1. Spirit Fanfics >
  2. O Acordo (SasuSaku) >
  3. Clube da Barbie - 20

História O Acordo (SasuSaku) - Capítulo 20


Escrita por:


Capítulo 20 - Clube da Barbie - 20


Nos separamos pela última vez, pouco mais ofegantes agora. 

— Mais uma – ele disse, acariciando meu rosto – lugar favorito. 

— Ah não – choraminguei, tentando me aproximar pra dar mais um beijinho, mas fui barrada com um sorriso bobo – você sabe que eu sou ruim em decidir essas coisas. 

— E eu não gosto de conversar sobre essas coisas, mas estou aqui – insistiu. 

— Certo ... acho que o meu quarto – respondi pensativa. 

 Ele assentiu com a cabeça, já se aproximando para selar nossos lábios novamente. Estávamos assim há uns bons 15 minutos: beijos, perguntas, mais beijos ... 

— Minha vez – falei ao deixar um selinho rápido, vendo a cara de descontente que ele fez. 

— Vai logo. 

— Indelicado!! – provoquei, pensando em uma boa pergunta – hmm que tal... sua melhor lembrança?? 

— Tsc – senti ele se remexer desconfortável no banco – não pode ser outra ?? 

— Por que?? – não pude evitar, esse meu lado curiosa sempre quer saber o motivo das coisas. 

— Complicado – ele me deu um sorriso fraco, apertando minha perna de uma forma carinhosa – mereço mais um beijo se for responder essa. 

— Sasuke – olhei-o indignada, agora tudo se resume a beijos ??? 

— Brincadeira – ele tentou me acalmar, voltando a postura séria em poucos segundos ‐ é só que ... eu não sei se é mesmo uma lembrança. 

 Fiquei encarando os olhos negros durante cinco longos segundos, tentando entender como isso era possível. Sasuke estava brincando com a minha cara?? Isso era sério?? 

— Tipo – sua voz me chamou atenção, provavelmente percebeu que eu fiquei boiando no assunto – eu era muito pequeno, então pode ser que eu tenha sonhado, imaginado, algo do tipo, entende ?? Nada me garante quer seja real. 

– Uau – foi tudo que eu consegui falar, ocupada tentando imaginar o que poderia ser essa lembrança. Mas nada me veio na cabeça – o que acontece?? Nessa lembrança. 

— É coisa boba – ele disse totalmente sem jeito, pronto pra mudar de assunto, mas acho que meu olhar insistente fez efeito - é uma lembrança com o meu pai ... 

 Mesmo que ele dissesse isso, eu sabia que não era coisa boba. Não só pela forma tranquila que ele falou, ou a voz levemente afetada. Mas também pelo olhar, como se o Sasuke estivesse revivendo a cena várias vezes ali mesmo, apreciando e se confortando com aquilo. Deixei seus dedos continuarem na minha perna, onde faziam um carinho inocente sem nem perceber, enquanto ele falava. 

— Acho que estávamos na sala de casa, eu havia acabado de chegar do meu primeiro campeonato de futsal, todo suado e estressado. 

— Pra variar – brinquei, vendo ele sorrir em resposta – você sempre se estressa com o futsal. 

— Pois é, pra variar eu estava bravo. Mesmo que meu time tenha ganho o jogo, por algum motivo desconhecido, eu não estava feliz. Lembro que cheguei em casa pisando duro, com a cara fechada, totalmente revoltado. 

 Sorri ao imaginar um mini Sasuke todo revoltado entrando em casa. Embora seja preocupante uma criança ter esse espírito de velho, devia ser também extremamente fofo. 

— Tomei meu banho e comecei a ignorar o Itachi, também não me pergunte o motivo, eu não lembro – me olhou com uma risada fraca – só sei que poucos minutos depois meu pai chegou em casa. E bom ... isso era algo raro pra época, meu pai foi promovido de cargo logo depois que eu nasci, então estava sempre no trabalho. Mas naquele dia ele chegou e logo perguntou por mim, o que era outra coisa estranha. Na minha cabeça ele sempre preferiu o Itachi, em tudo, era como se eu fosse uma cópia mal feita do meu irmão. 

