1. Spirit Fanfics >
  2. Nunca deixei de te amar >
  3. Destino

História Nunca deixei de te amar - Capítulo 42


Escrita por:


Capítulo 42 - Destino


Dia seguinte...

-A nossa paciente está em perfeito estado para ter alta, porém terá que ter essa gravidez acompanhada...-Comentou o médico

-Nós sabemos disso doutor...-Disse Dona Berta- O próprio obstetra dela comentou a respeito disso.

-Ótimo! -Preencheu sua folha

-Amém que eu vou para casa- comemorou. 

-Bom...liberada!- Entregou alguns papéis -Qualquer coisa voltem.

-Sim...Obrigada!

-De nada!- Se retirou

-Se pudesse eu iria embora do Brasil...- foi sincera.

-Oh filha, por que essa decisão?

-Ah mãe, são tantas coisas...

-Oh meu bem...não age assim, por impulso.

-Eu sei...-Foi trocar de roupa e quando voltou, as duas então foram embora.

Chegando em casa, ambas encontraram diversas flores espalhadas pela casa. 

-Nossa senhora...minha casa virou floricultura e não sabia?- riu.

-Acho que sim!- Riu- Cada flores lindas, olha essa orquídea.

-Lindas mesmo...

Sem perceber, Gilberto estava atrás dela...

-Gostou, meu amor?

-Ah!- Se virou- As flores são lindas, tem bom gosto.

-Desculpa por ontem, na verdade me perdoe por tudo? -Pegou em sua mão- Eu sei que estou sendo um péssimo marido, mais eu realmente quero que você saiba que eu estou muito arrependido por tudo isso.

-Gilberto...-É interrompida.

-Por favor...

-Você sabe que essa coisa de perdoar não é comigo...aliás você deveria ter consciência das coisas que faz. Eu sinceramente tenho meus motivos para não te perdoar, não há provas que comprovam que você esteja realmente arrependido...essas flores aqui, não representam absolutamente nada- balançou os ombros.

-É eu sei...

-Bom...só quero que você entenda - Passou uma das suas mãos em seu rosto- Que eu quero ser feliz de uma outra forma, quero ser livre.

-Se eu melhorar, ou até mesmo te mostrar que eu estou muito arrependido...você me amaria de novo?

-Ninguém se arrepende de uma hora para outra também né? Mais te amar de novo, talvez seja algo impossível. Não quero ficar presa nesse relacionamento.

-Tudo bem...você tem razão!

-Só tem uma coisa que você pode fazer por mim, por esse bebê...e com certeza quem sabe nós voltamos como antes... Como amigos!- olhou em seus olhos.

-O que eu posso fazer?

-Me dar o divórcio...mais antes, não quero que pense que eu quero isso para ficar com Hum...

-Tudo bem...mais se a gente dá um tempo e esperar o tempo dizer? Se caso não der muito certo, eu te dou divórcio.

-Um tempo para que? Se a gente não tem mais química a séculos?

-Talvez nesse tempo tenhamos alguma atração um pelo outro.

-Não tem como ter...mais já que você propôs assim, eu aceito.

-E em relação a esse bebê, eu quero está presente em tudo...e eu vou assumir a paternidade!

-Esse assunto não por favor...

-Tudo bem...-Abraçou a - Eu vou voltar para São Paulo, passarei um tempo por lá...

-Ok!

-Mais aos finais de semanas eu volto, ok?

-Ok!

Algumas horas se passaram e finalmente Vivianne se sentia bem, depois de um tempo só tendo estresse.  

-Acho que agora minha vida vai tomar um rumo! -Se sentou ao lado da mãe que estava na varanda

-Amém minha filha!

-Bom, vai ser ótimo seguir só, sabe?

-Sei muito bem...

-O que você acha que devo fazer?

-Primeiramente seguir o seu coração e depois esperar o tempo...

-Estava pensando nisso.

-Eu sei que você não quer tocar muito nesse assunto, mais em relação a paternidade desse bebê ai?

-Eu vou deixar para pensar nisso lá na frente...nós não sabemos como vai estar a vida então, temos que esperar.

-Isso mesmo.

-Se pudesse eu assumiria essa criança sozinha, sem causar muita preocupação.

-Mais se você fizer isso, não vai ser bom.

-Sim! Eu sei...

-Mais saiba que estarei aqui pro que der e vier.

-Obrigada, obrigada mesmo!

-Mãe é para isso. E eu tenho um enorme prazer de ter uma filha como você...e apesar de tudo, amo muito.

