História Novamente - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Riverdale, Romance, Viagem No Tempo
Visualizações 0
Palavras 1.778
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Ficção Científica, LGBT, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 14 - Onde ela está?


Fanfic / Fanfiction Novamente - Capítulo 14 - Onde ela está?

[Alguns dias atrás, antes do desaparecimento da Mari]

*Mari pov*

Era uma noite escura e fria, eu estava sentada em uma mesa no Sweet's, tomando um milkshake enquanto estudava para a última prova do trimestre. Eu estava muito nervosa, e não conseguia me focar. Tudo me distraía e tirava minha atenção dos livros e cadernos, então eu os fechei e guardei na minha mochila, meio frustada. Foi então que um rapaz alto e moreno, entrou no Sweet's.

Parece que eu fiquei hipnotizada, e sem noção do tempo. Ele era tão bonito...

Ele fez um pedido no balcão e logo veio em minha direção sorrindo.

– Ei, você sabe se o milkshake de chocolate daqui é bom? Esses dias tomei um horrível por aqui perto...

– Um dos melhores da cidade, eu diria. Pode confiar.

Retribui o sorriso, tentando evitar contato visual.

– Ah, se for bom, eu volto aqui mais vezes...

Ele deu uma piscadinha para mim, e eu não consegui evitar olhar para o mesmo com a minha cara de boba apaixonada.

– Qual o seu nome?

Perguntei, meio envergonhada.

– Meu nome é Spectre, e o seu?

– Mari...

– Muito prazer, Mari. Agora eu vou indo...

– Prazer..

Ele sorriu mais uma vez, indo em direção ao balcão novamente e pegando seu milkshake, indo embora dali. Eu espero que ele volte novamente...

[Atualmente]

Após uma semana, foi oficialmente comprovado que eu não matei o Carlos, e eu fui solta, com ajuda da Rebecca. Eu realmente devo muito a ela...

Mesmo depois de uma semana, não aconteceram muitas mudanças. Nada do Arthur, da Mari e muito menos da Gabrielly, que também sumiu. Tudo está um caos. E é por culpa minha. Eu não consegui fazer nada para impedir...

As aulas pararam até encontrarem esses estudantes. Todos têm medo do Joker... acho que é isso que ele queria. Eu estou cansada do joguinho dele, eu preciso fazer alguma coisa. Minha mãe e meu pai andam muito abalados com tudo isso, e me proibiram de vez até de sair de casa. O que dificulta tudo, ainda mais a retribuir a ajuda da Rebecca. Mas ela disse que se vira sozinha essa semana...

O Xerife veio até minha casa, dizendo que precisava me levar para a delegacia novamente, mas dessa vez para um interrogatório.

– Minha filha mal saiu de lá e vocês querem que ela volte tranquilamente?

Minha mãe afirmou, brava, enquanto discutia com o Xerife.

– Você sabe, Andrea. Essa investigação é muito importante. Três jovens desapareceram. Sua filha pode ser a próxima.

– Exatamente. E vocês estão querendo botar a culpa na minha filha? Ela não vai sair de casa hoje—-

– Eu vou, mãe. Não se preocupa..

Falei, suspirando, abraçando minha mãe e saindo dali, acompanhada com o Xerife. Ela parecia muito preocupada comigo, o que me doía o coração de uma forma que eu não sei explicar.

Quando cheguei lá, vi que várias pessoas estavam lá além de mim. Helen, Gui, Rafa, Nicole e a Vitória. Todos se encaravam, preocupados e com medo. Angustiados com o porquê terem sido chamados ali.

Foi então que o Xerife William veio até nós, segurando documentos na mão.

– Bom, chamei vocês aqui por um motivo. Recebi de um e-mail completamente anônimo, um vídeo. Da Mariana. Prefiro que vocês vejam na minha sala. Venham!