— Sasuke – olhei pra ele, sentindo por isso, imaginando como devia doer pensar que era uma ‘cópia mal feita 

— Não, está tudo bem – insistiu, entrelaçando seus dedos nos meus – é bom poder falar disso pra alguém – assenti com a cabeça, voltando a prestar atenção nele – pode ser impressão minha, afinal eu era uma criança, mas eu achava que o Itachi era realmente o preferido. E bom ... você pode imaginar que eu fazia de tudo pra chamar atenção do meu pai. 

— Você é competitivo – pontuei, vendo o sorriso lindo que ele abriu. 

— Sim, eu sou. Itachi sempre tinha atenção do meu velho, então eu lutava pelo mesmo. Mas naquele dia, logo depois do jogo, parecia tão surreal ... meu pai entrou em casa com a cara séria de sempre, a maleta na mão, e quando foi me procurar achei que estava encrencado. Muito pelo contrário – sorriu enquanto mirava o céu, como se revivesse aquele momento – ele chegou e me entregou uma medalha. Olhei pra aquilo sem entender nada, até que ele disse “foi um bom jogo, mas na próxima não esqueça o prêmio de todo seu esforço”. Eu pirei ali mesmo. Então meu pai tinha assistido ao jogo, sabe ?? Ele havia ido me ver...  

— Essa lembrança é linda – falei com um sorriso bobo, tentando conter minha vontade de chorar – Me desculpe Sas, eu não sabia do seu pai. Ele ... ele – 

— Sim, ele morreu – respondeu tranquilamente, usando o polegar para fazer pequenos círculos imaginários na minha mão – mas eu lido bem com isso. 

— Ele ia ter orgulho de você, com certeza teria vontade de assistir todos seus jogos – sorri, sentindo meu corpo ser puxado pra um abraço. Eu retribuí, repousando minha cabeça no seu peito enquanto abraçava sua cintura. 

— Eu lidei bem com a falta dele, mas não sei se consigo perder ela. 

 Quando escutei sua voz fraca entendi o porquê do abraço repentino, ele estava chorando. E eu não sabia como ajudar, também queria chorar naquele momento. Então abracei-o com toda força que tinha, tentando servir de apoio, torcendo pra ele entender esse gesto. 

 Se a relação entre Sasuke e seu pai foi tão complicada quanto eu imagino, só a ideia de perder a Mikoto deve ser algo extremamente doloroso. Foi inevitável não lembrar da cena que encontrei assim que entrei no quarto do hospital: ele dormindo tranquilamente no colo da mãe. Senti o nó na minha garganta aumentar, céus como eu queria chorar, mas me segurei. 

— Ela está aqui, certo ?? – falei baixinho, acariciando os fios de cabelo mais curtinhos da nuca – sua mãe está viva, Sasuke. Você disse que se fizer a cirurgia as chances são altas, então foque nisso. Vamos visitar ela toda semana, fazer companhia, isso vai te acalmar ... 

— Vamos ?? – perguntou enquanto me apertava mais no abraço, passando a palma da mão pelas minhas costas. 

— Se quiser, posso vir junto – ofereci em um impulso de coragem – não precisa fazer nada sozinho, eu e Naruto estamos sempre aqui. 

— Eu não gosto muito de vir aqui – confessou ao se afastar, enxugando o rosto como se nada tivesse acontecido – ver ela doente é horrível, parece que cada vez ... ela está mais abatida. 

 Dei um sorriso fraco, sem saber o que dizer. Apenas apertei mais minha mão contra a sua, tentando passar confiança. 

— Mas se você vier, fica menos difícil – completou enquanto se levantava, me puxando pela mão para que fizesse o mesmo. 

