1. Spirit Fanfics >
  2. O Acordo - YoonMin >
  3. Capítulo 19

História O Acordo - YoonMin - Capítulo 19


Escrita por: LuanaDias676

Capítulo 19 - Capítulo 19


Fanfic / Fanfiction O Acordo - YoonMin - Capítulo 19 - Capítulo 19

Yoongi 


– Você perdeu uma aposta – confirma Taehyung na dúvida. 

– É

Sento na beira da cama e me abaixo para arrumar a bota esquerda, deliberadamente evitando o olhar do meu amigo. 

– E agora vai sair com ele.

– Aham.

Esfrego o polegar na lateral da bota e finjo que estou limpando uma mancha. 

– Você vai sair com Park Jimin.

– Aham.

– Isso tá me cheirando a furada.

Claro que sim. 

Um encontro com Park Jimin? 

Eu poderia muito bem ter anunciado que ia me casar com Lai Kuan-lin.

Por isso, não culpo Taehyung por parecer tão surpreso. 

A desculpa da aposta foi a melhor que fui capaz de inventar e, na melhor das hipóteses, é péssima. 

Agora estou me perguntando se deveria confessar e falar de Jungkook ou melhor, cancelar logo o encontro. 

Não vejo Jimin desde o grande erro, que é como estou me referindo ao beijo. Ele me mandou uma mensagem ontem depois da segunda chamada. Três míseras palavrinhas: “Mamão com açúcar”. Não vou mentir, fiquei emocionado ao ouvir que tinha ido bem. Mas não o suficiente para iniciar uma conversa de verdade, então respondi com uma palavra apenas “Boa!", e esse foi o único contato que tivemos até vinte minutos atrás, quando ele escreveu para dizer que estava vindo me buscar para a festa. 

Para mim, o beijo não aconteceu. 

Nossos lábios não se encontraram, e meu corpo não ardeu. Não gemi quando minha língua preencheu a sua boca, e não murmurei quando seus lábios tocaram aquele ponto sensível do meu pescoço. Não aconteceu. 

Mas… bom, se não aconteceu, então não tenho por que fugir da festa agora, tenho? Porque não importa quão confuso e abalado o bei… o grande erro tenha me deixado, ainda estou ansioso por uma chance de ver Jungkook fora da faculdade. 

Mas não posso contar a verdade a Taehyung. 

Em geral, sou tão confiante em outras áreas da minha vida. No canto, nos trabalhos da faculdade, com os amigos. 

Quando se trata de relacionamentos, porém, volto a ser aquele menino traumatizado de quinze anos de idade que precisou de três anos de terapia para se sentir normal de novo. 

Sei que Taehyung não aprovaria se soubesse que estava usando Jimin para chegar a Jungkook, e agora não estou com cabeça para sermões.

– Vai por mim, ‘furada’ é o nome do meio de Jimin – digo secamente – O cara trata a vida como um jogo.

– E você, Min Yoongi, está jogando o jogo dele? – Ele balança a cabeça incrédulo – Tem certeza de que não sente nada por esse cara?

– Por Jimin? De jeito nenhum – respondo depressa. 

Aham. 

Porque você sempre dá uns amassos com os caras por quem não sente nada. 

Afasto a provocação interna. 

Não, não dei um amasso em Jimin. Estava simplesmente respondendo a um desafio. 

A voz zombeteira surge em minha mente mais uma vez. 

E você não sentiu absolutamente nada, certo? 

Argh, por que não dá para desligar o sarcasmo do cérebro? 

Mas sei que fazer isso não vai apagar a verdade. Senti alguma coisa quando nos beijamos. Aquele formigamento que Jungkook provoca em mim? Senti com Jimin.

Mas foi diferente. 

As borboletas não só flutuaram em minha barriga… fugiram e correram pelo meu corpo inteiro, fazendo com que cada centímetro de mim pulsasse de prazer. 

Mas não significou nada. 

Em dez míseros dias, Jimin deixou de ser um estranho para se tornar um amigo irritante, mas isso é o máximo que estou disposto a aceitar. 

Não quero sair com ele, não importa quão bem o sujeito beije. 