-Também te amo...minha guerreira! -Ambas se abraçaram.

~*~

Na casa do Humberto, Manu fingia está passando muito mal...em chegar ao ponto de deixar o próprio marido em estado de nervos, de preocupação, até que...

-Vamos ao médico...Faz dias que você está assim, só piora. -Disse pegando as coisas dela e alguns dos seus pertences- Vamos!

-Não... Não precisamos ir. É normal isso!

-Manu, não é normal...eu sei muito bem disso!

-Você não sabe não.

-Querida, sou pai de duas crianças...e sei muito bem o que não é e o que é normal em uma gravidez.

-Meu bem...eu já disse que é normal, confia em mim, poxa.

-Como você sabe? Já foi ao médico sem eu saber?

-Não...mais o meu médico disse que nos primeiros meses isso é normal.

-Se é assim, me deixe falar com ele então...-insistiu.

-Não precisa...- Se tapou com o edredom -Vou descansar um pouco e irei melhorar.

-Tudo bem...se você não melhorar ainda hoje vou te levar em uma emergência.

-Ok!

Assim ele deixou ela descansar e meio desconfiado com essas histórias, resolveu chamar um médico conhecido e de família para ir em sua casa examinar a sua esposa. E esse médico era um dos seus amigos, logo diria de fato o que estaria acontecendo com ela. Após algumas horas, Fábio chegava....

-Fala ai, irmão!- Apertou sua mão

-Olá parceiro...entre!

-E ai como vai a vida?

-Vou indo e a sua?

-Está tudo beleza, você soube que a minha mulher está grávida?

-Soube não, mais fico feliz por vocês...Parabéns papai!- Brincou- As minhas também, porém uma dela me esconde algo.

-Obrigado...mais como assim as suas? Casou com diversas mulheres e não sabia?

-Calma rapaz, não é isso...mais é uma longa história.

-Eita!

-Lembra da Vivianne?

-Essa gostos...com todo respeito, lembro sim.

-Deixa sua mulher saber no que você falou..-Brincou- Então ela espera um filho meu!

-Tu manda benzão, hein...Porra, conseguiu o que queria.

-Um pouco, ainda falta muitas coisas para acontecer...e a Manu, com quem eu casei. A minha mulher o qual você irá examinar daqui a pouco, também espera um filho também...

-Meu Deus, que cara louco você hein...mais qual delas te esconde algo?

-A Manu...faz dias que ela não anda bem e antes mesmo de te ligar eu iria ir numa emergência com ela, porém ela disse que iria melhorar...que isso é normal.

-Que situação...

-Ai assim que ela acordar você examina ela e vê o que é realmente.

-Tu fez um filho na outra e não tá com ela, que triste.

-Né? Mais nós vamos esperar o tempo dizer.

-Isso mesmo...

E assim o papo seguia...e de uma hora a outra, Manu surgia.

-Boa tarde! -Foi até eles

-Boa, me chamo Fábio!- Se apresentou -Vim te examinar.

-Oi?- Estranhou- Humberto!

-Desculpa meu anjo, mais essa seria uma ótima solução.

-Estou bem, não vê?

-Sim...mais temos que te examinar da mesma forma.

-Bom..- Enrolou- Combinei de sair com a minha mãe daqui meia hora.

-Manu...eu não queria te dizer isso, mais vamos lá...te dou duas escolhas: deixa ele te examinar ou terminamos o nosso casamento de vez.

-Que coisa absurda!

-Não é não, eu não suporto te ver fugindo dessas situações que são preocupantes.

-Já que é assim...eu deixo ele me examinar!

Passou alguns minutos, Fábio foi examinar a Manu...percebendo algumas coisas estranhas.

-Você está com quanto meses?

-Um, só.

-Que estanho...

-O que tem de estranho? -Perguntou Humberto

-Não consigo ouvir nenhum coração batendo...por mais que seja de um mês nós escutamos. -Entregou a farsa

-Não, não é possível! -Se fez de vítima- Humberto, deu positivo nos testes que eu fiz, na ultra.

-Você não perdeu esse bebê, se não os sintomas seriam piores.

-Não...-Forçou o choro

-Sinto muito em dizer isso, mais a senhora nunca esteve grávida!

-Eu esta...

-Bom...já que isso era uma farsa e já estava desconfiado, não há mais motivos por qual continuarmos juntos.

-Bom...eu vou indo!- Se despediu Fábio

-Espera, vou com você...quem sabe voltamos a nossa vida de antes? Manu, eu irei sair...mais tarde eu volto, passe bem. -Em seguida os dois saíram. 