— Então está combinado – sorri, passando meus braços pelo seu pescoço – venho com você sempre que quiser. 

— Obrigada, de verdade – ele retribuiu o sorriso, me puxando pela cintura, se inclinando pra mais um beijo. 

 Quando nossos lábios já estavam selados eu escutei uma risada fraca atrás de nós, virei o rosto rapidamente até encontrar o Itachi parado no Jardim, um sorriso enorme no rosto daquele idiota. Sem pensar muito dei um empurrão no Sasuke, vendo ele cambalear e se firmar antes de cair no chão. Ganhei um olhar irritado, mas ignorei e me virei para o Itachi. 

— Ita – falei com um sorriso amarelo, tentando controlar meu nervosismo. 

— Gatinha – me olhou todo insinuador, em seguida mirou o irmão – vim procurar os dois, Naruto me disse que estavam tomando café...  

— É – Sasuke resmungou descontente, andando de novo até o meu lado – viemos tomar café, o que aconteceu?? 

— O horário de visitas vai acabar, se despeça da mamãe – isso estava estranho, nenhuma provocação ???. 

— Certo, vamos – Sasuke segurou minha mão e fomos assim até chegar no quarto. Lógico que a ação não passou despercebida pelo irmão mais velho, o que foi suspeito, já que o Itachi não fez nenhum comentário sobre. 

 Quando entramos, agora com as mãos separadas, Mikoto e Naruto ainda riam sobre algo. 

— Finalmente!! – ele logo berrou – demoraram demais. 

— Desculpe, acabamos perdendo noção do tempo – respondi tentando acalmar o loiro. 

— O café devia estar muito bom, né Naruto – Itachi começou a falar, a voz com um fundo de insinuação – pra eles perderem a noção do tempo enquanto apreciam o sabor... 

 Automaticamente todos os olhares do quarto caíram sobre eu e o Sasuke, envergonhada eu apenas abaixei o rosto. 

— Não começa, Itachi – a voz baixa e irritada do Sasuke não pareceu ter efeito no irmão. 

— Mas é verdade, Sasukinho – o outro continuou – conta pra mamãe, o café com a Sakura foi bom ?? Porque na hora que eu cheguei vocês pareciam estar adorando. 

 Só tive coragem de erguer o rosto quando escutei a risada fraca da Dona Mikoto. Sorri com a cena, ela estava rindo que nem uma criança, gargalhando em cima da cama. 

— Itachi – ela tentou advertir – não pegue tanto no pé do seu irmão. 

— Tudo bem minha rainha – ele se aproximou da mãe, deixando um beijo no topo de sua cabeça – amanhã estou de volta ok ?? 

— Como sempre – ela sorriu agradecida. 

 Depois dele foi a vez do Naruto, o loiro se despediu com um abraço caloroso e uma promessa de que ia se comportar. Lógico que eu esperei o Sasuke ir na frente, os dois conversaram sobre algo que não consegui escutar, mas ele saiu com as bochechas vermelhas e a Dona Mikoto apenas riu. 

 Quando chegou minha vez fui pega de surpresa: 

— Meninos, me deixem falar a sós com a Sakura por favor. 

 Foi impossível esconder o susto que levei. Mesmo que a Mikoto seja um doce, e até agora tenha se mostrado uma mulher maravilhosa, eu não consigo deixar de ter um leve receio. Afinal, ela é a mãe do Sasuke. Do Sasuke que eu ... tenho trocado beijos e carícias. Do Sasuke que tem se tornado importante pra mim. Do Sasuke que me arranca os melhores sorrisos.  

 Por fim, como poderia eu não ficar preocupada?? 

 Busquei ajuda em qualquer um dos três meninos que saíram pela porta, ignorando meu pedido de socorro visual. Itachi fechou a porta, me lançando antes um olhar confiante. Como se dissesse “está tudo bem" apenas com aquele pequeno maneio de cabeça. 

