História Nove mêses com você - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Abo, Adoção, Alfa, Amor, Amor Verdadeiro, Angst, Beta, Brigas, Bts, Casamento, Ciumes, Família, Festas, Ficmuitoboa, Filhos, Gravidez, Kooktae, Kookv, Leiaaimeufilho, Lemon, Marca, Menção A Vhope, Moon_angel, Ômega, Otp, Passado, Revelaçoes, Taekook, Tensão, Terapia, Todos Os Meninos, Traição, Traumas, Viagem, Vkook
Visualizações 107
Palavras 1.441
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oioi, desculpem pela demora e espero que gostem do capitulo! <3

Capítulo 10 - O fim de uma briga e o começo de uma ideia.


Capitulo nove

“Jeongguk com certeza vai achar a nossa filha.”

Jeongguk iria trazer de novo a minha pequena e então, talvez eu pudesse concertar o passado... Se eu tivesse a minha filha outra vez em meus braços eu poderia lhe dar todo amor que neguei antes...

Não precisou de mais um segundo pensamento, eu estava decidido, queria a minha filha de volta e iria cuidar dela.

Soltei os papeis que estava olhando antes e fui para o lado de Jungkook -eu não faço ideia se ele vai querer me ajudar, se vai querer me entregar a nossa pequena beta quando a achar, mas mesmo assim eu estava convicto que ter a minha bebê de novo era a melhor coisa que eu poderia fazer na minha vida.-

-Jeongguk... -chamei o alfa, um pouco receoso, sem ter ideia de como fazer ele me entender.

-Eu quero o meu bebê Jungkook, quero a minha menininha...

Sem nem perceber um pequeno sorriso cortava o meu rosto e os meus olhos estavam marejados, eu nunca procurei pela minha filha, mas agora que descobri que ela era tudo que eu queria não poderia apenas assistir Jungkook e ela de longe, eu queria uma família. Queria a minha família.

-Tae...

O alfa suspirou enquanto procurava quebrar o nosso contato visual. Eu sabia que aquilo era uma deixa para abandonarmos o assunto então me movi para mais perto dele e segurei o seu rosto em minhas mãos. Jungkook não acreditava em mim, mas era verdade, eu queria a minha filha.

-Eu vou cuidar dela.

Prometi. “Dessa vez eu vou fazer tudo por ela.”

Jungkook pareceu acreditar em mim já que um pouco do seu coração se amoleceu, ele sorriu e levantou uma de suas mãos para logo envolver a minha.

-Você lembra dela?

Ele perguntou e eu sorri assentindo silenciosamente. Aquele rostinho gordo e fofo nunca sairia da minha memoria...

-Ela é muito parecida comigo.

Contei tentando me lembrar de cada detalhe da pequena beta. Me afastei de Jungkook e voltei a sentar em sua cama.

-Mas tem a mesma pintinha que você...

Sorri ao lembrar da pequena pintinha no queixo, bem em baixo do lábio inferior.

-Ela tem bem pouquinho cabelo, mas é bem preto...

Mordi o lábio contendo uma lembrança dolorosa, eu só tinha visto a minha filha por um dia... Quando ela nasceu e seu rostinho sujo de sangue foi colocado perto do meu eu senti o meu coração bater forte, fiquei encarando cada traço, tentando memorizar cada linha daquele rosto perfeito que tinha tanto de Jungkook quanto de mim. Eu havia ficado curioso por toda a gestação, todos os dias imaginando como seria a minha filha, me perguntando se ela pareceria mais comigo ou com Jungkook e quando finalmente pude ver o seu rosto descobri que ela era a mistura perfeita de nós dois.

Era engraçado como ela também me analisou, os olhos grandes me encararam por longos segundos, como se estivesse confirmando a mesma coisa que eu, como se também estivesse curiosa para ver o meu rosto.

-Ela é bem pequena Jeongguk...

Me lembrei do momento em que me deram o pequeno bebe recém-nascido, ela chorava em meus braços, era tão pequena que eu não sabia nem como segurar...

Eu estava contando para Jungkook tudo que sabia, tudo que lembrava da nossa filha, mas o ponto é que eu conhecia apenas o bebe recém-nascido.

-A nossa filha já deve estar grande, com cerca de seis aninhos...

Comentei depois de um tempo em silencio e Jungkook concordou.

-Ela devia ter quatro anos quando eu voltei... Se passou dois anos desde que eu estou procurando ela.

O alfa confirmou as minhas contas e eu percebi como o tempo passa rápido...

-Como vamos encontrar ela?

Perguntei querendo mudar de assunto, não queria chorar mais, agora queria apenas achar a minha pequena.

-O primeiro lugar que eu procurei foi o orfanato da cidade em que morávamos...

Ele contou e eu arregalei os meus olhos em surpresa, eu nunca tinha contado para Jungkook que deixei a nossa filha no mesmo orfanato que ele foi deixado quando pequeno.

-Ela não estava lá, sem registros.

-Ela não está lá...

