História Nothing Really Matters - Vkook X Jikook - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Anjos, Bangtan Boys (BTS), Céu, Demonios, Drama, Hoseok, Inferno, Jikook, Morte, Namjoon!angel, Seokjin!demon, Songfic, Sope, Taekook, Vkook, Yoonseok
Visualizações 20
Palavras 2.279
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


🥀Oie🥀

🌹Já temos mais de 25 favoritos aaaaaa
Obrigadaaaa🌹

🥀boa leitura🥀

Capítulo 3 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction Nothing Really Matters - Vkook X Jikook - Capítulo 3 - Capítulo 2



— Não preciso falar muito — SeokJin se levantou — Ele é um assassino, afinal!

Senti uma dor imensa no peito. Ele tem razão eu sou um assassino.

— E ele concorda comigo — Seus olhos negros me fitaram e eu me senti em transe. Como ele consegue ser tão bonito? — Não é, querido?

Assenti forçado e vi ele sorrir de maneira provocativa. Quero toca-lo, quero ele pra mim, quero ser dele, quero muito, quero desesperadamente! Derrepente, sinto algo me tirar de todo o transe. Pisco os olhos várias vezes e me sinto confuso.

— Não use seus dons tão descaradamente, SeokJin! — Hoseok diz um pouco irritado e Jin volta a se sentar — Você sabe que não sou Idiota!

— De qualquer maneira, ele concorda! Se ele concorda, o levarei comigo para o inferno! — Deu de ombros e eu congelei. Eu sei que mereço ir para o inferno, eu sei! Mas, eu não quero!

— Ele se arrependeu do que fez! — Namjoon protestou — E vamos considerar o fato de que o humano que foi morto por Jeon fora diretamente para o inferno!

— Se arrependeu, mas fez! — SeokJin voltou com a fala — E todos sabemos que não foi só isso! Jungkook nunca foi santo! Fez bullying com o coleguinha no fundamental, no ensino médio despresava os gays — olhou para mim sorrindo — mesmo sendo um. Hipocrisia e falta de compaixão, tolerância e respeito!

— Mas — Namjoon tentou denovo. Entretanto, Hoseok o interrompeu com um gesto.

— Quando se formou, fugiu de casa! Se envolveu com drogas. — O de roupas pretas voltou a falar — assediou mulheres e foi parar na delegacia! — apontou o dedo para mim, olhando para Hoseok. Claramente me acusando de coisas que sim, fui culpado. — Esse garoto quebrou todas as regras que — travou na fala. Todos percebemos a dificuldade de prosseguir, mas ele persistiu — vossa majestade, propôs para os humanos!

— Mais uma vez eu repito, majestade — Namjoon se levantou. SeokJin entediado se sentou novamente — Ele se arrependeu, tanto que em todos os ocorridos citados por SeokJin, ele pediu desculpas. Para os céus, para as vítimas e até para si mesmo! Sinceramente, não acho justo deixá-lo ir para o inferno!

— TAMBÉM NÃO ACHO JUSTO LEVA-LO PARA O CÉU!— SeokJin elevou a voz e se levantou da cadeira determinadamente. Com isso, o anjo pegou sua espada e a apontou para SeokJin. Parecia bem treinado e pronto para qualquer ataque — Eu só me exaltei, pode guardar a espada, arcanjo!

Eu apenas observava em silêncio. Estava apreensivo. Como quando você é chamado para a diretoria da escola, você sabe que vai levar suspensão, mas você não quer apanhar quando chegar em casa.

— Eu não respondo a você, Demônio! — SeokJin o encarou, mas se sentou calado. O mesmo ocorreu da parte de Namjoon. Então, quer dizer que o anjo, na verdade, é um arcanjo? — Respondo apenas por Hoseok!

— Pode guardar a espada, Yoongi! — falou com carinho e o Arcanjo fez o que foi pedido. — Pode ficar mais calmo, amor.

— Desculpe — Abaixou a cabeça em submissão.

— Tudo bem, amor — SeokJin fingiu vomitar e então Hoseok se lembrou do porquê de estar ali — acho que já ouvi o suficiente de ambos os lados... agora, quero escutar do próprio Jeon Jungkook, pode justificar o porquê de ter feito tanto mal?

Engoli em seco. Tudo ali me intimidava. A espada, o olhar severo de SeokJin e Namjoon e principalmente a grande presença de Hoseok. Aquilo me incomodava.

— Não precisa ter medo, querido! — SeokJin tentou, mas Hoseok o olhou e esse se calou em imediato.

— E-eu apenas... Não me aceitava... — falei baixo — Eu não gostava do que sou...e descontei nas pessoas... — respirei fundo — e em mim mesmo...

Um silêncio se estalou pelo local. Olhei para Hoseok timidamente e não pude entender sua expressão. Decepcionado? Pensativo? Indeciso?

— Não gostar de si mesmo também aflige as regras! — SeokJin voltou a falar — Isso é descaso com o presente que... vossa majestade... deu aos humanos! A vida!