 Eu respirei fundo, olhando para a mulher que já me encarava. Os traços do rosto tão parecidos com o dele, mas com uma leve diferença: os olhos. Mesmo que ambos tenham os olhos tão escuros, existe algo diferente no de Sasuke, um brilho a mais, algo que me atrai. 

— Não fique tímida – a voz suave, e também fraca, me chamou atenção – por favor não me interprete mal, mas é difícil conversar com aqueles garotos barulhentos. Não tenho intenção nenhuma de te assustar. 

— Tudo bem – falei dando meu melhor sorriso, puxando uma cadeira que tinha pelo quarto e colocando perto de sua cama – bom, Naruto realmente é barulhento. Se juntar com Itachi então ... 

— Às vezes eu brinco que tenho três filhos – contou com um sorriso fraco – acho que você já sabe, mas a amizade do Sasuke com o Naruto vem de longa data, considero aquela figura meu terceiro filho. 

— Eles me contaram, são como unha e carne, não se separam nunca!! 

— Bom, parece que agora encontraram outra amizade valiosa – ela me olhou com serenidade, esticando sua mão para segurar a minha – Sasuke não tem me visitado muito – comentou tentando parecer neutra, mas pude sentir a pontada de tristeza que ela carregava - Itachi tenta compensar isso fofocando sobre a vida do irmão... 

— Ele é uma figura – ri junto com ela, sem duvidar que ele realmente fazia isso. 

— Sim, ele é – concordou, os olhos fechados por causa do sorriso enorme – estou ciente de como você faz bem para os meus meninos, em particular, para o Sasuke.  

 Segurei-me muito, mesmo assim minhas bochechas coraram com violência. Eu tinha me entregado ali mesmo, sem conseguir controlar essa reação espontânea. 

— Não fique envergonhada – ela riu de uma maneira adorável, unindo sua outra mão, deixando a minha envolvida – vocês são jovens ainda, não estou cobrando nada de você ... mas eu conheço meu filho. Você é especial pra ele, Sakura. Não sei como se sente em relação a isso, mas acho que o corresponde de alguma forma. 

— Dona Mikoto – eu comecei a falar, reunindo toda a coragem que parecia brotar dentro de mim – eu e o Sasuke ... ainda não temos nada sério. Não sei o que ele sente por mim, mas te garanto que eu tenho um carinho especial por ele – mirei o rosto delicado, vendo um sorriso de aprovação bem desenhado nas feições delicadas – antes de qualquer coisa, nós somos bons amigos. 

— Isso é importante, eu gosto da amizade de vocês – disse em um tom calmo, piscando algumas vezes – De qualquer forma, adorei sua visita hoje. Gostei de conhecer uma garota tão especial e adorável como você. 

— Obrigada – sorri realmente agradecida - tenho que dizer o mesmo da senhora. 

 Me levantei, ainda com nossas mãos juntas, me aproximando para despedir-me. 

— Bom, já te segurei demais aqui – ela riu, os olhos brilhando, reconheci o motivo e quase que chorei também – volte sempre Sakura. 

— Vou voltar sim – respondi enquanto dava uma última olhada nos olhos negros que estavam levemente marejados – prometo que vou dar um jeitinho de trazer o Sasuke, okay ?? 

 Ela assentiu, emocionada, como se eu tivesse dado a ela o melhor dos presentes. Meio sem jeito eu beijei as costas da sua mão, me preparando pra sair. Dei um último sorriso antes de me virar, já alcançando a maçaneta. 

— Sakura – me chamou, fraquinho. Olhei pra ela, atenta – Se algum dia vocês tiverem algo ... oficial, digamos assim, por favor não pense duas vezes antes de me contar. 

 Eu assenti com a cabeça, abrindo um sorriso enorme. Não pude deixar de pensar como seria ter “algo oficial” com o Sasuke, se ele pensava no mesmo, se cogitava essa possibilidade... 

