História O Acaso Do Nosso Encontro - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Hentai, Lemon, Orange, Yaoi
Visualizações 16
Palavras 2.168
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Orange, Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Slash, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Obs: Eu gostaria de me desculpar com vocês pela falta de capítulos semana passada, eu adoeci um pouco então eu não consegui escrever direito. Mas estou melhor agora, e escrevi um capítulo bem grande para vocês se divertirem, espero que gostem <3

Capítulo 28 - Formatura


Fanfic / Fanfiction O Acaso Do Nosso Encontro - Capítulo 28 - Formatura

«Sábado - 23 De Dezembro»

Enquanto isso, na mansão Laurent...

— Cadê Dan para me acordar agora? hoje é o dia da formatura! Vai logo Dean, se apressa — Fala Dean se aprontando às pressas para ir escola para a formatura.

Dean se aprontou rapidamente para ir a escola, mas como Dan era mais organizado, já estava na escola com antecedência, esperando a chegada de Dean

Depois de percorrer menos de 1 quilômetro pedindo para Arnold ir mais rápido com a velocidade do carro, Dean chega a escola, quase atrasado, porém, dentro do horário

— Onde você estava Dean? — Pergunta Dan curioso pelo atraso de Dean, se bem que já era de se esperar de Dean.

— Eu acabei acordando meio tarde por causa do meu alarme — Responde Dean se sentando em uma banco na entrada da escola.

— Tudo bem, “ o alarme”, mas enfim, acabou sua matrícula ontem? Pediu ajuda aos seus pais? — Pergunta Dan se sentando ao lado de Dean, no mesmo banco, pois era um banco espaçoso.

— Sim, eu pedi ajuda a eles ontem e eles me matricularam. Todos sempre dizem que a faculdade do governo é melhor que a particular, eu acho verdade, mas eu prefiro ter certeza de estudar oque eu quero do que depender de notas depois, mesmo as minhas notas estando dentro da média — Fala Dean acabando com o seu fôlego depois de falar tanto sem nenhuma pausa para respirar.

— Respira Dean, não fique forçando demais a sua voz, isso pode ser ruim mais pra frente, eu não quero perder dias das nossas férias porque você esteve doente — Fala Dan batendo de leve nas costas de Dean.

— Eu já ia te chamar de fofo quando percebi que o que você queria era para benefício próprio — Fala Dean com lágrimas falsas, ele acha mesmo que pode levar a melhor na situação.

— Hahaha, desculpe, não pensei por esse lado — Responde Dan meio envergonhado.

Ambos começaram a rir juntos, sentados em frente a escola. Juntos percebiam todos os alunos entrando e saindo dos portões da escola, também ouviam os gritos de Jim no meio das pessoas pedindo para que se apressassem, pois o evento estava para começar.

Rapidamente se organizaram e foram em direção a quadra da escola, local onde ocorria a formatura dos alunos. Ambos sentaram-se na arquibancada, esperando pela chamada para se formarem. Pelo visto todos os alunos formados teriam que fazer um pequeno “discurso de despedida” para, como o nome diz, fazerem uma despedida do ensino médio para a universidade, patamares maiores nunca imaginados por qualquer um.

— Dan Blanchard, por favor, apresente-se — Informa um dos organizadores do evento pelo microfone.

— Já volto Dean, não se preocupe — Fala Dan beijando a testa de Dean, deixando a arquibancada. Cada vez que mais se aproximava do local, mas Dan sentia um frio.

— Me lembra aquela noite, em que estávamos com frio, em que deitamos sobre a calçada gelada, a noite que fizemos a nossa promessa. Lembrar daquilo é tão nostálgico, de como aquela noite ficou tão quente de repente, só por ele estar por perto — Fala Dan olhando para trás e avistando seu amado.

Dean olha sorridente para Dan, esse olhar de Dean atraia Dan, o fazia sentir em obrigação de protegê-lo.

— Por ele — Fala Dan acelerando o passo em direção ao “hall”

— Dan Blanchard, nós de nossa academia sempre consideramos você um de nossos melhores alunos, você sempre se entreteve com todos os outros alunos, não importa a pessoa fosse boa ou ruim, você sempre conquistava a confiança dela, você sempre foi especial, e ainda é para nossa academia, se você quiser alguma vez visitar nossa academia novamente você estará sempre bem vindo — Fala o professor quase chorando de emoção.

— N-Não chore professor, se não eu vou ficar meio constrangido — Fala Dan tentando manter o máximo a calma.