— Isso é idiotice! Eles devem amar a si mesmos, mas ir para o inferno por causa disso já é demais! — Namjoon interviu — Humanos não sabem o que fazem, afinal de contas!

— "Errar é humano" — afinou a voz — É SEMPRE A MESMA DESCULPA! — Yoongi não empenhou sua espada, dessa vez, apenas levantou suas belas asas brancas com força, como se fosse voar na cara do demônio. SeokJin no mesmo momento se encolheu e engoliu em seco.

— A questão é que ele foi influenciado pela mágoa, tristeza e pobreza que sua vida apresentava! Como seu pai, que é homofobico e fazia questão de deixar claro o quanto queria que o filho levasse mulheres para casa. — abaixei a cabeça ao lembrar disso — Ele até chegou a pagar prostitutas para Jungkook passar a noite!

— ISSO NÃO JUSTIFICA NADA! — SeokJin se revoltou.

[AUTORA ON]

— CHEGA! — Dessa vez foi Hoseok. Ele estava irritado — Eu já tomei minha decisão, e para ser justo — estalou os dedos e Jungkook dormiu — Jungkook não saberá o que vou fazer...

— O que pretende fazer? — Yoongi deu um passo à frente.

— Vou deixar Jungkook escolher. — voltou a atenção para o Rei dos anjos, Namjoon, e para o Rei dos demônios, SeokJin — Vocês, já podem voltar à seus postos!

— Sim, majestade — Namjoon se curvou e sorriu — Até mais!

— Até! — sorriu de volta vendo o anjo teletransportar para o famoso céu — Tchau para você também, SeokJin!

— Tchau! — Falou um pouco com raiva e se teletransportou para o inferno.

Hoseok deu passos calmos até Jungkook, que estava deitado no chão em um sono profundo. Passou suas mãos divinas no rosto do humano, se lembrando de quando o criou. Óbvio que Hoseok não queria que o Jeon sofresse tanto, mas ele nunca intervia no que acontecia. Afinal, os humanos tem livre arbítrio. E com esse privilégio, as consequências de seus atos.

— Não gosto dessa ideia... Estou com mal pressentimento, mestre! — Yoongi falou receoso. Ainda mantinha a pose de soldado.

— Odeio quando você me chama assim! — olhou severo para o Arcanjo — Eu já falei, eu não sou seu mestre! Sou seu namorado!

— Mas, mes... — interrompeu sua fala para concertar — Hoseok
... apenas humanos podem namorar, e nós não Somos humanos! E o senhor é meu superior...

— Nós nos amamos! — justificou — Quer dizer... Você me ama, não é?

— Sim, Hobi. Por sua causa estou vivo e...

— Yoongi... você não tem que me amar só porque foi criado para ser minha companhia... — explicou um pouco triste de achar que o parceiro só o amava por isso.

O amor é algo um tanto incontrolável, quando você menos espera, ele está lá para te atormentar e fazer seu coração palpitar ao ver a pessoa que gosta. Nem mesmo Hoseok, criador do mundo e dos humanos, pode controlar o amor. Portanto, não tinha o controle dos sentimentos de ninguém.

— Você não me deixou acabar! — chegou um pouco mais perto De seu parceiro — por sua causa estou vivo, e nessa vida, acabei me apaixonando por você.

O sorriso de Hoseok se abriu. Por ser um arcanjo, Yoongi não era muito aberto à sentimentos, e saber que ele o amava, aquecia o coração divino de Hoseok.

— Eu te amo — deu um beijo na bochecha pálida do arcanjo e voltou à olhar para o humano — temos muito o que fazer agora.


[...]


[JUNGKOOK ON]

Acordei me sentindo um pouco tonto. Não me recordava de nada, apenas que tinha um anjo e um demônio brigando por mim. Deve ter sido um sonho.

Percebi que estava deitado no meio da rua. Levantei-me antes que alguém me olhasse feio. Entretanto eu parecia ser invisível, já que as pessoas passavam por mim sem nem se importarem. Virei-me e dei de cara com uma mulher, fechei os olhos esperando trombar com a mesma. Mas apenas senti uma tontura rápida e a mulher estava andando normalmente atrás de mim¹.

Fiquei confuso mas não dei tanta importância. Me dirigi a um restaurante ali perto, não estava com fome, mas não lembro de minha última refeição.

— Com licença, eu gostaria de pedir um Ttteokbokki, por favor — pedi ao garçom em minha frente. Esse não pareceu nem me ver — Err... moço? — Nada — Senhor? Hey!

— Ele não pode te ver, Jungkook — me viro e vejo um homem. Este é familiar. É bonito, tinha uma cabeleira ruiva e uma voz potente e bonita.

De uma vez, todas as lembranças se fizeram presentes. Eu matei um homem, me despedi da minha mãe, morri, entrei em um julgamento onde um anjo e um demônio brigavam pela minha alma.

