1. Spirit Fanfics >
  2. Nunca vou te esquecer >
  3. Pela primeira vez, saindo do armário

História Nunca vou te esquecer - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei um pouco mais cedo do que o planejado, espero que gostem!
Boa leitura.

Capítulo 14 - Pela primeira vez, saindo do armário


POV Lauren

Ponho os pés na areia morna da praia e uma sensação de conforto me enche. O dia estava lindo, o sol brilhava no céu, que estava quase sem nenhuma nuvem. Estendo minha toalha na areia e me deito para tomar sol ao lado da minha irmã. Chris aproveita para mergulhar no mar.

Observo as pessoas que passam por ali, algumas poucas me olham e passam reto. Começo a conversar com a Tay e no instante que entramos no assunto celebridade ela começou a falar no quanto o Harry Styles era lindo. Nada contra, mas ele não é tudo isso.

- Como vão as meninas? – Ela mudou o assunto para um que não fosse o quão sedoso devia ser o cabelo do Harry Styles.

- Vão bem, eu acho. – Eu olho para a revista ao meu lado e penso em começar a lê-la, mas achei que seria falta de educação com a minha irmã.

- Alguma novidade? – Taylor pergunta com um certo desinteresse na resposta, deu para sentir no jeito como ela falou.

Eu pensei muito se devia, ou não, falar sobre eu e Camz, já que Taylor é minha irmã. No final decido que seria melhor ter ao menos um membro da família sabendo antes de todos, para ter uma antecipação das reações.

- Na verdade, sim. – Taylor me olha surpresa. Obviamente ela não esperava por isso – Eu estou saindo com alguém.

- Meu Deus! Quem é? Como começou? Vocês tão saindo faz quanto tempo? Ele é estrangeiro? Você sabe que o pai vai matar esse cara por ter tirado a filhinha dele, né? – Ela me metralha com perguntas.

- Calma aí, eu respondo uma de cada vez. – Eu tento acalmar a euforia da Taylor – Tudo começou durante a turnê internacional. Foi no Brasil, no dia do meu aniversário.

- Quem é o sortudo?

Minha boca começou a ficar seca e minha garganta deu um nó. Como eu falaria isso? “Não é sortudo, é sortuda, e você a conhece, é a Camila!”. Acho que não é assim que se sai do armário.

- É... É... É a Camila. – Eu jurava que a Taylor iria ficar brava ou inconformada, mas ela apenas ficou em choque, como se não conseguisse processar a informação. – Tay?

- Você tá falando sério? – O tom de fala dela era muito diferente de quando ela me perguntava. Ela não estava mais animada, ela estava séria e falava baixo, como se não quisesse que mais ninguém além de mim ouvisse.

- Sim, eu estou falando sério. – Eu abaixo a cabeça – Eu e Camila estamos “saindo”

- Você gosta dela? – Taylor segura meu queixo me obrigando a olhar para ela – Tipo, de verdade?

- Sim, muito. Eu faria de tudo para vê-la feliz. – Eu falo e percebo um sorris brotar no rosto da minha irmã.

- Então tudo bem. – Taylor solta meu queixo e me abraça. Espero que Chris também reaja assim.

- Obrigada Tay. Você não sabe o quão feliz eu fico de ver que você não me acha uma aberração – Eu falo durante nosso abraço

Chris resolveu sair do mar e veio em nossa direção mendigar por um sorvete de chocolate que ele viu à venda em uma lojinha perto da praia. Compro um sorvete para cada um de nós, um de chocolate para o Chris, um de baunilha para Tay e um de morango para mim.

Decidimos voltar para casa depois de terminar os sorvetes, porque os sol já estava ficando muito forte, nossa família é um pouco branca demais e iriamos parecer camarões.

Assim que chegamos em casa Taylor saltou do carro e foi para dentro, já Chris quis ficar na piscina. Não entendo o que que esse menino tem com água. Lembro de um verão que ele quis aprender a surfar, não deu muito certo.