Ele suspirou e então o seguimos até sua sala. Helen e Nicole estavam tremendo, enquanto a cada segundo, o medo aumentava no olhar de todos aqueles que estavam ali. Eu tentava me manter plena, mas por dentro eu estava como todos os outros, com medo. Eu não sei o que pode acontecer daqui pra frente.

No vídeo, mostrava a Mari pedindo socorro, ela estava presa dentro de um local completamente escuro, enquanto na pequena janela da porta, parecia alguém a observar. O Joker...

Helen mal conseguiu ver o vídeo direito, e eu entendo ela. Ver a melhor amiga sofrer assim e não poder fazer nada deve doer. Eu preciso salvar a Mari. Ela tá em perigo. Eu ainda não sei o que o Joker quer, mas eu vou descobrir.

– Nós rastreamos o e-mail, e misteriosamente, veio da escola. De um dos computadores da aula de informática, no dia 15 de setembro, as 11:00. Como vocês são as pessoas mais próximas da Mariana, pensei que saberiam de algo a respeito sobre quem mandou isso.

O Xerife falou, em meio a um suspiro, olhando para nós com os braços cruzados.

– Se vocês sabem qualquer coisa que possa ajudar a investigação, vocês podem falar! Qualquer coisa que possa ajudar os amigos de vocês.

William afirmou novamente, se virando de costas para nós, pensativo. Nicole então se aproximou do mesmo, parecia arrependida de algo.

– Eu tenho algo para contar!

Ela disse, deixando todos curiosos e muito confusos. Logo, Rafael ficou ao lado da mesma, dando um longo suspiro.

– Eu também...

Ele olhou a Nicole, que começou a falar vagarosamente.

– Bom... eu e o Rafa faltamos aula no dia em que a Mari desapareceu. A gente saiu, e fomos em vários lugares. Um deles, foi a praça...e a gente viu a Mari lá.

– Ela parecia perdida, olhando para todos os lados procurando por algo, parecia ansiosa. Nós então decidimos dar um susto na Mari, para descontrair um pouco. Demos a volta na praça, mas quando chegamos onde a Mari estava, ela não tava mais ali...

– Eu também estava lá..

Exclamou a Vitória, indo para o lado dos dois.

– Eu também estava na praça aquele dia, e vi a Mari sendo levada por uma pessoa encapuzada, mas eu não podia fazer nada. Fiquei com medo... e então contei pro Rafa e pra Nicole.

– Não tinha ninguém na praça além da Mari, e da gente. Então achamos melhor esconder essa história, já que não mudaria muita coisa, e também por medo de acontecer algo com a gente. Nós somos covardes. Se não tivéssemos dado a volta na praça para fazer essa brincadeira idiota, talvez a Mari não estivesse desaparecida.

A Nicole falou, com lágrimas nos olhos. Eu nunca vi a Niki assim...

– Meu deus, parece que todos vocês estavam na praça aquele dia e—-

Comentou o Gui, que foi interrompido pela Helen.

– Eu também tenho algo pra contar!

Ela falou, angustiada, olhando fixamente para o Xerife, indo em sua direção.

– O Xerife já sabe, mas eu acho justo eu contar para vocês também. Eu sou a maior culpada pela Mari ter desaparecido...

– O que? Como assim Helen?

Todos questionaram, surpresos, principalmente eu.

– Eu e a Mari estávamos desconfiando de que a Manu tinha alguma coisa a ver com isso, e então eu mandei a Mari ir se encontrar com o Joker antes do horário combinado, ou seja, antes das aulas terminarem, até porque a Manu estava no colégio, e isso provaria que ela não era o Joker, e nenhum dos alunos também.

– É SÉRIO ISSO, HELEN? NÃO FAZ O MENOR SENTIDO!!! A MARIANA TA DESAPARECIDA POR SUA CULPA!

Exclamou a Nicole, revoltada, logo sendo segurada pelo Rafa, que parecia muito nervoso com a situação.

– M-me desculpem... Manu... eu não queria...

– Tudo bem, Helen. Eu entendi...

