História O Alfa - One Shot (Jimin) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Abo, Alfa, Bangtan Boys, Bts, Híbrido, Hot, Imagine, Jimin, Ômega, Park Jimin, Você
Visualizações 762
Palavras 2.037
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


PUTA QUE PARIU ESSA HISTÓRIA PEGOU FAVORITOS RÁPIDO DEMAIS EU STO CHOCADA
Por isso decidi mimar vocês com um bônus <3 dessa vez é o último gente, não vou mais continuar jkjkkl
Eu tô num bloqueio criativo fodido, então desculpa se não ficou lá essas coisas, dei meu melhor
Leiam as notas finais
Boa leitura <3

Capítulo 2 - Bônus - Cio da Ômega


Fanfic / Fanfiction O Alfa - One Shot (Jimin) - Capítulo 2 - Bônus - Cio da Ômega

Ser a ômega de Park Jimin tem suas vantagens e desvantagens.

Confesso que foi incrível esfregar na cara das vadias que ele comia a marca da mordida dele, mostrando para todos e todas que o alfa tinha sua ômega agora. Mas também é bem complicado aguentá-lo querendo transar o tempo todo, mesmo quando não estamos no cio.

Não que eu não goste de transar com ele, longe disso. Até porque fico gemendo igual uma cadela enquanto ele me fode, mas isso não vem ao caso.

Agora que estamos morando juntos, o apetite sexual do meu alfa fica aflorado, o que o leva a querer transar comigo durante todos os momentos em que eu estou respirando. 

Eu estava cansada por transar o tempo todo, então conversei com ele sobre, e ele prometeu que não iria transar comigo com tanta frequência, o problema é que ele está há mais de uma semana sem me tocar, meu cio está próximo e eu estou ficando sedenta sem os toques do meu alfa.

 

Estava na sala quando sinto meu corpo ficar estranho, comecei a suar, minhas pernas ficaram bambas e minha intimidade começou a pulsar, me causando uma sensação extremamente desconfortável, o líquido doce já estava escorrendo por minha calcinha, molhando-a toda.

Merda! Meu cio chegou! 

Por que os ômegas entram no cio com mais frequência que os alfas? Isso era tão injusto!

Jimin estava dormindo no quarto, será que ele se importaria se eu fosse até ele e sentasse em seu falo grosso? 

Decidi arriscar, com dificuldade devido á enorme excitação, fui até o quarto, me deparando com meu alfa dormindo tranquilamente, tão fofo, nem parecia uma máquina de sexo. Suas orelhas estavam se mexendo levemente, a boquinha carnuda e entreaberta só me dava mais vontade de beijá-lo.

Me aproximei lentamente, me sentando ao seu lado, acariciei os fios de seus cabelos e retirei a coberta com cuidado para não acordá-lo, ele estava apenas com uma cueca preta, arfei ao ver seu peitoral descoberto.

Eu não tinha tempo para enchê-lo de beijos, então levei minha mão para seu membro, acariciando-o por cima da cueca, tentando de alguma forma, sem que Jimin percebesse, fazê-lo ficar duro.

– O que está tentando fazer? – sua voz soou de maneira grossa, com um tom sonolento ainda, me virei assustada, me deparando com um alfa que mantinha uma pose desconfiada, enquanto cruzava os braços e arqueava as sobrancelhas.

– Eu... Eu... – tentei me explicar, mas não conseguia achar uma explicação plausível.

– Você estava tentando transar comigo enquanto eu dormia? – abaixei a cabeça, envergonhada por tentar algo tão sem noção. – Está no cio não é? Senti o cheiro. Agora você quer transar comigo, né? 

Levantei a cabeça, ele estava com um sorriso irônico no rosto, totalmente convencido.

– Eu nunca disse que não queria – murmurei emburrada.

– Disse sim, minha querida – ele pronunciou, se aproximando de mim. – Como acha que me senti? Acha que foi fácil ter que me controlar perto de você? Sabendo que toda vez que você se aproxima... – ele aproximou sua boca de meu ouvido, e levou uma de minhas mãos para seu falo, me fazendo sentir o quão duro ele estava. – Eu fico assim...

– Jimin... – fechei os olhos, tentando controlar a excitação que crescia cada vez mais, eu não estava aguentando, minha intimidade não parava de piscar, aquilo era tortura demais. – Por favor, eu preciso disso.

– Então implore – o olhei incrédula, seu sorriso crescia cada vez mais, o filho da puta estava brincando com a minha cara, se aproveitando da minha situação.

– Está falando sério?

– Muito sério, amor. Implore para eu te foder, se é o que você quer – ele me olhou de maneira desafiadora, mais uma desvantagem de ser namorada de um alfa: eles são extremamente convencidos, isso toma uma proporção maior se o alfa for Park Jimin.