 

[...] 

 

— E você não ia me contar ??!! - perguntou incrédulo. 

— Não comece com o drama – suspirei enquanto abria a geladeira, procurando algo que servisse nós quatro. 

— Vou te contar um segredo hein, presta atenção - se aproximou de mim, sussurrando a primeira parte, mas logo aumentou o tom de voz para continuar – eu sou a porra do seu irmão!! Tem que me contar essas coisas. 

— Não devo satisfação a você - pontuei sem emoção, já me cansando da insistência dele. 

— Vamos lá Sasuke, conversar comigo não vai te matar, desde quando ?? 

— Desde quando o que ?? - perguntei revirando os olhos. 

— Você e a Sakura tão de rolo – respondeu enquanto gesticulava todo exagerado com as mãos. 

— Eu ... nós não estamos de rolo – falei incerto. 

— Não ?? - me olhou tão confuso quanto eu estava - estão ficando sério, então ?? 

— Não também!! A gente ... eu não sei – resmunguei descontente – isso faz diferença ?? 

— Óbvio que sim – respondeu como se fosse a coisa mais lógica do mundo – define se vocês ficam com outras pessoas, se tem apenas prioridade, se estão se conhecendo pra tentar algo mais sério ... 

— Bom – cocei a cabeça, totalmente perdido – eu não estou ficando com mais ninguém, acho que ela também não. 

— Você acha ?? - enfatizou a última palavra – porra Sasuke, assim nem parece que é meu irmão. 

 Estava prestes a dar uma resposta grosseira quando uma terceira voz entrou na cozinha, escandaloso como sempre. 

— Aê Sasuke, a Sá perguntou se você não tem condicionador – Naruto praticamente berrou, mesmo que eu estivesse no seu lado. 

— Não tenho – respondi irritado – pega no banheiro da minha mãe. 

— Ixi, o que aconteceu ?? - me olhou curioso. 

— Tô tentando entender que porra tá rolando entre ele e a Sakura – Itachi respondeu pro meu amigo. 

— Ou seja, enchendo o meu saco – completei enquanto buscava a tábua de cortar. 

— Ah, entendi – Naruto riu alto – eles tão de rolinho, mas acho que não demora pra eles ficarem sério. 

 Olhei indignado do meu amigo para o meu irmão, que parecia entender completamente o que ele dizia. Pois pra mim não fez sentido nenhum. 

— Eu achei que fosse isso mesmo – Itachi resmungou enquanto ligava o fogo. 

— Naruto – chamei ele, frustrado – qual a diferença de um ‘rolinho’ e ficar sério ??? É praticamente a mesma coisa. 

 Os outros dois me olharam como se eu fosse um mutante, nessa hora considerei mesmo ter uma conversa com o Itachi pra tentar entender esse universo esquisito e complicado de relacionamentos. 

— Claro que não!! - os dois falaram juntos. 

— Se é um rolinho, você ou a Sakura podem ficar com outras pessoas – foi meu irmão que começou a falar, incrédulo com a minha ignorância. 

— Exato, se estão ficando sério já existe um compromisso – Naruto completou – algo mais perto de um namoro. 

— E eu tenho o que com a Sakura ?? - perguntei curioso. 

— Puta que pariu – meu irmão resmungou, parecendo estar ... assustado - você que devia saber!!  

— Esquece Itachi, o que a Sakura tem de insegura ele tem de lerdo. 

— Cala a boca – xinguei enquanto começava a cortar as cebolas - não quero mais falar sobre isso. 

— Ma-- 

— Esquece isso – repeti, querendo dar um ponto final logo nesse assunto. 

 A cozinha ficou em silêncio durante alguns segundos, até ela chegar. 

— Eii - a voz dela soou preocupada – o que aconteceu aqui ?? 