Suspirei fundo, tentando não manter contato visual com a mesma. Eu não acredito que a Helen fez isso! Agora está explicado o porque dela se culpar tanto...

– Ei, ei! Se acalmem! Eu agradeço por compartilharem tudo o que sabem, isso mostra que vocês estão confiando na polícia para achar a amiga de vocês, e podem ter certeza que vamos achar ela. Agora, vocês estão liberados!

Falou o Xerife William, se sentando, enquanto todos nós nos retiravamos da sala juntos.

– Manu, eu preciso conversar com você. Vamos no Sweet's, a galera vai. Todos nós precisamos conversar, se juntarmos todas nossas idéias, nós vamos poder descobrir algo e—-

– Não, Helen. Nós não temos nada pra conversar agora. Eu vou pra casa, tentar achar um jeito de encontrar eles, mas SOZINHA. Vocês vão estragar tudo. Principalmente você. Além de que, eu já me meti em muita confusão essa semana...

Interrompi Helen, que vinha em minha direção, saindo andando na direção oposta da mesma. Estou cansada de depender dos outros. Tá na hora de eu agir! Amanhã, eu vou iniciar minha busca por eles na floresta, e pode ter certeza, eu vou encontrá-los!

*Helen pov*

Eu estou muito abalada depois do que aconteceu na delegacia entre mim e a Manu. Eu não esperava que ela reagisse daquele jeito. Eu estava errada, e eu me arrependo imensamente disso... Só queria saber onde o Arthur e a Mari estão agora...

Eu, Gui, Rafa e Vitória fomos até o Sweet's, tentar descobrir alguma coisa. A Niki decidiu ir para casa, pois estava muito mal depois de ver o vídeo.

O Xerife, na saída, deu uma cópia do vídeo da Mari em um pendrive para mim, contanto que eu não espalhasse para ninguém. Vitória passou em casa e pegou seu notebook, e então colocamos o vídeo no computador.

Nossa ideia era analisar cada detalhe do vídeo, para então descobrir onde ela estava. Chamei o Vicenzo para nos ajudar também.

Enquanto deixávamos o vídeo em loop, analisavamos cada segundo, cada objeto naquele lugar, cada ação que a Mariana fazia. Era angustiante, mas acabamos por comentar, e descobrir algumas coisas.

– Esse lugar não me é estranho...

Comentou o Vicenzo, de braços cruzados olhando o vídeo.

– Como assim, Vicenzo? Você sabe onde é isso?

Questionou a Vih, confusa.

– Esses dias eu fui na casa de um cara da minha sala fazer um trabalho em dupla. Uma hora ele foi buscar algo no porão, e eu acabei por espiar. O lugar parece o mesmo.

– Qual era o nome dele?

– Se eu não me engano, era Spectre.

– Spectre? Que raio de nome estranho é esse?

– É o apelido dele....

– Meu deus, será que esse garoto tem algo a ver com a Mari?

*Manu pov*

Quando cheguei em casa, fui rapidamente para o computador, fazer algumas pesquisas. Se eu não fizesse nada, acho que eu não iria conseguir dormir.

Fui ler a ficha de horários de cada período no site da escola. Mais precisamente do dia 15 de setembro, as 11:00. Como o Xerife William falou, alguém enviou o e-mail do vídeo da Mari nesse mesmo horário, então provavelmente é mesmo um aluno da escola o Joker, ou pelo menos alguém que esteja trabalhando com ele.

No dia 15 de setembro, exatamente as 11:00, estava a turma mais velha na sala de informática, usando os computadores. Nessa turma tem o namorado da Helen, Vicenzo, e várias outras pessoas que eu passei um bom tempo pesquisando. Até, ver uma pessoa que me deixou de cabelo em pé. Eu não acredito! Luís! Com o nome falso dele, Maurício Júnior. Ele deve ter algo a ver, só pode! Provavelmente nessa realidade ele ainda quer se vingar, então isso deve ter algo que se encaixe. Eu só preciso descobrir. Só pode ser ele!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...