História O Acompanhante. Clace ( katnic) - Capítulo 39


Escrita por:

Postado
Categorias Dominic Sherwood, Katherine McNamara, Shadowhunters
Personagens Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland)
Tags Clace, Dominic Sherwood, Katherine Mcnamara, Katnic, Romance, Shadowhunters
Visualizações 59
Palavras 1.371
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 39 - Capítulo 38 : Aposta ...


— Eu não quis dizer uma aposta de verdade. — eu falei, nervosa.

Jacesorriu.

— Eu quis.

 

Eu zombei.

— Sério? Você realmente lembra o que aconteceu da última

 

vez que fez uma aposta, não é?

 

Jace riu e se afastou de mim.

— Sim, eu ganhei a dita aposta. Eu afundei minhas bolas na sua doçura se bem me lembro.

 

Os punhos dos outros colidiram com o dele, o que fez com que eu balançasse a minha cabeça. Por que os homens sentem a necessidade de felicitar o outro sobre transar com outra pessoa?

 

Revirei os olhos.

— E o que aconteceu depois disso?

 

Jace franziu a testa. — Inferno.

 

— Exatamente. Coisas ruins acontecem para nós quando as apostas estão envolvidas.

 

Jace me dispensou.

— Nós não estamos apostando sua boce...

 

Eu coloquei meus punhos para cima, indicando que seriam jogados para baixo se ele disse aquela palavra.

 

Jace parou de falar no meio da palavra para rir da minha reação.

 

— Suas partes íntimas não são o grande prêmio desta vez. — ele piscou.

— Eu estava pensando mais ao longo das linhas de suas habilidades culinárias. Como isso soa? Se eu e os outros carregarmos o nosso lado do caminhão, primeiro, então eu ganho e você faz o jantar por um mês em nossa nova casa.

 

Eu fiquei hesitante.

 

Eu gostava de cozinhar, mas só porque Jace e eu nos revezávamos quando se tratava da cozinha, então eu não tinha certeza se aceitar a aposta era a coisa certa a fazer.

 

Valia a pena o risco?

 

Olhei por cima do meu ombro, quando senti um puxão afiado nas minhas costas.

 

Virei-me e cruzei os braços sobre o meu peito enquanto verificava seminhas companheiras aceitavam a aposta. Todas as três eram baixas.

 

Eu suspirei.

— Eles são maiores e mais fortes do que nós.

 

Lydia bufou então fez sinal para eu chegar mais perto com o dedo indicador.

 

Quando aproximei ela sussurrou:

— Por favor, força e massa corporalnão têm nada a ver com isso quando eles estão distraídos. Sebastian é lento pra caralho quando se trata de limpar quando eu estou na sala, ele não consegue tirar os olhos, ou as mãos, de cima da minha bunda. Eu posso embalar perfeitamente bem, enquanto ele ficará lento. Vou torná-lo inútil para Jace.

 

Izzy estalou os dedos.

— Oh meu Deus, eu tenho uma ideia.

 

Anjos começaram a cantar dos Céus com a declaração do Izzy.

 

— Há uma primeira vez para tudo. — eu dei de ombros.

 

Izzy me empurrou e isso fez com que eu e as meninas ríssemos.

 

— Vá em frente então, ilumine-me com o seu plano.

 

Izzy sorriu. — Aceite a aposta, então usamos nossos corpos para noscertificar de que a única coisa dura estará na cueca dos rapazes.

 

Isso... isso realmente tinha promessa.

 

— Eu amo isso. — Lydia sorriu e bateu os punhos com Izzy.

 

Eu levantei minha sobrancelha e sorri.

— Eu nunca pensei que diria isso, mas bem pensado.

 

Izzy colidiu os punhos comigo.

— Eu sou muito mais do que um rosto bonito com grandes tetas.

 

Eu bufei, então quando virei com um sorriso no rosto para Jace e outros, encontrei-os olhando nosso grupo desconfiados.

 

— Eu aceito a sua aposta, mas eu quero um prêmio diferente se eu ganhar.

 

Sebastian se adiantou e empurrou Jace.

— Não concorde com tudo o que ela disser.

 

— O que? Por quê? — Jace perguntou, com cautela.

 

— Olhe para elas. — Sebastian falou e encarou cada menina. — Elas estão aprontando alguma coisa, eu posso sentir isso em meus ossos.

 

Jace estreitou os olhos e olhou para cada uma de nós.

— Ele está certo, vocês  estão aprontando alguma coisa.

 

Fingi inocência e bati meus cílios.

— Eu não tenho nenhuma ideia do que vocês estão falando.

 

— Seus lindos olhos verdes não nos enganam, Clary — Simon olhou. —Somos experientes, enxergamos além das mentiras femininas.

 

— Rá! — Lydia e Izzy disseram em uníssono, em seguida,

 

explodiram em risos.Simon engoliu nervosamente e parecia inseguro de si mesmo.

— Bem... na maioria das vezes enxergamos.

 

Alec bateu no ombro dele tranquilizando e encarouseu fruto proibido.

— Não se associe com o que as elas estão planejando, Izzy

 

— Eu não sonharia com isso, bonitão.

