1. Spirit Fanfics >
  2. Now United - E se fosse verdade? >
  3. I want to try!

História Now United - E se fosse verdade? - Capítulo 42


Escrita por: e Bitavieira


Notas do Autor


Boa leitura e perdoem os erros!!!!!!

Capítulo 42 - I want to try!


POV Joalin

: Meu bebezinho ta de volta, gente! – falo agarra com a Heyoon, era o primeiro dia dela na escola após todos os dias de recuperação, como ela não veio durante a semana de prova fará todas semana que vem.

Shiv: A gente precisa comemorar. – ela se levanta e dá um abraço apertado na Yoon.

Noah: Bora fazer uma festa!

Heyoon: Não é pra tanto, Urrea! – ela o recrimina e ele apenas dá de ombros.

Josh: Então a gente faz uma social, só a gente mesmo.

Lamar: Se bem que uma social com 14 pessoas é quase uma festa! – damos risadas com o seu comentário e ele puxa a Heyoon para se sentar ao seu lado e sussurra algo em seu ouvido.

Sabina: Eu shippo. – ela aponta para o Lamar e para a Yoon, o Lamar apenas sorri de canto e a Heyoon fica vermelha.

Ficamos conversando até a hora do almoço acabar. Fui até o meu armário pegar os meus materiais e acabei me esbarrando com a razão dos meus choros diários.

Taylor: Desculpa, eu to meio avoada esses dias. – ela dá um sorrisinho tímido e me encara. Mesmo de maquiagem dava para perceber um pouco das olheiras que estavam escondidas com corretivo, esses dias ela estava vindo apenas de moletom, não tava mais tão vaidosa. Por um instante eu pensei no que poderia ter deixado ela com aquela expressão, queria muito que a razão dessas olheiras fosse eu, mas eu tinha quase certeza que era devido as festas que ela ia ou a rotina de estudos pesada.

: Não tem problema! Até mais. – Dou um sorrisinho sem mostrar os dentes e continuo andando, não aguento de curiosidade e me viro para ver se ela estava me encarando ou não, acredite se quiser, quando eu virei e vi aqueles olhos azuis me encarando eu quase tive um mini-infarto.

Sina: Amor da minha vida, razão dos meus pensamentos impuros...- a Sina me agarra pelo braço e começa a andar comigo pelo corredor indo em direção a sala.

: Eww, pensei que a razão dos seus pensamentos impuros era o Noah. – Ela fica pensativa por um tempo mas volta a colocar um sorriso imenso no rosto. – Fala logo o que você quer.

Sina: Aff, eu só queria saber se você poderia me ajudar em Física. Eu preciso de nota para passar, e caso eu não passe, minha mae me mata. – Solto um longo suspiro e coloco a minha mochila ao lado da mesa.

: Ta bom, o que eu não faço por vocês...- ela dá palminhas e se senta na carteira ao meu lado, carteira, quem hoje em dia fala ´´carteira``?

Sina: Hoje de tarde, na minha casa. – apenas confirmo com a cabeça e voltamos a prestar atenção na aula.

É, parece que hoje à tarde terei um breve compromisso na casa dos Hatala.

POV Taylor

Cheguei em casa e me joguei na cama, não queria falar com ninguem, não queria ver ninguém. Pera, eu queria ver alguém sim, ela.

Desci as escadas para almoçar e ao chegar na cozinha a Sina e a Jolin tavam conversando, dei um ´´oi`` e fui até a geladeira pegar a minha comida e esquentar no micro ondas, não queria que o clima naquele lugar ficasse pesado então fui diretamente para o meu quarto com o meu almoço.

Termino de comer e tomo um breve banho, passo um pouco de corretivo para disfarçar as olheiras que foram causadas devido a falta de sono com os meus choros persistentes. Desci as escadas, lavei o meu prato e antes que eu pudesse sair da cozinha minha querida irma me chama.

Sina: Tay, quer estudar com a gente? – ela me pergunta e meu olhar se fixa em Joalin, ela estava cabisbaixa e brincava com as paginas do livro.