 Olhei para trás, vendo a Sakura vestindo um dos meus moletons, o shorts de malha preto que costuma usar no treino, os cabelos cor de rosa presos em uma espécie de ninho em cima da cabeça. Linda, absolutamente irresistível daquela forma. Não sabia que eu gostaria tanto de vê-la usando meu moletom azul até de fato ver. 

— Nada demais – respondi pelos outros dois, sem saber como segurar meu sorriso – estamos fazendo o almoço, quer ajudar ?? 

— Ah, posso tentar – ela disse enquanto se aproximava – sabe que não sou muitooo boa com a cozinha. 

— Não é muito boa ?? - meu irmão provocou - você tem cara de quem queima pipoca!! 

— Ei, eu sei me virar valeu ?? - ela cruzou os braços e o encarou feio - não é, Naru ?? 
— Sakura – ele respondeu, já rindo – na minha casa você conseguiu queimar a pizza. E era daquelas congeladas. 

 Voltei a cortar as cebolas, tentando esconder a minha risada que também queria sair. Tem algo que todos nós concordamos aqui: Sakura é uma negação na cozinha. Talvez negação não seja a palavra certa, pra ser justo ela consegue fazer o próprio brigadeiro. Fora isso, esquece. 

— Eu não vou falar nada pra você!! - ela estreitou os olhos para o Naruto – fiquei uma meia hora esperando o condicionador no banho!! 
— Que exagerada, foram no máximo 15 minutos – ele retrucou, mas estava na cara que era mentira. 

— Por isso fez esse coque na cabeça ?? - Itachi perguntou tranquilamente – se quiser tenho aquele spray de lavagem a seco. 

— Nossa Itachi – ela abriu um sorriso enorme - não sabia que era tão vaidoso assim. 

— Não começa - ele resmungou enquanto virava a carne na panela, me pedindo as cebolas com o olhar – gosto de cuidar do meu cabelo, apenas. 

— Do cabelo, do rosto, da pele, dos pé-- comecei a provocar, mas logo fui cortado. 

— Não fode Sasuke – ele me xingou com uma cara feia. 

— Pois bem, temos que marcar o dia da beleza!! - Sakura disse animada, lançando o dedo indicador na direção do Naruto – podemos fazer aquela skincare que você me mostrou. 

— Isso!! Eu comprei até a argila depois que você concordou com a ideia – ele respondeu todo animado – se quiser peço pra minha mãe trazer daqui a pouco. 

— Perfeito – ela disse toda animada - então vamos fazer hoje o dia da beleza. 

— Comprei um creme pra hidratar o cabelo que ainda não testei – meu irmão pontuou pensativo – podemos testar também. 

 Eles começaram a falar e falar sobre tudo que iriam fazer, mas a única coisa que passou pela minha cabeça foi “tomei no cú”. Eu odeio só a ideia de passar o dia lavando o rosto e hidratando o cabelo, imagina realmente fazer. 

— Acho que não vai dar ... - resmunguei tentando encontrar uma saída - eu tenho que ... treinar. 

— Treinar ?? - os três me olharam espantados. 

— É, vocês sabem, sair pra correr ... 

— Sasuke – fui atraído pela voz firme até os olhos verdes, afiados e selvagens, nem se pareciam com aquele olhar doce e terno que me acolheu de manhã - você não treina hoje, diz que é seu dia de descanso. 

— Vishh – Naruto começou a colocar lenha na fogueira – ele tá te enrolando hein Sakura. 

— Reza a lenda que o Sasuke nunca sai pra correr de tarde – Itachi continuou, chamando atenção da rosada. 

— Viu!! - ela apontou para o meu irmão, indignada – para de nos enrolar, vai participar do dia da beleza sim. 

— Sakura – olhei pra ela, insistindo em uma escapatória. 

— Não senhor – foi a resposta. 

