História O Acompanhante. Clace ( katnic) - Capítulo 41


Escrita por:

Postado
Categorias Dominic Sherwood, Katherine McNamara, Shadowhunters
Personagens Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland)
Tags Clace, Dominic Sherwood, Katherine Mcnamara, Katnic, Romance, Shadowhunters
Visualizações 65
Palavras 1.669
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 41 - Capítulo 40: Você me trapaceou...


— Sim, lindo? — eu gritei docemente quando eu pisei dentro do meu domínio.

 

Eu olhei para a minha direita quando Jace invadiu o corredor segurando suas orelhas. Olhei por ele e vi Sebastian prendendo Lydia na minha cama com um braço enquanto usava o outro para fazer cócegas.

 

Pobre moça, ela estava tomando um para a equipe.

 

— Você não vem com 'Sim, lindo' para cima de mim! — Jace rosnou quando parou na minha frente.

— Você me trapaceou...

 

— Eu não te trapaceei em nada, você abandonou o seu posto, então ositens do banheiro foram justos. — eu interrompi Jace e passei por ele quandoentrei na cozinha.Alec e Maguns estavam lá dentro. Ela estava de quatro limpando meus armários inferiores, e Simon estava atrás deles apenas assistindo. Pela aparência

 

das coisas ele queria fazer qualquer coisa, exceto empacotar naquele momento. Esqueci-me de Alec e Maguns quando meu amor agarrou meu braço e me virou para encará-lo. Eu segurei os braços de Jace para que eu não caísse, porque eu fiquei um pouco tonta com o movimento repentino.

 

Jace olhou para mim.

— Você jogou Lydia em cima de mim para que você pudesse contrabandear minhas caixas para fora do apartamento!

 

Contrabandear. Rá!

 

— Ah, supere isso bebezão. — eu disse e ri.

 

Jace continuou a olhar para mim quando disse:

— Tudo bem.

 

Eu suspirei.

— Tudo bem.

 

— Tudo bem.

 

Jace se virou e saiu da cozinha enquanto eu o assistia sair com um sorriso no meu rosto.

 

Ele era muito fácil de distrair.

 

— Problemas no paraíso?

 

Virei-me para enfrentar Simon, que falou comigo.

 

Eu balancei minha cabeça.

— Não.

 

Eu sorri e comecei a trabalhar, fechando e escrevendo meu nome nas caixas, então, anotando o conteúdo, porque eu esqueci de fazer isso enquanto elas estavam no chão. Chamei Izzy e Lydia e cada uma de nós carregou uma caixa até a van de mudança. Nós colocamos as caixas do meu

 

lado, o que resultou um total de seis.

 

Quando estávamos fora da van e de pé no caminho eu virei para as meninas.

 

— Relatório da situação?

 

Lydia sorriu.

— Nós temos a cozinha e o banheiro prontos. Estou

 

quase terminando com o quarto .

 

Olhei para o lado vazio da van de Jace e olhei para trás para as meninas.

— Bem... o plano está dando certo, eles não têm uma única caixa embalada ainda.

 

Demos todas um high-five e rimos quando entramos no prédio e voltamos para o meu apartamento. Cortamos o riso e permanecemos em silêncio quando entramos no meu prédio. Eu congelei um pouco quando entrei na cozinha e encontrei todos os rapazes sentados e olhando para nós.

 

Cada uma de nós.

 

Merda.

 

— O que há com vocês todos? — perguntei.

 

Jace rosnou para mim:

— Como se você não soubesse.

 

Ah, merda.

 

— Eu não tenho nenhuma ideia. — eu disse, fingindo inocência.

 

Sebastian zombou.

— Corte o papo furado, sabemos de vocês três.

 

Nós meninas trocamos um olhar, em seguida, em uníssono, dissemos:

—O que fizemos?

 

— Aquilo foi assustador. — Alec murmurou.

 

Maguns ignorou Alec e disse:

— Vocês estão seduzindo ele

 

Todos nós viramos nossos pescoços.

