História O Aclamado Aroma do Seu Sangue (Baekhyun - EXO) Long Fanfic - Capítulo 62


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, Girls' Generation, Huang Zitao "Z.Tao", Kris Wu, Lu Han, Red Velvet, SHINee, Super Junior
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Choi Siwon, D.O, Huang Zitao "Z.Tao", Irene, Kai, Kim Heechul, Kris Wu, Lay, Lee Donghae, Lu Han, Minho Choi, Park Jungsu, Personagens Originais, Sehun, Suho, Taemin Lee, Taeyeon, Xiumin, Yesung
Tags Almas Gêmeas, Amor, Baekhyun, Baekhyun Hentai, Baekhyun!vampiro, Bruxas, Byun Baekhyun, Caçadores De Vampiros, Chanyeol, Chen, Donghae, Drama, Exo, Exo Vampiros, Heechul, Hentai, Hibridos, Hot, Imagine Baekhyun, Imagine Exo, Irene, Kai, Kris, Kyungsoo, Lay, Leeteuk, Lobisomem, Luhan, Magia, Minho, Romance, Romance Sobrenatural, Sangue, Sehun, Siwon, Suho, Super Junior, Taemin, Taeyeon, Tortura, Vampiros, Xiumin, Yesung, Zitao
Visualizações 521
Palavras 1.610
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


O começo do fim...

Boa Leitura ! 🐈💘

Capítulo 62 - EXO - A Descoberta da Verdade


Fanfic / Fanfiction O Aclamado Aroma do Seu Sangue (Baekhyun - EXO) Long Fanfic - Capítulo 62 - EXO - A Descoberta da Verdade

SEHUN:

Depois de toda essa tenção que estamos vivendo desde que Kasper resolveu aparecer do além e contar para a sociedade sobre nós, eu precisava de um pouco de sossego. Não só eu, mas eu aposto que todos nós precisávamos e queríamos isso. 

A casa do EXO não está mais como antes, e eu não digo isso pelo fato de meus irmãos terem agora almas gêmeas, mas sim pelo fato que estavam todos nervosos e tensos. Não queríamos demonstrar, entretanto todos nós tínhamos medo de sermos mortos.

Suho havia nos dito que encontrou sua alma gêmea e que ela era irmã da destinada do D.O. e para as coisas ficarem ainda piores, elas são caçadoras de vampiros, ou seja, inimigas.

Destino está de parabéns... merece palmas...

Iria ver como está o centro da cidade, ver se as pessoas estão aterrorizadas por saber sobre os vampiros, ou se estão tranquilas sem dar grande relevância à isso. Faz certo tempo que não vou para lá, as coisas parecem calmas demais e isso com muita certeza não é bom.

Coloco minhas roupas pretas, como sempre. Era raríssimo usar cores mais claras, odiava completamente. Pego minha jaqueta de couro e desço as escadas, logo observando que Kai ainda estava um pouco machucado devido aos acontecimentos que eu havia presenciado a algumas horas atrás. Presenciei tudo mas nem se quer me importei, eles iriam se resolver, sempre se resolviam. 

Saio sem me importar muito, já que o mesmo estava com Elcy. Eu não gostava muito de me aproximar de meus irmãos quando estavam com as almas gêmeas deles. Motivo? Não sei exatamente, mas creio que é um momento de amor, que ambos devem ficar sozinhos. Não me agrada o fato de interromper e também devo admitir, é meloso demais, eu não gosto muito disso.

Isso me coloca uma dúvida... 

Eu seria carinhoso com minha alma gêmea? Como seria se eu a encontrasse? 

Não iria de carro até a cidade. Simplesmente eu não estava afim de dirigir, queria correr um pouco, porém por conta do risco que estávamos tendo, teria que tomar muito mais cuidado do que antes, e isso me dá um tédio.

Caramba... agora não podemos fazer mais nada, que droga. Revirei os olhos ao pensar nisso. Tudo tinha um empecilho.

Começo a correr e logo já estava no centro da cidade e me surpreendi com que eu estava vendo. Como eu disse antes, o silêncio é um perigo. E eu estava completamente certo, porém não queria estar.