Quando entro em casa ouço algo cair na cozinha.

- Mãe?! – Chamo e corro para cozinha com medo de algo ter acontecido, mas quando chego lá era meu pai cozinhando – Pai? O que você tá fazendo?

- Eu decidi dar um descanso para sua mãe e vim fazer o almoço, não posso? – Ele pega a vasilha que tinha feito o estrondo do chão.

- Sim. É só que você não costuma fazer isso. – Eu coço a nuca – Pera aí, a mãe tá bem?

- Sim... – Meu pai desvia o olhar, o que me fez perceber que ele estava mentindo.

- Pai, não precisa mentir. A mãe tá bem? – Eu ponho a mão em seu ombro

- Ela tá com um resfriado, eu acho... – Ele olha para baixo e sinto que ele choraria se eu não estivesse ali – Você sabe que sua mãe nunca fica doente. Eu só estou preocupado. – Ele suspira e volta para perto do fogão. Meu pai é extremamente sentimental, então eu entendo o porquê de ele estar assim.

Ponho a mesa e vou para sala ver televisão. Não estava passando nada legal, mas eu tenho esse problema de pôr qualquer coisa na TV e ficar mexendo no celular.

(...)

Era mais ou menos três e meia da tarde quando comecei a me arrumar para ir na casa da Camz. Ponho o meu coturno e saio de casa.

Chegando em frente à casa dela eu a vejo na porta me esperando.

- Oi – Camila me abraça. Estava morrendo de saudade desse abraço.

- Oi – Eu quase a beijo mas ela se esquiva.

- Estamos em público.

- Desculpa, é que você tá linda, não resisti.

Entramos na casa e nos sentamos no sofá.

- Já fez a pipoca? – Eu pergunto sentindo o cheiro da pipoca por toda a casa.

- Já. Na verdade eu já comi um pouco. – Ela pega o controle remoto e dá play no filme. Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban.

O filme estava acabando, perguntei para a Camz qual filme seria o próximo mas ela não respondeu.

- Camila?

Olho para ela e percebo que tinha dormido. Ela estava tão fofa. Eu a pego no colo e subo para seu quarto. A coloco na cama e a cubro. Dou um beijo na sua bochecha.

- Lo? – Ela abre os olhos, mas não se meche.

- Volta a dormir, Camz. Você está cansada.

- Deita comigo, não quero ficar sozinha. – Ela faz biquinho.

- Tá bom. – A beijo e deito do seu lado.

(...)

Acordo sentindo frio. Passo a mão pela cama procurando pela Camz para abraçá-la, mas ela não estava ali. Abro os olhos e saio da cama ainda um pouco sonolenta. Desço as escadas, a procuro por toda a casa, mas não a acho. Vou para o quintal e a acho molhando os pés na piscina. A luz da lua a deixava tão bonita, parecia a cena de um filme, onde mostra uma garota sozinha pensando na vida.

Me sento ao seu lado sem falar nada, a abraço de lado e encosto minha cabeça em seu ombro. Ela se assusta um pouco, mas logo estava fazendo carinho na minha mão.

- Eu já ia te chamar. – Ela sorri – Você dorme bastante, sabia?

- Eu tenho o sono pesado. – Dou uma risadinha.

Passamos um tempo só nos fazendo carinho em silêncio.

- Camz – Eu a chamo.

- Hum – Ela me responde com um som nasal.

- Amanhã vamos na praia? – Eu me separo um pouco dela para olhá-la.

- Só nós duas? Não sei se é uma boa ideia. – Ela faz uma careta.

- De noite. Duvido que as pessoas vão nos ver de noite.

- Tá bom, você me ganhou, senhorita Jauregui. – Ela dá uma risada e me dá um beijo.

Na verdade, eu tenho um plano. Não tem coisa mais bonita do que pedir a garota que você ama em namoro na frente do oceano.

Sim, eu amo Camila Cabello.


Notas Finais


Obrigado por ler.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...