Comentei baixinho e ele me ignorou voltando a falar.

-Procurei em todos os orfanatos da cidade, cheguei a encontrar varias crianças... Todas com a idade parecida, nomes e sobrenomes diferentes, nenhuma beta com o sobrenome Jeon.

-Eu não coloquei o seu nome.

Contei o que ele obviamente já sabia mais que provavelmente seria uma ótima pista na época.

-Fui nos hospitais, olhei nos registros, procurei por crianças nascidas no mesmo mês...

-Não encontrou nada?

Perguntei com o coração na mão e ele negou continuando a historia.

-Muitas crianças nascem em setembro Tae... Seria impossível achar alguém que tecnicamente só existe nos registros do hospital.

A conclusão da historia era logica: Fazia dois anos que ele estava procurando as cegas, uma criança que nunca tinha visto, que não tinha nome e que não sabia exatamente o dia ou o mês em que nasceu ou o orfanato em que ela estava.

-Você podia ter me perguntado...

Falei depois de um tempo em silencio e Jungkook pareceu exitar antes de responder.

-Eu queria achar ela por mim mesmo e então ir buscar você.

Ele admitiu e me surpreendi, permiti que meu coração se aquecesse com aquilo. Essa foi a primeira vez que ele me falou algo bonito desde que nos separamos.

-Eu preciso te contar uma coisa...

Tomei coragem para falar, não queria começar outra briga, mas tinha que contar aquilo para o Jeon...

-Eu deixei a nossa filha no mesmo orfanato que você cresceu.

Jungkook não esboçou muitas reações mais eu vi ele trincar o maxilar e apertar os punhos. E antes que ele perguntasse o motivo disso, de eu ter levado a nossa filha pra um lugar que o deu tantas lembranças ruins, eu passei na frente a contar.

-Você sempre me disse que orfanatos eram lugares tristes, me contou de todas as injustiças que podem ter lá e de como pode se um verdadeiro inferno para as crianças... Mais você também me contou sobre uma senhora bondosa que tinha lá, você me disse que ela era única, que ela era como uma mãe para todas as crianças.

-Hyun-Ae...

Jungkook sussurrou o nome da mulher e eu dei um tempo pra ele.

-Você deixou a nossa filha lá por causa dela?

O Alfa perguntou com a voz seria, ele ainda parecia tenso então eu decidi apenas assentir silenciosamente para a sua pergunta.

-Eu não acredito nisso...

Pela primeira vez eu não podia ler o Jeon. Jungkook sempre tinha sido tão transparente, mais agora ele parecia distante... Eu não tinha ideia do que se passava em sua mente.

-Ela morreu Tae.

Ele contou e eu senti um arrepio percorrer a minha espinha. Jeongguk sempre me falava dessa mulher, ele falava como se ela ainda fosse viva...

-Ela morreu junto com o meu irmão em um acidente de carro.

-Jeongguk...

Chamei na intenção de o consolar, ou ao menos pedir desculpas.

-Eu não sabia...

Meu coração doeu ao ver esse lado do alfa, ele nunca me contou sobre essa parte da sua vida, ele sabia que eu não lidava bem com essas coisas então sempre tentava me mostrar o seu lado sorridente... Mas esse Jungkook era diferente do Jeon da minha adolescência, o alfa que eu tinha namorado era carinhoso e perto de mim sempre tinha um lindo sorriso...

-Vamos conversar amanhã.

Jungkook disse serio enquanto andava até o guarda roupas e procurava por algo.

-Tenho algumas roupas aqui, você pode tomar um banho e se trocar.

Já estava de noite e eu não queria voltar para casa então agradeci o alfa por me deixar ficar. Jungkook estava serio e calado, então enquanto ele ainda arrumava algumas coisas eu segui para o banho. Me demorei em baixo do chuveiro, minha cabeça estava cheia de pensamentos sobre a minha filha, e sobre Jungkook... Eu me sentia mal por não conhecer sobre uma parte da sua historia...

(...)

Depois de um tempo desliguei o chuveiro, agarrei uma toalha e a enrolei em minha cintura para então sair do banheiro, na minha casa estava tão acostumado a me vestir no quarto que tinha esquecido de pegar as roupas com o Jeon.

-Jeongguk!

Chamei pelo alfa quando já estava no quarto e não o via mais ali, eu estava de frente para o guarda roupas organizado por cores, não sabia qual roupa poderia pegar então fiquei uns dois minutos chamando o alfa.

-Tá tudo bem?

O Jeon apareceu na porta depois de algum tempo, atrás dele seguia um ótimo cheiro de comida caseira e o barulho alto da TV.

 


Notas Finais


TaeTae decidiu que agora quer a filha e uma família, Jungkook parece mais amorzinho, que será que segue isso?...


Gente, acho importante contar que esse negocio do Jungkook procurar pela filha em todos os orfanatos não acontece na vida real, de verdade é um negocio bem mais complicado de se fazer, mas como a fic ficaria chata se eu explicasse tudo direitinho então foi assim mesmo kk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...