 

— Isso é ridículo. — eu disse, acenando para o Magnus

 

— Não. — Sebastian rosnou — Não é. Eu te conheço Lydia Você está constantemente me tocando, curvando-se diante de mim e chamando tantaatenção para a sua bunda e corpo quanto possível. Você sabe muito bem o que você está fazendo comigo.

 

Lydia permaneceu em silêncio, assim como o resto de nós.

 

— Você me seduziu no banheiro, Clary — Jace sussurrou para mim. —Então você roubou minhas caixas de direito por debaixo de mim.

 

Eu queria rir, então eu abaixei a cabeça e olhei para o chão para evitar fazer isso. Olhei para Simon, quando ele cruzou os braços sobre o peito e olhou para Izzy.

 

— Você roçou sua bunda contra mim cinco vezes. Cinco. Vezes.

 

Eu levantei a minha mão para a boca e cobri quando uma risadinha escapou.

 

— Você acha que isso é engraçado! — Simon berrou. — Meu pau está tão duro por você Izzy, e você estava toda “Pare com isso, temos que embalar caixas”.

 

Eu estourei em gargalhadas com a imitação , e assim fez as  meninas.

 

— Vocês são surreais! — Sebastian gritou sobre o nosso riso.

 

Eu não conseguia parar de rir, nem mesmo quando Jace atirou-se emmim e começou a entrar no meu espaço pessoal.

 

— Este jogo que vocês estão jogando para agora. — ele rosnou para mim.

 

Eu olhei para ele, e sorri.

— Que jogo?

 

— Não finja que não sabe do que estamos falando, nós entendemos o que vocês quatro estão fazendo.

 

Inclinei a cabeça para o lado.

— Que é o que?

 

Nós discutiríamos por causa disso, eu tinha essa sensação.

 

— Vocês estão usando seus corpos para nos distrair, para que vocês possam embalar e nós não. — Jace afirmou.

 

Meu lábio torceu.

— Não, não estamos.

 

— Mentirosa. — Jace assobiou.

 

Os quatro rapazes em seguida se moveram para as várias caixas que estavam empilhadas na porta. Eu fiz uma careta, e inclinei para olhar para eles. Contei oito e o nome de Jace estava em todas elas.

 

— Quando foi que você fez isso? — perguntei.

 

Jace sorriu.

— Vocês  levaram 10 minutos para levar as suas caixaspara baixo. Quando percebemos o que estavam fazendo conosco e porquê, nosarticulamos e aceleramos o empacotamento. E funcionou, como você pode ver.

 

Cada rapaz pegou duas caixas e saiu do apartamento, sem olhar para nós enquanto caminhavam. Eu girei para enfrentar as meninas.

 

— O que diabos vamos fazer? Eles embalaram toda a porra da sala de estar!

 

Lydia suspirou.

— Relaxe, ainda temos o quarto.

 

Nós quatro nos viramos e caminhamos até o meu quarto. Eu liderei o caminho e abri a porta, em seguida, engasguei quando entrei no quarto e encontrei cinco caixas empilhadas ao lado da porta. Tudo no quarto estava vazio.

 

— Como diabos eles empacotaram assim tão rápido? — Izzy estalou.

 

Olhei para atacar quem estava deitado na minha cama e soltei um gemido.

— Por que você não os deteve?

 

— Porque ele é um gordo preguiçoso...

 

— Agora não, Izzy! — eu interrompi com um rosnado.

 

Ela resmungou e cruzou os braços sobre o peito.

— Ele está na equipedeles, lembra? Ele está contra nós, assim como aqueles quatro  lá em baixo.

 

Eu concordei com ela enquanto olhava ao redor do meu quarto.

 

— Eu vou ficar presa cozinhando por um mês inteiro! — eu gemi.

 

Isso era besteira.

 

— Jace é um merda. Ele e Sebastian, e suas malditas apostas estúpidas. — Lydia bufou.

 

Eu concordei com isso de todo o coração.

 

— E se nós apenas roubássemos essas caixas? O que Jace pode fazer? —izzy perguntou.

 

— Ele pode pegar de volta.

 

Todos nós gritamos quando a voz de Jace falou atrás de nós.

 

Riso masculino entrou em erupção, e rosnados do sexo feminino foram soltos.