: OK, eu só vou pegar as minhas coisas. – pego a minha mochila e coloco em cima do balcão da cozinha, abro o livro de Física e  começamos a realmente estudar. A Joalin era muito boa e conseguia explicar o conteúdo melhor que o próprio professor. Me peguei diversas vezes  a encarando e também senti o meu corpo queimando com o seu olhar por um bom tempo.

Sina: Se nada der certo na sua vida, você pode virar professora. – a Sina apoia sua mao no ombro da Joalin e não conseguimos segurar as risadas. – Só vou pegar o meu notebook, já volto. – ela se levanta e sai, fico completamente envergonhada pois não sabia o que falar e nem o que fazer.

Joalin: Voce ta bem? – ela me pergunta enquanto comia uma maça.

: Estou indo, e você?- ela me olha e o meu olho esquerdo começa a ter um tic nervoso.

Joalin: Mais ou menos. – ela volta o seu olhar para o livro e passamos belos minutos em silencio.

: Desculpa. Desculpa por ter te tratado igual um lixo naquele dia, por ter te magoado e mogoado os seus amigos, por ter te ofendido ou ofendido qualquer pessoal que você ame. Eu juro que não sou assim, mas a vida me fez ser. Eu não gosto de tratar as pessoas como se elas não fossem nada mas as situações pelo que eu passo diariamente me obrigam a fazer isso, eu claro que isso não é uma desculpa para o meu péssimo comportamento, mas eu so queria desabafar isso com você e esclarecer essas minhas atitudes escrotas. Me desculpa, Joalin. – Olho para o chão completamente envergonhada, não sabia qual seria sua próxima ação, se ela iria me bater ou me abraçar, se iria falar nada ou se iria me xingar...

POV Joalin

Eu não queria ser afetada por essas palavras mas não tinha jeito, aquelas palavras chegaram com tanta força em meu coração que mudaram a minha forma de pensar e de agir no momento.

: Eu fiquei muito magoada com você. Voce me irritou ao limite me insultando e insultando os seus amigos. Um dia eu gostaria de saber o porque das suas atitudes, mas não te forçarei a nada já que a vida é sua e essa é sua escolha. – dou um passo para frente chegando mais perto dela, ela levanta o seu olhar que tinha uma pequena lagrima e ficou me encarando com aquele lindo mar azul – Eu aceito suas desculpas, você teve coragem de assumir os seus erros e reconhece-los. Eu realmente quero tentar, mas você tem que me prometer ser sincera comigo porque eu não quero me magoar novamente, não quero ficar chorando igual eu fiquei durante esses dias. Eu quero dar uma chance pra gente, mas isso só vai acontecer se houver o esforço de nós duas. – dessa vez ela que chega mais perto e me abraça, seus braços laçam a minha cintura e a sua cabeça permanece apoiada em meu peito, fecho os olhos por uns instantes e sinto o cheiro doce do seu perfume e o leve aroma de coco que exalava dos seus cabelos.

Taylor: Eu quero tentar. Aceita ir a um encontro comigo? – Ela olha em meus olhos e solta um sorriso sincero, com minhas mãos faço um carinho e suas bochechas e aproximo mais os nossos rostos, indo devagar para caso ela quisesse se afastar. Eu nunca havia beijado uma garota antes, então quando os seus lábios encostaram-se aos meus, um choque percorreu todo o meu corpo.

Foi meio estranho no começo, eu não sabia onde colocar as mãos então as permaneci em seus cabelos enquanto as dela estavam fixas em minha cintura. Era um beijo calmo, apaixonante, as nossas línguas dançavam juntas como se fosse uma coreografia, seus lábios macios possuía um leve gosto de maracujá que logo deduzi ser do gloss que ela estava usando. Eu não queria parar aquele beijo, mas infelizmente a Sina apareceu na cozinha com um sorriso enorme no rosto.