Kasper estava sendo amarrado e continha em seu corpo vários cortes profundos, onde mostrava o vermelho da carne ensanguentada e exposta. Enquanto isso, ao seu redor havia centenas de pessoas que estavam observando tudo, algumas aterrorizadas, contudo outras tranquilas. Tinha políciais envolta, apontando suas armas para Kasper. Ele iria morrer e eu e meus irmãos iriamos ficar aliviados por isso, já que era ele que colocava os humanos conta nós.

Mas por que os humanos estavam fazendo isso sendo que é ele que passa as informações de como nos matar?

“Ele é um vampiro, merece morrer assim como os outros. Vamos aniquilá-los”. Um homem no meio da multidão gritou, fazendo outros apoiarem a decisão. 

Isso me deixava preocupado. Se os humanos estão matando até mesmo o vampiro que disse que iria ajudá-los em matar outros vampiros, imagina o resto dos seres sobrenaturais? A sociedade estava começando a entrar em guerra contra nós, estava completamente nítido. Como vamos lutar com milhões de pessoas que estão nos odiando e estão repletas de armas de fogo?

Me aproximo mais, entrando um pouco no meio da aglomeração de pessoas, afinal não poderia levantar suspeitas, teria que agir como qualquer outro que ali estava, demostrar que eu também era humano e que estava ali por conta da curiosidade, assim como eles.

De repente notei algo que me deixou mais preocupado ainda. No lado esquerdo, havia seis corpos de vampiros mortos, como eu sabia disso? Por causa do sangue fervente que estava derramado no chão. Eles haviam sido queimados e pela a cor brilhante deve ter acontecido a pouco tempo.

“Vamos matar você, quais são as suas últimas palavras?”. Um policial gritou a Kasper. O mesmo logo observou a multidão, prestes a dizer suas últimas palavras antes de sua morte e então algo aconteceu que eu não imaginava. Ele fixou seu olhar em mim.

Ah não, droga...

Tinha me reconhecido. Devagar comecei a me afastar, saindo do meio das pessoas, passo por passo, sem chamar a atenção. Se eu agisse como se estivesse desesperado, todos iriam estranhar e com certeza na mesma hora pensar que sou um vampiro. Eu tinha que ter calma e ser cauteloso. 

Reconhecendo bem o Kasper, ele poderia morrer, mas iria me levar junto. 

“Todos vocês irão saber de algo que vão deixá-los chocados. Acha que estão sozinhos aqui? Acham que no meio de vocês não tem vampiros disfarçados? Idiotas é o que define vocês. Pobre humanos... são tão burros ao ponto de me matar, o vampiro aliado de vocês que está passando as informações para vocês. Seus tolos. Sabem o EXO? Conhecido por toda a cidade, sendo contratados até mesmo pela empresa rica da cidade, para ser propaganda? Eles são uma farça. Nunca suspeitaram o motivo de todos serem tão lindos ou ter todas as garotas aos seus pés? Todos do EXO são vampiros”. Afirmou alto. 

Na mesma hora fiquei apavorado, teria que sair com meus irmãos da cidade ainda hoje, caso ao contrário, não teríamos como depois. A polícia iria bater na porta de nossa casa prontos para nos matar e isso seria ainda está noite.

Não era mentira que praticamente a cidade toda nos conhecia. E agora, vai surgir até gente do quinto dos infernos para nos matar.

“Então era por isso que eles sempre foram tão lindos, tão amedrontadores. Aqueles olhares que parecia realmente nos hipnotizar”. Uma garota próximo a mim exclama. Tento abaixar um pouco a cabeça, para ninguém perceber que eu estava ali e então dou mais passos para trás, mas ainda faltava um pouco para sair da multidão.