No bar próximo de casa, Humberto e seu amigo bebiam e colocavam os papos em dia e como não faltava assunto, Fábio então aconselhou o amigo a procurar a Vivianne e contar sobre a farsa da Manu, mais mesmo assim o "cabeça dura" dizia que não e iria esperar ela ir até ele. 

~*~

-Mãe, vou dar uma saída...daqui a pouco estarei de volta!- Disse pegando a chave do carro.

-Tudo bem! -Respondeu com um beijo em sua testa-Juízo!

-Ah!- Saiu logo em seguida..

Ela só precisava sair daquele ambiente um pouco, passear um pouco. Logo resolveu dar uma volta pela Orla. E assim parou o carro em um estacionamento e desceu em direção ao quiosque que frequentava sempre quando passeava por ali...

-Boa tarde! -Disse o garçom -Deseja algo?

-Boa tarde, querido. -Sorriu- Uma água de cocô por favor!

-Volto já.

-Obrigada! -Colocou sua cadeira de frente para a praia e logo tirou seu óculos e pôs suas mãos em sua barriga- Esse lugar me acalma tanto. Se pudesse viveria sempre por aqui. -Pensou alto

E assim o garçom voltou entregou o pedido e ela logo pagou e de um minuto ao outro, Marcelo Novaes, um dos seus companheiros em cenas, que estava passeando com seu filho mais velho reconheceu a de longe.

-Vivi!-Gritou ele

-Marcelo! -Olhou fazendo sinais para ele se aproximar

-Querida, quanto tempo!

-É verdade!- Se abraçaram- E esse menino fofo?

-É o Pedro...- Pegou o no colo- Filho, essa é a tia Vivianne.

-Oi tia!- Beijou sua bochecha

-Oi anjinho... -Sorriu- E o que fazem por aqui?

-Passeando. E a senhorita?

-Pegando um ar livre.

-Hum...E ai como vai a vida?

-Não muito bom e a sua?

-Tá tudo ótimo! -Se sentou

-Que bom...e ai quando volta as telinhas?

-Dei uma afastada...e você?

-Por enquanto não volto tão cedo.

-Ué por que? Encerrou a carreira?

-Não, eu estou grávida...ai já viu né?

-Ah jura? Felicidades, meu bem.

-Obrigada amor.

-Mais me conta, tá feliz?

-Tem como não está? Era tudo o que eu mais queria. Apesar de tudo que estou passando isso é uma boa coisa, uma boa recompensa- Riu

-Opa...é isso mesmo.

-Mais me conta o que anda fazendo na vida?

-Cuidados dos meninos, investindo em outras profissões.

-Uau...que guerreiro.

-E você?

-Bom...eu estava de férias e agora com essa gravidez nem penso em fazer outras coisas, talvez eu até visite algumas exposições de fotografias, ou até mesmo fazer parte delas. Algo que não cause estresse, entre outras coisas.

-Ah que legal. Ficar sem trabalhar, ou melhor, sem atuar é tenso.

-Concordo plenamente.

-Mais então...

-E a Letícia?

-Ela está bem na vida dela, gravando....trabalhando muito.

-Ah que bom.

-Você ainda tem medo de encontrar com ela?

-Eu? Que nada...Acho que aquela história lá é um mal entendido. Onde cê viu eu ser pivô do casamento de vocês? É cada situação- Gargalhou

-Né? O pior é que eu e ela já estávamos separados antes mesmo da gente fazer par romântico- riu.

-Pois é...Mais graças a Deus eu e ela nunca tivemos motivos para uma odiar a outra, pelo menos isso.

-Ah...

Depois de um bom papo, Marcelo foi embora e a Vivi resolveu passear pela areia...onde encontrava Humberto sentado de frente para o mar. Com uma coragem imensa, foi até ele...

-Oi amor!- Se sentou ao lado

-Oi...-Disse sem entender

-É engraçado que a cada momento da nossa vida, o destino tenta nos unir... Impressionante!

-Verdade! Mais o que a senhorita faz por aqui?

-Vim pegar um ar livre, tentar esquecer alguns problemas. E você?

-A mesma coisa.

-Hum...-murmurou.

-Tá preparada para gente conversar, decidir o nosso futuro?

-Hum..- Respirou fundo- Estou!

-Primeiramente eu quero que saiba que a Manu nunca esteve grávida!

-Como assim?- estranhou.

-Ela mentiu esse tempo todo.