Fiquei alguns segundos estática, sem saber o que fazer, até que me lembrei do que ele havia dito quando apareceu em minha casa querendo foder comigo.

– Amor, eu preciso tanto de você dentro de mim, então por que não pulamos para a parte em que você engole seu ego e vem foder minha bocetinha molhadinha que está piscando de tesão pelo seu pau? – falei da maneira mais manhosa possível, eu já não tinha mais vergonha, o cio me deixava transtornada, eu só precisava que meu alfa me fodesse com vontade.

Um rosnado foi solto, e no momento seguinte meu alfa estava por cima de mim, olhei para seus olhos e já estavam totalmente vermelhos, provando o efeito que minhas palavras tiveram sob ele.

– É isso o que você queria? Me ver descontrolado? – ele perguntou rude, agarrou minha blusa e a rasgou totalmente, deixando-a em trapos que foram ao chão. – Parabéns, você conseguiu.

Estiquei meus braços até seu pescoço e o agarrei, puxando-o para mim e colando nossos lábios, assim que sua língua molhada fez contato com a minha, minha excitação cresceu, Jimin me proporcionava prazer até com um simples toque.

O alfa se deitou por cima de mim e abri minhas pernas, entrelaçando-as em seu quadril, ele começou a fazer movimentos que simulavam estocadas, esfregando seu falo duro em minha intimidade que infelizmente ainda estava coberta pelo short e pela calcinha.

Os gemidos já escapavam por minha boca com certa dificuldade, devido ao beijo, a cada simulada de estocada que Jimin dava, eu puxava seus fios com mais força, nossas línguas se mexiam em sintonia, a sintonia que havíamos estabelecido desde que ele me marcou como sua ômega.

Nossas bocas se desgrudaram e o alfa levou suas mãos para o fecho frontal do meu sutiã, foi fácil para ele tirá-lo, e jogá-lo em algum lugar desconhecido do quarto.

– Tão durinhos, que delícia amor – ele sorriu ao ver meus seios livres, Jimin distribuiu beijos em meu maxilar, foram descendo para meu pescoço, onde ele deu um chupão no local onde havia a marca de sua mordida. E então seus beijos chegaram á meus seios.

Ele distribuiu beijos por toda a extensão de meus seios, sem deixar de mordiscá-los levemente, me causando um espasmo forte, que o fez rir nasalado.

Jimin se pôs de joelhos sob a cama, ele agarrou a barra do shorts, o puxando juntamente com a calcinha, me deixando totalmente nua, pronta para ele.

– O que acha de um meia nove? Estou morrendo de vontade da sua boquinha chupando meu pau – o alfa propôs, minha boca estava salivando de vontade de chupá-lo, então apenas arfei em resposta, balançando a cabeça em afirmação.

Ele sorriu, retirando sua cueca, seu membro praticamente saltou para fora, me lembrando do quão grosso ele era, as veias pulsando faziam minha intimidade pulsar junto, e a glande vermelhinha que escorria pré-gozo parecia extremamente apetitosa.

Jimin se deitou na cama, me deitei por cima dele de maneira oposta, posicionando minha intimidade rente ao seu rosto, agarrei seu falo, iniciando uma masturbação lenta, passei o polegar por sua cabecinha, espalhando todo o pré-gozo, meu alfa gemeu baixo, o que me fez suspirar por ter sua respiração quente tão próxima da minha intimidade.

A língua do alfa tocou minha entradinha, rodeando-a por alguns segundos, então ela me penetrou, estava tão quente que não evitei em gemer quando ele começou a me estocar com sua língua, que entrava e saía em uma lentidão torturante. Aproximei minha língua de sua glande e comecei a lambê-la como se fosse um pirulito, e então a rodeei com a pontinha da língua, o que ocasionou um gemido do alfa, que ainda me penetrava com a língua molhadinha.

– Enfia tudo na sua boquinha, eu sei que você consegue – o alfa disse, desgrudando sua boca de minha intimidade, mas rapidamente levou seus lábios para meu clitóris, onde distribuiu beijos por ele, me causando arrepios, enfiei seu falo todo em minha boca, abaixando a cabeça até que ele tocasse minha garganta.

Meu clitóris foi abocanhado e Jimin começou a sugá-lo com força, estava praticamente impossível gemer com seu falo em minha boca, continuei movimentando minha cabeça para cima e para baixo, apreciando seu membro que mal cabia em minha boca, o retirei e minha língua passou por cada veia, pressionando-a em suas veias, o alfa sugou meu clitóris com mais força, como se estivesse "mamando" nele, não aguentei, ergui meu corpo enquanto gemia alto, meu corpo não parava de sofrer espasmos, e como um passe de mágica, tudo parou.