Antes que Taehyung possa continuar me pressionando, recebo uma mensagem de Jimin me avisando que está aqui. 

Estou prestes a dizer para esperar no carro, mas acho que temos definições diferentes de aqui, porque um segundo depois ouvimos uma batida forte na porta. Suspiro. 

– É Jimin. Pode abrir, por favor? Só vou terminar de arrumar o cabelo.

Taehyung sorri e desaparece. 

Ouço vozes na sala de estar, seguidas por um protesto estridente e passos pesados na direção do meu quarto. 

Jimin aparece na porta vestindo calça jeans azul-escura e um suéter preto, e algo terrível acontece. Meu coração parece um golfinho e dá um pulinho idiota de empolgação. Empolgação. Quem diria. 

Aquele bei… erro … mexeu mesmo com a minha cabeça. 

Ele examina minhas roupas antes de arquear uma sobrancelha. 

– É isso que você vai vestir?

– É – rebato – Algum problema?

Ele deita a cabeça de lado. 

– Curti o jeans e as botas, mas a camisa não vai rolar.

Dou uma conferida no suéter soltinho listrado de azul e branco, mas sinceramente não vejo o que há de errado com ele. 

– Qual o problema?

– Folgado demais. Achei que a gente já tinha falado sobre como você precisa mostrar mais seu corpo de stripper

Uma tosse estrangulada surge atrás dele. 

– Corpo de stripper? – repete Taehyung, ao entrar no quarto. 

– Ignore-o – aviso a ele.

Jimin abre o sorriso que é sua marca registrada e olha para Taehyung. 

– Oi, meu nome é Jimin e o seu? 

– Taehyung, colega de alojamento e melhor amigo do Yoongi.

– Ótimo, bom, pode dizer à seu colega de alojamento e melhor amigo que ele parece uma vela de navio?

Ele ri e, em seguida, para meu horror concorda com ele. Traidor!

– Não faria mal vestir algo mais justo – comenta, com muita delicadeza. 

Olho feio para ele. 

Jimin sorri ainda mais. 

– Tá vendo? Estamos todos de acordo. Mostre a que veio ou nem precisa vir, Yoon.

Taehyung olha de mim para Jimin, e sei exatamente o que está pensando. Mas ele está errado. Não estamos a fim um do outro, muito menos namorando. 

Mas acho que é melhor que ele pense isso do que saber que vou sair com ele para impressionar alguém. 

Jimin caminha a passos largos até o meu armário como se fosse o dele. 

Quando enfia a cabeça de cabelos escuros lá dentro, Taehyung me lança um sorriso. Parece estar achando tudo muito divertido. 

Ele passa os cabides para examinar minhas roupas, em seguida, puxa um suéter fino. 

– Que tal?

– De jeito nenhum. É transparente.

– Então por que você tem?

Boa pergunta. 

– Você fica ótimo de amarelo 

As sobrancelhas de Taehyung batem no teto, e amaldiçoo Jimin por colocar todas essas ideias desnecessárias na cabeça dele. 

Mas, ao mesmo tempo, meu peito fica quente e derretido, porque… ele acha que fico ótimo de amarelo? Como se tivesse mesmo reparado nas roupas que usei nos últimos dias… Jimin me joga a roupa. 

– Certo, vista isso. Queremos chegar elegantemente atrasados, e não estupidamente atrasados.

Taehyung deixa escapar outra risada. 

Olho para os dois. 

– Posso ter alguma privacidade, por favor?

Ou estão alheios ao meu aborrecimento ou optaram por ignorá-lo, porque ouço-os conversando tranquilamente na sala. 

Suspeito que Taehyung o esteja interrogando sobre o nosso “encontro” e torço para que Jimin se atenha à história da aposta. 

Quando sua risada flutua até o meu quarto, um arrepio involuntário percorre minha coluna. 

O que está acontecendo comigo? 

Estou perdendo de vista o que quero. 

Ou melhor, quem quero. Jungkook. 

Não deveria ter beijado Jimin.

É hora de colocar a cabeça nos eixos e lembrar por que concordei com essa farsa em primeiro lugar. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...