História O Abismo dos Sonhos - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 3
Palavras 328
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Canibalismo, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 12 - O Primeiro Conflito


  Após uma noite na mata e uma longa caminhada, Maria Somnium se depara com uma área limpa de árvores em meio a mata. Um círculo perfeito em meio às árvores, tão perfeito que aparenta ter sido colocado ali de propósito.

  Até que em meio às árvores surge uma figura masculina, de preto dos pés a cabeça. Ao se deparar com a mulher, Nathan se assusta, mas rapidamente entra em guarda com a lança de Taú em punho.

  Durante um longo tempo os dois sonhadores se encaram. Até que Maria saca sua machete modelo bolo, porém não avança ou recua. Quem reage é Nathan que dispara com força a lança e esta é logo parada pela machete de Maria. Nisso a lança começa a se desfazer em luz e mais tarde se recompõe na palma da mão do americano.

  Sem demonstrar qualquer sentimento, Maria sacode levemente a machete que se cobre de chamas. Rapidamente ela corre em direção ao mafioso com a machete pronta para o ataque, que acerta o peio de Nathan abrindo um largo corte.

  O americano rola para trás, tentando ignorar a ferida, mesmo que doesse muito. Ele não podia fraquejar, não agora. Ele logo avança com a lança em punho para um golpe e é parado pela brasileira com sua arma.

  Desesperado, Nathan recua e saca seu revolver magnum 44 com a mão esquerda, e aponta para Maria, que se abaixa e em um só golpe, decepa a mão esquerda de Efiáltes.

  O sangue jorra, a pele cheira à queimado, devido ao fogo da machete, e o homem recua desesperado, ele tem que estancar a ferida se não quiser morrer. Sem mais esperar, Nathan corre rumo a mata e Maria o deixa ir, tendo agora para si o revolver de Nathan e deixando no chão a mão recém-arrancada do homem.

  Ela balança novamente a machete que se apaga e a guarda na cintura. Olha em volta e adentra a mata na direção oposta ao americano.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...