1. Spirit Fanfics >
  2. O acordo - Rosekook >
  3. Treze

História O acordo - Rosekook - Capítulo 14


Escrita por:


Capítulo 14 - Treze


Jeon Jungkook

Estou trabalhando na bancada da cozinha esta noite, superfrustrado à medida que leio a redação que Rosé "corrigiu" hoje cedo. 

Ela saiu da minha casa com ordens para refazer o texto, mas é tão difícil. A resposta é simples, droga! Se alguém te manda assassinar milhões de pessoas, você diz "Não, obrigado, vou deixar passar".

Só que, pelos critérios estabelecidos nessa porcaria de teoria, há prós e contras em ambos os lados, e não consigo dar conta disso. Acho que sou péssimo em me colocar no lugar de outra pessoa, e isso é um tanto desanimador. 

-  Pergunta 

Anuncio, enquanto Namjoon caminha até a cozinha

-  Resposta - devolve ele, na mesma hora

-  Não fiz a pergunta ainda, idiota

Sorrindo, ele lava as mãos na pia e amarra um avental rosa-choque na cintura. A aberração cheia de babados foi um presente de aniversário que Jimin, Taehyung e eu demos a ele de brincadeira, dizendo que se ia ser a mãe da casa, deveria se vestir para o papel. Namjoon rebateu insistindo que ele é macho o suficiente para dar conta de qualquer peça de roupa que colocarmos na frente dele e agora usa o maldito avental como um distintivo de honra masculina. 

-  Tudo bem, vou responder - diz, a caminho da geladeira - Qual é a pergunta?

-  Certo, você é um nazista...

-  Nazista o caralho - exclama ele

-  Deixa eu terminar, tá legal? Você é um nazista, e Hitler acabou de mandar você fazer uma coisa que vai contra tudo o que acredita. Você diz 'Legal, chefe, vou matar todas essas pessoas para você' ou diz 'Vá se ferrar', correndo risco de morrer?

-  Mando ele se ferrar - Namjoon faz uma pausa - Na verdade, não. Meto uma bala na cabeça dele. Problema resolvido!

Solto um suspiro

-  Exatamente, né? Mas esse babaca aqui... - aponto para o livro na bancada - acredita que o governo existe por uma razão, e os cidadãos precisam confiar em seu líder e obedecer às suas ordens para o bem da sociedade. Portanto, em teoria, existe um argumento a favor do genocídio.

Namjoon tira uma bandeja de coxas de frango do congelador

-  Besteira

-  Não estou dizendo que concordo com essa linha de raciocínio, mas tenho que argumentar segundo o ponto de vista desse cara - frustrado, corro a mão pelo couro cabeludo - Odeio essa aula, cara! 

Nam desembrulha a bandeja e a coloca no micro-ondas.

-  A segunda chamada é sexta-feira, né?

-  É - respondo, com tristeza. 

Ele hesita

-  Você vai jogar contra o Eastwood?

Eu me alegro por um instante, porque hoje de manhã recebi a confirmação oficial do treinador de que definitivamente estarei no rinque na sexta-feira. Aparentemente, as notas só vão ser computadas na próxima segunda-feira, por isso, no momento, minha média ainda é o que precisa ser.  Na segunda-feira, se minha nota em ética for cinco ou menos, vou ficar no banco até contornar as coisas. 

No banco. Puta merda. 

Só de pensar fico enjoado. Tudo o que quero é ganhar o Frozen Four para o meu time de novo e virar profissional. Melhor, quero estourar como profissional. 

Quero provar a todos que cheguei lá por mérito próprio e não porque por acaso sou filho de um jogador de hóquei famoso. É tudo o que sempre quis, e fico doente de saber que meus objetivos, para os quais me dediquei tanto, estão em perigo por causa de uma matéria idiota.

-  O treinador disse sim - digo a ele, que comemora batendo na palma da minha mão com tanta força que chega a arder

-  Assim que eu gosto! - exclama

Jimin entra na cozinha, um cigarro apagado pendurado no canto da boca.

-  Melhor não fumar aqui dentro - adverte Nam - Linda vai acabar com a sua raça

-  Estou indo lá para os fundos - promete Jimin, porque sabe que é melhor não criar problemas com a proprietária da casa - Só queria avisar a vocês que, hoje à noite, Birdie e os caras vão vir assistir ao jogo do Bruins aqui em casa.

Estreito os olhos

-  Que caras? 

Jimin pisca com inocência

-  Você sabe, Birdie, Pierre, Hollis, Niko — se parar de frescura e sair daquele alojamento. Hmm...Rogers e Danny. Connor. Ah, e Kenny também, e...

-  O time inteiro, você quer dizer - eu o interrompo, secamente, antes que liste todos os outros jogadores

-  E as namoradas, os que têm - ele olha para Namjoon e para mim - Tudo bem, né? Não vamos virar a noite nem nada assim

-  Contanto que cada um traga a própria bebida, por mim tudo bem - responde  Nam - E se Danny vier, melhor trancar o armário de bebidas

-  A gente pode colocar no quarto do Jungkook- diz Jimin, com um riso de escárnio - Aposto que não vai beber uma gota

Namjoon me olha com um sorriso.

-  Tadinho. Quando vai aprender a beber que nem homem?

-  Ei, sei beber muito bem. O problema é o dia seguinte!

Sorrio para meus colegas de time

-  Além do mais, sou o capitão. Alguém tem que ficar sóbrio para manter esse bando de loucos na linha.

-  Valeu, mãe - Jimin faz uma pausa, depois balança a cabeça - Na verdade, não, você é a mãe - diz para Nam, sorrindo para o avental dele, antes de se voltar para mim - Acho que isso faz de você o pai. Vocês dois são mesmo bem 'família'.

Ambos mostramos o dedo do meio para ele. 

-  Ah, mamãe e papai tão bravos comigo? - ele solta um suspiro fingido - Vocês vão se separar?

-  Não enche - diz Namjoon, mas está rindo.  

O forno apita, e Namjoon tira o frango descongelado e começa a preparar nosso jantar enquanto faço meu dever de casa na bancada. E não é que a cena toda é família pra caramba?


Notas Finais


aaa queria comentar o quanto eu amei a cena do Nam e sua masculidade não ameaçada pelo aventual "feminino"! rei se comporta assim não é amores? até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...