— Desculpe Dan, é que eu odeio esses eventos de despedida. Nós professores sempre formamos laços com tantos alunos, e quando eles tem que se ir, para terem suas próprias vidas, é meio difícil não chorar — Fala o professor enxugando as suas lágrimas em sua manga.

— Mas bem, você gostaria de falar alguma coisa Dan? Para seus colegas, uma mensagem para qualquer pessoa, ou seus professores — Pergunta o professor entregando o microfone a Dan.

No mesmo momento, Dan começou a olhar cada pessoa na arquibancada. Em uma olhada melhor observa sua mãe conversando com os pais de Dean.

— Primeiramente, eu gostaria de agradecer a minha mãe, que pode estar presente aqui hoje — Fala Dan no microfone, apontando para mesma.

— E-Eu? — Pergunta a mãe de Dan escondendo uns doces na bolsa, aliás festa é para pegar doces do aniversariante, ou não é?

— Sim mãe. Bem, eu queria lhe agradecer por sempre estar presente na minha vida, me aceitar do jeito que eu sou, minha sexualidade principalmente, tudo, você sempre me aceitou. Também gostaria de agradecer por sempre lutar por mim, por sempre me ajudar mesmo sem a ajuda do papai, a senhora sempre foi batalhadora em toda essa trajetória, e eu queria muito te agradecê-la — Fala Dan quase deixando escorrer algumas lágrimas pelo seu rosto.

— F-Filho, assim você mata sua mãe, sua mãe é cardíaca, fica ligado — Fala a mãe de Dan envergonhada.

— Eu também gostaria de agradecer a toda a família Laurent — Fala Dan apontando para a mesma.

— Ele conhece a família Laurent? Como ele é amigo deles? – Essas eram as perguntas que ecoavam no local.

— Eu que tenho que agradecer a você, aquele sorvete que você fez para mim ficou estupendo, você não tem noção — Fala Bernard levantando-se na arquibancada.

— Bem, eu quis realmente impressionar o paladar de vocês naquele dia — Fala Dan.

— Isso é humildade, Dan faz o melhor bolo de cenoura de todos — Fala Camille entrando.

— Melhor eu não diria, mas estava realmente bom — Fala Dan.

— Eu adorei a comida naquele dia na mansão, mas oque eu realmente mais gostei foi quando Dan foi brincar comigo com a roupa da Hello Kitty, foi realmente a melhor parte do dia — Fala Charlotte levantando-se da arquibancada.

— Vou brincar com outra fantasia da próxima vez — Fala Dan fazendo uma careta para Charlotte, que fez o mesmo.

Dan olha para o último membro restante da família Laurent pronto para falar.

— Dean, você, eu não sei nem oque dizer. Quando eu te vi entrando na sala eu realmente senti que rolava alguma química entre nós dois, que nós poderíamos ter uma história, e tivemos, ainda temos, mas, passar esse ano inteiro com você foi realmente divertido, foi empolgante, eu nunca namorei, então era legal essa sensação — Fala Dan economizando um pouco de ar.

— E quando os problemas na nossa relação começaram a vir, eu surtei, nunca havia visto isso antes, mas você sempre me confortava, fazíamos promessas e jures de amor, eu me lembro do dia em que eu desmaiei e fui para sua casa, aquele dia foi diferente, quando eu te pedi em namoro, e tudo mais — Fala Dan tentando mudar a posição do rosto, para não manter tanto contato visual com Dean, pois estava envergonhado.

Ao olhar por um segundo para a arquibancada, Dan observa Dean chorando ao fundo, mas não eram lágrimas de tristeza, e sim de alegria, de conforto, de esperança. Dan começou a sentir aquela sensação de novo, a sensação de que ele devia estar lá ao lado de Dean, de seu amado.

Sem menos esperar entregou o microfone nas mãos do professor, comovido pelas palavras de Dan, que agora corria em direção a seu amado. Era como se o tempo estivesse mais rápido, fazendo-os se encontrarem em um piscar de olhos, era um sonho se realizando.

Toda menina sonha em se tornar uma princesa, todo menino sonha ser um super-herói, Dan nunca sonhou nada. Ao conhecer Dean novos horizontes se abriram para Dan, sonhos se formando em sua mente pequena, porém ampla de conhecimento, desejos que havia de cumprir.

A plateia olhava para Dan se jogar nos braços de Dean e demonstrar todo seu amor em um único beijo, muitos ali presentes achavam um ato horroroso, assim como muitos apenas o invejavam, mas Dan era inatingível em relação a opinião dos outros, ele sabe oque é melhor para ele próprio, e ele não precisava de ajuda para descobrir isso.

