1. Spirit Fanfics >
  2. Novo Time? >
  3. Twenty

História Novo Time? - Capítulo 20


Escrita por:


Notas do Autor


olá pessoal, tudo bem?
sim, eu sei que eu me atrasei no capítulo. sim, vocês tem todo o direito do mundo de me baterem ou coisa do tipo, mas eu sinto que está fanfic não está nos meus planos.
ela tá ficando chata e repetitiva, não tô gostando muito do jeito que ela está se desenrolando. mas sinto que irei conseguir mudar está minha estratégia, e também juro que não irei excluir essa fanfic (já exclui outra fanfic antes, e não quero que isto aconteça)
bom, este capítulo e apenas um pequeno "prólogo" da confusão que vai ter nos próximos.
espero que gostem.
~boa leitura

Capítulo 20 - Twenty


Fanfic / Fanfiction Novo Time? - Capítulo 20 - Twenty

Twenty


☯ × ☯ × ☯


Magnólia naquele dia parecia calmo – pacífico, acima de tudo. Apesar de tudo estar tão calmo, Lucy não se sentia assim. De certo modo estava um tanto quanto apreensiva, ainda mais quando tinha uma pessoa como Erza ao seu lado. 

Claro, não tinha nada contra a maga reequipar, mas também não tinha nada a favor. Naquele momento, sabia que iria ter que pedir ajuda da Scarlet. Engolir seu orgulho que aos poucos estava sendo construído não estava nos seus planos, mas ela teria que fazer aquilo o tanto quanto antes. 

— Então Lucy... — a loira parou simultaneamente de andar, virando-se automaticamente para Erza. — Você disse que precisava falar comigo. — a ruiva olhava cautelosamente para Lucy, percebendo que tudo estava sendo um certo desconforto. 

— Eu preciso fazer um pedido em específico para você. — Erza arqueoou a sobrancelha, tentando entender o que Lucy estava escondendo. — Podemos ir para uma cafeteria? Sinto que aqui na rua não e o momento exato para isso. — a ruiva assentiu, enquanto ambas as duas ainda continuaram andando pelas ruas calmas de Magnólia. 

O silêncio permaneceu no momento em que estavam andando pelas ruas de Magnólia. Ambas não sabiam o que dizer, e Lucy de certa forma se sentia um tanto quanto apreensiva. Erza estava curiosa, e de fato se sentia incomodada pelo fato de Lucy querer conversar somente em particular com ela.

— O dia está maravilhoso, não acha? — Erza perguntou, tentando mudar um pouco os ares que tinha entre as duas. — Calor na medida certa, e uma calmaria antes não vista em Magnólia. 

— Sim, nem parece que diversas coisas estão acontecendo ultimamente. — Lucy respondeu, fazendo Erza engolir em seco. Apesar de estarem numa “boa”, ainda não se sentiam confortáveis uma com a outra. Afinal, tinha muita coisa para ser resolvido. — Bom, chegamos a cafeteria. — afirmou a loira, enquanto de repente já se encontravam em frente a um local aparentemente pequeno, mas que poderia ser confortável e até mesmo agradável. — E uma cafeteria local que, sempre que quero tomar um belo de um capuccino, eu venho aqui. — Lucy entrou primeiramente pela porta, fazendo um barulho cintilar após sua entrada. 

— Aqui parece ser bem confortável, de fato. — Erza apenas acompanhava Lucy, em passos singelos e cautelosos. Observou o local, percebendo um tanto quanto rústico e acolhedor. 

— Sim, aqui e magnífico. — Lucy se dirigiu até uma mesa de madeira, onde apenas possuía duas cadeiras, de frente para a outra. — Irá pedir alguma coisa? — a ruiva se sentou calmamente, vendo que a loira também se aconchegava na cadeira. — Pode pedir o que quiser, hoje e por minha conta. — a loira sorriu fraco, enquanto pegava o cardápio que se encontrava em cima da mesa. 

— Desse jeito, irei querer apenas um chá de canela extra forte. — a ruiva sorriu calmamente, sem nem ao menos olhar para o cardápio. — Eu só vim aqui para ouvir o que você tem a me dizer Lucy, não para ficar tomando café. — a loira engoliu em seco, suspirando pesado. 

— Bom, eu irei querer um capuccino como eu sempre peço. — Lucy exclamou em resposta, levantando a mão, em um movimento claro de chamar algum garçom. 

— O que tem de tão importante para pedir para mim, Lucy? — a ruiva ainda mantinha seus olhos fixos em quaisquer movimento que a Heartfilia fazia. — Você está me deixando preocupada, de certo modo. 

— Não e nada muito relevante, de certo modo. — imitou a fala da ruiva no final, enquanto um garçom acabou se aproximando da mesa. 

— Boa tarde. — um jovem rapaz sorria na direção das duas, com uma caderneta em mãos. — Já sabem o que vão pedir? 

— Eu vou querer um capuccino com calda de chocolate e chantilly, enquanto minha amiga aqui vai querer um chá de canela extra forte. — Lucy realmente parecia estar em pé com o assunto de pagar o pequeno cafezinho que ambas iriam tomar. 

— Alguma coisa a mais? — o jovem rapaz terminou de anotar, sorrindo brandamente para as duas. 

Ah. — a loira exclamou, como se estivesse lembrando de algo. — Me traga também aqueles biscoitinhos de nata recheados com chocolate, por favor. — o rapaz novamente anotou, ainda com um esmero sorriso no rosto. — Vai querer alguma coisa a mais Erza?