Jimin desgrudou sua boca em minha intimidade e me jogou na cama com brutalidade, ficando por cima de mim, ele se pôs entre minhas pernas e direcionou seu falo para minha intimidade, dando uma estocada forte, entrando dentro de mim de uma só vez, arqueei minhas costas com tamanho prazer repentino.

– Como senti saudades de estar dentro de você... – suas mãos se apoiaram entre minha cabeça, enquanto ele fitava meus olhos e estocava de uma maneira lenta. – Sentir minhas veias pulsando em seu interior, sua bocetinha molhando meu pau... É gostoso demais – ele estocou rápido de uma vez, me arrancando um gemido alto pelo susto.

– Me fode mais forte, bem gostoso... Vamos lá, amor. Me faz gozar no seu pau – pedi manhosa, sabendo o quão bruto ele iria ficar, mais um rosnado foi solto, então meu alfa enterrou seu rosto em meu pescoço, seu quadril ganhou uma velocidade repentina, ele começou a me foder forte, indo e vindo com certa brutalidade, mal havíamos começado e ele já havia encontrado meu ponto G, o qual fazia questão de acertá-lo a cada estocada funda que fazia.

– É assim que você quer? Seu alfa vai te comer com vontade – ele sussurrou em meu ouvido, me deixando totalmente arrepiada, ele mordeu meu lóbulo e meu corpo sofreu um espasmo, fazendo com que seu falo escapasse de dentro de mim, mas logo ele voltou a enfiá-lo, socando-o forte em meu interior.

Minhas unhas foram para suas costas e as arranhei completamente, com força o suficiente para que sangrassem, os gemidos saíam de minha boca sem pudor algum, assim como os arfares de Jimin.

Meu alfa se retirou de dentro de mim e se levantou, o olhei com um ódio imenso.

– De pé – ele ordenou, prontamente obedeci, ficando de pé ao seu lado, Jimin agarrou minhas coxas e me deu impulso, entendi o recado e pulei em seu colo, entrelaçando minhas pernas em sua cintura.

Seus lábios tocaram os meus, e iniciamos um beijo quente e fogoso, era algo tão intenso, minha língua se moveu com a sua, Jimin começou a andar enquanto me beijava, e logo sinto minhas costas se chocarem contra a parede, no mesmo momento em que seu membro entrava para dentro de mim novamente, podendo agora atingir o fundo de meu interior. 

Jimin separou nossos lábios desferindo uma mordida forte em meu lábio inferior e o puxando lentamente, o que me fez gemer, estava tão sensível a tudo. Suas estocadas retomaram o ritmo rápido e forte, meu alfa me fodia com tanta brutalidade que minhas costas chegavam a doer devido á fricção com a parede.

– Já está me apertando? Oh, estou quase lá também – abracei seu pescoço e escondi meu rosto em seu pescoço, gemendo manhosa a cada vez que ele se retirava de dentro de mim e voltava com tudo, meu interior estava sendo violentado deliciosamente por seu falo.

A sensação do orgasmo começou a crescer dentro de mim, meu interior se contraiu e Jimin soltou um urro, levantei minha cabeça para encará-lo, meu alfa socou fundo e acabamos gozando juntos, gemendo em sintonia.

Assim que seus jatos foram totalmente despejados em meu interior, Jimin me carregou até a cama, e se deitou lá comigo, me puxando para seu peito.

– Promete nunca mais me deixar passar vontade quando eu quiser transar? – Jimin perguntou, me fazendo gargalhar.

– Promete pegar mais leve com a frequência de sexo? – rebati irônica.

– Poxa amor, mas é difícil ficar perto de você sem querer transar – ele disse manhoso, ergui a cabeça para o olhar e ele estava fazendo um beicinho muito fofo.

– Só vou deixar passar dessa vez por um motivo.

– Qual?

– Eu ainda estou no cio e já estou excitada novamente.

Ele estampou um sorriso malicioso em seus lábios, no segundo seguinte me virou na cama e se deitou por cima de mim, levando seus lábios até meu ouvido e sussurrando:

– Pode ficar tranquila, seu alfa vai te foder muito bem.


Notas Finais


Aaaaa eu espero de verdade que tenham gostado <3
Então... Eu ainda preciso de uma capista, então se tiverem alguma pra me indicar eu agradeço muitoooo
Vamos ser amigas gente, me mandem mensagem, se quiserem meu número podem pedir, aí vocês vão poder ver quem é a pessoa por trás dessas putarias kjgkjhgk
Se tiverem gostado, não se esqueçam de comentar, favoritar e me seguir, porque é um puta trabalhão ficar até 4 da manhã escrevendo jkjkljl
PODE FAZER COMENTÁRIO GRANDÃO QUE EU ADORO DEMAIS
Amo vocês demais, obrigada por tudo, beijão <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...