Sina: Desculpa atrapalhar esse momento, depois vocês podem me agradecer por ter demorado no meu quarto, é que o Noah me ligou e eu meio que fiquei perdida no tempo. Mas e aí, vamos voltar? – Me sento ao lado da Taylor e abro em uma pagina  aleatória do livro, passe meus olhos pela folha e percebi que havia uma frase marcada: toda ação corresponde a uma reação de igual intensidade, mas que atua no sentido oposto. E acredite se quiser, aquela frase nunca fez tanto sentido em minha vida como agora.

POV Any

: Rosa bebe e dourado. – estava no telefone conversando com a mulher que faria a decoração da minha festa. Estava um pouco nervosa mas com a ajuda da minha mae tava dando tudo certo. – Josh, eu vou falar pela ultima vez, tira a merda do tênis antes de colocar os pes em cima da minha cama. – eu juro que a minha paciência com o Josh tava acabando, nesses últimos dias parece que a sua função era me irritar, me agarrava em lugares errados, ficava me atrapalhando enquanto escolhia as musicas para o DJ tocar, etc.

Josh: Por que você ta assim?! Voce ta muito estressada esses dias. – ele me puxa assim que eu termino de falar com a decoradora.

- Voce que fica me estressando. Alias, nessa semana a sua função foi essa, me estressar. – falo me separando dos seus braços e ficando em pé novamente.

Josh: Desculpa, Sugar! É que é difícil ficar perto de você e não poder te tocar ou te beijar. Voce ta sempre ocupada e eu me sinto um inútil ao seu lado, aí quando eu tento ser carinhoso você atira pedras em mim. – Otimo, agora eu to me sentindo culpada. O Josh estava sentado na beira da cama com uma carinha de cachorro sem dono, não aguentei e sentei de lado em seu colo beijando os seus lábios.

- Eu prometo que assim que toda essa loucura acabar eu ficarei o dia todo grudada em você – aperto as suas bochechas e dou um beijo nas mesmas.

Josh: Otimo porque eu vou querer mimar a minha princesinha o tempo todo, encher ela de beijinhos e de carinhos que só eu posso dar. – ele falar com uma voz de bebe e apenas dou risada da sua interpretação. – Seus parentes do Brasil virao?-

: Sim, essa festa já ta marcada a pouco mais de um ano justamente por causa disso, eles tinham que economizar dinheiro para pagar passagens e hospedagem. – falo ainda em seu colo, só de pensar que daqui a poucas semanas meus tios, meus primos e meus amigos estarão aqui meu coração se aperta. – vou te apresentar oficialmente como o meu namorado, e se eu perceber que você ta olhando para uma das minhas amigas brasileiras, você vai ficar sem sexo por 2 meses. – ele arregala os olhos e agarra a minha cintura.

Josh: Eu nunca olharia para as suas amigas brasileiras, eu já tenho uma linda brasileira como namorada, não preciso de mais nada. – ele fala e me beija, aos poucos o beijo foi se intensificando e quando dei por mim eu estava com uma perna em cada lado do corpo do Josh enquanto as suas mãos deslizavam por minhas costas.

Pai: Separando vocês dois, agora! Joshua, não me faça se arrepender de te deixar sozinho com a minha filha. – meu pai entra pela porta, saio rápido do colo do meu namorado, sua boca tava vermelha, sua respiração ofegante, cabelos e blusa machucados, mas o melhor de tudo foi a cara de assustado que ele fez.

Josh: Me desculpe. Isso não ocorrera novamente.

Pai: Assim espero! - Ele sai do quarto deixando a porta aberta, fico em pé e entrelaço meus braços nos pescoço de Josh que ainda estava sentado.

: Quer dizer que isso não ocorrerá novamente? – pergunto fazendo um biquinho de decepção, ele solta uma risadinha e me olha.

Josh: O ´´isso`` estava se relacionando ao fato de seu pai flagrar a gente em um momento como esse. Mas o que estava acontecendo nesse quarto, espero que se repita varias e varias vezes. – ele da uma leve mordida em minha barriga me fazendo rir.

: Que bom, senhor Beauchamp. Voce deixou as sua namorada mais feliz agora. – dou um selinho nele e puxo sua mao. – vem, vamos comer pizza!  


Notas Finais


Obrigada pelos favoritos!!!
Ate amanha...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...