 

— Não faça isso! — Izzy gritou para Jace. — Você acabou de tirar dez anos da minha vida.

 

Jace parecia satisfeito consigo mesmo, em seguida, acenou com a cabeça para a direita.

— Saia da frente.

 

Eu fiquei parada.

— Nós não podemos, pelo menos, falar sobre isso...

 

— Sem chance. — Jace me cortou.

 

Ele estava sendo tão irracional.

 

— Mas Jace...

 

— Eu disse que não, Clary. — ele me interrompeu novamente.

 

Eu gritei e fechei as mãos em punhos.

 

— Não é justo!

 

Para me tornar a criança que eu estava agindo, tudo o que eu tinha que fazer era uma birra.

 

— Injusto é nos distrair para seu próprio ganho pessoal. — disse Jace quando me afastei com as meninas para que ele e os outros pudessem entrar no quarto.

 

— Você ganhou algo com isso. — eu rebati.

 

Jace ficou tenso quando ele pegou duas caixas.

— Falaremos sobre isso mais tarde.

 

— Você vai ser tão espancada. — Izzy murmurou, fazendo as meninas rirem.

 

O lábio de Jace ergueu quando ele passou por mim, e cada um dos outrow ostentava o seu próprio sorriso maroto conforme o seguiam, carregando as próprias caixas.

 

Homens!

 

Voltei-me para as meninas.

— Agora, o que eu faço? — perguntei.

 

Izzy franziu a testa.

— Pegar o resto das suas coisas e... sair daqui.

 

Meu coração se acalmou e eu dei um passo para trás.

 

Fui à busca de qualquer coisa que eu poderia colocar em uma caixa e colocar como um complemento para nosso lado na van de mudança no andar de baixo, mas eu não consegui encontrar nada. Todas nós meninas estávamos na sala de estar quando os rapazes de repente gritaram e olharam para a porta da frente.

 

Eu dei um passo para frente e pressionei a maçaneta da minha porta, mas não abria. Ela estava trancada, mas não poderia ser, você tinha que trancá-la por dentro...

 

— Oh meu Deus! — engoli em seco e interrompi meus próprios pensamentos.

 

Olhei para cima e para baixo no corredor e engasguei novamente.

 

— O que? — Lydia perguntou.

 

Eu chutei a porta do apartamento.

— Eles nos enganaram. Estamos trancadas.

 

Lydia ficou em silêncio por um segundo antes de explodir em raiva.

—Mentirosos! — ela gritou e bateu na porta do meuapartamento.

 

O riso soou de dentro do meu apartamento.

— Tudo é justo no amor e na guerra, Menina Bonita.

 

Izzy rosnou:

— Quando eu colocar as minhas mãos em você Sebastian você desejará nunca ter nascido.

 

Sebastian riu:

— Eu não estou preocupado.

 

— Você deveria estar! — Lydia berrou.

 

Eu podia ver como Lydia estava louca, Sebastian devia ter ficado com medo.

 

Muito medo.

 

— Sikom, abra a porta! — Izzy pediu educadamente.

 

— Não posso fazer isso, doce. — foi a resposta rápida de Simon.

— Eu sou apenas um homem, não consigo terminar de empacotar com você me seduzindo.

 

— Nenhum de nós pode! — Jace gritou. — Vocês todas se rebaixaram para um novo nível, usando nossos próprios paus contra nós. Vocês deveriam ter vergonha.

 

Eu furiosamente cruzei os braços sobre o peito e olhei pelo o olho mágico da minha porta. Eu tinha a sensação de que estávamos sendo observadas por isso dei o dedo para o olho mágico e mais risadas soaram de dentro.

 

— Sua menina está chateada, mano. — Alec disse, então riu.

 

Izzy rosnou à minha esquerda.

— Você espere, Simom. É só esperar.

Simon uivava de tanto rir.

— O que você vai fazer, gritar comigo? Estou tão apavorado.

 

Izzy sacudiu com raiva, Lydia gritou em aborrecimento, enquanto eu fervia em silêncio.

 


Notas Finais


Próximo capítulo e o antepenúltimo ....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...