1. Spirit Fanfics >
  2. O acampamento >
  3. Capítulo 1

História O acampamento - Capítulo 1


Escrita por: CasaisFics

Notas do Autor


Espero que gostem. Será uma mini fanfic.

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction O acampamento - Capítulo 1 - Capítulo 1


Era mais um dia típico em Campos, o sol se mostrava entre as poucas nuvens sobre o azul do céu. Apesar de quente, o dia estava lindo, completamente propício para uma caminhada e um sorvete na pracinha ou até mesmo um…

—Acampamento, Eugênio? - indagou Violeta, abismada com a proposta do sócio. - de onde você tirou essa ideia… absurda? - franziu o cenho enquanto ajeitava os papéis em sua mesa. 

O homem, que estava todo animado a sua frente, mordeu os lábios, procurando maneiras de fazer a sua parceira aceitar a proposta. 

—Violeta, meu amor… pense bem, seria maravilhoso! - começou, com a empolgação de uma criança. - ar livre, árvores, cachoeira, veja só o calor que está fazendo, seria incrível! - completou em um tom quase infantil. 

Por um momento, Violeta amoleceu-se, vendo o homem insistir daquele jeito, mas logo caiu em si novamente.  

—Bichos, escuridão, perigo… ai Eugênio, eu não… eu nunca acampei! - revelou, receosa. 

—Então essa será a sua primeira vez! - pegou a mão de sua parceira, acariciando-a. - por favor! 

—Tem a Dorinha… não posso deixá-la sozinha um final de semana inteiro, Eugênio! - disse. 

—Mas e a Heloísa? - indagou ele. 

—Ela está querendo ir ao Rio de Janeiro esse final de semana! - Eugênio fez cara de triste. 

Logo foram interrompidos por Heloísa. 

—Desculpem! - disse a irmã mais nova já adentrando a sala. - a porta estava aberta e acabei escutando parte da conversa! - confessou com um risinho. - quanto a Dorinha, eu vim aqui justamente te pedir para deixar que ela fosse comigo e com o Leônidas até o Rio de Janeiro! - disse parando de pé ao lado da mesa de Violeta. 

—Não, Heloísa! - negou com a cabeça. - não quero a Dorinha atrapalhando vocês dois! 

—Minha irmã… se você não lembra, a minha lua de mel foi há meses atrás! - ironizou, rindo. - a minha sobrinha nunca me atrapalha, além do mais, quando eu falei com ela, a coitadinha ficou toda empolgada para ver as velhas amigas! 

—Viu, Violeta? a Dorinha quer muito viajar com a tia… digo, com os tios! - olhou para a Heloísa, piscando. - não deixe a menina triste! 

—Eugênio… - semicerrou os olhos para ele. - eu não sei… bom… minha irmã, pode levar a Dorinha! - viu Eugênio abrir um sorriso. - quanto a você, Eugênio, eu ainda não aceitei! 

—Ah, mas ela vai aceitar! Digo, ela já aceitou sim! - disse a irmã mais nova em tom autoritário. - precisa se divertir, Violeta, só vive trancafiada nessa sala! - olhou ao redor. - olha só a sua paisagem como é… só paredes! - negou com a cabeça. 

—Não sei se conseguiria me divertir no meio do mato! - deu de ombros. 

—Ela tem medo de bicho, Eugênio! - contou a irmã mais nova, cutucando o cunhado. 

Violeta arregalou os olhos para Heloísa, que não aguentou a risada. 

—Claro que não! - empinou o nariz, séria. - não é… não tenho! 

—Ela tem! - retrucou. 

Eugênio apenas observava a cena, segurando o riso. Não sabia quais seriam as consequências da sua gargalhada, visto que a mulher o olhava séria. 

—Eu vou, Eugênio! - decidiu. - vou provar que não tenho medo! - fez uma careta pra irmã, que devolveu. 

—Bom… tenho que ir! - disse Heloísa. - te espero a noite em casa para te ajudar a arrumar as coisas! - piscou para a irmã. - tchau, Eugênio! Como não nos veremos mais até amanhã, boa viagem para vocês! - falou abraçando o cunhado. 

—Obrigado, Heloísa! - retribuiu o abraço. - boa viagem para você também. Tchau! 

Ao despedir-se de Heloísa, Eugênio voltou sua atenção para a amada, que o encarava sem piscar. 

—Eugênio… se… esse acampamento, onde é? - perguntou num tom de voz ameaçador, entredentes. 

—Bom… - ele nem deu bola para a impaciência dela e novamente ficando empolgado, começou a contar todas as coordenadas do passeio que fariam. - a cachoeiras fica a seis horas daqui…

—Seis horas? - espantou-se. - céus! 

—Violeta, nem é tão longe! - negou com a cabeça. - enfim… vamos ter que sair cedo para não chegarmos lá a noite! 

—A noite… só de pensar me dá calafrios! - passou às mãos pelos próprios braços. 

—Meu amor… é muito legal acampar, você vai ver! - ele caminhou até ela. - vamos nos divertir muito, e sem contar que teremos um final de semana inteiro só nosso! - beijou o topo da cabeça dela. 

—Eu espero… - inclinou a cabeça para trás, alcançando a boca dele, onde depositou um selinho demorado. - agora vamos voltar ao trabalho, tenho vários papéis para assinar e contratos para ler. Presumo que você… - ele a beijou não deixando que ela terminasse de falar. - também tenha muito trabalho… - terminou a frase entre suspiros, selinhos molhados e sorrisos. 

—Tem razão! - acarinhou a nuca dela. - só me prometa, Violeta… - a segurou as mãos. - que não vai desistir dessa viagem! 

—Eugênio… 

—Me prometa… por favor! - fez uma cara de cachorro pidão que fazia a mulher desarmar sempre. 

—Tudo bem… tudo bem, eu prometo! - bufou com os lábios.- você com essa cara, Eugênio… não consigo te negar nada! 

—Nada mesmo? - sorriu malicioso, aproximando-se da boca dela. 

—Nadinha! 

Com os lábios colados um no outro, iniciaram um beijo lento e delicado. suas línguas dançaram em um só ritmo e a este momento, as mãos de Eugênio passeavam pela cintura delineada de Violeta, que, durante o beijo, o acarinhava não nuca. O homem a pressionou mais para perto, queria senti-la cada vez mais próxima do seu corpo. A verdade era que se ele pudesse faria amor com ela ali mesmo, naquela sala e naquele mesmo instante. 

—Amor… - sussurrou ela sem fôlego, ao separar seus lábios dos lábios dele. - não… podemos! - colou as testas. 

Eugênio a puxou para um abraço. 

—Amo quando me chama assim! - sussurrou.

Escutaram batidas na porta e se separaram imediatamente. Era dona Iara avisando que teriam uma reunião em breve. Assim, logo após despediram-se com um beijo rápido e urgente. Estavam ansiosos pelo final de semana. Bom… pelo menos Eugênio estava. Violeta estava mais… digamos que preocupada. Mas uma coisa eles sabiam: esse acampamento vai ser inesquecível. 

 


Notas Finais


Encontro vocês no próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...