 

Rá!

 

Simon estalou os dedos em Izzy.

— Meu medidor de mentira está fora da jogada.

 

Izzy não respondeu e Simon pareceu perdido diante da sua falta de retaliação.

 

— Por que você não está me xingando ou me dando um fora? — ele perguntou com cautela.

 

Izzy bocejou.

— Porque eu estou poupando energia para ajudar Clary a ganhar esta aposta. Eu posso discutir com você mais tarde.

 

— Isso é uma promessa? — Simon perguntou, sorrindo.

 

Izzy sorriu.

— Veremos.

 

A tensão sexual repentina no quarto podia ser cortada com um pênis ereto.

 

Eu tremi.

— Parem de flertar. Eu me sinto suja apenas parada entre vocês dois!

 

Jace estalou os dentes para mim.

— Eu vou te limpar muito bem, Ruivinha.

 

Eu balancei as minhas sobrancelhas.

— Ou me deixar mais suja.

 

O sorriso de Jace nunca vacilou e eu encontrei-me movendo em direção a ele, até que um beliscão no meu traseiro me fez gritar de dor. Peguei minha bunda com as minhas duas mãos e virei.

 

Eu olhei imediatamente para Izzy.

 

— ai! — eu rebati.

 

Izzy deu de ombros.

— Transe com os olhos depois, temos uma aposta para ganhar.

 

Eu segurei minha língua enquanto olhava para ela e virei.

 

— Eu aceito a aposta que propõe Playboy, mas você aceitará um prêmio diferente para mim se eu ganhar?

 

Todos os eles cruzaram os braços sobre o peito, em uníssono e isso me fez sorrir.

 

Eles eram tão diferentes, mas tão iguais ao mesmo tempo.

 

— Qual é o prêmio se você ganhar? — Jace perguntou.

 

Mordi o lábio inferior, em seguida, liberei e disse:

— Você tem que nos dar um strip-tease a qualquer hora, à minha escolha.

 

—Uhuhu!

 

Ignorei os aplausos de Izzy, a encarada de Simon para ela, as expressões divertidas dos outros e uma horrorizada de Jace.

 

— Você quer que eu faça o que? — Jace questionou, parecendo que tinha algo preso na garganta.

 

Eu sorri.

— Dar para mim e para as meninas um strip-tease.

 

Jace cerrou o maxilar.

— Clary Fray!.

 

Ele estava bravo.

 

Eu continuei a sorrir.

— Sebastian me disse que você já fez isso antes, nos seus dias de acompanhante. Ele disse que você usava um chapéu, uma voz e uma gravata.

 

— Ai! — Sebastian gritou quando Jace virou-se e deu um soco em seu braço.

 

— Ei, sem violência. Se eu não estou autorizada a bater nas pessoas, vocês também não estão. — afirmou Lydia atrás de mim.

Sebastian bufou e esfregou o braço enquanto Jace se virou na minha direção e dobrou os braços sobre o peito de novo.

 

— Escolha algo diferente...

 

— Não. — eu interrompi Jace — Essas são as condições para a minha aposta.

 

O olho de Jace se contraiu em aborrecimento.

 

Eu sorri para ele, e depois de um minuto de encarada intensa Simon ficou irritado.

 

— Basta aceitar as malditas condições, teremos a nossa parte do caminhão carregada muito antes das princesas ainda terem o lado delas cheio pela metade.


Princesas?

Ah cara, coisa errada a dizer.

 

— Você acabou de me chamar de princesa? Escuta aqui,seu...

 

— opa! — a voz de Lydia estalou. — Respirações profundas. Bom, grandes, respirações profundas. Você não precisa bater nele, você não quer bater nele.

 

Izzy rosnou.

— Eu realmente quero.

 

Olhei para baixo e tentei não rir ao ver Lydia convencer alguém a não machucar outra pessoa. Essa era a definição de ironia, se eu já vi alguma.

 

— O tempo está sendo desperdiçado. — eu cantei — Você aceita ou não a aposta, Jace?

 

Jace bufou.

— Sim, eu aceito e quando eu ganhar, cozinhará jantares completos para mim, todos os dias, durante um mês inteiro, Ruivinha.

 

Sim, nós veremos isso.

 

— Que as chances estejam a seu favor! — Izzy falou e curvou-se para os rapazes.

 

Todos os quatro olharam para ela.

 

— O que é isso, Jogos de Empacotamento? Quatro homens contra três mulheres, a primeira equipe a embalar o seu lado do caminhão com caixas sobrevive? — Jace perguntou, seu tom provocativo.

 

Lydia sorriu diabolicamente.

— É exatamente isso o que será.

 

Todos os quatro  encararam Lygia então olharam para mim. Eu sorri e eles olharam um para o outro e engoliram. Os rapazes estavam nervosos porque eles não sabiam no que estavam se metendo.

 

Eles devem ficar nervosos.

 

Eu gargalhei interiormente como a bruxa má que eu era.


Nós íamos destruí-los.


Notas Finais


Clary sapeca vai aprontar 😂😂😂


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...