— Eu morri... — Falei olhando para baixo sentindo toda a consequência do homicídio feito por mim.

— Sim, sinto muito — Hoseok Levantou minha cabeça com sua mão grande e delicada — Venha comigo, uh? Preciso te apresentar alguns amiguinhos.

— Amiguinhos? — fiquei confuso e sai do lugar que estava, pois um homem já ia me atropelar.

— Sim, não espera que eu te deixe sozinho, não é? — perguntou rindo — vamos logo, criança!

O acompanhei, ele me guiou até uma praça. Eu queria fazer tantas perguntas a ele. Afinal, ele é Deus. Não faço ideia de qual religião acertou, mas Deus existe.

— Nenhuma religião acertou — riu — Cada uma tem um conceito correto sobre mim, mas nenhuma acertou completamente. Ah, pode perguntar o que quiser, sou todo ouvidos!

Ele leu meus pensamentos?

— Li! — riu — Vamos criança, pergunte logo o quer!

— São tantas perguntas, nem sei por onde começar... — mordi o lábio inferior pensando no que perguntar — Você condena as pessoas por suas escolhas? Tipo... religião, sexualidade, essas coisas?

— Eu não condeno ninguém por motivos banais como esses, seria doloroso demais pra mim, já que sou "O pai" de vocês — fez aspas com as mãos — e eu acredito em liberdade. Desde que não machuque ninguém, não me importo com que roupa tal pessoa veste, ou quem tal pessoa beija, ou qual religião tal pessoa segue. Inclusive, tem uma frase da religião cristã, se não me engano, que cai bem na única coisa que peço para vocês...

— Amai o próximo como a ti mesmo — completei entendendo bem o que ele queria dizer — Então por que existe o inferno?

— Tem humanos que não tem jeito... Yoongi os chama de "defeitos de fábrica" — riu — Eu já os chamo de filhos extremistas.

— Tipo o Hitler? — perguntei e ele riu — acho que você esqueceu de alguns parafusos na cabeça daquele lá!

— Yoongi fala a mesma coisa — riu mais uma vez — Hitler é sim um filho extremista. Machucava pessoas por uma simples crença... não me orgulho dos filhos como ele...

— Ah... pessoas como ele vão para o inferno? — perguntei vendo-o parar no meio da praça e me encarar com um sorriso triste. Por um segundo, uma dor se alastrou em meu peito. Eu já machuquei pessoas.

— Todo caso é um caso, Jungkook — Falou e depois olhou para a frente — Oh, Ai estão vocês!

Segui seu olhar e vi dois rapazes ali. Um tinha cabelos loiros, um sorriso quadrado e vestes claras. O outro tinha cabelos negros, dono de lábios cheios e de roupas escuras e justas

— Taehyung, Jimin! É ótimo ver vocês! — Ele foi até os garotos e vos abraçou, sendo prontamente correspondidos — Esse é Jeon Jungkook, vocês já o conhecem, mas ele nem sabia que vocês existiam! Então, se apresentem!

— Prazer, sou Kim Taehyung — apertou minha mão — seu anjo da guarda!

— Err... prazer... — Sorri com um pouco de vergonha. Se anjos da guarda estão do nosso lado sempre... tenho pena desse daí.

— Eu sou Park Jimin, o seu demônio! — sorriu e comprimentou-me — e prazer comigo é só na cama.

— Jimin! — Hoseok chamou atenção — sem informações desnecessárias em minha presença, por favor!

— Desculpe majestade — ficou sem graça — é a força do hábito!

— Tudo bem. — Sorriu e apertou as bochechas fofas do Park — Bom, vou deixar vocês sozinhos, tenho coisas de Deus pra fazer por aí. — Fitou os outros dois — Juízo, Sim?

— Não vamos fazer nada que o senhor não faria! — Taehyung falou colocando as mãos para trás e deixando um sorriso transparecer em seu rosto lindo.

— Bom anjinho! — acariciou o cabelo loiro deste — preciso ir agora! Até mais, crianças!

— T-tchau... — observei o Deus sumir entre os humanos que andavam como formigas na praça.

Voltei minha atenção aos dois ali. Estavam sorrindo esperando que eu falasse algo. Mas eu realmente não sabia o que falar. O que vocês falariam para o anjo da Guarda e para o demônio de vocês?

— Então... eu tenho que ir também! — Jimin falou coçando a nuca, provavelmente ele se sentia constrangido pelo silêncio — Tchau...

Ele desapareceu do nada. Aquilo era novo pra mim, então me assustei e o anjo riu. Prestei atenção em sua risada. Era bom de se ouvir, me dava vontade de fazê-lo rir mais vezes só para escutar sua gargalhada de novo e de novo.

Isso tudo é muito estranho.







Notas Finais


E que comece os jogos Vkook vs. Jikook!
Deixe nos comentários o seu OTP❤❤

Tinha que ter Sope neh kkkk
Desculpe qualquer erro S2
🌹 Até o próximo 🌹


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...