— É como nascer de novo — Fala Dan abraçado as costas de Dean, era um momento de paz para ambos, de conforto após tudo que passaram... Era mágico sentir isso.

Começaram a se ecoar o som de palmas pela quadra, ao olharem, veem as pessoas que tanto os ajudaram a ecoar o amor pelos outros, mostrando como era quase impossível se ver amor assim hoje em dia, um amor sem brigas ou discussões, um amora apenas cheio de paixão, confiança, e principalmente cooperação. AA cooperação necessária para enfrentarem todas as situações.

— É engraçado , não é Dean? — Pergunta Dan abraçado a Dean.

— Oque? — Pergunta Dean.

— Ver todos ao nosso lado — Responde Dan enxugando as lágrimas do rosto de Dean.

— Você tem razão — Responde Dean passando as mãos pelos cabelos de Dan, descendo em seguida para seu pescoço.

— É lindo te ver feliz de novo — Fala Dan se deitando sobre o peitoral de Dean.

Em um piscar de olhos, Dan cai num sono profundo. Era lindo ver aquele rosto ao se acordar todas as manhãs, pensava Dean.

Depois de um pouco mais de duas horas de evento é trinta minutos de carro, o casal finalmente chega em casa, adentrando seu quarto desacordado, levado pelos braços de Dean.

— Eu perdi aquela parte que todos jogam as chapéis ao se formarem, não é Dean? — Pergunta Dan abrindo os olhos de leve depois do profundo sono de poucas horas.

— É, mas não se preocupa, todos desejaram um Feliz Natal para você — Responde Dean alisando os cabelos de Dan.

— Disseram algo sobre o acampamento de férias? — Pergunta Dan quase caindo novamente no sono.

— Sim, disseram que teria início após o Natal — Responde Dean se deitando ao lado de Dan.

— Que bom — Fala Dan caindo no sono, agora foi de vez.

— Você é um preguiçoso Dan, você deveria ser mais alegre, mas se bem, que eu também estou com um pouco de sono — Fala Dean se cobrindo e cobrindo Dan.

— Boa noite Dan — Fala Dean beijando a testa de Dan e fechando os olhos de sono.

Sem perceber, Dean deixa a porta do quarto escancarada, fazendo assim os pais olharem o quarto.

— Olha que fofos, eles já dormem juntinhos — Fala Camille de beira na porta.

— Mamãe, o irmão dorme aqui quando não vem para casa? — Pergunta Charlotte a Camille.

— Provavelmente é, não é amor? — Pergunta Camille a Bernard, que os observava de banda na porta.

— Sim — Responde Bernard.

— Eles já pagaram no sono? Eles são uns anjinhos mesmo — Fala a mãe de Dan subindo as escadas, vendo a família Laurent inteira de banda na porta do quarto do seu filho.

— Então ele realmente dorme aqui quando não está em casa? — Pergunta Camille virando-se e olhando a mãe de Dan se aproximando.

— Sim, aliás, já está anoitecendo, vocês não gostariam de ficar aqui essa noite? Eu estou fazendo um incrível ensopado de galinha, vocês também podem passar a noite aqui se quiserem, temos um quarto de hóspedes.

— Desculpe, mas eu vou estar meio ocupado hoje... — Fala Bernard se calando ao sentir uma dor imensurável direcionada aos seus pés por Camille.

— Nós adoraríamos passar uma noite aqui, obrigada pelo convite — Fala Camille aceitando o pedido da mãe de Dan.

— Ótimo, vai ser divertido — Fala a mãe de Dan descendo as escadas empolgada para preparar o jantar.

O resto daquela noite foi passada com muita alegria, eu ainda me lembro de Charlotte vestindo minhas roupas, de Camille agradecendo pela comida e de Bernard pedindo para eu lhe fazer uma sobremesa. Mas se tem uma coisa que eu me lembro perfeitamente daquela noite foi Dean, aquele sorriso encantador diante da situação.

Dean é a definição de perfeição para mim, uma pedra preciosa de alto valor, comigo, uma pedra que nem custo possui, é surpreendente como ele foi tão bem esculpido por Deus no seu processo de criação da humanidade. Eu devo provavelmente ser a terra que cercava aquela preciosa pedra.

É bom as vezes ser chamado de útil quando você nunca é elogiado na vida, principalmente pelo seu pai, somente por sua mãe, ele nunca esteve presente como ela esteve, se eu o encontrar algum dia eu juro que eu vou, que eu vou... Eu não sei, eu vou cair, como eu sempre fiz.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...