“E sabem o mais interessante? Um deles está aqui presente hoje, observando minha morte, uma coisa que aposto que ele sempre quis, ainda mais ultimamente. O mesmo está vendo vocês, tentando saber qual é a próxima vítima que irá saciar seu desejo por sangue... a próxima pessoa que irá matar. Conhecem o Sehun? Ele está no meio de vocês, procurem seus idiotas”. Gritou e todas as pessoas e policiais já estavam olhando ao seu redor, alguns espantados e com medo, afinal os humanos só matariam os vampiros por causa do medo que tinha por nós.

Estava quase saindo da aglomeração de pessoas, quando um homem segura meu braço. Na mesma hora o olho mortalmente.

Inferno... eu estou ferrado.

“É ELE!”. Exclamou e praticamente todos viraram a atenção para mim. Me separo rapidamente do homem que me segurava com força, o empurrando fazendo ele cair no chão e saio dali o mais rápido possível. Tiros foram sendo distribuídos pelos políciais, fazendo com que as pessoas corressem e virasse uma completa confusão. Algumas estavam sendo pisoteadas e outras empurradas, todos com medo de morrer.

Um dos tiros acertou minhas costas, fazendo com que eu caísse no chão. Um polícial veio até mim e antes que pudesse dar outro tiro, acabo por levantar rapidamente, mesmo com a dor nas costas e quebrar seu pescoço. Mais um policial se aproximou e dei um soco no rosto dele fazendo o mesmo cair no chão. Até que recebo outro tiro de outro policial.

Céus... quando foi que surgiu tantos policiais assim?

Corro, saindo daquele tumulto, e entrando em um beco, cujo qual estava escuro. Pude perceber que alguma coisa, mas especificamente uma pessoa, estava deitada no chão, atrás da lixeira daquela rua escura. Devia ser algum mendigo ou para minha surpresa, outro policial me esperando a espreita.

A dor em minhas costas estava grande, as balas que me atingiram não era comum, continha alguma coisa diferente que queimava, ou melhor dizendo, corroía a carne de minhas costas. Nitidamente eles colocaram ácido. Os humanos podiam se tornar mais torturantes do que os vampiros e depois ainda falavam de nós. No fim, eles são piores. 

Assim que me aproximo mais um pouco, sinto um cheiro de sangue delicioso, que me fez no mesmo momento meus olhos ficarem um vermelho vivo. Era maravilhoso, completamente doce. Com certeza aquilo não era um mendigo. Algum humano estava sangrando ali machucado, provavelmente por causa dessa confusão de segundos atrás.

Eu não iria aguentar, precisava beber aquele sangue, meu corpo necessitava por isso, e eu também precisava me curar. Não costumava beber tanto sangue humano, curtia mais bolsas, mas aquele sangue... me deixou no céu, fez eu desejar mais que tudo na vida.

Sei que deveria ir embora urgente e avisar meus irmãos, mas meu instinto foi maior. Ele estava gritando por sangue. Minhas presas cresceram em minha boca rapidamente, minha gengiva dolorida.

Me aproximo mais ainda, meu corpo indo sem controle até o cheiro e então vejo uma garota, deitada, com uma faca em seu peito. Era uma faca enorme. Ela estava com lágrimas escorrendo de seus olhos, soluçando baixinho, e sangue tinha se espalhado ao seu redor. As roupas estavam manchadas completamente.

Então olho em seus olhos e noto que estavam vermelhos. Ela não era humana como eu havia pensado antes, e sim uma vampira. Ela me olha e então estremeço.

Ah não...

Justo agora não...

Ela era minha alma gêmea. A encontrei em um momento em que eu nem imaginava que poderia acontecer.

Deus... o que esse destino havia planejado para nossas vidas? Espero que não seja desgraças, porque disso já estou farto e amostra grátis, é o que não me falta. 


Notas Finais


Eu não iria terminar nessa parte, mas resolvi deixar uma tensão maior no capítulo, não só nesse, mas nos outros que virão futuramente também.

O que acham que podem acontecer agora? Dêem a teoria de vocês, eu adoro ler e ficar a par do que meus leitores pensam e acham.

Obrigada aos favoritos e aos comentários. Vamos crescendo juntos, sempre! Espero que tenham gostado. Até a próxima atualização. 🐈💘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...