-Nossa, que cruel- desviou o seu olhar.

-E uma outra coisa, acho que podemos ficar juntos.

-Também acho, o caso do Gilberto foi resolvido já.

-Jura? -Olhou em seus olhos- Então quer dizer que...

-Ele não me deu o divórcio ainda, me deu apenas um tempo...e como tenho certeza que não iremos voltar, isso quer dizer que nós dois...na verdade nós três podemos sim, construir uma nova família.

-Que notícia boa, meu amor...-Deu vários selinhos

-Humberto? -Se afastou enjoada

-Você bebeu?

-Sim, eu estava com um amigo...Por que?

A cara dela já estregava os enjoos...

-Vem, vamos...-Pegou a no colo- Vou te levar para casa.

-Ok...a chave do meu carro tá aqui- Entregou as

E assim acabava a tarde deles. Já na casa da Vivianne, Humberto estava conversando com a sua sogra enquanto sua amada estava descansando...

-Olha ai vocês juntos de novo, que sorte hein...-Riu- Desde do fundo o amor entre vocês é forte!

-Pois é...É o destino!

-O famoso destino.

-Mais então, eu já estava desconfiado dessa suposta gravidez da Manu...Não duvidava nada de que era uma armação.

-Nossa que louca...a minha filha já estava pensando em...enfim, graças a Deus tudo se resolveu.

-Amém!

-Agora vão ficar juntos mesmo, né?

-Por mim sim...mais ela havia dito que já resolveu algumas coisas com o traste lá.

-Sim eles deram um tempo, mais ela deixou bem claro que não voltam.

-Opa!

-Mais parece que ele está arrependido...

-Ah tá bom...

-Eu não duvido nada que é apenas uma baita mentira.

-Concordo. Mais o pior já passou, vamos seguir os nossos caminhos sem ninguém atrapalhar.

-Amém! Espero que tudo dê certo, afinal vocês merecem.

-Bom...concordo plenamente!

-Acho que já posso voltar para casa, sabe? -Brincou- Já que ela já está em boas mãos.

-Opa...eu estava pensando em ir para Sampa essa semana, preciso ver meus filhos...

-Mais ela não pode viajar.

-Oi?

-O médico não deixou.

-Mais...

-Ela terá que ir semana que vem ao médico, ai você fala com ele...

-Sim... -E assim ficaram conversando por um bom tempo.

~*~

-Boa noite meus amores!- Disse Vivianne vendo os dois dando altas gargalhadas- Do que estão rindo?

-Boa noite minha filha, estamos relembrando algumas cenas de vocês. Tá melhor?- Perguntou indo a ela

-Boa noite meu bem...esse bebê tá mexendo bastante com você, hein...

-Estou melhor sim...-Se sentou ao lado dele - Isso é culpa sua!

-Culpa minha? Por que?

-Sim...só eu que sinto as coisas e você só vê mesmo.

-Ah tadinha...-Riu sua mãe

-E ai o que temos para hoje?

-Vamos sair todos?

-Sair? -Olhou -Podemos comer pizza sem sair?

-Preguiçosa!

-Sou mesmo, não reclame.

-Ui!

-Bom...o que vocês decidirem para mim está ótimo.

-Hum...

-Vamos pedir uma pizza então.

-Oba!

Logo pediram uma pizza.

-Filha?- Chamou Dona Berta

-Eu! 

-Eu vou voltar para Sampa!

-Ah!

-Você não vai precisar de mim...

-Quem disse isso? É claro que vou.

-Ninguém ué.

-Por favor não vai...eu preciso de você e muito, aliás o seu neto precisa.

-Pensarei...

-Pense com carinho.

-Bom...e eu quero ir para Sampa também.

-Ah não, vocês dois longe? Nem pensar.

-Calma amor, eu só vou se seu médico deixar.

-Ah sim...Mais o que o senhor iria fazer lá?

-Vivianne, eu tenho filhos...

-Ah é me esqueci...me desculpe. -Deu um selinho

-Se eles souberem disso, é capaz de não gostar da mãedrasta deles.

-Se você não abrir esse seu bico, tá tudo certo.

-Ui...

-Mais então, estava pensando em irmos nós quatro para NY. O que acham? Assim que o médico liberar e é óbvio quando esse serzinho deixar ver o sexo. Porque compraremos o enxoval, entre outras coisas logo.

-Uma ótima ideia. Eu topo!

-E você amor? -Perguntou

-Vamos sim, vai ser legar!

-Muito!

E mais um dia se passava...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...