanta coisa para te contar - suspirei

— Deixa eu adivinhar, Steve e Bruce?

— Sim, mas é uma longa história, só fica comigo, não desliga, preciso de alguém - minha voz já estava embargada, era uma mistura de choro com desespero e cansaço, e ele percebeu isso.

— Tudo bem, vou ficar maninha, sempre!


Notas Finais


Gostaram? Deixem suas dúvidas, palpites, etc. Nos vemos amanhã a noite com mais um capítulo, se tudo der certo <3 beijoooos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...