— Um pedaço de bolo de morango, por favor. — Erza realmente não perdia o costume de sempre comer alguma coisa relacionada a morango. 

— Já, já o pedido de vocês duas será entregue. — o moço se retirou de perto das duas, em passos calmos e tranquilos. 

— Você precisa experimentar os biscoitinhos de nata recheados com chocolate, são excepcionais e maravilhosos! — Lucy afirmou, toda animada. — Eles derretem na boca de uma forma exuberante, diga-se de passagem. — Erza assentiu calmamente, ainda um tanto quanto preocupada com tudo aquilo. — Bom, sei que você quer saber logo o porquê raios de eu ter te chamado aqui. Espero que você não enlouqueça ou coisa do tipo ou t-...

— Não vou enlouquecer, seja qualquer pedido for. — Erza interrompeu Lucy, que acabou suspirando fortemente em questão. Ainda está apreensiva com tudo aquilo, não sabendo mesmo se deveria pedir este tipo de favor para Erza. 

Erza é a única pessoa que possuí algum vínculo com Jellal, um homem ainda foragido do Conselho. Ela tinha que saber urgentemente o que Jellal Fernandez tinha haver com tudo isso – ele claramente deveria saber alguma coisa relacionada a jóia vermelha, que teimava em brilhar cada vez mais no bolso. 

— Erza, você e a única pessoa que eu conheço que tem uma ligação... — Lucy mordeu o lábio inferior. — Próxima com o Jellal, digamos assim. — Erza rapidamente a olhou apreensiva, depois de ter ouvido o nome “Jellal”. — Não, por favor não tire impressões precipitadas. Eu só preciso que você me leve até Jellal, o mais rápido possível. 

— Levar você até o Jellal? — naquele momento, um silêncio se instalou entre as duas. Passos se aproximando da mesa foi ouvido, percebendo que era o jovem garçom. 

— Aqui está o pedido de vocês. — o jovem segurava uma bandeja, a colocando em seguida em cima da mesa. — Aqui está o capuccino com calda de chocolate e chantilly e biscoitinhos de nata recheados com chocolate. — Lucy sorriu prontamente, batendo palminhas. — Aqui está o chá de canela extra forte e um pedaço de bolo de morango. — Erza assentiu, cautelosamente. — Espero que façam bom aproveito. — o jovem rapaz se curvou, saindo de perto das duas. 

— Eu já não vira a hora de experimentar novamente estes biscoitinhos. — Lucy pegou sorrateiramente um biscoito, dando uma mordida generosa, fazendo com que acabasse saindo uma calda quente de chocolate do biscoito. — Se você quiser pegar um, Erza. — ofereceu para a ruiva, que prontamente recusou. 

— Irei ficar apenas ficar no meu pedaço de bolo de morango. — Erza suspirou, enquanto pegava um pequeno pedaço do bolo com a colher. — Agora, deixa eu ver se eu entendi bem o que você quis dizer... — um silêncio se instalou, podendo ouvir apenas os sons de mastigação. — Você quer se encontrar com o Jellal Fernandez? — perguntou prontamente, assim sem acreditar. 

— Sim. — depois de engolir o pedaço, Lucy apenas respondeu, tentando lamber os beiços. — Eu preciso me encontrar com Jellal Fernandez o mais rápido possível, Erza. — a ruiva apenas deu uma colherada do bolo de morango, percebendo o quanto dos deuses o pedaço estava. — Você e a pessoa mais próxima dele. Você precisa me ajudar neste quesito. 

— Mas... — Erza mordeu o lábio inferior, enquanto pegava a sua xícara de chá de canela extra forte. — Por que você precisa falar com ele? O que tem de tão importante para falar com ele assim, tão de repente? — Lucy suspirou pesadamente, depois de ter dado um gole no seu capuccino, percebendo o quanto estava excepcional. 

— E uma coisa muito... Particular, Erza. — a ruiva arqueou a sobrancelha, ainda sem entender. — Eu juro que irei explicar sobre tudo isso com você, mas só depois de me encontrar com Jellal, e para isso, preciso de sua ajuda. — Lucy olhou determinada para a ruiva, que ainda se encontrava confusa. — Ninguém precisa saber disso, absolutamente ninguém. Só vai eu, você e provavelmente a Juvia. — a Scarlet te olhou, ainda confusa. 

— A Juvia sabe o motivo de você estar indo querer tanto conversar com o Jellal? — Lucy prontamente assentiu, enquanto dava outra mordida generosa no biscoitinho recheado com chocolate. — Tudo bem Lucy, eu faço isso por você. 

Lucy olhou para Erza inconformada e surpresa. Nunca havia pensado que a ruiva iria ceder tão fácil a um pedido como este. A loira sorriu gentilmente, pegando na mão da maga reequipar a sua frente. 

— Muito obrigada Erza. — Lucy sorriu, tenramente agradecida. — Você não sabe o quanto está me ajudando com isso. — Erza sorriu, afetuosa. Sabia que estava em dívida com a maga celestial depois de ter lhe feito tanto mal, e fazer aquele favor iria tirar um peso enorme em suas costas. 

A jóia no bolso de Lucy brilhava a cada sorriso, a cada emoção, a cada sentimento que a maga celestial acabava tendo. Ela só não sabia de certo modo, que aquela jóia podia mudar tudo. Até a si mesma. 

Continua


Notas Finais


muito clichê, mas fazer o que?
espero que tenham gostado.
~sayønara


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...