 E eu sabia que ia acabar cedendo, Sakura sabe melhor que ninguém como me dobrar. Não são muitas as coisas que eu consigo negar pra ela, na verdade, não sei se existe algo que eu consiga. Por isso eu tinha certeza: o dia acabaria com a minha pele macia e meu cabelo sedoso. 

 

[...] 

 

Quebra de Página 

— Não faça essa cara – falei baixinho, tentando segurar a risada - já está quase acabando. 

 Era icônica essa cena!! Sasuke estava com a cabeça deitada no meu colo enquanto eu passava a última máscara de argila do dia. O bico típico de criança emburrada, os braços cruzados e as sobrancelhas baixas. Era uma graça e eu estava me divertindo com esse mau humor dele, porque não importa o quanto ele reclamasse, aceitou fazer tudo que eu propus. 

— Você me disse a mesma coisa duas horas atrás - resmungou rabugento – essa é a última né ?? 

— Talvez – fui sincera, mas quando vi a expressão dele se fechar ainda mais decidi brincar um pouco – depende se você vai ser bonzinho comigo ou não. 

— Mais bonzinho do que eu já fui ?? Estou sendo usado como boneco desde depois do almoço - me olhou indignado. 

— Prometo que te compenso depois – dei meu melhor sorriso, vendo ele ponderar – e foi divertido, vai. 

— Você está me devendo muito se for compensar tudo que sofri hoje. 

— MANO SACA SÓ - a voz escandalosa do Naruto chamou nossa atenção - tá lisinha!! 

 Ele se jogou no colchão, ao meu lado, e segurou minha mão limpa para passar no seu rosto. 

— Nossa – olhei pra ele abismada – Naruto a máscara funcionou!! 
— Sim!! Isso aqui ta perfeito Sá - ele sorriu animado – viu Sasuke, melhora essa cara porque seu rosto vai ficar mais macio que sua bunda. 

— Vai encher o saco de outro – ele xingou irritado - aliás, cadê o Itachi ?? 

— Tirando o creme do cabelo – respondi enquanto espirrava um pouco de água na máscara que estava no seu rosto – prontinho, daqui a pouco já pode tirar. 

— Não posso tirar agora ?? - perguntou com uma careta. 

— Não!! - eu e o Naruto respondemos juntos. 

 Podem me chamar de malvada, mas eu estou adorando ficar brincando de boneca com o Sasuke enquanto ele reclama. Passamos a tarde toda assim: passando creme no cabelo, deixando descansar, aplicando a máscara de argila e esperando o tempo certo. É um programa diferente, bem diferente pra ser sincera, mas gostoso. 

— Eii Sakura - a voz do Naruto me chama atenção - quer jogar ?? 

 Miro a televisão, vendo meu jogo de tiro favorito entrar. Ele e o Sasuke já estavam prontos com o controle na mão, mas minha vontade no momento era outra. 

— Não, pode ir – garanti enquanto me levantava, caminhando até a mesinha de centro – vou arrumar a bagunça que fizemos, podem ir jogando. 

— Deixa aí, depois eu te ajudo – Sasuke me fitou, inclinando a cabeça pro lado – deita aqui vai. 

— Já vou, é um minutinho – sorri, terminando de fechar os pacotinhos de argila. 

 Fingi que não escutei nenhum dos comentários do Naruto, muito menos os xingamentos do Sasuke em resposta, enquanto arrumava o resto das coisas. Era até meio engraçado porque o Sasuke tinha dois modos de reagir: ou ficava muito sem graça, ou muito irritado. Tudo dependia sobre qual assunto o loiro entrava. 

 Por exemplo, se era algo como “Porra Sasuke, só ta fazendo isso porque a Sakura pediu” a resposta dele era sempre irritada, geralmente mandando o Naruto ir tomar conta da própria vida. Agora, se era algo mais insinuador, ele perdia a postura. Como quando escutei um “para de ficar olhando pra bunda da Sakura mano, tá ficando chato já” outro dia. Sasuke nem respondeu, provavelmente deu um olhar feio enquanto suas bochechas coravam. 

 Eu gostava disso, porque a minha forma de reagir era parecida.  

 Quando acabei de arrumar tudo voltei para a sala, ou melhor, para nosso quarto improvisado. Itachi afastou o sofá e jogou um colchão de casal no chão, onde ficava a mesinha de centro, alegando aquela forma todos ficariam mais confortáveis. De certa forma, ele estava certo, Naruto podia ficar esparramado no sofá enorme enquanto eu já estava me deitando perto do Sasuke. 

 Engatinhei até seu lado, vendo-o desviar a atenção do jogo pra mim durante breves segundos. 

— Finalmente – ele sorriu de ladinho, voltando a mirar na tela. 

— Nem demorei tanto. Quem está ganhando ?? - perguntei enquanto me encostava nele, apoiando minha cabeça no seu ombro, deixando os braços e mãos livres para que ele pudesse jogar. 

— Quem você acha – Naruto reclamou – esse jogo é uma bosta!! Tenho certeza que tá lotado de hacker. 

— Você que não sabe jogar – Sasuke provocou, balançando a cabeça em negativa antes de me olhar – ele conseguiu pegar uma mochila nível 3 e encher de munição, só que nenhuma servia na arma dele. 

 Comecei a rir, me divertindo com o quão lerdo o Naruto podia ser pra esse jogo. 

— Assim não pra da te defender Naru!! É o básico do jogo. 

— Não começa você também não - me olhou feio – vai beijar o Sasuke vai. 

— Eii !! - reclamei, tacando uma almofada nele. 

 Esse foi o gatilho que precisávamos pra começar uma mini guerra de travesseiros. Era almofada para cá, almofada pra lá, um jogando no outro, uma loucura. Uma hora eu tinha acertado o Sasuke, na outra estava sendo jogada no ombro do Naruto, tudo em questão de segundos.  

 Ficamos nessa situação parecendo crianças durante um bom tempo, só paramos quando o Itachi entrou na sala, o longo cabelo solto, balançando com um brilho incrível. 

— Vocês são estranhos – foi a primeira coisa que disse ao nos ver, com uma careta. 

 Estava prestes a contestar quando vi a minha situação: minhas duas pernas sendo seguradas pelo Naruto no alto enquanto Sasuke segurava a almofada que usava segundos atrás pra me bater. Eu não tinha moral pra falar nada. 

— Estranho é você com esse cabelo – Naruto riu, soltando minhas pernas sem delicadeza nenhuma, me fazendo cair toda sem jeito no colchão. 

— Por “esse cabelo” você quer dizer sedoso e hidratado ?? 

— Realmente – me intrometi, rindo – seu cabelo ficou lindo Ita!! 

— Obrigada, a máscara capilar funcionou direitinho, aliás eu vi q-- 

— Pelo amor de Deus – a voz exausta de Sasuke me assustou – vamos mudar de assunto, sim ?? Não aguento mais me sentir um participante do clube da Barbie. 

— Awnnn, tadinho dele – Itachi provocou com um sorriso enorme. 

— Tudo isso é charme – Naruto continuou, me lançando um olhar divertido – vai Sakura, dá um beijinho nele logo pra ver se passa. 

— Não enche – eu falei enquanto dava risada. 

 Eles continuaram provocando enquanto o Sasuke se manteve sério, ignorando-os com uma habilidade fenomenal. Os dois palhaços só pararam de provocar quando escolheram filme pra assistir. 

 Eu nem me dei ao trabalho de prestar atenção, era filme de terror e eu morro de medo, por isso fiquei no celular durante todo o tempo. Não foi nenhum sacrifício visto que eu estava deitada no colo do Sasuke, recebendo um cafuné no meu cabelo enquanto o mesmo prestava atenção no filme. 


Notas Finais


feito com amor.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...